1. Spirit Fanfics >
  2. Rosa Dourada >
  3. A Revelação

História Rosa Dourada - Capítulo 36


Escrita por:


Notas do Autor


Segue mais um capitulo, finalmente Dite e Alba descobrem que são irmãos. Emoções a mil.

Capítulo 36 - A Revelação


Fanfic / Fanfiction Rosa Dourada - Capítulo 36 - A Revelação

A Revelação 

 O dia amanheceu lindo, o céu azul, tão azul quanto os olhos do homem que acabava de despertar em seus braços.

Bom dia meu amor – cumprimentou o virginiano agarrando o seu loiro que acordava manhoso se espreguiçando igual um gato.

Bom dia vida, retribuiu com carinho – o virginiano deitou por cima do amado e lhe deu um beijo de cinema.

Pra meu dia ser bom eu preciso disso, esse sim é o combustível que me mantem de pé – abraçou o amado com carinho.

Você está bem? Perguntou o mais jovem.

Melhor não poderia esta – sorriu e deu um selinho no marido.

O que vamos fazer hoje? Perguntou animado.

Ainda não sei, pensei em tomar café na padaria Art & Pão o que acha?

O que você quiser e onde quiser amor – depois podemos dar uma volta no calçadão o que acha?

Concordo plenamente – Afrodite colocou uma suga branca e uma bermuda preta confortável, uma camiseta branca e um tênis da Nike e seu belo óculo escuro.

Shun colocou uma sunga branca uma bermuda azul e uma camiseta branca, um tênis mizuno e o óculos escuros.

Pensaram em ir no conversível de Afrodite, no entanto decidiram ir a pé mesmo...

Amor quando você vai buscar seu carro na oficina? Perguntou o pisciano com a consciência pesada...

Eu não te contei? Perguntou com carinho ao marido.

Não ... não me contou! O que houve?

Meu carro deu perda total, o mecânico disse que não valia apena consertar, o conserto seria entre cinquenta a sessenta mil reais, então não valia apena consertar.

Eu vendi a carcaça para eles retirar algumas peças que davam pra salvar – consegui vender o carro por seis mil reais.

O loiro arregalou os olhos azuis olhando para o marido – me desculpe amor, eu não queria causar um prejuízo desses – falou desolado.

Dite não se preocupe com isso ok? Eu já comprei outro, esta pra chegar em cinco dias.

Eu vou pagar o carro pra você amor, eu vou cobrir esse prejuízo...

Não Dite você não vai pagar nada, e depois eu nem fiquei chateado, estava preocupado de mais de te perder, o carro pra mim foi o de menos, se eu não tivesse dinheiro pra comprar outro carro eu iria de metrô ou ônibus até mesmo van ou uber. Já se eu perdesse você eu preferia morrer – falou sincero...

Te amo tanto Afrodite que pensar em viver sem você, eu escolheria a própria morte...

Não fale isso nem brincando – pediu com carinho...

Você acha que eu me preocupei com carro? Nem me passou pela cabeça.

E você como foi trabalhar todos esses dias? Perguntou aflito.

Fui de metrô e algumas vezes de uber e fiquei quinze dias com o carro do Ikki – respondeu com carinho.

O loiro abraçou o amado - e pensar que realmente ficaram um mês praticamente se falando o essencial. Shun saia para o trabalho, Dite ia para o dele e assim seguiu normalmente. Nem chegou a pensar em como o marido estava se virando sem carro.

Dite não vamos nos preocupar com isso ok, já passou amor.

O médico segurou o rosto do marido com carinho e deu um selinho – tomaram café da manhã na padaria preferida do pisciano sanduíche de presunto e queijo quente, café com um pouco de leite, croissant portenho, misto quente, sanduíche natural. Suco natural de melancia, manga. Por ultimo duas águas com gás foram solicitadas. Fecharam a conta e seguiram para a orla.

 em seguida começaram correr pela orla. Depois de uma hora de caminhada sentaram em um quiosque. A surpresa maior foi encontrar Ikki e Shaka sentados bebendo água de coco.

O casal parou pra sentar ao lado deles...

Cadê as crianças? Perguntou Shun animado.

Ficaram dormindo respondeu Shaka abraçando o cunhado em seguida abraçando o amigo.

