História Rosa Carolina - Capítulo 21


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Ambre, Armin, Kentin, Lysandre, Personagens Originais, Rosalya
Tags Amor Doce, Armin, Castiel, Docetes, Hot, Lysandre, Nathaniel, Romance, Sexo
Visualizações 6
Palavras 1.218
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello! Finalmente eu lhes trouxe a continuidade do capítulo anterior de Rosa Carolina! Então, ansiosos?

Capítulo 21 - Cabeça nas Nuvens


Fanfic / Fanfiction Rosa Carolina - Capítulo 21 - Cabeça nas Nuvens

CASTIEL

Desde que eu e Andry terminamos, tenho vindo no porão com muita frequência. Antes, eu até preferia o terraço mas...sei muito bem quem eu vou encontrar se for lá.

Estou aqui agora, apagando um cigarro. Não apareci na aula hoje, imagino que já tenha acabado. Acho que vou para casa, se eu passar mais um minuto nessa escola vou enlouquecer.

...

Caminhando nos corredores, escuto uma conversa suspeita. Risadas altas e vozes esganiçadas ecoavam no corredor praticamente vazio. As tagarelas são Ambre e Li, elas não me viram. Mas eu as vi.😈

- Essa garota vai pagar por ter tirado ele de mim, depois do nosso plano, o Castiel com certeza me verá com outros olhos. Os dois cairão como patinhos! - disse aquela loira, obviamente falando da minha ex. Ela parecia acreditar nas próprias loucuras. Li riu baixinho, duas cobras.

Não posso contar isso a Andry, mas não quer dizer que eu não vá fazer nada.

Passo pelas serigaitas e digo: - Finalmente você está certa, Ambre. Se você fizer qualquer coisa para ela te olharei com outros olhos. Olhos de desprezo.

Dou uma última observada na expressão dela, que estava boquiaberta.

- Se liga, Castiel! Aquela idiota não te quer mais! Parte pra outra.- gritou Li, Ambre começou a gritar também mas eu já estava bem longe.

Saindo do prédio, vejo Carolina. Acho melhor avisar ela sobre o que acabou de acontecer.

- Ei.- chamo, a mesma para no meio do pátio e olha para trás. Ao me ver, volta a andar em direção do portão da escola. Menina difícil.- Espera.

Acelero o passo para alcançar ela e paro em frente ao portão, assim ela não pode sair. Carolina revirou os olhos e falou: - O que você quer?

- Cuida da sua amiga. Uma certa loira planeja fazer algo com ela, e não é um programinha de garotas.- digo, saindo do caminho pronto para ir embora.

- Sério?-  me viro, ouvindo a voz daquela chata novamente. Minha paciência tá acabando.- Como você sabe? Ela te contou enquanto estavam na sua cama?

- Por mais que Andry tenha me traído e que eu a odeie, nunca vou deixar ninguém fazer mal a ela. Muito menos me relacionar com aquela doida que abalou a reputação dela.- falo, cerrando os punhos.

Carolina suspira, provavelmente com pena. Começo a descer a rua.

- Castiel.- paro de andar.- Obrigada.

De nada, pensei.

LU

Minha mãe ainda não chegou em casa, ela volta daqui algumas horas. Aproveito esse tempo sozinha para assistir Supernatural, Guen me recomendou. Ah, ainda estou esperando ela me contar o que houve entre ela e Nathaniel. Acho que vou mandar uma mensagem para ela.

"Que história é essa de namorado?"

Ela não demorou para responder.

"Posso passar aí e te contar?"

Respondi que sim e coloquei play na série. Quer saber? Acho que vou fazer uma pipoca antes.

....

Os milhos saltavam na panela, logo virarão pipocas. De repente, escuto um barulho no portão de casa. Corro para fora, deve ser a Guen.

Para minha surpresa, não era ela e sim...Pedro? Ele estava em cima de sua bicicleta, ficou todo atrapalhado quando eu cheguei.

- Desculpa, eu não queria incomodar...-????- Eu só tava passando por aqui e decidi dar um descanso...não tinha percebido que era sua c-casa.

Estranho. Muito estranho. Fico feliz de ele ter parado aqui, mas não vou convidar ele para entrar. Pedro deixaria Guen desconfortável quando ela chegasse.

