1. Spirit Fanfics >
  2. Roses - Jikook >
  3. Vinte e quatro

História Roses - Jikook - Capítulo 24


Escrita por:


Notas do Autor


Oiii...
Como vocês estão? E como foi o dia de vocês ontem? Espero que tenha sido ótimo...

Eu não postei, porque estive meio ocupada com algumas coisas, mas agora voltei...
Desde já, peço que me perdoem pelo conteúdo presente nesse capítulo, quero deixar claro que é necessário para o JK entender o está sentindo pelo Jimin e também para o próximo capítulo, ok?

Vamos para o capítulo...
Boa leitura...

Capítulo 24 - Vinte e quatro


Park não saberia dizer o que havia acontecido, se havia feito algo errado, se era apenas paranóia de sua cabeça ou se seu psicológico apenas queria lhe pregar uma peça, entretanto, não se sentia bem com aquela distância toda. Fazia uma semana, uma semana que ele e Jeongguk tiveram um real contato, desde então, tudo havia mudado. O Moreno parecia cada vez mais distante, até cogitou ser por conta da depressão, mas quando perguntou a Jin sobre como estavam indo as consultas, o mais velho lhe disse que não poderia informar muita coisa, mas que tudo estava indo bem e que Jeongguk estava progredindo bastante, ou seja, não era por conta da depressão. 

Quando decidiu conversar com Jeongguk sobre o que estava acontecendo, o mais novo lhe respondeu que estava tudo bem e deu um jeito de fugir. Jimin achava ter feito algo errado, já que foi tudo tão de repente, Jeongguk parecia sempre estar ocupado demais, pelo menos era isso que dizia a Jimin, mas quem fica uma semana tão ocupado a ponto de não ter 5 minutos para responder uma mensagem direito? 

Jimin suspirou frustrado e se jogou em seu sofá, era por volta de 15:30, havia decidido não ir trabalhar naquele dia, afinal, não conseguia pensar, não quando podia ver Jeongguk estacionar o carro em frente ao prédio ao lado e não ir ve-lo como sempre fazia, entendia que Jeongguk tinha outras coisas para fazer, mas ambos sempre deram um jeito de ser ver, independentemente de tudo e agora estavam tão longe um do outro que chegava a entristecer Jimin, não esperava que o Moreno fosse se afastar tão repentinamente, afinal, havia sido para isso que pediu uma chance? Se Jimin soubesse, não teria se entregado tão facilmente, não teria sido tão precipitado.

Yoongi insistia em dizer que provavelmente estava tudo bem e que Jeongguk estava tirando um tempo apenas para ele, mas será mesmo que era apenas isso? Não tinha nenhum problema se Jeongguk quisesse tirar um tempo para si mesmo, mas custava responder pelo menos suas mensagens?

Ouviu o barulho da campainha tocar e sem muito ânimo, andou até a porta, não estava esperando ninguém, talvez fosse Taehyung, já que o mesmo o visitava com bastante frequência por estar ajudando com os preparativos do casamento, entretanto, ao abrir a porta, quem viu, foi a Florista que sempre entregava as flores.

— Jiminie, como você está? — perguntou sorrindo e Jimin respondeu que estava bem em um murmúrio — Suas flores!

— Brancas? — perguntou confuso, afinal, só havia recebido rosas vermelhas durante todo aquele tempo, por que agora brancas? — Vai me dizer quem é? Estou começando a acreditar na hipótese de ser você!

— Não posso dizer e não sou eu, eu já estou comprometida lembra?

Jimin assentiu e se despediu sorrindo, talvez ainda fosse enlouquecer com aquilo. Jeongguk lhe ignorando, um completo estranho lhe mandando flores e supostamente apaixonado, era para sua vida ser calma como sempre, não queria receber flores e não queria Jeongguk lhe ignorando, por que tudo não se ajeitava? Pegou o bilhete em mãos e sentou-se no sofá, abrindo sem muita cerimônia e lendo o que estava escrito naquele dia.


"Podes tocar o céu esta noite apenas com o brilho dos teus olhos...

E podes se queixar de que há alguém que amará o teu sorriso por ser infinito como todas as constelações e tão belo quanto todas as rosas..."


Suspirou levemente e deitou-se no sofá mesmo, tirando apenas uma rosa do buquê e a observou, algumas vezes releu o que estava escrito no bilhete. Amava as coisas que o desconhecido escrevia sobre planetas e ter seu sorriso comparado a constelações e rosas, era surreal. Se sentia confuso por gostar tanto de receber aqueles cartões e sentir um sentimento tão intenso por Jeongguk, se bem que ultimamente, Jeongguk parecia nem ligar para o que estava sentindo e acabou se questionando mais uma vez: Por que tudo não se ajeitava?

