História Round 2 - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


E trago o último capítulo, obrigada a quem acompanhou até aqui e comentou, favoritou mesmo com meus atrasos.

Tenho um grande carinho por essa história, fico feliz por poder ter discutido sobre alguns tópicos e até confortado alguns coraçãozinhos com meu texto. Significa muito para mim.

Ah, essa foto é um print de uma postagem no stories da Joy. Geral tá com saudades da Wan :(, sei que tá doendo mas ela vai voltar. 💙

Capítulo 12 - (T2) 8. Nova perspectiva


Fanfic / Fanfiction Round 2 - Capítulo 12 - (T2) 8. Nova perspectiva

"– Eu quero. – Wendy corta as palavras da namorada. – Eu quero ir morar com você. – A boxeadora pode jurar que nunca deu um sorriso tão aberto quanto deu ao ouvir aquilo, Joy puxa a baixinha para um abraço apertado. E nada mais importava além de fazer feliz quem ela ama."

×××

E o pressentimento ruim de Wendy estava parcialmente certo, bom, ela não perdeu o contrato com a empresa mas a partir de agora assinaria suas composições com um pseudônimo e esperaria um tempo até fazer promoções cantando seus próprios singles. Joy ficou bem incomodada com a notícia pois também estava na geladeira, no seu caso – talvez – teria alguma luta no ano seguinte.


Se engana quem pensa que elas apenas veria o tempo passar para agir. Wendy não parava de compor e estudar música, Joy treinava e estava elaborando, juntamente com Seulgi, aulas de boxe para novos atletas. Além disso tudo existia a mudança para o novo apartamento. A boxeadora comprou o apartamento com o mobiliário montado o que poupou muito trabalho, mas ainda tinha diversos itens pessoais para levar.


– Preciso de um tempo. Minhas costas estão me matando. – Joy reclama depois de encher três caixas com roupas da namorada.


Wendy continua retirando as peças, dobrando e posicionando no canto da cama para depois empacotar. A baixinha nota um antigo companheiro no canto de seu armário. Joy levanta os olhos da tela do celular depois de ouvir sons de animação da outra.


– Eu tinha esquecido que ele estava aqui! – Ela exclamou abraçando um violão marrom. – Esse é o Bob, meu primeiro instrumento.


– Bob? – Joy repete num tom de interrogação. – Não tinha um nome melhor?


– O ganhei com 10 anos, ok? Não tinha tanta criatividade. – Wendy se defende, ela dedilha as cordas e faz uma expressão engraçada. – Ele está desafinado. – Logo a loira se senta na cama e começa a mexer nos reguladores ao final do braço do violão.


Depois de alguns minutos de muita concentração em afinar, pois Wendy usava sua audição para fazer o trabalho. Joy perde o interesse no aparelho eletrônico e fica observando a namorada com suas caras e bocas. Deus por que ela é tão fofa?! 


– Canta para mim? – Joy pede quando percebe o sorriso orgulhoso da pequena ao concluir o trabalho.


E sem que Wendy percebesse a boxeadora inicia uma gravação com seu celular. A melodia familiar começa a preencher o quarto com o dedilhar da loira nas cordas. Logo Wendy inicia o canto.


– L is for the way you look at me. – Joy sorri com a escolha da música. Um clássico. – O is for the only one i see. – A boxeadora não consegue reprimir a risada quando Wendy faz alguns movimentos exagerados a medida que canta a linha. – V is very, very extraordinary.


– M-meu deus. – A morena murmurou assim que seus ouvidos foram abençoados pela voz de Wendy.


– E is even more than anyone that you adore can… Love. – A loira finaliza piscando para Joy.


O vídeo é salvo e publicado nas postagens temporárias da rede social de Joy em questão de segundos com um coração azul como legenda. A morena caminha até a cama e deixa a tela do celular virada para baixo.


– Desde que te vi senti uma coisa diferente, que eu tinha que te conhecer. – Joy fala ganhando a atenção da mais velha. – Quando te ouvi cantar pela primeira vez percebi que eu tinha que ser sua.


