1. Spirit Fanfics >
  2. Roommate >
  3. Para sempre

História Roommate - Capítulo 9


Escrita por: sunflowerboo

Notas do Autor


Finalmente terminei de reescrever tudo. Quem já leu essa história, seria bom que lesse novamente... não está totalmente diferente, mas está um pouco melhorada. Então, pode ser uma boa experiência ler de novo :)

Desculpa caso tenha alguns erros, corrigi correndo porque queria postar logo.

E mais uma coisinha, estou pensando em fazer um extra, mas não estou com boas idéias no momento, se vocês tiverem alguma, falem nos comentários ou pode me chamar nas mensagens e eu vou pensar no que fazer!!

Capítulo 9 - Para sempre


Havia tantas coisas que aqueles dois queriam conversar - jogaram conversa fora até que sentissem-se cansados - Nico, havia se ajeitado na cama, e estava dormindo abraçado ao Lucca, totalmente confortável. O outro já havia despertado, estava apenas pensando, enquanto mexia nos fios de Nico.

Em um momento, ouvira alguém bater em sua porta, logo a cabeça da sua mãe apareceu na pequena frecha da porta, agora entre-aberta.

- Mãe...? - Murmurou.

- Oi, querido. Me diz, o Nico está acordado? - Perguntou baixinho.

- Não está!

- Estou sim... - Nico disse com a voz grogue, erguendo um pouco a cabeça e morando em direção a entrada - O que foi, tia?

- Aah! Bem, a sua mãe no telefone... ela quer saber de você. Você não atendia o seu telefone, então ela me ligou.

A mãe de Lucca e do Nico, ficaram bem próximas desde as cirurgias bem sucedidas. Mantinham um constante contato, tinham uma certa apreciação pela amizade de seus filhos e com isso, a relação delas também fora desenvolvendo.

- Ah... está no silencioso. Diz a ela que vou mandar uma mensagem...

Nico, rapidamente volta a aconchegar sua cabeça no peitoral de Lucca, o apertando mais.

- Oh... bem, acho que ela quer falar agora - A mãe estende o telefone pela frecha, o que faz Nico suspirar. Mas, sem ter muito o que fazer, logo ele se levanta.

- Tudo bem... obrigado, tia - Pegou o telefone, e o aproximou de sua orelha, já escutando a voz ofegante e irritada da sua mãe.

- Oi mãe...? - Fez um biquinho, chutando fracamente o chão com as pontas dos dedos.

- Por que está demorando tanto? Você não já viu ele, filho? Você sabe que fico preocupada! - Ela diz com a voz manhosa.

Por mais que gostasse do Lucca, ela era o tipo de mãe super-protetora. Foi difícil conseguir convencê-la a deixa-lo fazer a cirurgia... mas, quando ela percebeu que não tinha jeito e de que, o seu filho gostava muito do outro, ela não resistiu.

- Ah, mãe... só passei um tempinho aqui. Tem séculos que não o vejo... E, você sabe... é como se ele fosse o meu namorado... - Nico olhou para Lucca, este que estava vermelho. Eles ainda não haviam feito um pedido apropriado, e não que precisasse de um. Mas, mesmo assim, deixava Lucca nervoso - Bom, será que eu posso dormir aqui hoje? Eu quero passar mais um tempo com ele. Ele ainda não vai voltar para a escola, então será difícil de vê-lo - Forçou uma voz manhosa.

- Aí, garoto... você hein... e sua mamãe? Não vai sentir falta??

Nico deu uma risadinha.

- Eu te amo tanto mãe, mas não vou sentir sua falta com apenas algumas horas longe. Eu passo meses inteiros no internato, essa chantagem não vai funcionar! Deveria saber! - Disse orgulhoso - Bem, ainda preciso perguntar para a mãe dele se posso, mas acho que ela deixa...

- Está bem, poxa... também te amo, baby.

Nico agradece, e logo desliga o telefone, o entregando para a mãe de Lucca que estava ali perto ainda.

- Claro que pode dormir aqui. Pega algo emprestado do Lucca, ele lhe entrega uma toalha também - Ela disse com um grande sorriso - Vou fazer algo para vocês comerem. Gosta de algo em específico?

