História Room A Thousand Years Wide - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Audioslave
Personagens Chris Cornell, Personagens Originais
Visualizações 11
Palavras 1.571
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa tarde meninas! Td bem?
Prontas pra se derreterem com o fofissimo do Ben?

Então tenham uma boa leitura *-* ♥

Capítulo 6 - Cuidando dela


Fanfic / Fanfiction Room A Thousand Years Wide - Capítulo 6 - Cuidando dela

Após chorar bastante, a garota se encontrava sentada no sofá, pensativa e sozinha refletindo o que acabará de acontecer. Ben havia decidido deixar a garota sozinha para se adaptar à nova vida, e mesmo achando arriscado de ela fugir, ele achou que seria melhor dar a total liberdade a Duda para mostrar a ela que suas intenções não são ruins. Se aproximou na sala e se sentiu mais aliviado ao perceber que a garota ainda estava lá e que não havia fugido, e já separou uma camisa e uma bermuda que Ben a tempos não usava.

-Duda - Disse Ben a chamando a atenção - Aqui está uma roupa que eu não uso, eu acho que serve em você. È melhor tirar essa camisa do Chris para não dar problemas com a Susan.

-Tudo bem - Murmurou ainda triste.

Duda fez menção de tirar a camisa, quando Ben arregalou seus olhos e puxou para baixo.

-Não na minha frente! Espera eu virar as costas!

-Ah, er… Desculpa! È que é tão natural eu me trocar na frente de homens lá na boate que eu acabei me acostumando com a falta de privacidade.

-Ah, tudo bem Duda! Eu entendo você… Bom, se quiser tomar banho, fica a vontade, ok? Qualquer coisa eu estarei lá no quarto treinando.

-Tudo bem - Sorriu fraco - Obrigada Ben.

O rapaz sorriu para a garota e soltou um suspirou.

-De nada.

Ben então virou as costas, e entrou em seu quarto, fechando a porta logo depois.

Duda já aproveitou e pegou uma toalha na porta, e entrou em dentro do banheiro indo tomar banho. Sentiu a paz caindo junto com a água em seu corpo, se sentindo então liberta. Nunca havia tomado banho em um chuveiro bom, e sempre tinha a voz de alguma prostituta para tirar sua paz na boate, isso quando não era Estella querendo bater nela, e agora ela poderia tomar banho sem ninguem para invadir sua privacidade, e sem homem querendo transar com ela, porem, isso não quer dizer que ela ainda não confie totalmente em Ben. Ela não sabia se o cara estava fazendo aquela gentileza toda até a hora de ela dormir, lembrando que havia um quarto e uma cama de casal, e as coisas ainda podem acontecer. Tudo bem! O rapaz era bonitinho e educado, mas seus anos sendo prostituta permitiu com que ela conhecesse tudo qualquer tipo de homem, e já ouviu história diferenciadas de todos eles, o que gerava uma certa desconfiança de Ben.

Após o banho, se secou e colocou as roupas do rapaz, e saiu do banheiro, quando viu Ben sair do quarto com um travesseiro e um cobertor na mão.

-Ah, Duda! - Disse Ben - Sua cama já está arrumada, ok?

-E o que você está fazendo com um travesseiro e um cobertor na mão? - Perguntou curiosa.

-Indo dormir no sofá.

-No sofá? Mas não vai doer sua coluna? Esse sofá é horrível!

-Eu não vou me deitar com você Duda! Isso seria estranho, entendeu?

-Sim, eu sei mas… Eu não ligo de dormir no sofá! Você pode deitar na cama…

-E você acha que eu vou ser mongolão o suficiente de te fazer dormir no sofá enquanto eu sou o bonitão que está dormindo em uma cama de casal? Não Duda! Você dorme na cama e eu no sofá, ok?

-Mas… Ben…

-Não questiona, ok? Amanhã tem o show do Soundgarden e depois disso a gente vai fazer as malas e ir embora desse país e você precisa descansar bastante até lá!

-Mas…

Ben deu um beijo na nuca da garota e depois deu alguns passos em direção a sala.

-Boa noite.

Eduarda ficou mais confusa ainda. Viu o rapaz andando em direção a sala e não disse nada, apenas deu de ombro e andou em direção ao quarto. Fechou a porta e se deitou na cama já quase pegando no sono. A garota até havia se esquecido sobre o como é bom poder dormir sem nenhum homem ao seu lado pra ficar roncando no pé do ouvido, isso quando não acordavam a garota para transar, porem, dormiu um pouco insegura, com o canivete do lado, já desconfiada que Ben poderia aparecer, mas ao contrário do que pensava, ela havia dormido, e acordado no dia seguinte sem nenhum problema. Saiu do quarto coçando os olhos e foi até a sala de jantar, observando Ben tomando seu café da manhã tranquilamente.

