1. Spirit Fanfics >
  2. Roqueiros - As Notas Do Amor >
  3. Trying To Avoid The Inevitable

História Roqueiros - As Notas Do Amor - Capítulo 6


Escrita por:


Capítulo 6 - Trying To Avoid The Inevitable


Fanfic / Fanfiction Roqueiros - As Notas Do Amor - Capítulo 6 - Trying To Avoid The Inevitable

YUGYEOM

Deveria ser apenas mais um dia comum do qual eu visitaria Kihyun, mas só a possibilidade de encontrar Hyunwoo, já faz com que eu me sinta eufórico, quase fora de órbita. Eu tentei me convencer várias vezes de que não deveria me apaixonar, mas quem disse que o meu coração toma ciência disso!?

Estamos na cozinha conversando quando a casa é preenchida por barulhos de passos pesados e vozes, fazendo mais que imediatamente, o pequeno Yoo corre em direção a sala. Permaneço em meu lugar querendo adiar o encontro com a pessoa que vem dominando todos os meus pensamentos ultimamente, porém a vida não pensa como eu.

Hyunwoo é o primeiro a passar pela porta da cozinha e assim como eu já esperava, meu coração reagiu bem rápido a ele. Eu não o vejo já faz alguns meses devido a uma viagem que eu tive que fazer de última hora para o Japão, mas até que minha reação externa foi melhor do que eu havia imaginado.

— Olá Hyunwoo! - Cumprimento-o conseguindo manter a estabilidade em minha voz.

— Olá pra você também Moranguinho. - Ele me cumprimenta de volta e a sua provocação não passa despercebida por mim. — Faz alguns meses desde a última vez em que nos vimos.

— Pois é, eu estive fora por um tempo.

Antes que nossa conversa tome proporções mais longas, o restante dos meninos entram na cozinha rindo e falando alto, fazendo com que eu desvie a minha atenção para eles. Como sempre, eu fui calorosamente recebido. 

Logo que ocupamos nossos lugares a mesa, eu estava ciente de que esse seria um longo jantar, ainda mais devido aos olhares de Hyunwoo queimando em mim.

[•••] 

— Onde você estava? - Ouço a voz de Tae assim que passo pela porta. — Fiquei preocupado quando cheguei e não vi você em casa.

— Eu fui visitar Kihyun e acabei ficando para o jantar. - Digo depois retirar o meu sapato no hall de entrada e caminhar até o sofá, me sentando ao seu lado. — Deixei uma mensagem no seu celular, você não viu?

— Não, eu não vi. Meu celular descarregou hoje cedo e como eu não queria encheção de saco vindo da Handong, eu nem procurei comprar bateria portátil. - Tae abre os braços e eu me aconchego ao seu lado. — Como foi o seu dia?

— Foi ótimo, eu realmente estava com saudades de conversar com o Kihyun. - Digo antes de pegar meu celular e enviar uma mensagem para ele avisando que eu cheguei bem. — Os meninos chegaram cedo do estúdio, então jantamos todos juntos.

— Que bom que você teve um dia legal, eu fico satisfeito em saber.

— Eu te amo muito sabia!? - Sorrio ao ver os olhos do Tae diminuírem ao que ele também sorri. — Você e o Wonnie são as minhas pessoas favoritas em todo o mundo e eu não poderia estar mais grato por ter vocês.

— Sai daqui! - Tae se afasta. — Você não vai me fazer chorar okay!? Pelo menos não hoje.

— Ok, me desculpa! - Digo rindo de sua falsa expressão emburrada. — Eu não consigo evitar.

O silêncio se instala entre nós por longos minutos antes que eu volte a quebra-lo.

— Hm... Sabe Tae... - Me afastando um pouco, viro meu corpo, sentando de frente para ele. — Porque rockeiros fazem tanta questão de criar uma imagem tão infame e cafajeste deles mesmos!? Como se fossem indiferente a qualquer tipo de relacionamento que vá além de uma noite de sexo sem compromisso!?

Tae ergue suas sobrancelhas demonstrando surpresa diante a minha pergunta e eu apenas dou de ombros insinuando que é apenas uma curiosidade.