– Essas suas declarações repentinas me deixam sem saber como reagir. – Wendy sente o colchão afundar quando a morena se senta na cama. 


– Que tal um beijo?


– Até dois se você quiser. – O violão é deixado no chão ao lado da cama.


O sorriso de Joy chama a atenção da namorada quando elas se separam do beijo. Era normal vê-la sorrindo, afinal esse traço marcante de sua personalidade tanto que deu origem ao seu apelido, mas o faro de Wendy apontava que tinha algo de estranho.


– Me diz o que você aprontou. – Wendy dispara.


– Eu não fiz nada demais e não posso sorrir para a minha linda namorada?


– Sooyoung. – A loira insiste usando seu tom acusatório. Mas Wendy perde a pose assim que a maior distribuí beijos em seu pescoço. Ela dá um tapa na bunda de Joy. – A gente tem que arrumar as caixas.



– Sim Wan, aquela atriz do drama que você me obrigou a assistir mês passado. – Joy reafirma enquanto tinha os olhos no semáforo. – Ela veio falar comigo quando a Seulgi unnie tava no banheiro, me chamou para sair depois de ter me elogiado muito.


– Eu sigo ela no Instagram. – Wendy assume ser fangirl da tal atriz, bom, não sabe mais se é. – Vou parar de seguir agora.


– Sério amor? – Joy se interrompe para fazer a curva. – Vai deixar de acompanhar o trabalho dela por ciúme?


– Vou ver aquele drama até o final. – A loira fala. – Mas não seguir uma mulher que deu em cima de você… Que estranho. – Wendy murmura quando vê notificações demais em sua conta.


– O que é estranho? – Joy questiona. 


– Estão comentando sobre um cover que fiz, sendo que eu não postei nenhum cover há uns três meses.


– Olha no meu storie. – A morena simplesmente fala e continua atenta ao trânsito.


– Eu sabia que você tinha aprontado! – Wendy exclama depois de ver o vídeo que Joy postou. – Encosta o carro.


A mais nova atende ao pedido de Wendy e para o carro no acostamento mais próximo. Joy queria mostrar a repercussão do cover quando elas chegassem no novo apartamento, lá elas teriam sossego para conversar, mas infelizmente o papo não pode ser adiado.


– Olha eu fiz isso porque as pessoas precisam saber do seu talento, veja quantos comentários positivos você recebeu.


– Isso pode me prejudicar na empresa.


– Empresa que nem quer te assumir como artista? – A morena olha para namorada.


– Ai Joy é tudo tão mais complicado. – Wendy suspirou depois de massagear a própria testa.


– Foi um cover, você cantou bem e está recebendo elogios. O que há de ruim nisso? 


– Eu não sei, mas… – A morena acaricia a lateral do rosto de Wendy.


– Deixa acontecer, ok? – Joy dá um selinho na namorada. – Confie em mim.


– Você é tão… argh. – Wendy não consegue descrever a mais nova. 


– Gostosa? Eu sei. – A boxeadora sorri de canto. Clássica Joy.


– Pega essa sua gostosura e dirige até o apartamento. – A loira ordena depois de revirar os olhos. Joy é impossível.



E os dias seguintes foram de muito trabalho apesar de Joy ter comprado grande parte do necessário para a casa, ela se esqueceu de quanto objeto pessoal as duas tinham. Foram bons 9 dias para sentirem-se satisfeitas com a organização e poder dizer adeus a imensa quantidade de caixas pelo apartamento.


A boxeadora ficou super feliz depois de ter montado um cantinho para Haetnim na varanda com obviamente telas de proteção para seu bichinho não cair daquela cobertura. A cadelinha tinha diversos brinquedos, duas casinhas mas preferia brincar com as sandálias e dormir no sofá. Wendy e Joy não conseguiam ficar bravas por muito tempo com aquela adorável coisinha peluda. Irene e Seulgi foram visitá-las depois da mudança, juntamente com Yeri que ficou a noite inteira agarrada com Haetnim. Irene queria era distância da cadela as outras adultas riam de chorar do pânico da mais velha até serem caladas por bons tapas, Seulgi como sempre levou a pior parte por estar mais perto da esposa.


