História Room, Imagine - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia), One Piece
Tags Bnha, Leitor, Reader, Vários
Visualizações 59
Palavras 2.475
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Lemon, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


— Trafalgar D. Water Law será seu pai.
— O poder da Ope Ope No Mi será uma individualidade que é passada por família.
— Haki do Armamento, Conquistador e Observação também são passados por genética.
— Alguns outros personagem de One Piece aparecerão.
— Terá Yaoi, obviamente.

boa leitura!

Capítulo 1 - I - hey


I – hey

i my room, everything repeats itself

Trafalgar D. Water [nome] estava indiferente, como sempre.

Sentado no sofá em frente ao seu pai, Trafalgar D. Water Law, você mantinha uma expressão definitivamente normal, mas com uma sobrancelha levantada e braços cruzados, batendo o pé impacientemente no chão.

— Sério mesmo? — você perguntou confuso demais com a carta nas mãos de seu pai, grandes letras U.A estampada na folha. — Tipo, eu não acho que eu deva entrar nessa escola.

— Por quê? — Law se sentou ao seu lado, te entregando a carta. — Nedzu escreveu especialmente a você.

— Eu não pedi pra ele escrever nada — você sentiu o olhar de morte de seu pai. — Você sabe que ele só me quer naquela escola porque eu sou seu filho, né? O famoso “Cirurgião Da Morte” precisa de alguém para passar o legado, e o filho se tornar um prodígio e...

— [nome] — Law franziu o cenho para você, sua atitude irritando ele. — Eu fui um amigo de Nedzu a um bom tempo, e eu tenho certeza que ele não quer que você entre na escola só por causa disso.

— Mas eu tenho certeza — você recebeu um tapa na cabeça, arrancando um gemido seu. — Argh, foda-se, não é como se eu tivesse uma escolha, não é?

— Bom — Law se levantou e foi para a cozinha. — Amanhã já começa as aulas, eu espero que você não perca o horário.

— Digo o mesmo — você murmurou.

[...]

— Espera, eles permitem que alunos levem espadas? — você perguntou enquanto endireitava a Nodachi em suas costas.

— É sua individualidade, eles vão ter que aceitar isso — Law observou as tatuagens em suas mãos e braços, idênticas a dele enquanto você levantava um pouco a manga do uniforme da escola. — Você sabe que eu me importo muito com você, não é?

— Quantas vezes você já falou isso pra mim, pai? Eu sei — você sorriu para ele esfregando o pescoço timidamente. — Eu também me importo muito com você.

Na verdade, falar um “eu me importo com você” seria a mesma coisa do que dizer eu te amo. Vocês dois, por acaso, tinham muita dificuldade de pronunciar tal frase, então vocês optaram por apenas falar eu me importo, simples, mas demonstrava sentimentos.

Você deu um tchau para seu pai e logo saiu de casa, começando a andar pelas ruas em direção a Yuuei. Você não se importou com os olhares curiosos que recebia sobre suas tatuagens, afinal, você ainda era jovem para ser “pintado” desse jeito.

Após andar tanto, você parou em frente ao portão da escola, suspirando e começando a andar. Você havia caído na sala “1-A”, e você já estava na procura da sala, o único problema era que você tinha um senso de direção muito ruim.

— Ah, me desculpe — você falou ao ter se esbarrado sem querer com um garoto de cabelos roxos.

— Não, sem problema — o garoto olhou diretamente para suas tatuagens e a espada em suas costas, intrigado com o quão atraente você era. — Está procurando sua sala?

— Sim. A minha é 1-A, e eu realmente tô muito perdido — você sorriu para ele. — Eu provavelmente devo ter passado da sala mais de cinco vezes.

— Vem, eu vou te levar até lá — o garoto começou a andar em sua frente, você logo seguindo atrás. — Aliás, meu nome é Hitoshi Shinso.

— Trafalgar D. Water [nome], prazer em conhecê-lo.

Shinso, em nenhum momento, desviou seus olhos das tatuagens e a Nodachi em suas costas. Ele realmente estava intrigado com tudo aquilo, as palavras “DEATH” tatuadas em seus dedos, um circulo estranho nas costas das mãos e corações nos braços.

— É aqui — Shinso parou em frente à sala, olhando agora em seus olhos. — Espero que não se perca novamente.

— Eu espero também — você abriu a porta, olhando para Shinso por cima do ombro. — Obrigado.

— Tire os pés da mesa! Você não tem um pingo de respeito? — a primeira coisa que você ouviu e viu na sala, foi um garoto de cabelos azuis escuros gesticulando de uma forma estranha para um garoto loiro com um semblante arrogante.

— Tsc — você observou os dois.

— A-Ah, com licença, você está interrompendo a passagem — uma voz extremamente tímida soou atrás de você. Você rapidamente saiu do caminho olhando para um esverdeado corado como um pimentão. — Obrigado... M-Meu nome é Izuku Midoriya.

— Trafalgar D. Water [nome] — ao ter falado seu nome, o esverdeado trouxe um brilho em seus olhos como anime, olhando para você perplexo.

