1. Spirit Fanfics >
  2. Rosa bebê e vermelho escarlate (abo) >
  3. Beta

História Rosa bebê e vermelho escarlate (abo) - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 18 - Beta


_Capítulo 18_

Segredo: Beta.

Ele tentava não demonstrar, porém o mínimo sorriso que aparecia o Naruto percebia, aquilo era muito estranho, o Menma que nunca expressava nada e sempre parecia estar de mau humor estava animado aquela manhã, por mais que tivesse dormido pouco por causa da noite passada tocando no bar, ele não parecia cansado, muito pelo contrário, era o mais disposto dos irmãos.

- Que mal te pergunte, por que está tão feliz? – A língua do caçula não se segurou, tivera que indagar ou não ficaria em paz o dia todo.

Todos os que estavam à mesa e que não tinham percebido nada olharam diretamente para o moreno que fechou a cara rapidamente enfiando uma grande colherada de comida na boca.

- Cuide da sua vida. – Retrucou irritadiço e de boca cheia para o irmão mais novo que só dera uma risada baixa, iria descobrir de um jeito ou de outro ou ele não se chamava Naruto.

Os meninos foram para a faculdade juntos, nenhum tinha se atrasado naquele dia, cada um se dispersou indo para sua devida sala de aula. O Naruto adentrou a sala após bater na porta e obter resposta do Kakashi, nem todos os alunos se encontravam na sala, no entanto o grisalho sempre chegava cedo, sentou-se ao lado do Gaara que já estava com seu notebook ligado, ele parecia de bom humor, cantarolava uma música baixinho enquanto se arrumava na cadeira.

- Bom dia, Naru! – Ele saudou com um sorriso amistoso.

- Bom dia! – O loiro retribuiu tirando seu notebook rosa da bolsa holográfica. Aquilo tudo parecia muito estranho, não sabia dizer como, mas era. – Aconteceu alguma coisa? – Questionou com uma sobrancelha arqueada ao ruivo.

- Tirando o fato de eu não saber onde deixei minha moto, nada aconteceu. – Respondeu tirando seus óculos que usava para leitura da mochila e pondo-os no rosto.

- Como não sabe? Você é demente? – Voltou a perguntar com uma  expressão indignada no rosto.

- Te juro que não sei onde está, estou com as chaves dela, mas sem ela. Hoje mais cedo fui usá-la para vir a faculdade, só que na garagem só estava a moto do Sasori e o carro dos nossos pais, tenho até medo de perguntar se algum deles a viu por aí e me chamarem de irresponsável. – Falou suspirando e tateando suas têmporas, como pudera esquecer onde deixou a bendita?

- Não seja por isso, eu mesmo falo por eles, seu irresponsável. – O Uzuamki disse em um tom de reprovação enquanto negava com a cabeça. – Vai até a delegacia, dá o número da sua placa a eles e deixa que achem, porque só assim se ela foi roubada eles já dão conta.

O Akasuna concordou com o amigo, à tarde faria isso, o Hatake não demorou muito para começar a aula, só esperou um número considerado de alunos entrarem na sala e já começou com os seus slides na tv grande que cada sala tinha. No intervalo o ruivo se despediu do loiro dizendo que ia para a sala do seu clube, segundo ele os seus colegas tinham novidades para o jornal da faculdade e o Naruto torcia para que ele não virasse manchete novamente.

Foi até o refeitório entrar na fila para pegar comida, de longe já via os alfas sentados na mesa que sentava de costume, um sorriso espontâneo surgiu em seus lábios, pegou um prato limpo e talheres, seguiu a fila pedindo para que as funcionárias colocassem o que ele queria, não estava lá com tanta fome, mas provavelmente mais tarde na próxima aula poderia sentir.

Foi até a mesa e sentou-se entre os dois morenos, se limitou a dizer apenas “oi” a eles, mas a sua vontade mesmo era de dar pelo menos um selinho em cada um deles. Comeram juntos e calados, o intervalo não era tão curto assim, daria tempo de conversarem enquanto ainda estavam por ali.