E vocês como estão? Perguntou Ikki vendo a alegria do irmão... durante esse tempo em que ficaram um pouco afastado Shun havia chorado diversas vezes no colo do irmão, assim como Dite também chorou nos braços de Shaka.

Percebendo que os dois estavam bem, foi motivo de comemoração, pediram umas cervejas e comeram uns petiscos, por volta de onze horas seguiram para suas casas.

()()()()()()

Finalmente se acertaram – Ikki falou com os olhos brilhando de felicidade. Não aguentava mais ver meu irmão chorando nos meus braços todos os dias, sem eu poder fazer nada.

Nem me fale, eu não aguentava mais ver Afrodite aos prantos e acredite foram quase todos os dias.

Estou muito feliz que estão bem – eu não imagino o Shun fazendo Dite sofrer, eu não entendo como puderam ficar brigados tanto tempo – nem eu amor acredite, nem eu.

Seguiram pra casa tomaram banho e foram ver as crianças que acabavam de acordar.

Os pequenos já estavam enormes. A vida de pais era uma vida de correria, muita correria e também de plenitude, era assim que os dois se sentiam. Completamente plenos.

()()()()()()

Dohku soube que Camille já estava no Brasil, a verdade é que desde que viu Albafica o belo fez tudo pra se aproximar do filho. Queria falar com a mãe dele para apenas ter a certeza de que realmente não estava enganado. Albafica era seu filho e disso o seu coração já tinha certeza.

A campainha tocou Albafica foi atender – sua mãe estava em sua casa fazia uma semana, já havia levado a bela mulher para conhecer os diversos pontos turísticos do Rio de Janeiro Pão de Açúcar, Cristo Redentor, AquaRio, teatros, museus entre outros...

A bela mulher estava na cozinha ajudando o filho a preparar o café da manhã. Sig também estava na casa, a mulher adorou o rapaz e ficou muito feliz de saber que o filho amado estava feliz com o noivo.

Surpresa ficou ao ver a visita em sua casa – a mulher ficou tão nervosa que por um momento parecia perder as forças das pernas lindas e delicadas que a tornava uma bela mulher.

Camille uma linda mulher de quarenta e nove anos, loira dos olhos extremamente azuis, pernas bem torneadas, cintura fina, peitos definidos e atraentes, lábios carnudos, uma linda mulher que aparenta está no auge de trinta anos, ao andar nas ruas com Alba os amigos pensavam que era a irmã dele e isso deixava o rapaz feliz e cheio de orgulho da mãezona.

Dohku? V-você? Como você conhece o Albafica? Perguntou com a voz entre cortada.

Ele é amigo do marido do meu filho Afrodite – amigos? Seu filho é casado com o Shunzinho?

Sim ele mesmo – ela sorriu e cumprimentou o ex namorado.

O Shunzinho é um amor, amo aquele garoto – quando ele estava em Harvard eu ia ver o Alba e sempre vivíamos momentos muito felizes e engraçados, jamais imaginei que o noivo dele na época fosse seu filho – falou sincera e perplexa, como o mundo da voltas - pensou

Eu vou ficar no quarto com o Sig mamãe, logo desço pra tomar café – senhor Dohku vou deixar vocês conversarem em paz. Deu um abraço no homem e seguiu, daqui a pouco tomaremos café juntos o senhor é meu convidado.

Obrigado Alba – agradeceu o moreno emocionado, conhecia o rapaz a tão pouco tempo e já o amava tanto, o amor de pai nasceu em seu coração desde o primeiro instante que viu o belo.

Então – continuando - eu conheci o Alba no churrasco na casa do meu filho Dite e percebi algo que pra mim era inimaginável.

Pegou a foto do filho e mostrou a mulher que ficou pasma, conhecera Afrodite apenas de nome, no entanto nunca tinha visto o rapaz pessoalmente e nem por foto. Tinha curiosidade de conhecer o belo. Shun sempre demonstrava ser louco e apaixonado por ele. Muitas vezes chegou a pensar quem era esse homem tão lindo do qual Shun se referia.

Meu Deus – abriu a boca sem palavras para falar... estava estática e estarrecida, eram muito parecidos.

Eu quero saber a verdade Camille – o Albafica é meu filho? Perguntou emocionado.

