História Royal Daddies - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Sehun, Xiumin
Tags 3some, Abo, Alfa!chanyeol, Alfa!sehun, Chanhun, Chanhunlay, Chanhunxing, Chanhunxing!papais, Chanlay, Chanlayhun, Chanxing, Fluffy, Hunlay, Layhunyeol, Ômega!lay, Omega!yixing, Parents!chanhunxing, Realeza, Royal!au, Selay, Sexing, Sexingyeol, Short Fic
Visualizações 994
Palavras 1.799
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Ecchi, Famí­lia, Fluffy, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oie! Nem acredito que acabei fazendo uma segunda temporada para Royal Wedding, mas aqui está ela <3 será uma short fic, bem curtinha assim como os capítulos :')
Espero que gostem, desculpem por algum erro ortográfico
Boa leitura!

Capítulo 1 - Sleeping Beauty.


Capítulo 1 ― Sleeping Beauty.

― Estou louco para ver seu rostinho, minha querida. ― Yixing sorria bobo enquanto acariciava sua barriga já bastante avantajada. ― Imagino se poderá parecer como o Sehun ou com o Chan...

Ele parou de falar ao sentir uma movimentação sobre sua barriga, sentia os chutes da filha e sorriu largo com aquilo. Aos quase nove meses de gestação, aquilo era o que o ômega mais vinha sentindo.

― Venha logo, meu amorzinho... ― O Zhang suspirou ansioso. ― Nós já estamos esperando você. 

― Paipai! Paipai! ― O chinês acabou despertando ao ouvir a filha lhe chamando inúmeras vezes. 

― O que foi, minha querida? ― Yixing perguntou confuso e pegou a garotinha no colo. 

― Papai, ele ‘tava dormindo. ― LuHei encarou o alfa que apenas observava aquela cena em silêncio. 

― Eu vi... ― Chanyeol suspirou sem tirar o sorriso que havia em seu rosto. ― Fazia tempo que eu não flagrava você dormindo no escritório, você passou a pegar no sono sempre no quarto da Lu. 

― É verdade. ― Yixing murmurou um pouco distraído enquanto arrumava a blusa que a filha usava. 

― Você está bem, príncipe? ― O Park se aproximou e apoiou suas mãos sobre a mesa. 

― Estou sim, só estou com sono. ― O ômega disse e acabou bocejando. ― Muito sono.

― Paipai parece a Bela Adormecida. ― LuHei brincou e eles acabaram rindo. ― Dormindo e dormindo por todos os cantinhos. 

― Como assim, princesinha? ― O ruivo encarou o marido, antes de voltar seus olhos para a filha. ― O que a senhorita está sabendo que eu não sei?

― Opa... ― A pequena colocou as mãos sobre a boca e encarou o pai chinês. 

― Eu só estou dormindo mais que o normal e pegando no sono rápido demais. ― Yixing sorriu fraco. 

― No sofá, aqui, na cozinha, na minha cama... 

― Lu! ― Yixing a repreendeu baixinho e a filha voltou a colocar as mãos sobre a boca. 

― Parece que o paipai está se tornando a Bela Adormecida. ― Chanyeol cruzou seus braços. ― Querida, pode ir ver se o tio Baek já terminou de preparar os biscoitos? 

― Sim, papai. ― LuHei prontamente assentiu, desceu do colo do pai chinês após dar um beijo em uma de suas bochechas e após fazer o mesmo com o outro pai, não demorou para que ela deixasse o escritório. 

― Desde quando você tem estado tão sonolento assim, huh? ― O ruivo se aproximou do marido e após ficar ao seu lado, apoiou o corpo contra a mesa. 

― Não sei, Channie... ― Yixing suspirou. ― Eu quero dormir a maior parte do tempo, e quando acordo... Ainda continuo me sentindo cansado. 

― Não acha melhor ir ao médico e ver isso? 

― Provavelmente estou me cansando assim por alguma coisa, só preciso descobrir o que é... Não é necessário uma ida ao médico, eu estou bem e não me olhe assim. ― Yixing acabou revirando os olhos. 