- Então, Itachi, o que falta? De móveis. – O Naruto questionou após puxar um bloquinho de notas do bolso junto com uma caneta rosinha. O mais velho estr5anhou, mas não deixaria o ômega no vácuo.

- Uma cama que caiba nós três, – Falou em tom de brincadeira, apesar de ser verdade, o Uzumaki balançou a cabeça negativamente olhando-o e anotando. – uma tv, fogão e panelas. – Concluiu tentando se lembrar se era apenas isso que faltava. O loiro anotou tudo.

- Certo, eu dou conta, mais tarde mando mensagem ‘pra vocês. – Disse se retirando da mesa antes que o mais velho refutasse o que ele pensava em fazer.

Os alfas que ficaram na mesa se entreolharam, o Sasuke estava com um sorriso bobo no rosto, enquanto o Itachi parecia preocupado, uma tv e um fogão não eram baratos, não queria que o ômega gastasse tanto dinheiro, pois sabia que o mesmo não iria a um bazar ou leilão barato para comprar aqueles móveis.

- - -

O Menma estava distraído com o seu celular enquanto tentava escolher uma música para ouvir e andava pelos corredores ao mesmo tempo, por estar com seus headsfones não ouviu o garoto afobado que corria pelos corredores dos clubes fazendo com que seus corpos se chocassem e seu celular escapasse das suas mãos. O garoto caiu de bunda no chão e se não fossem os armários para o moreno se apoiar ele teria caído por cima do desastrado.

- Olha ‘pra onde anda, imb... – Se interrompeu ao ver que se tratava do Gaara no chão, sua expressão mudou de bravo para envergonhado, ele deu um passo para trás rapidamente e tirou seus fones do ouvido.

- D-Desculpe, Menma, eu estava com pressa, precisam da minha autorização na sala do clube de jornalismo para imprimirem os jornais de amanhã. – Explicou-se levantando-se do chão e limpando a parte de trás da sua calça.

- Está tudo bem. – Retrucou o ômega abaixando-se para pegar seu celular caído próximo aos armários, o pôs no bolso do seu casaco e suas mãos também. – Inclusive, você não voltou ao bar para pegar sua moto, eu a vi no estacionamento quando fui buscar os instrumentos com as meninas. – Comentou despreocupado encostando-se em uma parede próxima.

O ruivo franziu o cenho sem entender sobre o que o Uzumaki falava.

- Como? Não entendo, você sabe onde está minha moto? – Indagou interessado no que ele dissera.

- Você não se recorda? Foi ao bar próximo ao hospital ontem, eu estava tocando lá com umas garotas, nós fomos para casa de táxi porque você tinha bebido, então eu sugeri que fosse buscar a moto pela manhã antes da faculdade. – Disse vendo o ruivo pôr as mãos nos fios vermelhos, ele ficava muito fofo preocupado e desesperado, mas conteve sua admiração e comentários aos seus pensamentos apenas.

- Eu não me lembrava disso, mas muito obrigado por me dizer, eu já ia na delegacia dar o número da placa para os policiais acharem-na como o Naruto me sugeriu, não preciso mais. – Retrucou dando uma risada nasalada e tocando o ombro do menor como forma de agradecimento. Olhou seu relógio de pulso e voltou ao seu desespero anterior. – Agora eu tenho que ir, estou atrasado, até mais, Menma.

Ele falava enquanto voltava a correr pelo corredor, o moreno não se despediu, apenas ficou olhando o Akasuna sumir entre uma daquelas portas do corredor, era o clube dele. Não parava de pensar no quão o ruivo parecia viril, pena que ele só tinha olhos para o seu irmão caçula, talvez isso mudasse agora com o seu irmão saindo com os irmãos Uchihas, talvez ele lhe olhasse mais.