- Obrigado... - Ajeitou os seus fios - Eu como de tudo, tia!

- Hm... certo! Vamos pegar um colchão para você. Essa cama é muito pequena-

- Não! Não precisa, não é Nico? A gente se vira! - Lucca quase gritou, assustando ambos que estavam ali.

- Certeza? Ele é visita, deveria dormir mais confortavelmente.

- Ah... - Nico senti o rubor tomar o seu rosto - Está tudo bem, não vou incomodar muito. Está bem assim, eu durmo com ele.

- Hm... okay - A mãe apertou os olhos e saiu do quarto, fechando a porta.

- Lucca! Sua mãe vai pensar besteiras, você é idiota??

- Não me importo! - Disse, empinando o nariz.

Nico suspirou, balançando a cabeça, indo em direção a cama de Lucca e apertando o seu nariz.

- Você é um tonto mesmo... - Virou os olhos - Posso tomar um banho aqui? No seu banheiro mesmo?

- Claro que pode! - Lucca falou animado e apontou para o seu guarda-roupa - Pode escolher qualquer roupa que quiser, namorado - Sorriu travesso.

- Há... obrigado... - Nico se levantou, sorrindo bobo.

- Tem toalhas dentro do armário dentro do banheiro. Tem sabão líquido e pode pegar uma esponja nova no armário também.

- Certo.

Nico pegou uma camisa com um desenho de Alien na frente, e uma calça moletom. Foi para o banheiro e tomou uma ducha um pouco demorada. Se vestiu rapidamente e saiu de lá com os cabelos ainda molhados.

- Ah, me sinto como um garotinho, limpo em folha - Nico disse, sorrindo contente por ter tomado aquele banho refrescante - Sua roupa me serviu bem... pensando se não vou roubar essa camisa maneira...

- Aaaa, engraçadinho - Lucca se inclinou, sentando-se na beira da cama - Vem cá, secar esse cabelo antes que pegue um resfriado.

Nico assente, e senta no chão, entre as lemas de Lucca após ter pego o secador de cabelo. Assim, o outro começa a separar algumas mexas, usando o aparelho até o cabelo de Nico estar completamente seco.

- Prontinho... cheiro bom - Lucca se inclinou e beijou o topo da cabeça dele.

- Obrigado... agora vamos descer para ajudar sua mãe, ela deve estar preparando algo - Falava, enquanto passava o pente em seus fios, para doma-los.

Eles não demoram muito para descer, mas ao invés de ajuda-la na cozinha, a mãe os obriga a ficar assistindo algo enquanto a comida fica pronta. Afinal, ela achava que eles iriam apenas atrapalha-la. Quando a comida está pronta, eles arrumam á mesa e começam a comer tranquilamente, enquanto conversavam sobre assuntos triviais.

- Aí minha barriguinha... - Nico resmunga, acariciando o seu buchinho - Por que eu exagerei? Mas tava tão gostoso... - Inflou as bochechas - Sua mãe é uma cozinheira de mão cheia!

- Eu sei, eu amo a comida dela. Estava sentindo tanta falta lá no dormitório... - Lucca abriu a porta e eles entraram no quarto - Inclusive, está estudando lá desde que se recuperou, certo?

- Sim, eu voltei a várias semanas atrás... as coisas estão as mesmas como sempre. Vivem me perguntando sobre você - Nico fala com um biquinho nos lábios, se sentando e ajudando o Lucca a se deitar, mesmo que ele não precisasse - O Bellamy quer muito te ver também.

- Entendi... não vão me ver tão cedo. Eu ainda preciso me organizar para voltar às aulas lá - Bufou - Ainda fala com esse cara? - Franziu o cenho.

- E o que tem? O Bell é o meu amigo! Não tem motivo para não gostar dele, até hoje não sei porque não vai com a cara dele.

- Há... eu tenho os meus motivos. E você não precisa saber sobre eles... - Cruzou os braços, virando o rosto pro outro lado.

- Bobo... eu não me importo mesmo - Deu de ombros, logo se ajeitando na cama e abraçando o corpo do maior - Estou cansado... vamos dormir agora, sim?! - Falou, coçando os olhos.