- Não tem problema, eu não estava fazendo nada demais...- sorri para ele que retribuiu ainda sem jeito. Acho que ele não queria que eu o visse. Mas somos amigos, poxa! Por que ele insiste em agir esquisito comigo só por causa da briga que nem foi briga? Ele nem sabe como me sinto e...ahhh, não pensa nisso, Lu!

- É...eu vou indo então. Bom fim de tarde!- acenei para ele e o observei pedalar sua bicicleta até o mesmo sumir de minha vista.

Fiquei tão pensativa de repente. Será que se eu tivesse dito a verdade para ele ainda seriamos amigos? Não sei. Tenho a sensação de que esqueci algo...

- Oh, Loira!- Guen apareceu de repente, me assustando. Claro, eu tinha esquecido que ela vinha.

- Oi, entra.- abro o portão para ela que me cumprimenta com um toca aqui.

- Antes de eu contar, será que você não poderia arranjar algo para nós comermos? Tô faminta.- oh, não! Isso me lembrou das...

- Pipocas!!!- corro para dentro de casa, na esperança de que não tenham queimado.

- Isso, eu gosto de pipoca. Você sabe fazer? Eu não sei...- escuto Guen falando enquanto entra atrás de mim.

Abro a panela e me deparo com o cheiro queimado, a aparência era pior ainda, pareciam pedras quentes.

- Pelo jeito não...- a garota me da dois tapinhas no ombro, eu a encaro.

- Vai uns milhos carbonizados aí?

CAROLINA

Não consigo prestar atenção em nada do que estou fazendo no trabalho, minha cabeça está a mil e eu só penso no que Iris me disse no fim da aula.

Ao levar algumas bandejas com restos de comida e copos sujos sujas para cozinha, acabo me distraindo com meus pensamentos e bato contra outra funcionária, derrubando tudo. Oh, droga!

- Carolina...Tudo bem contigo?- questionou...Violette? Vou levar um sermão dela! A mesma me ajuda a juntar tudo.

- Sim, sim...só meio distraída.- digo, envergonhada.

- Mais cuidado na próxima vez. Tente não levar tantas coisas ao mesmo tempo.- ela sorriu solidariamente, deixando passar essa.

Ufa.

...

Então depois de mais um dia de trabalho, estava entrando no trem. Tudo que eu quero é deitar em minha cama e dormir.

Sento no banco de sempre e pego meu celular. Finalmente, aquele momento em que posso pôr meus fones e escutar música.

Tocando agora_I'm With You

...

-Carolina...Carolina...Carolina...- sussurros perturbam minha cabeça enquanto eu grito: Não!!

Acordo com o som alto do refrão da música, eu não pareci ter adormecido por muito tempo. Retiro meus fones e ponho a mão na testa. Droga, esses pesadelos só me enchem o saco.

Mesmo achando que não devo, meus olhos procuram por Lysandre. Eu não o vejo, provavelmente está sentado mais longe.

- Está tudo bem?- a voz dele me chama ao meu lado, sorrio para Lys.

- S-sim...- sério, eu estou gaguejando? Faço sinal para ele se sentar, seria mal educado da minha parte se fizesse o contrário.

- Como foi no trabalho? Você parece meio pálida...- diz, desvio o olhar para a janela.

- Estava ótimo, eu só estou com um pouco de fome...- preciso mudar de assunto.- Como foi com sua família?

- Mamãe está melhorando aos poucos. Nossa vizinha Marie tem dado apoio.- percebo que Lysandre não quer falar sobre isso, mas ele parece melhor assim como a mãe.

- Ótimo. Lembre de que só o tempo pode curar essa dor.- digo, tamborilando os dedos em minha coxa. Dou uma olhada nele, aqueles olhinhos tristes encarando o assento da frente me dão muita vontade de abraça-lo e gritar o que eu sinto, mas a minha coragem e determinação foi destruída por aquela ruiva hoje cedo.

Ah, eu vou falar! Junto todas as minhas forças e o encaro, Lys percebe e se vira para mim também.

- Lysandre.- falo, séria e pronta para dizer a declaração que eu me imaginava fazendo para ele.

- Sim?- não vou conseguir, não vou, não vou! Vou sim! Oh, eu não posso...Quem estou querendo enganar, ele é o Lysandre e eu sou a Carolina, melhor amiga conselheira.

- Nada.- volto a olhar pela janela, o sol já está se pondo.

- Carolina.- chamou. Ainda observando o horizonte, eu falei:- Hum?

- Nada.


Notas Finais


Até sextaaa! Boa semana para você, beijos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...