-Bom dia Duda! Dormiu bem? - Perguntou o rapaz.

A garota franziu a testa e suspirou.

-Muito bem por sinal! E você?

-Bem tambem! Esse sofá até que nem é tão ruim quanto você disse - Sorriu - Senta aí, vem tomar café.

A garota se sentou na mesa de frente a Ben. Observou o rapaz dando um gole no café olhando para ela tranquilamente.

-Eu comprei umas roupas para você, na verdade, são vestidos - Disse Ben puxando assunto - Eu estava pensando em comprar camisa e calça, mas eu não sei se iria caber em você os que tinha lá a venda, mas depois desse show eu vou te dar uma quantia de dinheiro e você compra a roupa que você quiser, ok?

-Sério que você comprou roupa para mim?

-Sim! Por que?

-Ah… Por nada…

A garota despejou café em uma xícara enquanto Ben olhava pro seu rosto com uma certa curiosidade. Duda percebeu e ficou acanhada com o olhar de Ben, fazendo suas bochechas corarem. O rapaz então desviou seu olhar ao pão e suspirou timidamente.

-Então, er… Eu posso te fazer uma pergunta?

-Sim, diga.

-Como é que você veio parar aqui?

A garota deu um risinho.

-Aqui a onde? No hotel?

-Não! Na Espanha.

-Ah, foi uma longa história, na verdade, a dona da boate iludiu eu e meus pais dizendo que ia me trazer para cá para eu desfilar como modelo, e no final eu fui levada para a boate e fiquei por lá sendo obrigada a me prostituir.

-Sério? - Franziu a testa - Mas a polícia já foi lá?

-Eu não sei… Na maior parte do tempo eu só estive lá em cima nos quartos e não tive notícia de quase nada. Eu só descia para comer e estudar.

-Estudar? Estudar o que?

-Línguas. Eu tinha que aprender o inglês e o espanhol para se comunicar com os clientes gringos que apareciam por lá.

-E você não saia de lá?

-Não! Só quando eu estava acompanhada dos seguranças da Estella que amarrava a gente que nem cadela em uma guia e fazia a gente andar pela rua como se fosse um bando de vira lata.

-Meu Deus - Disse Ben surpreso.

-È, mas isso é o de menos! Quando a boate já estava cheia demais de prostitutas, eles vendiam para uma outra boate no outro lado do país, e quando a prostituta morria de alguma doença, eles enterravam no interior do país em um lugar qualquer e acabava com a identidade delas.

-Mas eles chegavam a matar alguem?

-Não, só torturar. A Estella disse que a pessoa vai ser um espírito livre de arrependimentos se morrer sem aprender a lição, e bom… Ela disse tambem que é difícil de recrutar prostitutas, por tanto, preserva as que têm.

-Que ridícula! - Resmungou - Ela nos recebeu tão bem e me disse que todas as prostitutas que estão lá são maior de idade... Aquela vaca!

Ben fechou as mãos de raiva ao lembrar de Estella e das mentiras que ela contava para seus clientes sobre as garotas de programa.

-A Estella é mentirosa! - Disse Duda com a boca cheia de ódio - A Maioria são menores de idade. Você reparou que tem uma de 13 anos lá?

-13?!

-Sim. E ninguem repara porque a Estella tem apoio de um amigo dela que sabe por silicone nas garotas.

-Então seus peitos não são verdadeiros?

-Nem a bunda. Não dizendo que eu era uma tábua, mas… Meu corpo não é esse.

-Meu Deus - Murmurou Ben com a mão esquerda no rosto.

A garota suspirou pensativa enquanto colocava manteiga no pão.

-Pior ainda é que cinco amigas minha tinham a minha idade quando fugiram. Eu estava pra completar 15 anos quando a última disse que iria fugir para a Austrália e voltar para a família dela. Ela fugiu e desde então eu não sei a onde ela foi.

-Você me contou algo parecido quando você colocou o canivete no meu pescoço. Eu sinto muito pelas suas amigas Duda.

A garota abaixou a cabeça em uma expressão triste, mas não quis chorar na frente do rapaz.

-Tudo bem… Eu… Eu às vezes rezo para que ela tenha tido a mesma sorte que eu.

-Com certeza teve - Sorriu - Mas o importante agora é que você está salva e eu vou fazer questão de te levar para a sua casa. Hoje tem o show do Soundgarden e você vai se divertir sem precisar fazer o que os homens pedem - Ben pegou um potinho e colocou na frente da Duda - Gosta de geléia?

-Adoro! - Brilhou os olhos e sorriu.

Foi então que os dois começaram a conversar, e quando foram dar conta, já estava na hora do Ben sair para fazer passagem de som com a banda, e junto dele, levou tambem a garota para se familiarizar com o restante. Mas como Matt e Kim irão reagir quando ver a Duda na frente deles?

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...