Lucca fez um biquinho, mas logo sorriu, deslizando sua mão pelo braço do outro.

- Se você está tão cansado, então é melhor ir dormir mesmo. Mas eu queria curtir um pouquinho o meu namorado, sabe? - Disse como se não quisesse nada.

- Ah... e-eu acho que não estou tão cansado. Deve ter sido apenas impressão minha... - Nico disse com a voz manhosa, erguendo um pouco a cabeça e beijando a bochecha do outro - Eu também quero curtir o meu namorado...

Lucca deu uma risadinha, e começou a encher o rosto de Nico de beijinhos.

- Eu queria muito fazer isso, e finalmente posso agora... - Murmurou Lucca.

Eles iniciaram um beijo lento e suave, logo este beijo se transformou em algo mais intenso, quente e com suas línguas brincando uma com a outra. Seus corpos estavam tão colados... aquela sensação era única para eles.

- Ahh... n-não pressiona assim... estou me sentindo estranho...

- Não tem... problema... - Lucca continuou se esfregando em Nico - Vou me responsabilizar... por isso, relaxe...

O membro de ambos já haviam reagido a toda aquela intensidade, não tinha como fugir daquilo, daqueles sentimentos, desejos e emoções.

Lucca deslizou sua mão para dentro da camisa de Nico, acariciando suavemente o seu peitoral, e seus mamilos - fazendo Nico soltar alguns gemidos e se contorcer - logo, começou a escorregar sutilmente a sua mão para dentro da calça do outro.

- E-ei... o que está... fazendo... - Era difícil falar quando todo o seu pescoço estava sendo sugado.

- Shh... mais baixo - Murmurou - Só estou te ajudando... você está tão... excitado. Posso continuar...? - Ergueu a cabeça, encarando Nico.

Nico mordeu o lábio inferior, um pouco ansioso.

- O-okay... isso me lembra aquela vez... - Deu uma risadinha.

- Sim... hahahah. Mas eu não vou fazer nada daquilo, fique sabendo... - Deu-lhe um selinho.

Lucca começou a acariciar o membro de Nico após ter abaixado a calça que este usava. Estava entre as pernas dele e com o rosto bem próximo do seu membro.

- O... o que vai fazer? - Nico afastou um pouco as pernas.

Se sentia envergonhado, mas estava sentindo coisas tão boas que não teve muito tempo para recusar algo.

- Vou chupar... você vai se sentir muito bem... eu prometo.

Nico sorri pequeno, e assente.

Logo, Lucca começa a chupar a glande, fazendo um "vai e vem" lento até pegar o ritmo. Nico não era pequeno, então era um pouco difícil chupa-lo, mas, não era impossível. Tanto que, quando pegou um bom ritmo, ele já estava indo fundo com a garganta. Estava fazendo um ótimo trablho ali, Nico estava se contorcendo de tanto prazer - não demorou muito para ele acabar se desfazendo dentro da boca de Lucca.

Lucca continuou chupando o outro, até finalmente sentir a boca dormente.

- Aaah... gostou muito, eu diria... - Disse, passando o polegar sob os lábios, logo se levantando e sentando em cima de Nico para o abraçar.

Nico estava tão ofegante que demorou um pouco para o responder.

- Eu gostei muito, muito... você é tão bom fazendo essas coisas... - Nico fez um biquinho, abraçando fortemente ele - Você engoliu aquilo...? - Perguntou, vermelho de vergonha - Bem... eu posso tentar fazer em você?

- Pode, mas não hoje... e-eu já gozei... digo, quando você gozou na minha boca, eu senti algo saindo de mim... - falou tímido.

- Foi tão bom assim para você também... uh?

- Você nem imagina...

Aproveitaram alguns minutos ali abraçados, e não demoraram muito para levantarem e irem para o banheiro se limpar. Quando estavam bem limpimhos novamente, voltaram para a cama e conversaram um pouco antes de decidirem que já era hora de dormir.

- Boa noite, Luu... eu prometo ficar com você para sempre, eu juro de dedinho!

- Hahahaha... eu também prometo!

Eles juntaram os dedos mindinhos e sorriram largo.

- Boa noite, Nico.


Notas Finais


Até mais!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...