Levantou-se e andou até seu quarto, guardou o bilhete junto aos outros e ao deitar novamente, Sirius correu até o rosado e deitou ao lado do mesmo, como se entendesse que seu dono não estava bem naquela tarde.

Park recebeu uma ligação de seus pais e conversou um pouco com eles, tentou parecer animado na ligação, mas sua mãe percebeu e questionou o motivo de seu desânimo, mas se engana quem pensa que Jimin falou a verdade, simplesmente disse que era o cansaço e que iria descansar um pouco. Foi levado pela inconsciência alguns minutos depois de encerrar a chamada, ainda como todos aqueles pensamentos que não lhe abandonavam em mente.


[...]


Jeongguk sentia falta de Jimin, de tudo em Jimin. Do jeito que o mesmo corava, do sorriso, do brilho no olhar, das conversas sobre galáxias. Não se afastou porque queria, mas precisava pensar, pensar em seus sentimentos, pensar no que fazer, pensar em tudo. Havia prometido que não iria machucar Jimin, mas como iria cumprir tal promessa sem nem saber o que estava sentindo? Era complicado demais. Tinha medo de não ser correspondido e tinha medo de não corresponder Jimin, precisava entender tudo e ver a forma como Jimin ficou desesperado nos primeiros dias, o fez sentir um aperto em seu peito, mas optou por não responder até conseguir entender tudo, entretanto, as mensagens foram se tornando cada vez mais escassas, até não receber mais nenhuma e saber que talvez Jimin houvesse desistido de tudo, lhe deixava desesperado, não havia esperado tanto, para no final perder tudo.

Por tais motivos, optou por conversar com Namjoon, poderia até conversar com seu primo ou Taehyung, mas sabia que provavelmente eles ficariam furioso com o que estava acontecendo, já que para Hoseok, Jimin era como um irmão mais novo e Taehyung vivia repitindo por aí que Jimin era seu "Soulmate" logo, entende-se que não conseguiria ajuda, Yoongi, era melhor amigo de Jimin e também ficaria furioso e até mesmo Jin se apegou ao menor e provavelmente não iria ajudar Jeongguk daquela vez, Namjoon era sua última opção e esperava receber algum conselho decente por parte do mesmo.

Adentrou a sala do mais velho, vendo que estava vazia e decidiu esperar por ali. Sentou-se na cadeira em frente a mesa de Namjoon e observou a cadeira vazia do mesmo, enquanto se permitia pensar. Não sabia o que deveria fazer, tão pouco sabia se deveria se afastar para descobrir seus sentimentos, no momento, não sabia de nada, apenas sentia, sentia tudo.

Ouviu a porta se abrir, mas não se moveu do lugar onde estava, ouviu a voz de Namjoon falando consigo, mas estava absorto de mais em seus pensamentos para responde-lo. A falta se paciência de Namjoon o fez deixar um tapa atrás da cabeça de Jeongguk, que despertou de seus pensamentos, reclamando sobre a atitude do mais velho.

— O que faz aqui? — perguntou curioso — Pensei que tivesse um cliente!

— Hyung, eu preciso de sua ajuda — informou, vendo o mesmo arquear as sobrancelhas, já que não era comum ter Jeongguk pedido ajuda — Com uma certa urgência!

Namjoon assentiu sem hesitar, afinal, não negaria nenhuma tipo de ajuda ao mais novo e com isso, Jeongguk passou a explicar tudo que estava acontecendo, sentindo e lhe incomodando e Namjoon teve que evitar de simplesmente dar um soco em Jeongguk, afinal, ao longo daquela semana, via Jimin com bastante frequência, já que ele e Jin estava ajudando nos preparativos do casamento de Taehyung e não pode evitar de notar o desânimo do menor, mas controlou a vontade de bater em Jeongguk e tentou entender o lado dele.

— Você é um idiota — falou, após Jeongguk terminar de contar a história, mas não obteve resposta — Você sabe que pode ter machucado Jimin se afastando assim, não sabe? Além disso, se você tivesse conversado com ele, ele te ajudaria a entender o que está sentindo Jeon, não precisava complicar tanto!

— Eu não sabia, Namjoon, eu acho que as vezes você esquece que minha experiência com relacionamentos é quase nula — o Moreno falou irritado e Namjoon suspirou, sabendo que era verdade — É complicado pra mim, eu não sei lidar com sentimentos e Jimin é incrível, tudo que eu queria era poder estar a altura de tudo que ele é, mas não estou, eu ao menos sei lidar com meus sentimentos.