Suspirou com os pensamentos, o melhor que deveria fazer era esquecer, não se envolver com ninguém como sempre fizera nos outros lugares cujo se mudaram, eles não podiam se apaixonar ou ter amizades duradouras porque nem dava tempo de ter algo forte com alguém e se tivesse teriam que se separar por causa do Naruto que não deixava ninguém se manter em um lugar só.

Plugou seu celular novamente no celular pondo sua playlist no aleatório, já não estava mais nem afim de procurar uma música específica para ouvir.

- - -

Atordoado ele nem conseguia prestar atenção na aula direito, lembrava-se apenas do furo que o Sasori lhe dera e de como ele não entrou em contato depois daquilo, o fez se arrumar todo para focar dentro do quarto, no fim, nem se trocou, o cansaço o venceu e ele dormiu com a roupa que vestira para ir ao museu com o ruivo. Sua dupla de sala lhe cutucou com o cotovelo fazendo saltar uma veia na sua testa, o Deidara não era o tipo de pessoa que adorava as outras pessoas, ele não sabia muito conviver com elas e tudo que elas faziam lhe incomodava.

- Que é que tu quer? – Questionou da forma abusada de sempre.

- Acho melhor você prestar atenção na aula, você está muito disperso e as provas estão próximas. – Seu companheiro lhe alertou olhando-o com sua típica expressão falsa, podia até não ser falsidade, mas o loiro não sentia nada de verdadeiro emanando daquele garoto.

- Cuida da sua vida, Sai, me deixa em paz. – Reclamou se debruçando sobre a mesa e tapando seus ouvidos com as mãos, só queria divagar um pouco.

- Vou estar aqui ‘pra rir de você quando tirar um zero. – O moreno de pele um pouco acinzentada comentou com seu sorriso em mostrar os dentes enquanto digitava o que a professora mostrava em seu notebook.

O Uzumaki bufou, mesmo com as mãos nos ouvidos conseguia ouvir as merdas que o alfa ao seu lado falava. Resolveu juntar suas coisas e se retirar da sala de aula sem falar nada, com seus saltos fazendo barulho ele andou pelo corredor enquanto mascava um chiclete de menta que tinha tirado do bolso depois que saiu da sala.

O corredor estava quase vazio, só tinham algumas pessoas sentadas no chão ou na janela fumando, no entanto apenas o barulho do salto do loiro ecoava, ele estava distraído, seus pensamentos pairavam pelo Akasuna, mas parou assim que deu de cara com o mesmo que fechara seu armário mesmo na hora que o ômega passava.

O Deidara parou de mastigar, apenas olhava para o Sasori com raiva, pôs suas mãos na cintura e esperou até que o mesmo lhe falasse algo, já o garoto não estava com sua típica expressão tediosa, ele parecia surpreso.

- Feliz em me ver, Sasori? – Questionou após um tempo, vendo que o Akasuna não falaria nada.

- É-É... Deidara, eu posso explicar... – Foi interrompido, ele estava nervoso, suas mãos suavam, o ômega estava preocupado, porém tinha que manter sua pose brava senão o mais velho não o levaria a sério nunca.

- Sim, você pode, e você vai. – Disse encostando-se no armário recém-fechado, aguardando a tal explicação. – Porque eu me arrumei todo para acabar dormindo e você não ter chegado, me fez de bobo, Sasori.

O ruivo abaixou a cabeça, atordoado, coçava a nuca, estava inquieto, nunca fora visto daquele jeito.

- Vem comigo. – Chamou puxando o Uzumaki pela mão.

Ele estremeceu com o toque, estava tão perto e entrando em contato com o seu admirado, estava bestinha, mas ainda assim fingia estar chateado, ainda queria ter um encontro com ele, tinha medo que ele já não estivesse interessado. Foram até o lado de fora da faculdade, onde não tinha ninguém, o loiro já estava ficando curioso, o que era tão polêmico que ele não poderia falar em um lugar qualquer?