— V-Você é o filho do Cirurgião da Morte? — Midoriya sorriu para você, mas rapidamente você colocou o dedo indicador nos lábios pedindo por silêncio.

— Pensei que meu pai não era tão famoso desse jeito, mas sim, sou filho dele — você olhou estranhamente para ele enquanto ele quase desmaiava de excitação. — Por favor, não vá espalhar para todos sobre mim, ok? É bem raro alguém saber o nome verdadeiro de meu pai. Você deve ser um daqueles fãs fanáticos por heróis, não é?

— E-Eh, sim, eu sou muito fã de heróis — o garoto sorriu brilhantemente para você. — Você deve ser muito forte, afinal. Essa espada em suas costas também entrega um pouco.

— Sinceramente, não. Eu só acho meu poder simples mesmo, nada demais.

— Oh, você é o garoto que me salvou! — uma garota com bochechas coradas naturalmente e cabelos castanhos apareceu atrás do garoto. O mesmo começou a corar loucamente. — Você socando aquele robô gigante foi tão legal!

O garoto de óculos que brigava com o loiro se aproximou dos dois, começando a conversar com eles. Você sorriu e se afastou deles, chamando a atenção do resto dos alunos que te olhavam.

Você realmente ficava desconfortável com o olhar de todos por causa de suas tatuagens e a Nodachi em suas costas. Era atraente, de fato, e isso chamava a atenção de todos obviamente.

Você retirou a grande Nodachi em suas costas e a apoiou em sua mesa.  Você se sentava em frente a uma garota de cabelo amarrado, e ao seu lado, havia um garoto com cabelo branco e vermelho com olhos heterocromáticos.

Você perdeu seu olhar na tatuagem de seus dedos, e logo olhou para seu professor que entrava na aula. Seu nome era Shota Aizawa, também conhecido como o herói Eraser Head. Ele disse para todos os alunos vestirem seus uniformes de ginástica e ir logo ao pátio, pois ele já explicaria como funcionariam as coisas aqui.

— H-Hey — enquanto você se levantava, Midoriya se aproximou de você muito corado. Por algum motivo, o esverdeado se sentia muito tímido perto de você. Talvez pelas tatuagens que deixavam você com um ar mais intimidante? — Acho que você é uma das pessoas na qual eu fiz pelo menos um pouco de amizade.

— Sim, certo — você pegou sua Nodachi e a colocou em suas costas, começando a andar ao lado do garoto. — Você não tinha muitos amigos na antiga escola, não é?

— C-Como você...

— Dedução — você respondeu simplesmente.

Ao chegar ao pátio, Aizawa apenas explicou que nessa escola vocês poderiam usar suas individualidades. O professor pediu para os alunos fazerem exercícios em especifico. Seu poder não era lá grande coisa em questão de velocidade e força, mas na questão do arremesso de bola, você tinha uma pequena ideia do que fazer.

Você suspirou fundo e ergueu a bola a jogando. Rapidamente você pegou sua Nodachi a tirando da bainha e fez uma rajada de vento forte o suficiente para fazer aquela bola voar e obter bons pontos.

— 805,4 — Aizawa anunciou, surpreendendo os alunos que viram você erguer aquela Nodachi como se fosse um nada.

Aizawa deu um mínimo sorriso para você, e você retribui lentamente saindo do circulo no chão. Seu pai era também um grande amigo de Aizawa, o mesmo até visitou sua casa de vez em quando. Você já provocou Trafalgar de shippar os dois, o que definitivamente resultou em você quase ter seu coração arrancado do peito e nunca mais ser devolvido.

— Ei, Trafalgar — um garoto ruivo se aproximou de você com um sorriso mostrando seus dentes afiados. — Você parece muito legal com essa Nodachi em suas costas! Meu nome é Eijirou Kirishima, e você deve ser o famoso Trafalgar D. Water [nome], não é?

— Como... Como assim famoso?

— Bem, todos estão comentando sobre você ser todo tatuado. É óbvio que isso iria atrair a atenção das pessoas.

— Só por causa disso? — você ouviu o sinal do intervalo indicando o almoço.

— Não é todo dia que se vê alguém cheio de tatuagens, não é?

Você sorriu com a resposta dele e vocês dois começaram a andar até o refeitório. Obviamente, sem nenhuma novidade, todos ficaram olhando para você e a Nodachi em suas costas, e o ruivo ao seu lado ficou rindo sobre o quão você ficava desconfortável com aquilo.

— Você realmente tem uma aparência legal, afinal de contas — vocês se sentavam em uma mesa qualquer naquele local do refeitório.

— Vai ficar comentando só sobre eu? — você indagou enquanto comia um Onigiri simples.

— Você acabou sendo o assunto da classe!

— Eu sou só um ser humano normal, eu não tenho nada de especial, merda.

— Yo! — um garoto loiro com risco pretos de raios nos cabelos se sentou ao seu lado. Kirishima, que estava sentado em frente a vocês, sorriu para o garoto. — Eu sou Denki Kaminari. Você deve ser o tal de Trafalgar, não é?

— Isso realmente tá me irritando — você murmura enquanto os dois garotos sorriam.

