História Roses and Cigarettes - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Guns N' Roses
Tags Axl Rose, Duff Mckagan, Gnr, Guns N' Roses, Izzy Stradlin, Slash, Steven Adler
Visualizações 43
Palavras 3.119
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu deveria ter postado antes, mas devido o falecimento do meu pai e eu ter ficado sem internet nesses dias, estou atualizando somente agora. Eu espero que gostem, e relevem qualquer erro!

Boa leitura.

Capítulo 7 - Chapter VII - Baby party.


   

Beatrice já estava na quarta dose de vodka quando seu amigo - o barman - lhe encarou um tanto quanto surpreso e negou o próximo pedido desta. Ele não sabia qual a resistência da garota para bebidas, mas sabia que quatro doses eram bastante.

ㅡ Trice, acho melhor você parar.

ㅡ Acho melhor você encher esse copo logo, Zach.

  O rapaz suspirou, se dando por vencido e fazendo o que lhe foi pedido. A voz da ruiva não parecia afetada, o que era estranho.

ㅡ O que aconteceu? ㅡ Ele perguntou, ficando apoiado em seus antebraços enquanto encarava a amiga. ㅡ Coração partido?

  Lancaster negou, franzindo o cenho.

ㅡ Decepção, mas não é algo que me faça tomar um porre. Só preciso me distrair, eu estou tensa.

 Ele assentiu, indo atender outros clientes que se aproximavam do balcão. Beatrice pensou em levantar-se para ir embora, mas surpreendeu-se quando avistou o rapaz de madeixas avermelhadas em sua frente. Frusciante havia mesmo vindo para vê-la.

ㅡ Eu ia pedir para pagar uma bebida, mas vejo que já está bebendo. ㅡ Ele sorriu, aquele mesmo sorriso que lhe fez corar naquela manha.

ㅡ Você pode me pagar um café, seria melhor.

  Ele arqueou a sombrancelha de forma pensativa, sentando-se ao lado dela em um dos banquinhos.

ㅡ Então você aceita tomar um café comigo amanha?

ㅡ Por que não? ㅡ A garota o encarou, devolvendo o sorriso. ㅡ Aceito, sr. Frusciante.

  Ambos conseguiram manter uma boa conversa enquanto a música alta tocava, desta vez sendo Def Leppard, uma das bandas que Trice mais gostava. John era divertido, tinha bons assuntos e era interessante. Era definitivamente o tipo de cara que se encontra por acaso na rua. Beatrice havia até esquecido sua vontade de beber, apesar de que o ruivo agora enchia um copo e guiava até os lábios.

ㅡ Então você estuda arquitetura? Isso é muito legal, Trice.

ㅡ Acha mesmo? Eu gosto, é interessante.

ㅡ Você também é interessante. ㅡ John murmurou, notando que a garota havia ficado envergonhada. ㅡ É a garota mais interessante que eu já conheci, de verdade.

  Agora ambos estavam um tanto próximos, como se seus espaços fossem limitados e precisavam ficar perto um do outro. Não era ruím, principalmente porque o rockstar era realmente lindo e era ótimo observa-lo naquela distancia.

ㅡ Você deve falar isso para todas.

ㅡ Costuma funcionar. ㅡ Ele riu, sendo acompanhado pela ruiva. ㅡ Estou brincando. Eu falei sério, Trice.

  Ele estava tão perto. Beatrice podia sentir sua respiração suave bater contra seu rosto, fazendo com que ficassem ainda mais próximos até que seus lábios se roçassem. No entanto, antes que pudesse prosseguir, viu o guitarrista de cabelos negros passar por ambos, seguindo para o corredor onde daria nos banheiros. Izzy estava um pouco cambaleante, o que indicava que havia bebido mais do que deveria.

ㅡ Volto logo. ㅡ Beatrice falou, levantando-se.

  Pensou que o rapaz fosse ficar chateado, mas ele sorriu e assentiu, voltando a beber. A ruiva se infiltrou no meio da multidão e seguiu Stradlin, mas simplesmente o perdeu de vista. Contudo, logo sentiu um braço envolver sua cintura enquanto sua boca era coberta por uma mão. Tentou gritar, mas não o fez quando a respiração quente bateu contra seu pescoço. Não sabia como, mas tinha certeza que era ele.

ㅡ Mas que diabos você estava fazendo com aquele cara?!

  Ele livrou a boca da stripper, mas continuou mantendo esta próxima. Aquela fora a deixa para a mesma se afastar, ficando de frente para o moreno.