— Tudo bem... Vamos ver se eu consigo te explicar. - Tae se ajeita de modo que fique de frente para mim também. — Quando você se encontra dentro do mundo do entretenimento, você automaticamente se priva de uma relação séria com qualquer um. Isso é porque nós estamos fadados a ter pessoas se aproximando apenas com o intuito de crescer as nossas custas. - Ele sorri sem humor. — O ser humano pode ser muito cruel Yug e para sobreviver em meio a essa selva, nós procuramos qualquer meio de proteção do qual possa evitar uma grande queda. Do nosso ponto de vista e também das situações vividas, não é fácil achar alguém que se interesse apenas por nós mesmos e não pela nossa fama e o que ela pode proporcionar, entende?

Assim que Tae termina de falar, eu fico alguns minutos perdido em meus próprios pensamentos, tentando digerir e entender tudo aquilo que fora dito por ele.

— Então... Digamos que não é impossível um rockeiro que vive de forma infame se apaixonar!? - Pergunto voltando a encara-lo em busca da resposta.

— Se ele encontrar alguém que ache ser a pessoa certa, é possível sim acontecer... Como prova temos o Kihyun e o Changkyun. - Tae me observou atentamente.  — Sei que não é da minha conta, mas... Você está gostando de alguém?

Por estar me observando, com certeza minha reação surpresa a sua pergunta não passou despercebido.

— E-eu... - Suspiro assim que volto a encara-lo sabendo que não adianta eu tentar qualquer desculpa, pois ele me conhece tão bem quanto eu o conheço. — Está tão na cara assim?

— Na verdade não, mas eu apenas deduzi e por isso perguntei. - Acariciando levemente os fios do meu cabelo, ele prossegue com a conversa. — Você quer falar sobre isso comigo?

— E-eu tentei não me apaixonar sabe!? Eu sabia que seria uma péssima ideia, mas no final eu não consegui evitar. - Sinto meus olhos arderem por isso eu os desvio para as minhas mãos que estão repousadas sobre minhas pernas. — Porque é tão difícil escolher o que é melhor para nós? Eu já não tenho mais quaisquer força para ir contra o que estou sentindo... Acho que se no final pudéssemos escolher de quem gostar, a probabilidade de nos decepcionarmos, seria bem menor.

— Eu não penso assim como você... Acho que não termos a escolha é como uma mão na roda sabe!? - Parando por poucos segundos, Tae parece procurar as palavras certas antes de voltar a falar. — No meu ponto de vista, a nossa falta de escolha serve como um meio para que não haja arrependimento no futuro. Nós estamos propensos a cometer erros e viver todos os tipos de amores até encontramos o certo.

Encaro-o por longos segundos e confesso que suas palavras fazem com que eu me questione sobre tudo o que eu venho evitando ultimamente. Sei que a princípio tudo pode parecer bem confuso, mas acho que vale a pena me dar uma chance de ao menos tentar compreender.

— Eu já te disse que você é o ser mais precioso em toda a minha vida!? - Ele sorri ao me dar uma resposta positiva. — Muito obrigado por tudo! Sério, eu não sei se haverá um dia no qual eu consiga retribuir tudo o que você fez e ainda faz por mim até agora.

— Você não precisa agradecer ok!? Assim como você é a minha família, eu também sou a sua. - Envolvo meus braços ao redor do pescoço de Tae, abraçando-o fortemente e logo sendo retribuído. — Sempre que precisar você pode vir falar comigo.

— Obrigado. - Sussuro próximo ao seu ouvido antes de me desvencilhar do nosso abraço. — Eu estou indo me deitar. Você deveria fazer o mesmo, pois se eu não me engano, é amanhã cedo que a banda tem uma entrevista, não é? 

— Aaahhhhhh... Eu havia me esquecido. - Ele se levanta. — A Jiwoo disse que a Hyolin iria tentar marcar para outro dia, mas ela não conseguiu.

— Boa sorte amanhã então!

Saio da sala deixando Tae junto a suas lamentações e subo as escadas indo para o meu quarto. Largo todos os meus pertences em cima da cama antes de buscar por uma muda de roupa no meu closet. Tomo uma ducha quente e demorada da qual relaxa inteiramente todo o meu corpo. Já vestido, eu deixo meu corpo cair na cama enquanto a exaustão de um dia todo fora de casa toma conta de mim. 





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...