1. Spirit Fanfics >
  2. Roqueiros - As Notas Do Amor >
  3. I Will Love Every Part Of Your Body

História Roqueiros - As Notas Do Amor - Capítulo 11


Escrita por:


Capítulo 11 - I Will Love Every Part Of Your Body


Fanfic / Fanfiction Roqueiros - As Notas Do Amor - Capítulo 11 - I Will Love Every Part Of Your Body

SHOWNU

As palavras de Yugyeom realmente me surpreenderam, mas não foi um obstáculo para o momento em que eu capturei seus lábios para junto dos meus.

Minhas mãos passeiam pelo seu corpo, fazendo eu me sentir eufórico ao despi-lo do meu moletom.

— Eu poderia ficar horas e horas observando você, Moranguinho. - Traço uma linha de beijos do seu pescoço até a sua cintura, voltando em seu mamilo esquerdo. — Você deveria poder se ver com os meus olhos, pois só assim você teria tamanha noção do quão louco eu sou por você...

Yugyeom ofega ao que meu dentes deixam leves mordidas em sua pele quente. Seus dedos se mudam para os meus fios, quando eu passo minha língua ao redor antes de abocanhá-lo, sugando e mordendo de maneira a levá-lo a gemer um pouco mais alto. Ele aumenta o domínio em meus fios, como se quisesse descontar toda a sua excitação.

— Eu vou amar cada parte do seu corpo Moranguinho... - Digo, engajando meus dedos no cós de sua calça, começando a descer o tecido lentamente. — Sem deixar qualquer parte inexplorada.

Observo Yugyeom em sua nudes. Ele é belo em cada detalhe. A imagem dele todo bagunçado e necessitado debaixo de mim, só atiça mais ainda a minha vontade de tê-lo.

— Hyunwoo...

Yugyeom gemeu manhoso, deixando explícito toda a sua necessidade ao descer sua destra, tomando o falo ereto, iniciando uma sequência lenta de sobe e desce. Assisto-o fascinado por logos segundos antes de interromper seus movimentos.

— Eu vou cuidar do resto, Moranguinho.

Ele me observa ao que eu abaixo, deixando várias mordidas e beijos molhados na parte interna de sua coxa. Com a destra, segurei a base do seu membro, lambendo bem devagar a sua glande inchada.

Com meu rosto rente a sua excitação, eu vejo o corpo de Yugyeom estremecer, antes que sons de ofegos entrecortados e gemidos deixem seus lábios.

Encarei seus olhos semicerrados e lábios entreabertos, estampando toda a sua excitação, enviando uma fisgada direto para o meu membro.

Eu não via hora de poder senti-lo me apertando. 

[•••]

YUGYEOM

Son Hyunwoo com certeza domina a arte de provocar. Ele causa sensações das quais eu nunca senti, e apesar de me assustar um pouco, eu consigo me sentir ainda mais necessitado por seus toques.

Seus beijos me levam a loucura, fazendo com que eu sinta a possibilidade de perder os sentidos a qualquer momento.

— H-Hyunwoo... 

No momento em que senti sua boca quente — que eu tanto desejava — acolher meu membro, pela segunda vez, minha voz é apenas um sussuro manhoso.

— Eu não quero que você se segure Moranguinho... - Ele diz deixando mais um beijo na parte interna da minha coxa. — As paredes aqui são grossas, então não precisa se preocupar.

Ele volta a acolher meu membro por entre seus lábios e dessa vez, eu não me poupei. Meus gemidos eram altos, transparecendo toda a minha necessidade por seus toques.

Os movimentos se tornaram mais rápidos e tortuosos, fazendo com que eu leve uma das minhas mãos até seus fios sedosos, apertando com certa força. Não demore muito para que eu começasse a controlar seus movimentos. Era um vai e vem gostoso, hora rápido, hora devagar. 

Antes que eu me dê conta, eu já me encontrava na borda gemendo ainda mais seus nome e em busca da doce liberação que eu tanto ansiava. Suas mãos me apertavam fortemente, enviando sensações ainda mais gostosas por todo o meu corpo. Quando não aguentava mais, por fim eu me desfiz em sua boca, chamando seu nome em alta entonação.

Eu me sentia voar longe, mas senti quando ele se levantou para logo retornar. Suas mãos subiram por toda a extensão de minhas pernas, abrindo-as no percurso e se acomodando entre elas.

— Eu não vejo a hora de poder me afundar em você, Moranguinho...

— Por favor Hyunwoo...

Antes eu possa falar qualquer outra coisa, seu dedo banhado de uma quantidade generosa de um líquido frio, — creio eu que seja lubrificante — me preenchem de maneira lenta e tortuosa. Apesar de Hyunwoo dizer que não havia qualquer necessidade de eu me segurar, automaticamente, meus dentes prendem o meu inferior de forma a não deixar que o gemido escape alto demais.