ㅡ Não é da sua conta!

ㅡ É claro que é da minha conta, você me chamou aqui, porra! ㅡ Izzy esbravejou, prensando a ruiva contra a parede próxima.

ㅡ Chamei você, mas parece que a Eleanor veio no pacote. ㅡ Um sorriso irônico apareceu na face da garota, que empurrou o guitarrista e afastou-se ainda mais. ㅡ O que nós temos, é só sexo, Izzy.

  E assim ela voltou a andar pelo corredor, mas parou assim que ouviu a voz levemente rouca de Jeffrey.

ㅡ Caralho, Beatrice. Então transa comigo. Eu quero você, agora.

  A ruiva parou, respirando fundo e virando-se novamente para o moreno. Ela queria aquilo, porque também precisava senti-lo, mas não sabia se era a hora certa ou o lugar certo. Bem, era uma boate de striptease e pessoas faziam aquele tipo de coisa ali, mas os dois amantes corriam grande perigo de serem pegos pela namorada do rapaz. Foda-se, fora a única coisa que ela pensou antes de ir até ele.

  Apenas deixou-se ser levada para o banheiro feminino, sentindo as mãos ágeis percorrerem seu corpo enquanto era beijada com certo desespero. Izzy a queria, e ele a teria ali mesmo naquele pequeno cubículo do banheiro feminino. A destra do guitarrista rapidamente subiu até os fios de cabelo ruivos, puxando esta com certa brutalidade no ato e arrancando um gemido de dor misturado ao prazer da garota. Aquilo só o incentivara a continuar. Ambos não pensavam nas consequências e muito menos no fato de que poderiam ser pegos juntos ali. Não pensou em nada enquanto invadia o interior alheio e deixava selares na epiderme clara da garota. Mas pensou no quanto adorava estar dentro dela, e em como ela gemia seu nome deliciosamente, agarrando seus fios negros de cabelo enquanto a outra mão arranhava suas costas.

ㅡ Por favor, não me provoque daquela forma novamente. ㅡ Ele murmurou de forma falha enquanto ambos se recuperavam do orgasmo de segundos antes.

  Ela não podia prometer, afinal, o que tinha com Izzy era somente sexo e ela tinha o direito de se envolver com outras pessoas.

ㅡ Preciso ir para casa.

  Ele assentiu, afastando-se dela para que ambos pudessem se vestir. Quando o fizeram, Beatrice saiu da cabine acompanhada do moreno, indo até o grande espelho para arrumar seus fios de cabelo.

ㅡ Eu posso te levar pra casa, vamos.

ㅡ Não precisa, Izzy.

ㅡ Para de ser teimosa, eu quero te levar, Trice. ㅡ Ele sorriu minimamente, fazendo a garota retribuir o ato de forma timida e assentir. ㅡ Ótimo.

-/-/-

Beatrice POV:

 Haviam se passado duas semanas desde o acontecido da boate. Eu não podia negar que continuar tendo aquela espécie de "caso" com Izzy era algo perigoso e que eu nunca imaginei que o faria na vida, mas nos davamos muito bem e acima disso, éramos amigos também. Nesta manha, estavamos em seu apartamento no centro de Los Angeles. Haviamos passado a noite ali e agora nos preparavamos para ir até a Hell House, afinal, hoje era a festa de Dylan. Axl havia me pedido pessoalmente para ajudar na organização, e como seria a tarde, eu já deveria estar lá começando com os preparativos.

ㅡ Izzy! ㅡ Chamei pelo rapaz, que ainda estava no banheiro terminando seu banho. ㅡ Está pronto?

  Sentei-me nos pés da cama, já vestida e devidamente arrumada para sairmos. Observei Stradlin sair do banheiro com os fios de cabelo escuro levemente molhados - o que o deixava mais sexy do que já era -, caminhando até mim e sentando-se atrás de meu corpo. Uma de suas mãos passou por minha cintura, enquanto a outra passou por cima de meu ombro em um abraço carinhoso. Éramos amantes, mas haviamos nos acostumado com tal carinho.

ㅡ Você está linda.

ㅡ Nós temos que ir...ㅡ Murmurei, sentindo seus beijinhos em meu pescoço. ㅡ Izzy Stradlin, nós precisamos ir!

  Ele riu baixinho contra meu ouvido, causando-me um leve arrepio. Logo nos levantamos e seguimos juntos para fora do apartamento do rapaz, indo até seu carro no estacionamento do edificio. Não haviamos comentado nada com os garotos sobre o que tinhamos, mas certamente sabiam e nunca contariam para Eleanor.