— Ok, primeiro pare de se rebaixar, você é tão incrível quando o Jimin, não percebe a forma como ele te olha? Parece que ele te vê como a jóia mais rara do universo, então, pare com isso ok? Você não é assim Jeongguk, você é o ser humano mais incrível que eu já conheci!

— É difícil, porque... Não saber o que eu sinto, querendo ou não afasta Jimin, eu posso acabar magoando ele por causa da minha confusão e eu prometi que não faria isso, Hyung, não quero fazer isso, pedi uma chance de faze-lo feliz e ele aceitou, mas sabe como eu fico desesperado ao pensar que talvez me afastar tenha feito o contrário? Não quero machuco-lo, ele já sofreu demais por conta do amor e tudo que eu queria fazer, era mostrar que não é um padrão!

— E por que não faz isso? O que te impede?

— Nada, mas... Eu quero entender o que sinto antes de mais nada, talvez para poder dar certeza a Jimin sobre meus sentimentos, não sei... Apenas quero entender!

— E como eu posso ajudar? Você disse que precisava da minha ajuda, então como?

Jeongguk baixou a cabeça constrangido, não estava acostumado a falar tão abertamente sobre seus sentimentos, a não ser com Park e com Jin, depois que sua irmã morreu, nunca se abriu tanto com uma pessoa como estava fazendo com Namjoon. Park ainda invadia seus pensamentos, queria saber como ele estava, já que na última semana não se falaram direito, se trocaram 5 palavras, era muito.

— Como eu sei se estou amando? — perguntou subitamente e Namjoon arqueou as sobrancelhas. 

— Já conversou sobre isso com Jimin? — perguntou e viu Jeongguk sorrir, assentindo — O que ele diz sobre?

— Ele diz que amor é quando aceitamos e aprendemos a amar os defeitos de outra pessoas, que é aprender a lidar com a presença deles!

— Ok e você aceita? Você aprendeu a lidar com a presença dos defeitos dele? Acima de tudo, você passou a amar os defeitos dele? Você não precisa me responder, acho que você tem sua resposta, apenas pense nisso!

— O que você quer dizer com isso, Hyung?

— Quero dizer que você sabe, sabe o que está sentindo, sabe o que é, precisa apenas admitir pra si mesmo, não entendo o que te impede, mas você sabe Jeongguk, não veio aqui por não saber ou precisar de ajuda, veio para confirmar, confurmar o que já sabia!

Jeongguk ficou alguns segundos pensando, enquanto Namjoon ignorava sua presença ali. Logo levantou-se e saiu da sala apressado, entrando no elevador assim que parou naquele andar e não demorou muito a sair do prédio da empresa, precisava com certa urgência falar com Jimin, mas não esperava ver a Floricultura vazia quando parou em frente a mesma, Jimin não havia ido trabalhar e agora precisava pensar em algo, mas nada vinha em sua mente.

Entrou em seu carro e foi até a praia que foi há alguns meses, quando conversou com Jimin e tudo foi esclarecido, precisava pensar e aquele lugar talvez o ajudasse. Como pode ser tão bobo de não perceber antes, convivia com Jimin a meses e nunca entendeu o que sentia pelo mesmo, deveria ter sido mais sincero consigo mesmo e com Jimin também, ele merecia saber sobre seus sentimentos, merecia finalmente entender que o Amor nem sempre machuca, que o problema não estava no amor e sim nas pessoas.

Decidiu ligar para Jimin, quem sabe o menor resolvesse atender a ligação e falar consigo. Esperou pacientemente, mesmo sabendo que havia a possibilidade de Jimin não querer falar consigo, mas o telefone tocou, tocou, tocou e não houve nenhuma resposta.

Jimin não lhe atendeu...


[...]


Jimin acordou ouvindo a campainha tocar e sentou-se em sua cama preguiçosamente, quem quer que fosse na porta, iria esperar e caso não quisesse, não havia necessidade de conversar consigo naquele momento. Pegou seu celular que estava sobre o criado mudo e olhou as horas, suspirando ao ver que já eram quase 20:00 e que Taehyung tinha marcado de ir em sua casa, junto com Hoseok e provavelmente arrastaria Yoongi junto. Quando o sono foi lhe abandonando aos poucos, viu que haviam incontáveis ligações de Jeongguk, assim como algumas mensagens, perguntando se estava tudo bem, até pensou em responder naquele momento e quem sabe, retornar suas ligações, entretanto, não queria se focar nisso no momento, já que era tudo que fazia naquela última semana.