Quando elas estavam no seu paraíso particular tudo era mais fácil, Joy não se arrependeu de ter comprado aquele apartamento pois com ele conseguiu o que mais queria: Um lar com Wendy. Podiam dormir com tranquilidade pois nem era necessário acordar mais cedo para irem para as respectivas casas, porque aquele já era o seu lar.


Depois da repercussão majoritariamente positiva do cover de Wendy, ela começou a postar mais coisas e sua popularidade como cantora estava crescendo. Claro que ainda existia ataques de ódio de alguns internautas devido à orientação sexual da mulher e de sua aparência, mas esses eram silenciados por denúncia de fãs e até processos quando as acusações eram graves.


Não demorou muito para ser divulgado o vídeo do passeio do casal no Rio Han, na realidade uma garota que pensou se tratar de pessoas aleatórias, por isso tinha gravado de longe a interação delas e descreveu como "Casal fofíssimo no Rio Han". Para quem tinha dúvida do relacionamento delas o vídeo serviu como prova.



"Nunca vi a Joy noona sorrir tanto 'o', ela realmente ama a namorada"


.


"Eu vou morrer de amores ;-; o beijo delas aaahhh nunca me senti tão solteira na vida"


.


"Que puta desperdício, eu traço as duas tranquilamente"


.


"De passeio ao invés de treinar. Veremos o resultado disso na próxima luta, SE alguém ainda aceitar lutar com essa lacradora"


.



Para Wendy surgiram convites para cantar em rádio, de artistas reconhecidos dando voz a suas composições. E com Joy as coisas gradualmente iam melhorando, a pequenos passos, mas acontecia. Um jovem lutador que Joy treinou em conjunto com Seulgi ganhou destaque numa competição de lutas entre crianças fato que fez elogio às mulheres depois de meses de pura crítica. Certo dia a boxeadora chegou radiante no apartamento e comemorou com Wendy depois de ter contado que foi marcado uma luta para ela. Algo que tinham expectativa de demorar no mínimo um ano aconteceu ao decorrer de seis meses.


E novamente Joy mergulha na rotina intensa de treinamento. Era extremamente cansativo, seus músculos doíam todo dia depois do treino, mas ela não podia estar mais feliz. Na verdade houve sim algo que deixou Joy mais contente do que estava: Wendy largou a empresa de entretenimento para assinar com outra que possuía fama de dar liberdade criativa aos seus artistas. Em apenas um mês nessa nova empresa anunciou seu primeiro show.



Wendy poderia jurar que teria um ataque cardíaco durante a luta da namorada. Foram 10 assaltos bem disputados, a outra lutadora não deu trégua. Depois de minutos torturantes dos juízes discutindo o apresentador anuncia a vencedora da luta e a torcida vai ao delírio gritando o nome de Joy. A boxeadora não conteve o choro, estava suada, sangrando e cansada. Joy trabalhou duro para estar ali. Ela finalmente estava de volta aos ringues.



Joy certamente adorava qualquer música de Wendy, ou melhor, qualquer música cantada pela baixinha. A empresa da última citada foi cautelosa ao buscar uma casa de show para a estreia da cantora com capacidade para mil pessoas, porém a procura foi bem maior que previam. Numa casa com lotação de máxima de três mil estava quase lotada. Era um ótimo início. 


Por segurança Joy assistiria o show da coxia. Os músicos da banda que tocavam ao vivo executavam suas funções com maestria, as primeiras fileira de fãs gritavam de forma tão empolgada que surpreendeu Wendy. Bom, ela sabia que tinha uma pequena base de fãs, mas não imaginou que eram tão apaixonados. Os noventa minutos de show foram bem preenchidos com músicas do primeiro mini-álbum de Wendy assim como alguma de suas composições que antes só foram ouvidas nas vozes de outros cantores. A morena corrigiu sua postura na cadeira ao ouvir a canção familiar:


We need to know more about each other

Let's confess to each other, I'm in love


Neste momento Wendy olha em sua direção e canta a seguinte linha "Oh girl come and light me up", trocando a letra original que fala sobre um garoto, as fãs mulheres gritam ainda mais alto que antes. A loira tenta conter o sorriso orgulhoso ao morder o lábio inferior, ela volta a olhar para platéia no decorrer da música. Joy ainda estava boquiaberta com o que acabou de acontecer, provou um pouco do próprio veneno que adora provocar a namorada quando estavam em público. 