O Sasori abriu dois botões da sua camisa, estava calor e ele parecia com mais calor ainda, respirou fundo, bebeu um pouco de água que portava na garrafa que tinha na sua mochila, não era muito fácil dizer aquilo.

- Me desculpe por ter te dado um bolo, mas eu acho que me precipitei, fiz a coisa errada, deixei que você se apaixonasse por mim e quando você mais precisou que eu me afastasse eu falei contigo e chamei ‘pra sair, foi burrice. – Falou se encostando na parede do muro da faculdade e limpando o suor da sua testa com o seu braço.

- Por que você diz isso? – Indagou o ômega sem compreender muita coisa, tentava encaixar essa conversa com os fatos, porém não conseguia.

- Nós não podemos ficar juntos, Deidara, nossa natureza não permite. – Retrucou, e torceu para que o loiro entendesse só com aquilo, não queria falar de algo que era tão doloroso para si.

- Eu não te entendo, Sasori, seja claro comigo. – Pediu pondo suas mãos cobertas por luvas pretas sobre os ombros do ruivo. Ele suspirou olhando para um ponto qualquer naquele campo que ficava dentro dos muros da universidade.

- Eu não sou irmão de sangue do Gaara, fui adotado quando tinha dois anos de um orfanato local, o meu irmão é um alfa, mas eu não, sou um beta, Deidara. – Explicou de uma vez só antes que alguma lágrima deixasse seus olhos. – Tenho complexo de inferioridade, por isso andava com o grupinho do Pain, ele me acolheu, eu, o único beta do grupo e a Konan a única ômega. Só que ele percebeu que eu estava começando a gostar de ti e ameaçou contar a todos que eu era beta e adotado, eu não tive nem coragem de te mandar uma mensagem avisando que não iria mais sair contigo.

O Deidara estava chocado com o que o Akasuna dissera, ele tirou suas mãos do corpo alheio devagar e abaixou sua cabeça à vista do menor. O beta achou que o loiro estaria o julgando, com nojo dele ou desgostoso por ter se apaixonado por um beta. Mas como não percebera isto? O Sasori nem tinha cheiro de alfa e não respondia com feromônios os seus feromônios.

O maior levantou a cabeça para voltar a fitar o ruivo e ele parecia zangado, o beta se retraiu.

- Nunca mais faça isso. – Falou fazendo o outro baixar sua cabeça para olha fixamente os pés de ambos. – Nunca mais tenha vergonha do seu passado, do que você é ou das pessoas que lhe acolheram quando os seus pais biológicos não quiseram ou não puderam. – Ditava de forma dura, ele parecia uma mãe quando estava dando bronca nos seus filhos. O menor levantou a cabeça rapidamente com tais palavras, olhando para o loiro, surpreso.

- O que você quer dizer com isso? – Perguntou franzindo o cenho.

- Quero dizer que betas não são um dejeto como o Pain colocava na cabeça de vocês e o Itachi reproduzia feito um cachorrinho, cada espécie têm seu valor, Sasori. E você deve ser grato aos seus pais por lhe acolherem, eles sãos uns anjos. – O ômega cruzou os braços ainda com sua expressão séria em seu rosto, o ruivo parecia ter ficado menos tenso e até feliz com as palavras do loiro.

- ...talvez você tenha razão. – Falou concordando com o maior.

O Deidara deu as costas e saiu andando sem dizer mais nada, o beta arqueou a sobrancelha confuso com aquela atitude, ao chegar na porta da faculdade o loiro se voltou para o mais velho.

- Acho bom você não furar comigo esse final de semana. – Avisou e sumiu dentro da faculdade.

O Sasori ficou sozinho com um sorriso bobo nos lábios, sua autoestima estava recuperada em cem por cento. Bebeu mais um pouco de água e foi até o estacionamento pegar sua moto, não teria mais aula por aquele dia.

- - -

Na sala do clube de atletismo depois de correr bastante os integrantes revezavam nos chuveiros do banheiro, o Konohamaru sempre ficava por último e tomava banho quando o banheiro estava vazio por ser ômega, todos respeitavam esse horário dele, inclusive o Mitsuki, não fazia nenhuma gracinha ou entrava no banheiro quando o mesmo estava se banhando.