Por tudo que a de mais sagrado não esconda de mim! Ele é meu filho? Perguntou de novo.

A mulher abaixou a cabeça, fechou os olhos antes de responder.

SIM – Dohku o Alba é seu filho – falou de uma vez...

E por que você não me contou? Perguntou triste

Por que passou por tudo isso sozinha? Eu teria ajudado e cuidado de vocês, jamais abandonaria uma mulher gravida sozinha, eu te amava muito Camille. O homem se sentou e colocou as mãos na cabeça.

Dohku, eu não tenho duvidas quanto ao seu caráter e sinceramente o dia que te chamei pra conversar eu ia falar pra você que estava gravida e que meus pais haviam descoberto e me expulsaram de casa.

Mas quando você falou que sua noiva estava gravida, eu resolvi que não iria destruir sua felicidade com ela. Não queria que a abandonasse afinal ela era uma pessoa maravilhosa e eu não queria que vocês sofressem por uma inconsequência nossa.

Naquele dia que eu sai prometi que iria viver pra mim e por meu filho – sai e procurei trabalho, e por incrível que pareça eu recebi muitas portas fechadas na cara. Precisei dormir alguns dias de favor na casa de uma vizinha e depois consegui o emprego na empresa do John meu pai que me adotou como uma filha do coração e hoje ele e Meg amam meu filho como neto e sou muito grata e feliz por isso Dohku.

Não se culpe, você sempre teve seu caráter e eu também, eu te amava tanto naquela época que nem imaginei as consequências desse amor. Depois eu dei seguimento a minha vida e hoje são apenas lembranças que ficaram marcadas, não me arrependo de nada meu amigo é isso. Eu fiz o que precisava ser feito. Afinal você não poderia ficar com duas mulheres – sorriu com carinho.

Posso te dar um abraço? Pediu emocionado...

Claro que sim – a mulher retribuiu com carinho.

O que vamos fazer? Você acha que o Alba vai me aceitar? Posso contar pra ele?

Nosso filho é o ser mais amável que existe na terra Dohku, eu o eduquei pra vida.

A mulher gritou chamando o filho – Albaficaaaaaaaaaa desça por favor...

Já vou mamãe – gritou do quarto.

Sig estava no banho e ficou de descer alguns minutos depois...

Filho eu tenho algo importante pra contar pra você meu bebê – falou abraçando o filho com carinho.

Lembra a história que a mamãe contou sobre seu papai? Perguntou com carinho.

Claro que lembro – o loiro ficou olhando de um lado a outro.

O seu pai, meu filho é Dohku, Dohku Laurenzo.

O loiro arregalou os olhos – ficou sem ação, sem saber como agir.

Eu nunca imaginei que você o conhecia, se soubesse teria contado antes.

A reação do loiro foi maravilhosa, o medo que Dohku sentia se esvaio quando o rapaz o abraçou com carinho. Os dois choraram e se abraçaram, logo Sig desceu e viu a imagem e em seguida entendeu que o noivo havia finalmente conhecido o pai que tanto sonhava em conhecer, e que nunca deixava explicito por que não queria ver a mãe sofrer. Sig ficou parado e abraçou o noivo que se jogou em seus braços.

O Senhor Dohku é meu pai! Acredita Sig? Perguntou emocionado.

Eu não esperaria que fosse alguém mais honrado meu amor – seu pai é um homem honrado, sabemos disso.

Foram alguns momentos de muita emoção e logo estavam conversando normalmente sobre assuntos de toda espécie. O moreno ficou na casa do filho para almoçar. Descobriu que Camille estava casada e que era executiva dentro de uma empresa da qual ela mesma ajudou fundar.

Percebia o amor incondicional que a mulher tinha pelo filho deles. O dia passou extremamente agradável. A mulher não se surpreendeu de saber que o marido estava casado com um homem. Em momento algum recriminou, o importante sempre foi v elo feliz. Independente de quem quer fosse.

Dohku ficou de organizar um jantar na casa dele para revelar ao filho sobre o irmão. Albafica de certa forma ficou estático de saber que o marido do seu amigo e ex amor, era seu irmão, irmão de sangue. Hoje amava Sig e não tinha dúvidas disso, porém a consciência ainda pesava por algumas coisas que fez e das quais não se orgulhava.