ㅡ Acha que terá muita gente? ㅡ Ele perguntou enquanto dirigia em direção à mansão, focando sua atenção na estrada movimentada.

ㅡ Acho que somente os mais próximos. Axl disse que Stephanie não convidou ninguém da família dela.

ㅡ Ela nem queria essa festa para o menino!

  Concordei, suspirando. Dylan era um bebê tão tranquilo, Seymour simplesmente tinha muita sorte por tê-lo e ainda assim continuava rancorosa e exalando arrogância.

ㅡ Izzy, não podemos chegar juntos.

ㅡ Por quê? ㅡ Ele perguntou, confuso, somente entendo o que eu queria dizer segundos depois. ㅡ Ah, Eleanor...

  Eu não entendia os sentimentos que Jeffrey tinha por Eleanor. Eu sabia que ele gostava da morena, mas então por que diabos tinha uma amante? Eu nunca havia perguntado, afinal, não era da minha conta. Só tinhamos aquilo por que a atração que sentiamos era maior do que podiamos controlar.

ㅡ Steven me contou que está tudo certo para a gravação dos novos álbuns. ㅡ Comentei, realmente feliz pela banda. Eles estavam ansiosos com a novidade.

  Izzy sorriu, concordando.

ㅡ Sim. Já escolhemos o estúdio e eu espero que as gravações comecem logo!

  Eu gostava de vê-lo daquela forma. Animado e ansioso para o novo trabalho do Guns N' Roses. Aqueles garotos haviam batalhado muito para chegar onde estavam, e mesmo que eu os conhecesse a apenas pouco mais de um mês, já os considerava muito. De qualquer forma, antes que eu pudesse falar mais sobre o assunto, já estavamos chegando. Resolvi sair do veículo um pouco antes, caminhando para dentro da propriedade. A famosa Hell House.

ㅡ Trice! ㅡ Beta exclamou ao me ver, abraçando-me apertado. ㅡ Essa casa está um caos!

  Apesar do aparente desespero, Beta sorria gentilmente.

ㅡ O que houve?

ㅡ Axl brigou com Stephanie. Ela foi embora e deixou o Dylan aqui, mas o ruivo simplesmente correu para o quarto e suponho que tenha quebrado muitas coisas. ㅡ Ela explicou em tom preocupado. ㅡ Zoey está cuidando do Dylan agora. Mandei Steven e Duff comprarem os ingredientes para a comida e Slash está tentando encher os balões lá na área de piscina.

ㅡ E a Phoebe?

  A mulher apontou para a cozinha.

ㅡ Ela não parou de comer desde que chegou, mas é comum aos três meses de gestação.

  Certo. Tudo estava um caos, e eu tinha que ajudar de alguma forma. Comecei a processar todas as informações, fechando meus olhos e respirando fundo. Fora então que a voz calma de Izzy soou, e isso me tranquilizou.

ㅡ Eu falo com o Will. Trice pode ajudar a Zoey com o menino e Beta, pelo amor de Deus, ajuda o Slash a encher aqueles balões porque ele já está morrendo e não tem nem três balões cheios. ㅡ Dito isto, Stradlin seguiu para a escada, subindo os degraus apressadamente.

  Demorei alguns segundos para seguir até Zoey, que estava na área da piscina observando Slash lutar com um balão enquanto segurava Dylan em seu colo. O menino soltava baixas risadinhas pela desgraça do guitarrista, e isso me fez sorrir.

ㅡ Zoey!

ㅡ Trice! ㅡ Ela sorriu, acenando. ㅡ Sente-se aqui para ver Saul pagando mico!

  O cabeludo resmungou, parecendo aliviado quando Beta apareceu para ajuda-lo. Apenas soltei uma baixa risada e sentei-me ao lado da morena.

ㅡ Ele é uma graça. ㅡ Sorri ao desviar meu olhar para o menino.

ㅡ Quer segura-lo?

  Assenti, pegando o menino no colo com total cuidado. Ele pareceu ter gostado de mim, mas muito mais do meu cabelo, pois começara a brincar com as madeixas ruivas em suas pequenas mãos gordinhas.

ㅡ Acho que ele gostou de você. ㅡ Zoey sorriu, acariciando a maçã avermelhada do rosto de Dylan.

  Logo Phoebe apareceu, carregando uma tigela com alguns pães de queijo. Eu realmente quis rir, pois minha amiga estava comendo mais do que o normal.

