História Roses - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ashley Benson, Charlie Puth, Chaz Somers, Christian Beadles, Justin Bieber, Nina Dobrev, Selena Gomez
Personagens Charlie Puth, Justin Bieber, Personagens Originais, Selena Gomez
Tags Charlena, Charlie Puth, Jelena, Justin Bieber, Selena Gomez
Visualizações 210
Palavras 1.309
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Festa, Ficção Adolescente

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


🌺 Sim, eu sei que já tenho uma fanfic em andamento, mas eu juro para vocês que foi mais forte do que eu sobre postar ou não está fanfic. Eu sei que Lost Memories ainda está no comecinho, mas queria muito postar essa fanfic, queria muito mesmo.

🌺Conhecemos as regrinhas básicas sobre plágio e tudo mais, então não será preciso de toda aquela coisa. Somos todos criativos para criar seja lá o que for. Apenas faça e se orgulhe!

🌺Selena Gomez e Justin Bieber, infelizmente e ainda não, me pertencem, mas suas personalidades aqui na fanfic é e dos outros personagens sim.

🌺Assim como a primeira, eu vou me esforçar muito, prometo. E espero que gostem.

🌺Essa maravilhosa capa foi feita pela Stratford, do Runaway Designs. Ficou incrível!

Capítulo 1 - Prólogo.


Fanfic / Fanfiction Roses - Capítulo 1 - Prólogo.

De forma alguma eu sabia que seria amor. Eu não sei, mas acho que a gente olha e pensa: “quero para mim”. Mas dá um calafrio na barriga, um tremor, um medo de depender de alguém, de sofrer, de escolher errado, de lutar por algo que não vale a pena. Porque o coração nem sempre é o mocinho. Foi por isso que corri, que tentei fugir, mas quando tem que ser, não adianta, será.

Por anos eu venho tentando, seis, para ser mais exato, esquecer qualquer resquício dela de minha mente. Mas, por seis anos eu venho falhado miseravelmente. Acho que eu jamais conseguirei, afinal. E, porra, ela sequer sabe quem eu sou. Não particularmente, afinal, somos vizinhos e a janela de seu quarto é bem diante do meu. Acho que posso dizer isso. É, sobretudo, um detalhe importante. 

Durante esses seis anos eu à vi crescer. A vi fazer suas primeiras festas do pijama com suas amigas, devo acrescentar que ela fazia muitas. Mas eu nunca me importei. Eu via ela sorrir para todas as meninas de uma forma única e verdadeira. Vi ela mudar o papel de parede a cada ano que se passava. Selena sempre gostou de mudanças, seja lá qual for. Eu me divertia vendo ela ficar nervosa com os homens que iam lá mudar. Vi ela chorar pelas vezes que brigava com seu pai, vi ela dar seu primeiro beijo em um amigo da escola, vi ela dançar e vi também ela não me notar. Não a culpo. Não tenho motivos para tal. Vi ela fazer inúmeras coisas naquele quarto, mas jamais a vi olhar em direção a minha janela. Durante seis anos ela sequer notará que tinha um vizinho. Noventa por cento de minha mente é ocupado por ela, e os outros dez por certo é o que eu posso chamar de vida. Mas foi como eu disse bem ali em cima, não posso julgá-la por seguir com sua vida. 

Ela tem um namorado. Ele se chama Charlie. É uma boa pessoa, uma ótima pessoa aliás, e é por esse mesmo motivo que eu o odeio. Ele é extremamente perfeito, segundo ela. Todos os sorrisos que são direcionados à ele, todos os carinhos, todos os beijos, deveriam ser meus. Eu a amei, eu a amei no segundo em que ela apareceu na janela de seu quarto e ajeitou a cortina, a amei no momento em que a vi rir tão espontaneamente e que eu percebi que seu sorriso poderia ser comparado a oitava maravilha do mundo. Ninguém conseguiria ter um sorriso tão bonito. Penso bem, o sorriso dela aos olhos de outras pessoas poderia ser considerado comum, comum até mais, mas eu sei que não era e nem poderia chegar a ser algum dia. Ela é perfeita demais para ser explicada com a palavra comum. 

É tanta coisa na cabeça que de vez em quando a gente se pergunta: é isso mesmo que eu quero? Afinal, quem sou eu? O que eu estou fazendo da minha vida? Estou dando atenção para as coisas certas? Estou gastando energia no que realmente importa? Estou dando a devida atenção para quem gosta de mim? Fico nesse mar de perguntas e nada de achar uma resposta.