()()()()()()

Shion passou o dia na casa do filho Camus, aproveitou o dia pra brincar com os netos, as crianças estavam muito apegadas aos avós.

Vovô eu quero ver o filme Procurando Nemo – pediu Kardia

Eu quero ver Procurando Dory – falou Degel

Você já viu esse filme Kardia – bufou o ruivinho

E você já viu esse também – bufou o escorpiãozinho pequeno.

Calma crianças não vão brigar – pediu o avô sentando ao lado das crianças.

Posso sugerir um filme? Perguntou com carinho...

Pode sim vovô – respondeu as crianças.

Uma noite no museu – respondeu o loiro.

Coloca logo vovô – e assim deitado na cama com as duas crianças ao lado começaram a maratona de filmes.

Muita pipoca e suco natural – as crianças se apaixonaram pelo filme.

Depois foram almoçar com os pais e o avô.

Cadê Dohku pai? Perguntou Camus, achando estranho o fato de Shion nunca ir sozinho para a casa dos filhos.

Ele foi na casa do Albafica, foi ter uma conversa com Camille, falou enciumado tentando disfarçar os sentimentos contraditórios no peito.

E o que meu segundo sogro foi fazer lá? Quis saber Milo.

Foi tirar uma dúvida com a mãe do Albafica, ele tem uma dúvida e só vai sossegar quando souber a verdade.

Que verdade? Perguntou Camus apreensivo

Se Albafica é filho dele – cochichou para as crianças não ouvirem.

O que?????? Perguntou Milo com os olhos arregalados.

Isso mesmo o Dohku pode ser pai do Albafica.

Afrodite e Albafica são irmãos, falou mais pra si que para os outros.

Pelo jeito sim, mais não conte ao Afrodite ele nem imagina, e quem vai falar isso caso seja verdade é o Dohku – o loiro olhou para o genro com cara e expressão de quem perguntava “entendeuuuu”?

Claro sogrinho relaxa, não vou falar nada – prometo.

Assim espero – repeendeu Camus.

Que foi? Estas a me chamar de linguarudo? Indignou se Milo.

Claro que não, só que você é desatento as vezes – sentenciou Camus com um olhar que não permitia indagações.

Aff eu nem posso falar nada que sou o linguarudo – bufou

Que é lingurudo papai? Perguntou Kardia que estava atento ao que os pais falavam.

Linguarudo é uma pessoa que fala demais – respondeu Degel.

Onde você aprendeu isso menino? Questionou o pai.

No livro, tenho lido alguns – respondeu o menino.

Esse menino é a copia fiel de Camus – intelectual, até óculos ele usa pra leitura.

Já o senhor Kardia é sua cara, senhor Milo – sorriram todos que estavam a mesa.

E assim o almoço transcorreu alegre e divertido.

Depois das três da tarde Dohku partiu pra casa.

Camus e Milo ficaram com as crianças em mais uma maratona de filmes, muita pipoca e muito suco natural, depois vídeo games, uma tarde de muita diversão.

()()()()()()

Ao chegar em casa Shion percebeu que o marido havia chegado em casa. O que achou estranho é que o moreno estava na cozinha preparando o jantar.

Amor tudo bem? Perguntou o loiro o cumprimentando com um beijo e um abraço apertado.

Tudo sim meu amor – estou preparando o jantar...

Me conta, você conversou com ela? Perguntou enciumado.

Conversei com ela e minhas suspeitas eram verdadeiras amor, o Albafica é meu filho, você acredita? A.L.B.A.F.I.C.A é meuuuuu F.I.L.H.O.O.O.O.O – falou sorridente pegando o marido no colo e dançando com ele pela cozinha.

Por um momento Shion caiu na gargalhada, a alegria do moreno era contagiante. Dançou com o amado no colo e depois o colocou no chão.

Parabéns amor – agora temos quatro filhos.

Obrigado por me amar e está ao meu lado – agradeceu o moreno feliz.

Amor eu estou fazendo um jantar especial, eu quero contar para o Afrodite sobre Albafica.

Eu te mandei mensagens, mas você não respondeu então acabei por começar a fazer as coisas aqui.

Me perdoa amor, eu não vi estava entretido com as crianças.

Eu vou te ajudar amor – o loiro foi tomar uma ducha, colocou uma roupa confortável e desceu para ajudar.