ㅡ Meninas, vocês acham que eu já estou ficando gorda?

ㅡ Eu acho! ㅡ Slash gritou do outro lado da piscina.

  A loira virou e o encarou mortalmente.

ㅡ Eu falei "meninas". Você é uma menina, cabeludo?

ㅡ Saulina Hudson, querida. Vamos ser melhores amigas e fazer trancinhas no cabelo! ㅡ O moreno brincou, arrancando risadas de todos ali.

  Phoebe sentou-se ao nosso lado, brincando brevemente com Dylan enquanto sorria.

ㅡ Você está ótima, e tenho certeza que vai ficar muito linda com aquela barriguinha. ㅡ Comentei, sorrindo para ela. ㅡ Aliás, acho melhor nos apressar-mos! Saulina, ande logo com estes balões!

  Slash riu, assentindo.

-/-/-

Izzy POV:

   Eu podia esperar tudo de Axl, e por isso não me surpreendi ao encontrar o quarto completamente bagunçado quando adentrei este. Haviam algumas coisas quebradas, a cama estava um caos e o ruivo jogado esta, esmurrando o travesseiro.

ㅡ Will...

ㅡ Vai embora, Jeffrey.

  Suspirei. Aquilo seria mais difícil do que eu pensei.

ㅡ Eu só quero conversar com você. ㅡ Proferi, caminhando até a cama e deitando-me ao lado dele. Tirei um cigarro do bolso e acendi este, o guiando até meus lábios e tragando uma vez. ㅡ O que aconteceu com a Stephanie?

ㅡ Apenas brigamos porque eu não contei à ela sobre essa festa. Sei lá, cara, ela é louca!

  Balancei minha cabeça positivamente, oferecendo meu cigarro à ele - que aceitou sem hesitar -.

ㅡ Eu sei que ela é complicada e você é impulsivo, mas hoje é um dia especial e você precisa estar lá com o Dylan.

ㅡ Tem razão...

  Finalmente sorri, desviando meu olhar para o meu amigo. Eu não sou convencido, longe disso, mas sei que sou uma das poucas pessoas que consegue fazer o ruivo mudar de idéia. Após nossa conversa, ele levantou-se e ambos seguimos para fora do quarto.

ㅡ Beatrice foi ajudar a Zoey com o Dylan.

ㅡ Ela chegou com você?

  Assenti, tentando esconder o sorriso ao lembrar da noite que haviamos passado juntos.

ㅡ Acho melhor nos apressarmos, Duff e Steven já devem estar voltando com a comida e eu aposto que a Beta vai chamar as meninas para ajudar na cozinha e nos deixar com a decoração. ㅡ Suspirei, ouvindo uma risada baixa vir do Rose.

-/-/-

Zoey POV:

  Beatrice levou Dylan para o quarto junto com Phoebe, já que precisavam arrumar o menino para sua festinha. Já eu, segui até meu namorado que ainda enchia balões e parecia cansado desta tarefa.

ㅡ Nunca pensei que fosse tão difícil fazer isso. ㅡ Ele resmungou, sentando-se na beirada da piscina.

ㅡ Calma, querido. Eu vou te ajudar!

  Enquanto eu pegava um dos balões - este sendo da cor azul -, me sentei ao seu lado. Porém, o moreno resolvera entrar na água, aproximando-se de mim e ficando entre minhas pernas.

ㅡ Não podemos deixar esses balões para depois?

ㅡ Depois é a festa, Saul. ㅡ Soltei uma baixa risada, depositando um beijinho em seus lábios. Passei meus braços por seus ombros e o encarei; sem evitar um sorriso. ㅡ Eu te amo...

  Ele sorriu, e mesmo que eu mal pudesse ver seu rosto no meio de tanto cabelo, eu sabia que ele estava feliz em ouvir aquilo.

ㅡ Eu também te amo, morena.

ㅡ Se você conseguir terminar de encher todos eles, eu vou te dar um prêmio mais tarde, hm?

ㅡTodos? ㅡ Ele fez uma expressão de dor, causando-me risadas. ㅡ Certo, eu farei isso.

-/-/-

Duff POV:

  Eu não sei de onde Beta tirou a idéia de que levar Steven ao mercado comigo era uma boa. Adler parecia uma criança e queria levar tudo o que via, acabando por encher o carrinho com besteiras que provavelmente ele iria querer dividir com Dylan, sendo que o menino sequer podia comer tantos doces. Steven era um louco, mas tinha um coração enorme e isso ninguém podia negar.

