1. Spirit Fanfics >
  2. Roqueiros - As Notas Do Amor >
  3. What Am I Feeling?

História Roqueiros - As Notas Do Amor - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - What Am I Feeling?


Fanfic / Fanfiction Roqueiros - As Notas Do Amor - Capítulo 3 - What Am I Feeling?

DOIS MESES DEPOIS DO SHOW DE CARIDADE... 

Estava tudo indo muito bem. O fluxo da festa só aumentava conforme as horas passavam. Todos estavam se divertindo e tudo poderia ser mantido nos conformes como sempre se um certo alguém não tivesse se enraizado em minha mente e crescido por todo o meu interior. 

Nada tem graça se ele não está envolvido. Depois que Yugyeom e eu nos beijamos na praia em Malibu, ele vem me evitando. Mesmo quando aparece para visitar o Kiki, ele me ignora como se eu não existisse e isso me deixa possesso. Não é como se eu tivesse beijado sozinho.

Quando não aguentava mais empurrar bebida a força por garganta a dentro, eu apenas me retiro aos tropeços do local da festa sem me despedir de qualquer um dos meus colegas. Mesmo não querendo, eu realmente exagerei na bebida e com certeza o Kihyun vai querer acabar com a minha raça. 

Tateando através dos bolsos da minha calça, eu consigo pegar meu celular e ligar para Kihyun já que o seu número é o primeiro na lista. O telefone chama quatro vezes antes que ele atenda.

— Se você está me ligando é porque aconteceu alguma coisa. - A voz de Kihyun do outro lado da linha é séria e eu solto meio que um chiado, um tipo de som do qual nem eu soube identificar. — Tudo bem, apenas me diga onde você está que eu já estou indo te buscar.

Depois que eu termino de ditar o endereço para Kihyun, a linha fica muda e eu me sento no meio fio a sua espera. Alguns minutos depois, um carro preto para próximo a mim e eu já me levanto sabendo quem é.

— Me desculpe fazer você vir aqui me buscar, mas é que eu realmente não estou em condições nem para pegar um táxi sem correr o risco me expor. - Digo olhando para Kihyun que dá a partida no carro enquanto analisa pelo retrovisor se está tudo livre para ele sair. — Você poderia ter mandado um dos motoristas.

— Você sabe que eu estou sempre disposto a fazer tudo por cada um de vocês. - Mesmo sem tirar os olhos da estrada eu sei que Kihyun está atento a tudo o que eu digo. — Você vai me contar o que vem acontecendo ultimamente? 

— Como assim? 

— Você anda pensativo demais Hyung e mesmo que as festas durem a noite toda, você retorna cedo para casa. - Seu sorriso fraco denuncia a sua preocupação em relação a mim. — E já tem alguns dias que Jooheon me disse que você não sai acompanhado de ninguém das festas... 

Tudo o que Kihyun disse até agora é verdade, mas como é que eu falo para ele que o motivo de eu estar assim não é nada menos que o garoto de sorriso inocente e cabelo azulado, vulgo, seu melhor amigo. Pra falar a verdade, eu não posso afirmar  qualquer coisa, já que eu mesmo não sei ao certo o que estou sentindo. 

— Me tire uma dúvida Ki. - Digo em meio ao silêncio do carro e logo recebo um murmúrio indicando que eu deveria prosseguir com a pergunta. — Como eu posso saber se estou me apaixonando por alguém? 

Kihyun desviou seu olhar em minha direção rapidamente antes de voltá-lo novamente para a estrada.

— Bom Hyung, eu acho que isso varia de pessoa sabe!? Eu confesso pra você que no começo é confuso, até porque a sua mente faz questão de atrapalhar qualquer raciocínio lógico, ainda mais quando há convívio diário entre os dois indivíduos. - Kihyun sorri em meio a sua fala como se estivesse lembrando de algo bobo. — No começo pra mim foi difícil aceitar o fato de que meus sentimentos por Changkyun iam além do fraternal, mas acredite Hyung, você vai saber quando chegar o momento certo, até porque você se sentirá inteiramente completo.

— Mas Kiki, quando somos atraídos por alguém mesmo que seja apenas sexualmente, essa pessoa também domina nossa mente por um grande período de tempo até obtermos o que desejamos. - Kihyun se mantém em silêncio então eu apenas trato de concluir minha fala. — Eu tenho medo de estar me apaixonando por uma certa pessoa, mas eu também temo que tudo isso não passe apenas de um desejo carnal por achar que ele se encontra inalcançável para alguém como eu.

— Eu não posso te dizer exatamente se você está se apaixonando, pelo simples fato de não saber o que você está sentindo mesmo que esteja me falando, mas acredite, quando eu digo que você vai saber, não é da boca pra fora. - As mãos de Kihyun alcançam a minha, onde ele dá um leve aperto me passando conforto. — O seu verdadeiro medo não é de estar se apaixonando, mas sim de não ser o suficiente e consequentemente acabar machucando a outra pessoa, não é!?

— É... Eu acho que sim... - Digo voltando minha atenção para a janela, onde eu vejo os carros e as árvores passarem rapidamente do lado de fora. — Eu não sei o que pensar no momento.

— Quando você menos esperar, a resposta chegará até você Hyung.

Kihyun recebeu o meu silêncio como um ponto final para essa conversa e eu sou realmente grato a ele por sempre me compreender tão bem. Seguimos em silêncio até chegarmos em casa. Assim que passamos pela porta Kihyun faz menção de acender a luz porém eu o impeço.

— Tem certeza? 

— Tenho sim Kiki. De qualquer forma, eu não irei dormir agora, vou ver se encontro algo de bom na tv. - Retiro meus sapatos no hall de entrada antes de caminhar em direção a sala. 

— Tome ao menos um banho quente, eles geralmente ajudam muito. - Kihyun se aproxima depositando um beijo de boa noite em meu rosto. — Fique bem Hyung e saiba que eu estou torcendo para que a confusão em sua mente se resolva logo.

Kihyun se volta para o corredor que dá acesso aos quartos e eu ligo a tv enquanto me deito no sofá. Não há nada de interessante passando, mas também não importa, meus pensamentos se encontram focados apenas nessa maldita dúvida que me assola. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...