E Camille como está? Perguntou disfarçando o ciúme

Ela está bem, vai ficar uns vinte dias e depois voltará a Suécia.

E como ela está? Perguntou com ciúmes.

Como ela está? Como assim? Perguntou sem entender

Quero saber o que sentiu ao vê-la – bufou o loiro impaciente.

Ataaaaa é isso – sorriu o moreno agarrando o loiro por trás e lhe beijando o pescoço.

Ela continua linda, eu diria até mais linda do que na época que a conheci – falou sincero.

Shion se afastou do marido enfezado – o que foi meu carneirinho lindo? Perguntando o moreno com um sorriso.

Nadaaaaa, nadaa não – bufou irritado.

Estais com ciúmes é meu carneirinho lindo – abraçou o amado que relutou e depois se deixou abraçar pelo homem que amava.

Ela realmente está linda amor, mas isso não importa, o que senti por ela ficou no passado e no passado permanecerá. Você é o homem que amo, é o grande amor da minha vida, você tem dúvidas sobre isso? Perguntou olhando nos olhos do amado, em seguida tomou a boca do amado em um beijo apaixonado, lagrimas desceram dos olhos de Shion que chorou abraçado ao marido – não quero te perder nunca – e não vai perder respondeu o moreno, eu amo você.

A Camille está casada e está feliz, ela é uma mulher maravilhosa você vai amar conhecer ela, eu prometo. Te peço apenas duas coisas – falou segurando o rosto do marido e olhou dentro dos olhos dele.

- Não se esqueça que você o homem que amo, o grande amor da minha vida.

- Camille é uma mulher honrada e uma pessoa maravilhosa.

Perdoa minha insegurança – eu prometo que não vou deixar meus ciúmes atrapalhar, vou tentar ser amigo dela.

Trocaram mais um beijo apaixonado, em seguida foram preparar o jantar.

()()()()()()

Afrodite e Shun foram os primeiros a chegarem. Alguns minutos depois a campainha tocou e Dohku foi atender a porta.

Entrem Dohku cumprimentou a linda mulher que entrou seguida por Sigmund e Albafica.

o que eles fazem aqui? Perguntou Afrodite entre dentes – desde o ocorrido não tinha visto Albafica.

Não sei amor – fica calmo pediu Shun segurando forte a mão do marido. Entendia que a situação era difícil para o loiro.

Os três entraram e cumprimentaram os presentes. Shion desceu as escadas e veio cumprimentar os convidados. Ficou estático ao ver a bela mulher que estava entre os cavalheiros. Os cumprimentou de forma educada, abraçou a bela mulher.

Uma bebida foi servida a todos – Afrodite se manteve neutro embora por dentro estivesse incomodado.

Dohku resolveu se pronunciar – amigos queridos eu fiz esse jantar, por que tenho um comunicado a fazer.

Nos últimos dias eu descobri algo do qual me deixou muito feliz. No dia do churrasco na casa de Shun e Dite eu percebi algo e depois de conversar com Camille eu tive a certeza de que precisava. Alias foi só uma confirmação, pois no meu coração eu já tinha certeza. E essa certeza eu tive hoje depois de conversar com ela.

Albafica que está presente obrigado por ter vindo meu filho – é isso que você dois estão ouvindo Shun e Afrodite. O Albafica é meu filho, o seu irmão.

Afrodite arregalou os olhos – meeeeu irmãooo?

Sim meu filho! Isso não é maravilhoso? Afrodite estava sem palavras.

Alba também ficou sabendo hoje pela manhã. Espero que se amem como irmãos e aprendam a conviverem juntos. Pois agora vocês têm um ao outro.

Shun estava tão assustado e surpreso quanto Afrodite – apertou a mão do marido em apoio.

Eu queria fazer um comunicado – Afrodite, eu sei que não fomos tão amigos, e sinceramente não imaginava jamais que você era meu irmão, sinceramente me sinto feliz em ter um irmão honrado e tão querido como você. Eu sei e você sabe que não fui lá tão amigo, no entanto você é meu irmão e quero muito poder construir algo bom com você, uma amizade e um amor até fraternal. Eu te peço apenas uma oportunidade de me redimir.

Eu gostaria muito de falar a sós com você? Você aceita conversar comigo?

