1. Spirit Fanfics >
  2. Royal Duties >
  3. Capítulo 11

História Royal Duties - Capítulo 11


Escrita por:


Notas do Autor


Gente desculpa a demora é que eu estou sem meu notebook e é horrível escrever pelo celular sério

Capítulo 11 - Capítulo 11


Você faz eu me sentir especial 

Não importa se o mundo me coloque para baixo 

Mesmo quando palavras dolorosas me atingem como facadas 

Eu sorrio porque você está lá

 É isso o que você faz

 Feel Special- TWICE



 Era noite em Daegu quando os governantes e seus conselheiros deixaram a sala de reuniões, ambos exaustos, haviam entrado na sala para começar a decidir o que fazer sobre a ameaça de guerra e o príncipe que estava abrigado em seu castelo, foram muitas ideias e muitas opções para a resolução do assunto mas a maioria fora descartada, Seungkwan e Hansol também estavam presentes, no início somente a presença do Boo fora solicitada porém o Chwe se recusava a deixa-lo sozinho, sabia como falar sobre seu pai e seu reino lhe doía. 

Eram 19:00 horas quando todos deixaram o lugar, os príncipes foram direto para o quarto do mais novo enquanto os governantes foram para seus respectivos quartos. 

 Wonwoo e Mingyu estavam no quarto do mais velho deitados na cama enquanto trocavam algumas carícias, os dois haviam passado a tarde toda separados já que o maior foi arrastado para uma ronda de rotina pelo reino, queriam aproveitar esse tempo juntos.

 Estava tudo calmo até a porta ser escancarado por um Heechul saltitante que logo congelou ao ver os dois corpos deitados na cama. 

 - Então ele é o guarda gostosão!- Falou alto apontando para Mingyu, que agora estava sentado assim como Wonwoo e o encarava confuso.

 - Yah, Heechul quando você vai aprender a bater na porta?- O Jeon indagou cruzando os braços.- E eu já falei pra não chamar ele assim.

 Mingyu que encarava os dois confuso se assustou com o sorriso que o mais velho dali lançava para si enquanto se aproximava da cama se sentando na ponta. 

 - Então você é o cara que conseguiu domar o coraçãozinho do Nonu, é um prazer conhece-lo sou Kim Heechul padrinho desse projeto de emo ai e também conselheiro real de Busan, você é?- O homem disse rápido esticando a mão e cumprimentando o Kim que seguia meio atônito a toda a situação. 

- E-eu sou Kim Mingyu, é um prazer conhece-lo hyung.- Falou tímido. 

 - O prazer é meu garoto, olha eu não sei se aquele lerdo do Junhui já disse isso, mas caso não tenha dito eu digo.- Ele deu uma pausa olhando nos olhos de Mingyu.- Se você machucar o Wonwoo eu te castro Ok?- Falou ameaçador e Wonwoo se levantou da cama em um pulo.

 - Ok, deu né, boa noite Heechul dorme com os anjos e tchau tchau.- Disse empurrando o mais velho para fora do carro enquanto esse ria de suas bochechas coradas.- Desculpa por isso.- Disse voltando a se sentar ao lado de Mingyu.

 - Tudo bem, ele parecia ser legal, mas já é a segunda vez que alguém me fala uma coisa dessas por que ele e o Jun acham que eu faria algo para te machucar?- Perguntou com um bico nos lábios. 

 - É mal de família, não liga.- Wonwoo disse selando seus lábios.- Mingyu eu estava pensando... e-eu queria contar pros meus pais sobre nós, o-o que você acha?- Perguntou meio incerto. 

 Mingyu o encarou com surpresa no olhar, não esperava que Wonwoo quisesse apresenta-lo aos pais, uma parte de si ainda acreditava que o Jeon poderia ter algum tipo de vergonha de estar consigo, um sorriso sincero surgiu em sua face enquanto abraçava o mais velho os deitando na cama de novo. 

 - Eu acho ótimo hyung.- O abraçou mais forte até que um pensamento o atingiu.- M-mas e se eles não gostarem de mim?- Perguntou e Wonwoo o encarou. 

 - É claro que eles vão gostar de você.- Falou acariciando o rosto do mais alto.- É meio impossível não gostar.- Sorriu vendo um sorriso surgir no rosto do outro.- Posso te contar uma história? 

 - Sim.- Mingyu disse se virando fazendo os dois ficarem face a face.

 - Bem quando eu era pequeno eu não morava em um castelo, na verdade eu morava em um orfanato, eu não lembro muito dessa parte da minha vida, eu só sei que aos meus três anos eu fui adotado, meu pai Mark tinha sofrido um aborto espontâneo e perdido o bebê que ele esperava, ele também quase morreu por causa disso, mas era o sonho dele e do Jackson também ter um filho, ai eles foram em um orfanato e me adotaram, eles podiam tentar de novo mas ficaram com medo de por a vida de Mark em risco mais uma vez, eu sou muito feliz com eles, sempre me trataram bem e foram os meus maiores exemplos, eles sempre dizem que a minha felicidade é a deles, você me faz feliz Mingyu, por mais que nós nos conheçamos a pouco tempo eu sinto como se fosse a vida toda, você me faz muito bem e eu sei que eles vão gostar de você só por isso.- O Jeon falou deixando um carinho na bochecha do maior.

