História Rosa nunca é demais - Capítulo 174


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Lemon, Pantera Cor De Rosa, Yaoi
Visualizações 16
Palavras 474
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Ecchi, Fantasia, Ficção, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Boa leitura meus gatinhos e minhas gatinhas.

Capítulo 174 - Foto


Art on

             Bem, aqui estou, no fogão, esquentando leite pra por na mamadeira do Regin porque ele não para de chorar pedindo leite, então fazer o que? Tem que alimentar essa fofurinha de cabelos vermelhos e das pontas verdes, que está aqui na minha cauda inclusive, ele fica brincando com a chupeta em vez de por na boca, meus filhos são estranhos...

- Oi bebê. - o Lúci pega o Regin e fica jogando ele pra cima.

- VAI DERRUBAR A CRIANÇA.

- Não vou não.

- Então dá mama pra ele por mim. - entrego a mamadeira e o Lúci usa a cauda pra dar pro menino.

- "I'm the queen, not you".

- Achei bonitinho a blusinha, quis trazer pra ele.

- Ficou fofo nele.

- Já venho, vou lá ver quanto tempo falta com a capitã. - saio da cozinha e vou pra cabine principal do navio.

- Posso ajudar, Art? - ela aparece por trás de mim e me faz tomar mó susto.

- Vai me matar do coração. - começo a rir de nervoso - Mas já que perguntou eu queria saber quanto tempo falta.

- Mais umas duas horas ainda.

- Tudo isso? Ta bem então, fazer o que né? - volto pra onde o Lúci estava, como eu disse, ESTAVA, a porra do diabo sumiu com a criança.

                   saio correndo pelo navio até achar ele brincando com a cria lá no meio do navio, e claro que ele estava contando de como torturou Stalin no inferno pro menino, afinal, quem nunca? Quem nunca contou sobre o trabalho pros filhos?

- Aí eu enfiei uma faca quente no cu dele e...

- Lúci, pode não falar palavrão pra criança?

- Desculpa, escapou.

{-Pai, posso por o Ben pra brincar com o meu maninho?}

- Claro. - o Lúci coloca o Regin no chão e logo ele começa a encarar o bichinho que o Ben tava na mão.

{- Não briguem.}

- Seu filho entende libras?

{-Não enche guerra.}

- Posso colocar o Robin aí?

- E o meu bebê? - até o Angêl e o Oli apareceram.

- Vamos colocar todos aqui. - até que eles se deram bem, apesar do Robin e do Regin serem os que melhor se interagiram e a Diana praticamente queria nossa atenção só pra ela.

- Pikachu, vem cá?

- Ele não é o Pikachu.

- Roy, por que todos os seus filhos tem algo de diferente mas só a Diana é normal?

{- Por que eu saberia?}

- Sei lá.

- Ei, alguém viu meu robin?

- Calma, ele não sumiu dentro de um navio.

- MAS TEM A PORRA DE UMA BRUXA ATRAZ DELE.

- Calma, ele tá aqui.

- Ou, vou tirar foto.

- Art, você vai tirar foto dele dormindo junto do Regin?

- Eles são fofos assim...



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...