...


– Excelente show, Wendy! Excelente! – O manager da cantora comemora. 


O homem atende a batida na porta do camarim, a loira consegue vê-lo, com a visão que tem do espelho, fazer reverência antes de sair. E então Joy adentra ao local.


– Oi meu amor. – Wendy sorrir ao escutar o cumprimento da morena, ela vira-se em sua direção.


– Hey baby, o que achou? – Joy segura a lateral da cintura da menor.


– Preciso mesmo dizer? Zero defeitos. – A boxeadora elogia. – Seus fãs também são barulhentos. – Wendy solta uma gargalhada devido o comentário.


– Né? Eu não esperava tudo aquilo. – Wendy fala. – Estou mais empolgada para continuar com meu trabalho depois disso.


– Lembra daquela minha ex-investidora perua?


– A que queria você namorando com aquele ator? – Wendy ainda sentia raiva daquela história mesmo depois de meses. A mais alta percebe e abraça o corpo alheio.


– Essa mesmo. A marca dela entrou em contato comigo me oferecendo um contrato quase milionário.


– Para quê?


– Ser a face da nova linha de roupa que supostamente apoia a causa LGBT .


– Mas ela quis terminar o seu contrato por causa do nosso namoro. – Wendy diz um tanto confusa com a incongruência.


– Exato. Por isso eu falei "supostamente", sei que tudo é para atrair dinheiro, eles não apoiam de verdade.


– Não preciso nem perguntar qual foi sua resposta. – Wendy sorri e acaricia a nuca da maior.


– Estamos tendo muita atenção da mídia. Comentários maldosos. – A morena fala.


– Ódio que não abala o nosso amor. – Wendy traz o rosto da namorada para mais perto e roça os narizes num contato carinhoso.


– Nem um pouquinho. – Joy completa sorrindo. – Durante Light Me Up você tinha que morder o lábio? – A morena interroga como se estivesse indignada.


– Gostou? – Wendy faz a pergunta retórica apenas para provocar mais.


– Gostar é pouco. – Joy inclina-se e beija a namorada. 


Os dedos de Wendy massageiam o couro cabeludo da maior ao se beijarem. Devido ao show a cantora mal teve tempo de ficar com Joy, saiu do apartamento cedo para trabalhar no estúdio depois a tarde foi para a passagem de som e ficou na casa de show até a noite. O beijo ganha intensidade quando Joy puxa o lábio inferior da loira, Wendy segura firmemente os fios de cabelo negro que se enroscaram em sua mão.


– Amor. – Wendy chama um pouco ofegante. – Podemos ir? Eu não quero ser interrompida. – Ela tinha noção de que pessoas da produção poderiam bater na porta do camarim a qualquer momento.


– Claro. Vamos para a nossa casa. – Joy responde com o peito cheio de orgulho. Elas têm um lar.


Alcançar um objetivo geralmente não é uma tarefa fácil. É essencial ter força para batalhar pelos seus sonhos, afinal se você não lutar quem fará seu trabalho? Mas isso não significa que tenha que encarar tudo sozinho, não há problema em fraquejar ou precisar da ajuda de alguém. E é fácil perceber que quando a vitória é compartilhada com quem você ama ela tem um gostinho especial.


Fim.


Notas Finais


Ora ora eu tbm escrevo finais felizes, tenho certeza que alguém leu com pé atrás esperando uma virada para algo ruim kkkkkk olha o trauma galera.

Wenjoy foi andar de bicicleta 👀👀
.

Qual foi sua parte/cena favorita da fic? Por favor me diga! Eu tenho muita curiosidade.

É tão bom clicar no botãozinho de "história terminada" AAAAHHHH esse é o meu momento.

.

Ei gatinhx, deixe um comentário e me diga o que achou da história, desse último capítulo, se vai sentir saudades.

Até qualquer hora! 💙💚


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...