 - Eu acho lindo eles terem te adotado, eu acho a adoção em geral algo lindo, eu também tenho um irmão que é meio que adotado, os pais dele eram amigos dos meus pais, eles vieram de um país no ocidente mas sofreram um acidente e vieram a falecer, o filho deles era pouca coisa mais velho que eu então meus pais resolveram acolhe-lo.- Mingyu contou. 

 Os dois conversaram muito aquela noite e ficaram aos beijos até o mais alto ter que ir embora para sua casa, Wonwoo queria pedi-lo para que ficasse porém achou melhor que ele fosse já que tinham um Heechul espreitando pelos corredores e conhecendo bem a peça Wonwoo achou melhor evitar "aquela conversa", que ele sabe que o mais velho não teria a menor vergonha de ter. 



 Um pouco distante de onde Wonwoo dormia, para ser mais exata do outro lado do castelo Seungkwan encarava seu reflexo no espelho grande do quarto do namorado enquanto esse estava no banho, passou as mãos pelos cabelos loiros, pelas bochechas salientes enquanto descia por seu corpo, lembrava das vezes que seu pai já lhe proibiu de comer várias coisas escondido de sua mãe alegando que estava gordo de mais, olhava seu corpo tentando se convencer de que aquilo tudo que sempre lhe foi dito estava errado mas era difícil, ouviu a porta do banheiro ser aberta e viu Hansol sair de lá trajando apenas uma calça de moletom enquanto secava os cabelos cinzas com uma toalha.

 O Chwe vendo a expressão caidinha do Boo a frente ao espelho caminhou até si o abraçando por trás, a expressão tristonha não condizia com a face sempre alegre do menino.

 - O que aconteceu meu Boo?- Perguntou beijando-lhe a bochecha.

 - Vernon, por que?- Perguntou olhando o rosto do amante pelo reflexo do espelho.- Por que eu?

 - Como assim Kwannie?- O virou de frente para si encarando os olhos tristinhos.

 - Tem tantas pessoas mais bonitas e menos complicadas por ai, por que logo eu?- Perguntou tirando uma risada do Chwe. 

Vernon tinha um sorriso no rosto enquanto acariciava a bochecha do menor, logo lhe dando um beijo na testa o vendo ficar confuso.

 - Boo Seungkwa, a resposta para sua pergunta é: Não sei!- Exclamou sorrindo vendo a face de Seungkwan cada vez mais confusa.- Eu não sei por que não fui eu que te escolhi, foi meu coração, eu não sei o que me levou a querer te ajudar naquela floresta, ou o que me levou a pensar cada vez mais no seu sorriso ou no seu jeitinho fofo de ser, Seungkwan eu te amo, eu te amo do jeitinho que você é, e é por isso que eu não vou sair do seu lado nunca, pode vir a guerra que for, eu vou sempre estar aqui pra você.- Finalizou vendo uma lágrima descer pela bochecha do mais velho que agora sorria. 

 Seungkwan nem se importou em limpa-la, se jogou nos braços do outro lhe beijando com todo amor possível, Hansol abraçou a cintura do Boo o trazendo mais para perto enquanto os dois aprofundavam o ósculo cheio de sentimentos, as línguas se enrolando enquanto suas mãos acariciavam o corpo alheio. 

 Vernon deixou uma mordida no lábio inferior do mais baixo enquanto suas mãos apertavam mais a cintura alheia, Seungkwan suspirou enquanto deixava um carinho nos fios do mais alto, esse que desceu as mãos por suas pernas fartas dando-lhe impulso para que as enrolasse em sua cintura, Vernon caminhou com o outro em seu colo até a cama o deitando lá, os beijos não pararam quando o mais novo se posicionou entre as pernas do mais velho, Seungkwan suspirou ao sentir a cintura alheia fazer pressão contra a sua, os lábios se separaram por um momento enquanto o Chwe descia os lábios para o pescoço imaculado do Boo. 

 Seunkwan suspirou sentindo os beijos e chupões que eram deixados por sua pele, as mãos de Hansol apertavam a bunda do Boo enquanto sua boca brincava descendo pelo pescoço e clavícula do mais velho, subiu suas mãos pela parte de dentro da blusa do mais velho arranhando a pele amorenada e levando o tecido para fora do corpo abaixo de si, depois de retirar a camisa e joga-la para algum canto do quarto Hansol o encarou se deparando com as bochechas coradas e seus lábios mal tratados por seus beijos e mordidas. 

 - Você tem certeza?- Perguntou encarando os olhos do garoto abaixo de si, ambos emanavam desejo.  O Boo assentiu freneticamente e logo puxou o garoto acima de si para outro beijo, não demorou a inverter as posições se sentando no colo do americano enquanto descia seus lábios pela pele alva de seu pescoço, se mexia levemente causando uma fricção com os membros já despertos que mesmo cobertos estavam levando o Chwe a loucura. 

