História Roxo nunca é demais - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Lemon, Pantera Cor De Rosa, Yaoi
Visualizações 12
Palavras 461
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Bishounen, Comédia, Crossover, Ecchi, Fantasia, Ficção, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, LGBT, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Sobrenatural, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Necrofilia, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 9 - Bem vindos à Itália!


Art On

Chego na Itália, isso, NA ITÁLIA, e desço do avião, aliás Não tenho nenhum documento legal pra passar aqui que não seja o cartão da C&A, então só fico me escondendo pelos lugares até sair do aeroporto.

Saindo de lá entro numa vanzinha aleatória e fico lá, ai eu desço da van e chego numa cidade putaqueparivelmente grande e percebo que vim pra outro país e não reservei merda de hotel nenhuma,sem falar que não tenho dinheiro, não tenjo comida, não tenho vida, não tenho meu anjinho, não tenho merdar nenhuma,sento em um banco e fico pensando em como voltar pra casa. Agora eu quero saber, como eu arrumo comida? Será que eu vou morrer? Nah, eu não morro.

Falando em comida, eu tô com fome, falando em comida ×2, eu tô na Itália, o país das massas, ou seja, tem lasanha, macarrão, pizza e etc pra todo lado, e isso meio que me fode já que eu estou com fome, triste, sozinho, desolado, na seca, retardado, tendo minha vida constantemente ameaçada por um ser angelical, sem casa, sem lugar pra morar, sem motivo pra viver, e fazendo uma expressão de sofrimento puro e quando vou ver tem uma véia olhando pra mim.

-Olá, você tá com fome?

-Se for fazer propaganda já vou avisando que não tenho dinheiro. -Pronto, agora a galera das propaganda vão me encher mais o saco do que atendente da Tim.

-E quem disse que eu vou cobrar? Se precisar de comida minha casa é aquela ali.-ela aponta pra uma casa bem padrão, tipo aquelas de série.

-Senhora, isso é um sequestro?-pergunto olhando pra senhora na minha frente.

-Não.

-Ata então, VAMOS PRA SUA CASA!-Vou correndo até a casa com uma puta alegria no meu coração. 

-ESPERA AÍ, EU NÃO POSSO CORRER!-Ah é, esqueci que ela é velha...

Enfim, chegamos lá e ela faz uma assadeira de lasanha do tamanho da torre eiffel, da qual eu faço questão de comer tudo (não a torre eiffel, a lasanha[AVA]) e depois vou lá deitar no colo da Nonna, que deixou a mesa depois de perceber que eu ia comer aquela merda inteira e que ia demorar mais ou menos a idade dela pra mim acabar essa lasanha.

Quando eu deito no colo dela ela só diz uma palavra que fode minha vida inteira (2 semanas) e me destrói.

-Amém, terminou de comer.-Ouço a campainha tocando e vou lá atender.

-Oi, quem é..-Dou uma leve congelada ao olhar pra pessoa na porta.

-ART, QUEM É?!-Grita a Nonna lá da sala.

-É O ARCANJO MIGUEL, E VOCÊ? -Grita o Miguel me empurrando um pouco pro lado pra berrar.

-É OQUE? JÁ CHEGOU A MINHA HORA? EU MORRI?-Não. 

-Não mata a véia do coração, Miguel...

-E quem disse que é a senhora que eu vim levar, Art?-engulo a seco.

-Levar no bom sentido ou no mal sentido?


Notas Finais


Aparentemente nosso gatinho preferido depois do Zippo cat morreu...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...