Vocês três ficaram conversando sobre coisas aleatórias e sem sentido. Aos poucos você se soltava enquanto estava com ele, dizendo bobagens e sempre repreendendo sobre os pensamentos pervertidos que Kaminari dizia em voz alta quando alguma aluna passava pela mesa de vocês.

[...]

— Então, como foi a aula? — Law cruzou os braços e se se encostou à beirada da porta da cozinha enquanto você deixava sua Nodachi ao lado da espada dele.

— Foi boa, pelo menos. Eu fiz algumas amizades, nada demais. Ah, e Aizawa é nosso professor.

— Oh, Shota-ya é seu professor? Interessante — Law sorriu minimamente enquanto você ia para o quarto tomar um banho e trocar de roupa.

Após ter feito suas necessidades, você andou até a cozinha vendo seu pai pondo o jantar. Você grunhiu e se sentou na cadeira, comendo calmamente.

— Aliás, você conseguiu achar a sala sem ajuda de ninguém? — Law riu de sua cara enquanto você quase engasgava com o suco. — Você passou muito tempo com Zoro, o senso de direção ruim dele tá sendo passado para você.

— Cala a boca — você desviou o olhar do dele. — Mas sim. Eu tive que pedir ajuda pra um garoto.

— E ele falou do seu senso de direção?

— Para de esfregar isso na minha cara! — você exclamou jogando um pedaço de frango nele, mas rapidamente Law o pegou.

— Mas é a verdade. Zoro te influenciou muito.

— Pelo menos ele teve força de vontade pra me treinar ao contrário de você.

Você ficou tenso ao ver a aura ao redor de seu pai se tornar sombria. Você se levantou hesitante e colocou o prato na pia, começando a correr que nem um louco enquanto um monstro tentava desesperadamente arrancar seu coração do peito.

[...]

No próximo dia, na escola, All Might iria fazer um pequeno exercício onde os alunos teriam que fazer duplas. Uma seria os vilões, e a outra seria os heróis que teriam que pegar uma bomba onde o adversário estava escondendo.

Você estava no time de Midoriya e Uraraka contra Iida e Bakugou. Você quase literalmente ficou com falta de ar ao ver a roupa do esverdeado, onde claramente era a referência de All Might ali. Sua roupa era drasticamente simples, assim como seu pai também tinha um estilo normal.

— Vamos dar o nosso melhor, vocês dois! — Uraraka sorriu enquanto observava você olhando para o prédio onde seus adversários estavam. — Oh, Trafalgar, você ainda não nos disse sobre seu poder. Você carrega essa espada, mas nós não vimos você ainda em ação.

— Estão curiosos, mesmo? — você sorriu provocativamente para eles enquanto All Might anunciava nos aparelhos de seus ouvidos que a disputa já podia começar. — Apenas prestem atenção. Vocês irão ver.

Midoriya acabou falando para Uraraka ir atrás da bomba, enquanto você e ele iriam atrás de Bakugou que provavelmente era o que iria atacar. Se a garota tivesse algum problema, ela iria chamar você para ajuda-la.

— Finalmente te encontrei, Deku — ao virar o corredor, você se deparou com o loiro irritado observando vocês dois. — Eu vou arrebentar sua cara! Maldito!

— Que fofo — você comentou deixando ele mais irritado, e Midoriya, ao seu lado, te olhou em estado de choque. — Enfim, nós não temos tempo para isso.

Você pegou o cabo da Nodachi e a levantou pelo menos um pouco. Com o outro braço, você estendeu a mão um pouco flexionada para baixo, deixando o esverdeado como um grande fã sabendo o que você iria fazer.

Room.

Um grande circulo azul transparente rodeou vocês no corredor. Bakugou arregalou os olhos surpreso com aquilo, mas ele suou frio ao ver você sorrindo para ele.

Amputate!

E, com os olhos arregalados ao ponto de arderem, Midoriya viu o corpo do loiro ter literalmente seus membros para fora do corpo, mas sem sangrar, sem nada. A cabeça de Bakugou olhava para ele com uma confusão eminente.

— MAS QUE PORRA É ESSA, SEU FILHO DA PUTA?!

[...]

Poder: 5/5 — A

Velocidade: 3/5 — C

Técnica: 5/5 — A

Inteligência: 5/5 — A

Cooperatividade: 4/5 — B

Individualidade: Room

Permite ao usuário criar um território esférico ao seu redor, representado por uma aura azulada, que então lhe dá o poder de manipular qualquer coisa dentro deste espaço, como pessoas, objetos e animais, descritos como “cirúrgica”. Assim sendo, enquanto estiver neste espaço, ele é capaz de telecinesia, pseudo-teleporte e até mesmo telepatia. Através desta habilidade, o usuário consegue desmembrar pessoas à distância sem prejudicá-las, levitar, mover ou deslocar objetos de qualquer tamanho e trocar o “coração” das pessoas. Também é capaz de trocar a si mesmo com outros objetos dentro de sua Room à vontade, semelhante ao teleporte. O usuário também consegue liberar choques de alta voltagem e criar lâminhas de energia que destroem órgãos internos, enquanto a Room estiver ativa com o alvo dentro.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...