Cla – claro Albafica sem problemas... vamos ao escritório...

Os dois saíram e todos ficaram ali conversando e bebendo.

Dite eu quero te pedi perdão por tudo que te fiz, quando o conheci não fiz nada pra me aproximar de você, eu sentia ciúmes por que o homem que eu aprendi amar era seu noivo e sei que você percebeu isso, por isso se mantinha longe de mim. Hoje não amo mais o Shun com sentimentos carnais, amo a ele como se fosse um grande amigo, até um irmão – falou sincero.

Obrigado Alba fico feliz de você hoje amar o Sigmund. Sei que ninguém pedi pra amar ninguém – abaixou a cabeça.

Dite eu fiz algo do qual me envergonho muito, algo do qual eu nunca vou esquecer, algo que marcou minha alma – falou Alba segurando a mão do irmão.

Albafica levantou os olhos e lágrimas pesadas desceram sem controle algum, misturados a soluços sofridos.

Eu tenho tanta vergonha de falar, dói muito falar esse assunto – Hoje descobri que somos irmãos e quero de verdade construir algo com você. E se quero construir algo limpo, não posso esconder algo tão sujo do qual fiz e que não me orgulha em nada.

Não precisa contar nada Alba – por favor não precisa, eu sei que você amou meu marido e hoje sei que você ama o Sig pra mim está tudo bem – Falou Dite com sinceridade.

Dite deixa eu continuar, quero que saiba – Uma vez depois que você foi passar o aniversário no EUA, dois dias depois que você saiu eu sai para beber com o Shun, bebemos muito chegamos cambaleantes e eu me aproveitei do Shun, eu o beijei e ele chamou por você, na hora tentei não pensar nisso, só que eu não parei nisso eu fui capaz de fazer oral nele Dite – Alba baixou os olhos doía muito – Afrodite tentou fazer ele parar de falar – mais o pisciano continuou – eu fui capaz de chupar teu noivo na época, mesmo ele te chamando e só depois que ele gozou na minha boca eu acordei para o que estava fazendo – isso é muito difícil pra mim. Eu fui um canalha com você e principalmente com Shun que sempre confiou em mim,

Eu fui um fui um canalha, depois me senti um lixo, o Shun não sabe disso ele pensa que teve um sonho erótico com você – eu fui um lixo Dite. Me perdoa o loiro mais velho começou a chorar e isso comoveu o coração do irmão mais novo (a diferença de idade de Alba pra Dite eram de quinze dias). Eu vou entender se você não quiser mais me ver, está no seu direito, eu conversei com Sig e ele me aconselhou contar pra você, agir de forma limpa sabe. Se é que posso me sentir assim – limpo.

Então o Sig sabe dessa história? Perguntou surpreso.

Ele sabe de tudo, nunca escondi nada dele, ele fala que me condeno muito por um erro e que preciso me perdoar – mais acho que o que fiz abominável – essa é a verdade.

Alba eu sei tudo que aconteceu, no começo quando descobri fiquei possesso, senti raiva, quebrei tudo, o carro do Shun deu perda total, eu quebrei a casa inteira. Senti raiva de você e ao mesmo tempo não conseguia te odiar.

Co – como assim? Co – como você soube?

Dite baixou a cabeça, eu invadi seu celular – Albafica ficou de boca aberta, então esse tempo que você ficou brigado com Shun foi por minha causa? Meu Deus – abaixou a cabeça arrasado.

Eu te proponho uma coisa – falou Dite se aproximando do irmão e pegando em sua mão...

Vamos esquecer essa história, doeu muito mais já cicatrizou – vamos esquecer e escrever uma nova história.

Eu aceito – os dois se levantaram e se abraçaram, um abraço forte e verdadeiro, onde não cabiam magoas e sofrimentos.

Depois de chorarem e fazerem as pazes os dois foram pra sala e comemoraram a descoberta ao lado dos familiares.

O jantar foi servido e todos se deliciaram com as delicias que o casal preparou. Camille amou conhecer Shion e Afrodite. Uma grande amizade realmente se iniciou ali. Logo marcaram uma festa na casa de Dite e Shun. Antes da partida de Camille para a Suécia.

Continua...


Notas Finais


Segue mais um capitulo espero que gostem... Logo corrigirei aos poucos...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...