Ele tomou mais de três litros naquele dia, correra demais, estava esgotado, mas animado, adorava quando batia seu próprio recorde e o seu namorado o incentivava demais. Adentrou o banheiro checando se não havia ninguém, o local estava limpo. Tirou suas roupas e pôs em cima de uma barra de madeira que tinha lá dentro para quem quisesse se sentar e pôr as coisas por lá. Tirou seus tênis e entrou em um dos boxs.

Ligou o chuveiro e esperou sentir a água quente em seu corpo, não podia se banhar com água gelada, seu corpo estava quente, teria um choque térmico e também era acostumado a tomar banho em água morna até mesmo no verão. Lavou seus cabelos com um shampoo que toda vez que acabava era reposto com o dinheiro que o clube arrecadava, assim como o sabonete líquido e o condicionador.

Ouvira um barulho do lado de fora do box, porém ignorou, sabia que ninguém se atreveria a entrar enquanto ele se limpava. Ao terminar saiu para pegar a toalha que lembrar de tê-la deixado sobre a barra, no entanto não tinha mais nada lá, nem a toalha, nem seus tênis e muito menos suas roupas.

Estranhou o acontecido, arqueou as sobrancelhas e foi até a porta do banheiro, abrindo-a, nesta outra sala ficavam os armários, era onde os alfas iam de toalha para pôr suas roupas limpas, não era para ter ninguém por lá, entretanto tinha alguém de costas, cintura fina, ombros um pouco largos, cabelos negros e longos e dava para ver que esta pessoa segurava algo em suas mãos.

- Oi, não pode ficar por aqui nesse horário. – O ômega falou tentando chamar atenção de quem quer que estivesse ali.

A pessoa se virou deixando o Konohamaru ainda mais confuso, ele só estava com parte do seu corpo exposto para aquele lado da sala, mas a garota lhe fitava com afinco, como se fosse um pedaço de carne suculento.

- Sarada, o que faz aqui? E por que está com minhas roupas? – Ele questionou ainda confuso, não demorou muito para sentir o cheiro da morena emanar por todos os lados.

“Droga”, ele pensou sentindo seu corpo responder aos feromônios sexuais da alfa, seu membro estava crescendo entre suas pernas e sua entrada ficando molhada. Como o Mitsuki ainda não tinha lhe marcado era possível ele se excitar com outros alfas.

- S-Sarada, entregue minhas roupas, vamos conversar... – Falou com um tom arrastado, já estava delirando, aquele cheiro era demasiado forte e gostoso, se não saísse dali logo se entregaria a ela e ele não era infiel, jamais.

- A única conversa que eu quero ter é com suas partes baixas. – Fora a única coisa que ela disse antes de soltar as roupas suadas do ômega em qualquer lugar juntamente com a toalha do mesmo e andar devagar até onde ele estava.

O Uzumaki viu que a mesma não estava para conversa e não ia escutar absolutamente nada que ele falasse, ela estava cega de prazer e ele tentava se controlar para não acabar do mesmo jeito, se apressou para fechar a porta antes que a mesma o alcançasse, mas naquela fechadura não tinha chave então ele mesmo teria que ficar segurando, o que era muito difícil já que estava com uma baita ereção entre as pernas e seu corpo quente novamente, só que dessa vez era de excitação.

“Socorro, Mitsuki”, ele pensou desesperadamente segurando a porta com suas costas enquanto a alfa tentava abri-la com chutes.

- Vamos, ômegazinho, eu sei que você quer, sei que você me quer. – Ela cantarolou chutando a porta mais uma vez e vendo-a abrir e fechar rapidamente. A fechadura já tinha quebrado e uma parte da maçaneta já estava pelo chão.

 

[...]


Notas Finais


Obrigada por lerem e se possível deixem um comentário. sz


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...