E o que tornava tudo pior era o fato de estarmos sempre em todas as salas em todos os anos. Meu subconsciente diz que o destino está tentando nos juntar, mas que eu deveria ajudá-lo também. O que diabos que tenho que fazer? Quando tudo que eu sei é que ela é tão feliz com o namorado. Isso é tudo que sei. E sei também eu nunca teria coragem de me meter no relacionamento deles. Selena é feliz demais para eu ir e estragar tudo como sempre faço. 

Todos dizem que eles fazem um bonito casal, mas o que eles realmente não sabem é que no fundo, ela pertence à mim. E, eu fico lá, sentado sonhando com o dia em que ela vai acordar e descobrir que o que ela procura esteve aqui o tempo todo.

Eu passei boa parte da vida me enganando. Sabe aquela coisa de fingir que tudo está bem, que não doeu, que está bom assim, que eu aceito, que aham, tá legal? Pois é, isso realmente não é nada, nada legal.

Eu tenho medo do que o futuro reserva para mim. Tenho medo de que num futuro próximo eu não esteja junto dela. Tenho medo de ela nunca falar comigo. Tenho medo de ela nunca perceber que me ama da mesma forma que eu a amo. E, principalmente, tenho medo de que ela no final acabar ficando com ele. Mas quando ela está com ele, ela parece mais feliz e eu não quero tirar isso. Tenho medo de nunca nos beijarmos na chuva. E eu nunca vou calar a boca dela com um beijo e nenhuma das nossas brigas vão acabar na cama. Eu nunca vou observá-la enquanto dorme e nunca vou fazer cafuné nela enquanto estiver com a cabeça deitada em meu peito. Não vamos passar tardes assistindo filmes românticos debaixo das cobertas comendo seja lá qual doce ela estiver querendo no momento. Também não vamos passar madrugadas acordados conversando. Nossos, eu quero dizer meus,  planos não vão se concretizar. Eu não vou ficar envergonhado conhecendo sua família, se bem que já os conheço. Não vamos contar aos nossos filhos a longa e estranha história sobre fomos nos conhecermos. As pessoas não vão olhar para nós e falarem sobre como somos bonitinhos juntos. Também não vamos discutir sobre quem vai levantar para quem vai levantar para apagar a luz do quarto. Não vamos ter um futuro juntos. Tudo isso poderia acontecer, mas não vai. Porque nós dois não fomos feitos para ficarmos juntos. Eu queria que não. Queria que ela percebesse que sou bom o suficiente. Acho que realmente sou. 

Sei que ela merece alguém que abra os olhos diariamente e pense: “cara, eu estou com ela, eu sou o namorado dela!” que goste de sua boca, do seu ombro, do seu cabelo bagunçado, do teu calcanhar, da tua cintura, das tuas mãos, do cheira da sua pele. Que tudo que ele queria seja apenas ela. Então, paro por alguns segundos para perceber se falo sobre mim ou sobre o que quero para ela, sobre o que desejo para ela.

Mas tenho em mente que a forma como penso sobre Charlie talvez não seja como ele realmente é. Acredito que se ele não fosse bom para ela, Selena não estaria com ela. Pois sei que Selena não merece menos do que alguém que diga a cada segundo que passe o quanto ela é bonita e o quanto a ama. Ela não merece menos do que alguém faça tudo por ela.

Ashley, minha prima e melhor amiga dela, diz que ela tem medo. Tem medo pois ela sabe que precisa dele. Mas tinha medo da compulsão. De querer ele sempre e sempre e para sempre. E amanhã e depois. E de dia, de tarde, de madrugada. Ashley também diz ela nunca encontraria alguém que amasse tanto quando eu amo. Acredito nela.

E eu fico tão cansado às vezes, e digo para mim mesmo que está errado, que não é assim, que não é este o tempo, que não é este o lugar, que não é está vida. Mas, então, me pergunto qual será. Mas sei que o amor não some só porque você declara que vai seguir em frente, requer mais do que isso.

Eu a amei desde o primeiro momento que a vi e, acredite, tenho certeza que amarei até meu último.

Embora eu não saiba se meu coração aguentará por muito mais tempo, tudo que eu quero é ver ela sorrir como sempre faz. Mesmo que no fim, não seja para mim.

Honestamente, eu só quero que ela seja feliz. Eu a amo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...