1. Spirit Fanfics >
  2. Roqueiros - As Notas Do Amor >
  3. It's Falling Down Again

História Roqueiros - As Notas Do Amor - Capítulo 8


Escrita por:


Capítulo 8 - It's Falling Down Again


Fanfic / Fanfiction Roqueiros - As Notas Do Amor - Capítulo 8 - It's Falling Down Again

SHOWNU


Ele me beijou! Eu sei que foi um leve selar no rosto, mas ainda assim essa iniciativa partiu dele.

Deitado em minha cama, a inquietude toma conta de mim assim como os pensamentos sobre um sereno Yugyeom dormindo no sofá da sala.

Confesso que o observei por uns bons minutos antes de começar a acorda-lo, já me sentindo tentando a beijar cada traço delicado de seu rosto. 

Meu coração está inquieto pois eu sentia vontade de vê-lo novamente. Aquele belo sorriso iluminado, a risada um pouco escandalosa e a sua língua afiada que tinha resposta para tudo o que eu falava. Eu queria poder conhecer mais de Yugyeom, mas tenho receio de que ele não queria conhecer mais de mim.

Toda essa situação é frustrante demais, já que esses pensamentos me impedem de tomar qualquer iniciativa, mesmo que eu esteja ciente de que estou perdendo tempo com essa minha insegurança.

Sabendo que não conseguirei dormir, meu levanto e vou a cozinha em busca dos pedaços de pizza que restaram do jantar, porém quando passo pela sala, a porta da frente se abre e Jooheon passa por ela tentando se equilibrar enquanto arrasta consigo um Hoseok desacordado.

— Mas que caralho! O que aconteceu com vocês? - Correndo em direção aos dois, amparo o corpo de Hoseok e Jooheon se permite desabafar no chão enquanto tenta recuperar o fôlego. — Porque ele está todo machucado assim Jooheon? 

Sigo com Hoseok até o sofá onde o deito com uma almofada embaixo de sua cabeça. Acendo a luminária que fica ao lado da mesinha para ver o quão graves são os ferimentos. Há uma quantidade considerável de sangue na lateral do seu rosto, lábio inferior cortado e alguns hematomas que começaram a aparecer.

— Fica de olho nele, eu vou no meu quarto pegar um kit de primeiros socorros. - Digo ao Jooheon enquanto me levanto. — Sem muito alarde, não quero que o Kiki acorde!

— Tarde demais, eu já estou acordado! Vocês não são nada discretos, fazem muito barulho. - Kihyun suspira enquanto caminha em nossa direção. — Hyung quando você for pegar o kit de primeiros socorros que está no seu quarto, traga também uma manta, mas antes de ir, ajude o Jooheon a chegar no quarto dele. Eu nem sei como ele conseguiu chegar em casa carregando o Hoseok sendo que mal consegue se manter em pé.

Kihyun vai até Hoseok e eu pego isso como a minha deixa. Vou até Jooheon, o ajudando a levantar e caminhar até seu quarto. Tirando a jaqueta de couro pesada, Jooheon deita na cama e eu retiro seus sapatos enquanto ele resmunga tentando se ajeitar melhor. Cubro seu corpo com o edredom e ligo o ar-condicionado, porém antes de sair, ouço o Lee mais novo me chamar.

— Hyung?

— O que foi Jooh? - Digo me voltando em sua direção. — Você precisa de algo?

— É só que... Ele está caindo novamente Hyung... Sua mente vem lhe perturbando junto dos seus demônios internos. - Jooheon sussurra mas eu posso sentir toda a dor em sua voz. — Me ajude a não deixá-lo cair Hyung, porque se isso acontecer, eu não sei o que será de mim.

— Ele não está sozinho Jooh. - Digo sentindo o mesmo medo que ele. — Todos nós estamos aqui por ele e para ele.

Saio fechando a porta atrás de mim e logo vou ao meu quarto em busca das coisas que foram pedidas por Kihyun. Quando chego na sala, Hoseok está apenas de boxe enquanto o pequeno Yoo inspeciona todo o seu corpo em busca de possíveis ferimentos mais graves. Ainda em silêncio eu caminho em sua direção e depósito a caixinha ao seu lado e ele sorri para mim em forma de agradecimento.

Kihyun é bem habilidoso quando se trata de cuidar de alguém. Ele passa um algodão banhado com soro por todo o rosto de Hoseok que por sinal está dormindo profundamente devido a quantidade de álcool que ingeriu. Volto minha atenção para Kihyun quando o ouço suspirar.

— O que foi Ki? 

— Nada! Estou apenas aliviado em ver que todo esse sangue não é dele e que não há qualquer ferimento grave em seu corpo, mas... Eu também estou preocupado sobre o quanto ele machucou a outra pessoa. - Agora com um algodão banhado com iodo, ele começa a esterilizar os pequenos cortes em seus dedos e rosto. — Você pode ir se deitar Hyung, eu vou apenas passar um pouco de pomada nos cortes, deixar água com alguns comprimidos de analgésico para ele e deixá-lo dormir aqui mesmo.

— Você não prefere que eu o leve para o quarto dele? 

— Não há necessidade, o sofá é espaçoso o suficiente para que ele se sinta confortável. - Kihyun diz enquanto acaricia os fios negros de Hoseok. — Ele está bebendo quase como antes Hyung... E-ru não quero que ele volte aos velhos hábitos...

— Ei Kiki, olha pra mim! - Kihyun olha em minha direção, seus olhos já se encontram marejados e isso trás um aperto em meu peito. — Nós vamos resolver isso ok!? Vamos sentar e conversar com ele amanhã... Caso precise voltar com os tratamentos, nós estaremos aqui para caminhar com ele.

— Por que as pessoas que contém um coração doce são fadadas a sofrer e pagar por pecados dos quais não cometeram...? - A tristeza na voz de Kihyun é perceptível e eu sei que lembranças do passado se fazem claras em sua mente. — Eu só queria poder apagar tudo de ruim da mente dele, mas infelizmente isso é algo do qual não está ao meu alcance.

— Você pode achar que não, mas já fez e faz por nós, muito mais do que imagina. - Digo me levantando e ajudando Kihyun a cobrir Hoseok. — Descanse e tente não se preocupar. Amanhã resolveremos isso.

Dou-lhe um beijo em sua testa antes de me dirigir para o meu quarto. Eu sei que disse para Kihyun não se preocupar, mas eu mesmo não consigo deixar de fazer isso. Hoseok teve sua infância marcada por um trauma do qual ele vem sendo refém a muitos anos e por ser muito novo na época, ele não pode evitar. Todos nós sabemos o quanto ele se culpa pela morte de sua mãe, mesmo que ele não pudesse fazer qualquer coisa em prol de ajudá-la. Lembro dele nos contando o quão doloroso foi não só para o seu coração, como também para a suas mãos que estavam atadas e a sua garganta que estava em carne viva devido aos gritos que ele deu em vão.

Assim como Kihyun, eu não quero ver Hoseok quase se autodestruir mais uma vez. É doloroso demais vê-lo assim e não poder arrancar de vez todos esses maus pensamentos e dor que o sufocam tanto. Eu sinto todo o meu corpo cansado, mas ainda assim sei que não conseguirei dormir. Eu diria que essa será uma longa madrugada...





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...