Levantou-se e foi até o banheiro, agora com um pouco mais de pressa, visto que poderia ser seus amigos na porta, tentou dar um jeito em sua cara de sono, mas seus olhos inchados não enganavam ninguém, então simplesmente desistiu e foi atender a porta, entretanto, quem estava lá não era seus amigos, muito pelo contrário, era uma certa Florista, que nos últimos meses, ia com muita frequência em sua casa lhe entregar flores. Observou o buquê de rosas brancas que a mulher segurava e arqueou uma sobrancelha, quer dizer, só poderia ser engano, certo? Já havia recebido as flores naquele dia e nunca, em hipótese algum recebeu mais de um buquê ao dia, então o que ela fazia ali com aquelas Flores?

Suspirou cansado de tudo aquilo, a pessoa em momento nenhum mostrou vontade em revelar quem era, então pra que insistir tanto naquilo? E mais, pra que insistir que estava apaixonado por ele? Não tem como se apaixonar sem conhecer, certo? Então como acreditaria que aquelas palavras era verdadeiras, se nem o autor dela tinha coragem o suficiente para dize-las olhando em seus olhos? Ok, não garantia que retribuiria tal sentimento pela pessoas, afinal, havia Jeongguk e mentiria se disse que não sentia nada por ele, já estava óbvio que sim, mas não valia mais a pena se arriscar do que viver em segredo.

— É... Oi de novo — falou e Jimin sorriu levemente, algo que fez Sora - a Florista - abrir um sorriso largo — Você é fofo, eu te acordei?

— É, acordou, mas tudo bem — respondeu, vendo a outra assentir levemente — O que faz aqui?

— Ah sim, eu sei que não é um horário comum para se receber flores, mas seu admirador secreto ligou e pediu para te mandar essas flores, na verdade, ele teve que insistir bastante até me convencer!

Jimin soltou um suspiro alto e se encolheu levemente, era estranho ter alguém "apaixonado" por si e sequer o conhecer.

— Eu... Eu não quero Sora — falou baixinho, vendo a mulher arregalar os olhos — Leve-as de volta, ok? Isso já foi longe demais!

— Como assim, Jimin? — perguntou curioso e apenas viu Jimin acenar negativamente — Olha só, eu não sei o que está acontecendo, sei que você não conhece ele, mas apenas aceite as flores ok? Talvez tudo se ajeite, talvez ele nunca te diga e quem é e continue te mandando flores para o resto da vida, mas aceite-as, tenho uma boa impressão sobre isso!

— Aish, tudo bem, me de as flores!

Sora abriu um sorriso largo pela resposta de Jimin, afinal, sabia o que havia sido escrito em todos aqueles bilhetes, simplesmente pelo fato de que ela escreveu, o "admirador secreto" - como havia intitulado o mesmo, ainda que soubesse quem era - que lhe dizia o que ela devia escrever e achava tão bonito e poético e claro, não foi diferente com aquele bilhete, apenas esperava que as coisas se ajeitassem para Jimin, ele merecia.

Jimin agradeceu brevemente e fechou a porta de seu apartamento, sentando-se no sofá e pegando o bilhete delicadamente. Não era que não gostasse de receber aquelas flores e bilhetes, pelo contrário, amava quando isso acontecia, mas e quanto a Jeongguk? Não seria injusto com ele? Mas então lembrou-se que Jeongguk não ligava para isso e nem para o que acontecia na vida do rosado, bom, pelo menos Jimin achava que não. Saiu de seus devaneios e voltou sua atenção ao bilhete, soltando um arfar ao ler o que havia ali.


"Me encontre no parque, amanhã as 19:45, escolha um lugar de sua preferência e eu irei até você...

Peço-te apenas que confie em mim..."


Notas Finais


Foi isso meus amores...
Estamos chegando ao fim, no próximo capítulo vamos descobrir finalmente que está enviando as flores? Talvez sim, talvez não, o que vocês acham? Quem vocês acham que é?

Eu já estou trabalhando no capítulo bônus, mas acabei difundindo em 2, então não vai acabar no capítulo 26 e sim no 27 ok?

Espero que vocês tenham gostado...
Perdoem os errinhos ok? Não tive tempo de corrigir...
Se cuidem, bebam água, se forem sair não deixem de usar máscara, evitem aglomerações...
Até o próximo...
Amo vocês 💜🙈


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...