― Eu estou lhe olhando assim, justamente por já estar preocupado com você. ― O coreano levou uma de suas mãos até o rosto do outro. ― Você está com sono, parece abatido hoje. 

― Eu só preciso dormir mais um pouco, talvez eu vá descansar no quarto. ― Yixing se levantou. 

― Você não tem uma reunião hoje com assessores e ainda levar a Lu para a escola? ― Chanyeol relembrou e o chinês lhe abraçou, escondendo o rosto em seu peito e fazendo ele rir. ― Eu posso levar a princesinha para a escola, sem problemas.

― Não, faz tempo que eu não a levo para a escola e o Fan irá comigo... Eu irei estar seguro. ― Yixing murmurou e esfregou seu rosto contra o peito do outro. ― É só que... Seria mais interessante se eu ficasse aqui dormindo com você.

― Quanta preguiça, huh? ― Chanyeol apoiou suas mãos sobre a cintura do menor. 

― Bastante e eu ainda não sei o motivo. 

― Não se preocupe, tenho certeza de que logo você irá descobrir. ― O ruivo depositou um beijinho em sua testa. 

Os dois iriam curtir mais daquele momento juntinhos, porém se separaram quando a porta do escritório foi aberta. 

― Paipai! Os biscoitos que o tio Baek fez estão prontos e eu posso levar alguns para a escola, ele deixou! ― LuHei segurava dois biscoitinhos com cuidado. ― Trouxe um para o senhor e um para o papai!

― Obrigado, princesinha. ― Chanyeol se aproximou da filha e depositou um beijinho na testa dela, antes de pegar um dos biscoitos. ― São seus preferidos, huh? ― Observou as gotinhas de chocolate antes de experimentar. 

― Aqui, paipai. ― LuHei se aproximou do outro pai. 

― Querida... ― Yixing murmurou, começando a se sentir enjoado com o aroma do biscoito. ― Entregue esse para o seu pai, huh? O paipai ainda não almoçou e é bom deixar os biscoitos para depois como sendo minha sobremesa. ― Ele acariciou o cabelo da filha enquanto se afastava. 

O Park franziu o cenho ao ver o chinês rapidamente se afastar, porém não o seguiu... 

― O paipai está bem? ― LuHei perguntou preocupada. ― Ele gosta dos biscoitos do tio Baek, não é?

― Claro que sim, amorzinho, ele irá come-los depois. ― Chanyeol sorriu fraco. ― E esse aqui... ― Ele pegou o biscoito que a filha segurava. ― Será meu e não do seu pai. 

― Não, papai! ― A garotinha riu alto enquanto o pai saia correndo e ela tentava lhe alcançar. 

. . . 

O chinês suspirou enquanto terminava de lavar seu rosto após escovar os dentes. Havia colocado todo seu café da manhã para fora e ainda sentia-se enjoado. 

Fazia tempo que ele não passava mal daquela forma, estava livre desde a gravidez de LuHei e não entendia o motivo que havia voltado a ficar com os enjoos. 

― Xing? ― Ele se assustou fracamente quando ouviu toques sobre a porta do banheiro. ― Está tudo bem?

― Sim, Sehunnie. ― Yixing abriu a porta e tentou sorrir. ― Eu estou ótimo!

― Chan havia dito que você parecia abatido, porém você também parece pálido. ― Sehun disse preocupado e levou o marido até a cama, o sentando com cuidado. ― Está mesmo tudo bem?

― Claro, só estou com muito sono. ― Yixing não contou sobre ter passado mal e observou o outro sentar ao seu lado. ― E eu juro que está tudo bem sim, não precisa se preocupar comigo. ― Ele tentou se levantar, porém o marido lhe puxou para que sentasse em seu colo. 

― Não preciso me preocupar com você?! É isso mesmo que eu estou ouvindo um dos meus maridos dizer? ― Sehun deu um selinho no menor. ― Sabe que não adianta me dizer essas coisas, sempre vou me preocupar com você.

― Eu sei, Sehunnie. ― Yixing disse um pouco envergonhado. ― Mas, está tudo bem. 