— Oh Céus... 

— Calma Moranguinho... Eu apenas comecei.

Seu dedo começa a se mover lentamente em meu interior, antes de acrescentar o segundo e mais tarde o terceiro. Meus gemidos agora não estão sendo refreados e isso parece incentivar ainda mais as investidas de Hyunwoo. 

— Eu gostaria que você me tocasse Moranguinho, mas eu quero vir junto de você. - Ele sussura. — Quando estiver me apertando gostoso...

Hyunwoo se levanta apenas para voltar a me beijar. Seus lábios são quentes e macios contra os meus, enquanto nossas línguas se exploram, como se procurassem se conhecer melhor. Quebramos o beijo e eu ofego por ar antes de gemer.

— H-Hyunwoo... Você prometeu...

— Prometi o que Moranguinho?

Sua voz estava rouca e abafada, causando uma corrente elétrica por todo o meu corpo.

— E-eu preciso de você agora...

Ele sorri antes de rolar um preservativo por seu membro e se posicionar melhor, para logo me preencher centímetro por centímetro, alargando lentamente todo o meu interior. O ardor causado inicialmente, foi esquecido minutos depois quando seus dedos capturaram minha mais nova ereção, começando uma leve masturbação junto aos seus lentos movimentos.

— O que mais você precisa Moranguinho?

— M-mais rápido...

Outro sorriso adorna os lábios de Hyunwoo ao que ele levou suas mãos até minha cintura. Era tão gostoso tê-lo dentro. Ele se afastou apenas para me penetrar de maneira quase brutal, levando todo o ar para fora dos meus pulmões.

Seus gemidos eram roucos e entravam em total sintonia com os meus ao que suas estocadas se tornaram mais rápidas e profundas.

Naquele momento, eu estava pouco me importando se alguém que estava nos ouvindo, eu apenas queria Hyunwoo mais profundamente em mim. 

Tudo estava ficando ainda mais intenso, as estocadas, o barulho dos nossos corpos se chocando, nossos gemidos e o cheiro do sexo pelo ar. 

Em meio a sequência de estocadas, meu ponto de prazer começa a ser surrado, me levando a praticamente gritar e implorar por mais. Suas mãos me apertam enquanto exploram mais o meu corpo, e eu me permito arranhar suas costas e morder seu ombro, procurando descontar tamanhas as sensações que ele está me fazendo sentir. 

— E-eu vou -

Minhas palavras são cortadas pelos lábios de Hyunwoo, ao mesmo tempo em que eu atinjo o meu ápice. Seus investidas se tornam ainda mais frenéticas, prolongando a sensação do meu orgasmo para então Hyunwoo se derramar, alcançando a sua liberação.

Seu corpo desaba sobre o meu, cansado e suado, enquanto nós recuperamos o ar. 

— Você conseguiu fazer eu me viciar ainda mais em você, Moranguinho. - Ele sussura próximo ao meu ouvido.

— Não diga isso. - Escondo meu rosto em seu pescoço. — Você está me deixando sem graça.

Ele sorriu antes de se afastar, levantando-se e me puxar junto com ele. 

— Vamos, eu vou cuidar de você agora.

Acompanho Hyunwoo para o banheiro e vejo a banheira cheia.

— Como você...

— Essa banheira tem lá suas vantagens além do espaço. 

Entro na banheira depois de Hyunwoo, me acomodando em seu peito ao que ele começa a lavar o meu corpo.

— Você não tem muitas tatuagens...

— Eu desenho apenas aquilo do qual eu acho ser significativo.

— Então qual o significado dessas rosas com esse relógio desenhado em seu anti braço?

— Relógios geralmente servem para identificar o tempo. Eles nos mostram que nada do que passou, tem a capacidade de voltar. Eu mantenho nele, a data do dia em que eu e os meninos finalmente nos juntamos para começar uma vida longe do lugar onde Kihyun passou por tantas coisas ruins.  - Ele sorri enquanto joga água em meu peitoral. _ Já as rosas em sua própria essência, carregam a ideia de amor, porém, é um amor puro diferente de tudo. É o meu amor pelos meninos.

O banheiro fica em silêncio por longos segundos antes que eu me vire de frente para Hyunwoo, abraçando-o. 

— Eu me pergunto se qualquer um de nós, merecemos o seu amor...

Mais uma vez o ambiente permanece em silêncio enquanto nos abraçamos. Eu me retiro da banheira primeiro e Hyunwoo sai logo depois. Nos secamos e depois saímos do banheiro. 

Hyunwoo se deita na cama, me puxando para dentro do seu abraço. Sinto meu corpo relaxar enquanto ouço as batidas do seu coração. 

— Eu gosto de você, Moranguinho... 

Eu não posso afirmar se o respondi ou não, pois logo permito com que o cansaço das atividades do dia, tomem conta de mim.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...