Vernon os virou de novo na cama, dessa vez descendo seus beijos por todo o tronco do Boo, dando uma atenção especial aos mamilos que já estavam eriçados, desceu até que chegasse na barra da calça de moletom que esse vestia, o encarando em um pedido mudo de permissão para retira-lo, pedido esse que teve como resposta um suspiro sôfrego vindo do mais velho, a peça de roupa logo foi parar no chão juntamente com a cueca box que o mesmo vestia, Seungkwan sentiu as bochechas ficarem ainda mais vermelhas, era a primeira vez que ficava exposto dessa maneira para alguém, Hansol notando o constrangimento do mais velho lhe beijou docemente passando confiança para o mesmo. 

 Seungkwan em um momento de coragem os virou novamente na cama ficando pro cima e logo retirando a calça de moletom do outro descobrindo que aquela era a única vestimenta que o mesmo usava, sorriu tímido ao descer sua face até estar frente a frente com o membro já desperto, não tardou em deixar um beijo casto sobre a glande inchada que pedia por atenção e passar a língua por todo o cumprimento arrancando um gemido baixo do mais novo, gemido esse que foi o impulso para que o Boo  abrisse a boca logo abrigando o membro alheio em sua cavidade, subia e descia tentando não se engasgar e passava a língua por toda a extensão, os gemidos e suspiros do outro eram como o seu combustível, novamente tirou o falo da bocha deixando um chupão na glande arrancando um gemido um pouco mais alto do Chwe que logo o puxou para cima os virando na cama. 

- Você está tentando me provocar Boo?- A voz do mais novo soou extremamente sexy quando ele sussurrou no ouvido do outro logo deixando um chupão abaixo da região e descendo seus beijos pelo corpo alheio. 

 Suas mãos apertavam a pele alva das coxas de Seugkwan enquanto sua boca deixava beijos na região do baixo ventre do mesmo, suas mãos subiram um pouco acariciando o membro que já expelia pré gozo enquanto descia sua face até a entrada rosadinha do mais velho, beijou a região e quando ouviu um gemido arrastado do outro teve sua permissão para logo adentrar com a língua naquele buraquinho apertado. 

Seungkwan gemia segurando nos cabelos do outro, nunca havia sentido nada comparado a isso em sua vida, logo Vernon abandonou o local voltando a ficar frente a frente com o Boo lhe tomando os lábios em outro beijo, sentiu o mesmo elevar um pouco o corpo abaixo de si causando uma fricção entre os membros que fizera ambos gemerem juntos. 

 - Eu quero você Vernonnie.- Disse manhoso e o Chwe atendeu o pedido, se posicionou na entrada do mesmo vendo o buraquinho se contrair e beijou seus lábios enquanto o penetrava lentamente. 

 Os dois gemeram em êxtase com o contato, Seungkwan sentia seu interior queimar e agradecia mentalmente pelo mais novo esperar para se mexer. 

 Vernon notando o desconforto do parceiro beijou-lhe toda a face enquanto descia sua mão para entre os corpos e deixava uma massagem no membro alheio. 

Logo as estocadas começaram, de vagar para que Seungkwan se acostumasse mas logo aumentaram enquanto esse pedia por mais.

 Os dois estavam soados e no quarto só se eram possíveis de escutar os sons dos gemidos, dos corpos se chocando e dos ofegos que soltavam, Hansol tomou os lábios do mais velho mais uma vez assim abafando alguns gemidos enquanto entrelaçava suas mãos acima da cabeça do Boo, não demorou muito para que ambos atingissem o orgasmo, o corpo do mais novo pendeu sem forças em cima do Boo que lhe abraçou forte deixando selares em seu pescoço já marcado.

 Vernon logo se deitou ao lado de Seungkwan na cama lhe puxando para seus braços deixando um carinho em suas costas. 

-  Eu te amo meu Boo.- Susurrou em seu ouvido vendo esse mesmo sorrir mesmo que já estivesse entregado ao sono. 



 Wonwoo constatou que eram 05:00 da manhã quando foi despertado por barulhos altos ecoando no lado de fora de seu quarto, haviam passos altos como se várias pessoas estivessem correndo e uma gritaria estranha. 

Se levantou da cama colocando seus óculos e saiu do quarto não se importando em estar de pijama.

 Assim que abriu a porta viu uma confusão de guardas  correndo por todos os lados enquanto gritavam uns com os outros, seguiu andando pelo corredor no meio daquela confusão esbarrando hora ou outra em alguns enquanto procurava uma face conhecida para saber o que estava acontecendo. 

 Depois de um tempo viu Junhui vindo rápido em sua direção com uma cara nada boa e se assustou quando o mais velho parou a sua frente lhe puxando para um lugar que não conhecia. 

 - Hey, Jun espera o que esta acontecendo?- Perguntou tentando acompanhar o ritmo do outro. 

 - Estão atacando a vila.- Disse rápido.- O rei de Jeju está começando a agir Wonwoo.  


Notas Finais


ETA porra


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...