ㅡ Acho que já deu de bolachas, Stee. Dylan ainda não pode comer tudo isso!

ㅡ Ah, sério? ㅡ Ele fez uma expressão tristonha, mas logo sorriu. ㅡ Mas sua namorada pode, e do jeito que ela está comendo...

  Fui obrigado a concordar, acompanhando o loiro nas risadas. Phoebe andava comendo muito desde que ficou grávida, mas levavamos aquilo como um sinal de que nosso bebê estava saudável. Por fim, puxei Adler para terminar as compras e logo estavamos indo para casa, onde já estavam nos esperando e provavelmente começando a decorar a festa.

ㅡ E o presente? ㅡ Stee perguntou, fazendo-me parar o carro. ㅡ Esquecemos, droga.

  Praguejei mentalmente por ser um cabeça de vento, virando a volta e seguindo para o centro de Los Angeles, onde compraria o presente de Dylan. Phoebe havia me alertado sobre o que seria bom para ele, então eu tinha uma vaga idéia de algo. Steven acabou comprando uma bola duas vezes maior que o menino e algumas outras coisas que faziam barulhos engraçados e acendiam luzes chamativas. Ele certamente gostaria daquilo, pois até popcorn estava distraído.

ㅡ Eu não sei o que levar, me ajuda!

  Steven se aproximou, apontando para algumas coisas na lateral da loja. Havia um mini teclado azul com desenhos, este que tinha algumas luzes e parecia divertido. Como crianças adoravam fazer barulho, acabei por levar aquilo mesmo.

ㅡ Ele vai gostar, cara!

  Concordei com o loiro e logo ambos estavamos novamente seguindo para casa. Assim que chegamos, Steven me ajudou a levar as compras até a cozinha, onde Beta estava com as garotas e o pequeno Dylan. Cumprimentei todos e segui até Phoebe, abraçando-a por trás.

ㅡ Como você está, amor?

ㅡ Estou bem, querido. ㅡ A loira sorriu, virando seu rosto para selar meus lábios com os seus. ㅡ O que comprou para o Dylan?

ㅡ Algo bem legal! Stee disse que ele vai gostar.

  Ela arqueou as sombrancelhas, ainda com aquele sorriso bonito. Eu tinha uma sorte do caramba em ter aquela mulher comigo, mas assim que senti sua mão tocar a minha, parei para pensar em como tudo estava indo tão rápido. Eu conhecia Phoebe tinha mais de três meses, e não sabia se era comum apressar tanto as coisas daquela forma. Eu a amava, mas estava receoso.

ㅡ Duff, vai ficar tudo bem...ㅡ Ela murmurou, guiando sua destra até meu rosto. Talvez tenha notado minha insegurança. ㅡ Vamos conseguir.

-/-/-

   Após ajudar Beta na cozinha com algumas coisas, a ruiva seguiu para o jardim da imensa casa onde os garotos moravam. Sem muita pressa, sentou-se em um dos bancos, olhando para o céu azul enquanto pensava sobre sua vida. Era tudo tão complicado, mas era algo surpreendente. Agora sim parecia pertencer a uma família, muito diferente do que tinha em sua casa.

ㅡ O que está fazendo? ㅡ A voz conhecida soou, tirando a Lancaster de seus pensamentos.

  Izzy sentou-se ao lado dela, esperando por uma resposta.

ㅡ Apenas pensando.

ㅡ Em mim?

  Ambos riram e o rapaz deslizou sua mão até a dela que estava sobre o banco de granito claro. Aquilo a surpreendeu, mas tratou de disfarçar, abaixando levemente sua cabeça.

ㅡ Talvez...

  Antes que ele pudesse responder, ouviu a voz feminina se aproximando, consequentemente tendo que soltar a mão de Beatrice.

ㅡ Eleanor? ㅡ Proferiu, um pouco desconcertado. ㅡ Você... ah, esquece, você falou que iria vir.

  A morena concordou, mostrando um sorriso forçado para Beatrice e logo voltando sua atenção para o namorado novamente. Sequer ligou para a ruiva, o puxando para um beijo um tanto vulgar. Izzy tentou afasta-la, mas quando conseguiu, só teve a visão da Lancaster voltando para dentro da casa em passos rápidos. O moreno não queria admitir, mas sentiu-se tentado a ir atrás dela. De qualquer forma, sua namorada estava ali, e era ali que permaneceria. 


Notas Finais


Aiai, esse Izzy. E o Slash enchedor profissa de balões.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...