1. Spirit Fanfics >
  2. Roqueiros - As Notas Do Amor >
  3. As Sweet As I Imagined

História Roqueiros - As Notas Do Amor - Capítulo 2


Escrita por:


Capítulo 2 - As Sweet As I Imagined


Fanfic / Fanfiction Roqueiros - As Notas Do Amor - Capítulo 2 - As Sweet As I Imagined

EM MALIBU...

Eu não sei porque, mas quando se trata de Kim Yugyeom eu não consigo me controlar, é como se fosse quase automático para mim querer irrita-lo.

Apesar de sua altura, ele é fofo e tem um sorriso inocente que me faz querer corrompe-lo, então toda a vez que nos encontramos, acabamos discutindo. 

E hoje não está sendo diferente dos outros dias. Kihyun avisou que Yugyeom estaria passando o dia conosco já que estará voltando para a Coreia no dia de amanhã e somente a ideia de tê-lo por perto por um dia inteiro, faz eu ansiar pela hora de encontrá-lo.

Quando eu volto da minha corrida matinal, os meninos já se encontram espalhados pela praia e assim como Kiki havia dito, lá estava ele, Kim Yugyeom o motivo de algumas noites mal dormidas e vários sonhos molhados. Esse menino ainda será o motivo da minha loucura, se já não é.

[•••]

Kihyun se afastou dizendo que iria arrumar algo para que o almoço e logo os meninos se dispersaram também, deixando apenas eu e Yugyeom. Me aproximando da espreguiçadeira que está colada ao lado da que ele se encontra, eu posso não só ver mas também sentir em minha pele os olhares furtivos que ele lança em minha direção por baixo de seus longos cílios.

— O que você tanto faz nesse celular Moranguinho? - Pergunto me sentando na espreguiçadeira tentando ter um vislumbre do que ele está fazendo. — Ops! Acho que é algo realmente importante, já que eu não posso ver.

— O que eu faço ou deixo de fazer não é da sua conta. - Yugyeom diz olhando em minha direção antes de voltar sua atenção para o aparelho a sua frente. — Você poderia por favor não me encher o saco pelo menos hoje? E outra coisa, não me chame de Moranguinho, eu não te dei esse tipo de liberdade.

Não posso evitar sorrir diante a expressão enfurecida de Yugyeom, ele é fofo e isso é algo que eu realmente gosto nele. Me aproximando um pouco mais, eu pude perceber o leve tremor passar pelo seu corpo. Ele reage muito bem a mim e isso é satisfatório. 

— Você é bem fala aberta Moranguinho, como uma criança mimada. - Digo ao que pego uma mecha do seu cabelo azulado, porém o mesmo me afasta com um tapa em minha mão. — O quão boa deve ter sido a sua vida em Moranguinho!?

— Não vou negar que tive uma boa vida, mas também não é como se você soubesse pelo inferno que eu passei antes do Tae intervir por mim. 

O olhar de Yugyeom queima em minha direção e eu não posso negar que dessa vez eu realmente posso ter me equivocado tocando em algum assunto do qual ele não se agradasse.

— Tudo bem Moranguinho, me desculpe! Dessa vez eu fui um pouco longe demais. - Digo aproximando meu rosto um pouco mais do dele. — Mas é que toda a vez que você está por perto, eu realmente sinto uma grande necessidade de irritar você.

— E por que d-disso? - Minha aproximação está deixando-o nervoso e eu não posso evitar sorrir. 

— Eu não sei... É quase que automático. - Assim como o meu olhar recai sobre os lábios de Yugyeom, sua língua sobressai sobre o mesmo, molhando-o. — Eu gosto desse seu jeito, sempre rebatendo o que eu digo, isso torna tudo mais interessante.

— Você está muito p-per -

Antes que Yugyeom conclua sua fala, eu quebro a mínima distância, juntando os nossos lábios. A princípio ele se mantém estático devido a surpresa do meu ato, mas eu logo levo minha mão para o seu rosto acariciando-o levemente antes de passar a língua pelo seu lábio inferior. 

Yugyeom ofega brevemente antes de abrir a boca, dando-me passagem, me permitindo aprofundar o beijo. Como eu havia imaginado, eles são macios e doce, o que acaba me deixando sedento por mais.

O beijo que havia se iniciado calmo e acanhado pela parte de Yugyeom acaba por se tornar quente e intenso ao que eu puxo-o pela cintura diretamente para o meu colo. Com seu peito colado ao meu, eu posso sentir seu coração batendo freneticamente.

Seus dedos procuram se emanhar em meio aos fios do meu cabelo enquanto os meus vagam por todo o seu corpo esbelto fazendo-o arfar a cada toque. Friccionando sua cintura contra a minha, sinto a semi ereção de Yugyeom e eu não posso evitar sorrir em meio ao beijo por ter a prova de que seu corpo reage muito bem ao meu. 

Por fim quando o ar nos falta, quebramos o beijo com um pouco de relutância e eu deixo vários selares antes de me afastar um pouco.

— Tão doce quanto eu havia imaginado. - Digo olhando nos olhos de Yugyeom que assim como os meus, estão completamente nublados de desejo. — Isso faz com que eu queira experimentar todo o resto.

Quando termino de falar, levo meu rosto de encontro a curva de seu pescoço onde eu sinto o cheiro de mar e Yugyeom misturados, porém antes que eu possa fazer qualquer outra coisa, sinto meu corpo ser impulsionado para trás ao que o mais novo se levanta rapidamente.

— E-eu não devia ter f-feito isso... - Yugyeom está com uma expressão aflita e isso faz com que eu me questione se fiz algo de errado. — Eu vou indo...

Ele se afasta aos tropeços em direção a casa e apesar de estar um pouco preocupado com a sua reação final, eu não posso evitar sorrir diante a sua forma desastrada de tentar se recompor. 

Se antes Kim Yugyeom não saia da minha mente, agora mesmo é que ele vai persistir em ficar. Meus lábios ainda estão formigando devido ao beijo e isso faz com que eu queira mais vindo dele. 

Eu não sei exatamente onde estou me metendo ou mesmo o que está acontecendo mas eu com certeza estou disposto a descobrir.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...