― Não quer que eu leve a LuHei para a escola?

― Eu posso leva-la, está tudo bem. ― Não demorou para que o Zhang lhe respondesse. 

― Você precisa se cuidar, huh? ― O Oh acariciou seu rosto antes de beijar o marido mais uma vez. 

― Eu vou me cuidar. ― Yixing murmurava enquanto ainda trocavam selinhos. 

Ambos já iam iniciar um beijo mais intenso quando a porta do cômodo foi aberta e eles se afastaram.

― Eu vou me atrasar para a escolinha, paipai! ― A ômega entrou no quarto tapando seus olhinhos com uma das mãos. ― Posso ver?

― Claro, meu amorzinho. ― Sehun riu fraco enquanto o marido escondia o rosto contra seu pescoço, para esconder a vergonha que estava sentindo. 

Depois que acabou flagrando os pais aos beijos após não conseguir dormir, a garotinha sempre entrava no quarto dos pais com os olhos cobertos com medo de flagrar alguma coisa que não devia ver. 

― Já está no horário de você ir para a escola? ― Yixing se levantou, se afastando do colo do alfa. 

― Sim, o papai Chan ainda tem que arrumar o meu cabelo e o senhor tem que almoçar. ― Ela segurou uma das mãos do pai chinês. 

― A senhorita comeu todos os biscoitos? ― Yixing pegou a filha no colo. 

― Não, não! ― LuHei balançou a cabeça negativamente. ― Pai! Tem biscoitinho para o senhor também! ― Ela encarou Sehun antes de saírem do quarto. 

          ― Vou esperar você voltar para comermos juntos, querida. ― O Oh se aproximou. ― Podemos comer enquanto o papai Chan conta uma história para você quando for dormir.

― Ótima ideia, pai. ― A garotinha sorriu animada. 

― Tenha uma boa aula, minha linda. ― Sehun depositou um beijinho numa das bochechas dela. ― E você, se cuide. ― Também beijou uma das bochechas do marido e lhe deu um selinho. 

― Eca! ― Eles riram ao ouvirem a filha dizer aquilo.

. . . 

― Divida os biscoitos com seus amigos, huh? Mas, só faça isso na hora do lanche. ― Yixing dizia para a filha enquanto a mesma observava a rua pela janela do veículo. 

― Sim, paipai. ― LuHei assentia, prestando atenção no que ele dizia.

O Zhang acariciou o cabelo da garotinha com cuidado, para não desmanchar o penteado que Chanyeol havia feito nela. 

Se perguntou por um momento... Como o tempo podia passar tão rápido? LuHei já era uma mocinha, estava quase completando quatro anos e havia começado a ir para a escolinha naquele mesmo ano. 

Tudo estava passando rápido demais... 

Já fazia anos também que Luhan tinha falecido, tanto tempo que não via mais seu irmão e nem tinha a chance de lhe abraçar mais uma vez. Imaginava como poderia ser a relação de Luhan com a sobrinha e se ele também iria lhe mimar muito durante a gravidez dela. 

Tinha certeza que sim.

Yixing franziu o cenho ao sentir seus olhos começando a marejar e disfarçadamente tentou limpar qualquer resquício possível de lágrimas. Ele não chorava mais ao lembrar de seu irmão, não entendia por qual motivo havia sentido vontade de chorar naquele momento. 

― Chegamos. ― Yifan disse ao estacionar próximo a escolinha e encarou o rei. ― Está tudo bem, alteza?

― Sim... ― Yixing murmurou e retirou seu cinto de segurança. ― Só estou com sono, nada demais. ― Tratou de disfarçar. 

            ― Paipai, o senhor vai virar a Bela Adormecida. ― A ômega riu baixinho. 

― Ainda bem que eu tenho dois príncipes para me acordarem. ― O Zhang brincou. ― Vamos, minha querida? 

― Vamos, paipai! ― LuHei disse animada, fazendo ele sorrir. 

A vontade de chorar que havia sentido quase segundos antes, já havia passado completamente. 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...