1. Spirit Fanfics >
  2. Royal Feelings (Jikook - ABO) >
  3. Capítulo 19

História Royal Feelings (Jikook - ABO) - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


Alerta
.
Nova atualização confirmada.
.
PS. É verdade esse bilete.
.
Boa leitura amores.

Capítulo 19 - Capítulo 19


Fanfic / Fanfiction Royal Feelings (Jikook - ABO) - Capítulo 19 - Capítulo 19

Quatro semanas após o casamento, residência Kim – 09:45 da manhã

Autora on

Cinco dias após o casamento real um problema grave de segurança pôs fim a lua de mel dos ômegas. Os Hurks condenados à prisão em Hersir conseguiram fugir após uma queda inesperada de energia. Graças aos deuses ninguém se feriu, mas as patrulhas de fronteira foram intensificadas e os bancos colhiam antecipadamente os impostos para auxiliar o exército com armas e demais suprimentos. Todos temiam uma possível guerra por isso vários reinos fortificaram suas fronteiras e recrutaram mais homens, muitos deles jovens ainda em treinamento, para a defesa de seus cidadãos. A tensão era palpável principalmente em Hersir, o reino precisava relaxar, precisava de uma distração, então a rainha propôs um amistoso entre os reinos com um campeonato não oficial do esporte mais famoso de todos os sete reinos: o Polo.

Solavenir, Varzi, Tresko, Blustorm, ChangDu e High Grass foram convidados a mandar seu melhor jogador para participa do campeonato. Todos os jogadores estarão no reino amanhã pela manhã, mas enquanto isso a tensão continua a assustar o povo, pelo menos de Hersir, já que os ômegas de High infelizmente já estavam acostumados com toda essa situação. Não era nenhuma novidade para eles ficar em alerta ou ver o povo com medo de ir as ruas, eles sabiam que isso não era tão urgente, os Hurks apenas fugiram eles não estavam sobre ataque ou nada do tipo. Mas respeitavam a situação e permaneciam em segurança em suas casas até não aguentarem mais. Taehyung foi o primeiro a surtar e chamar todos os seus amigos para sua casa.

Mensagens on

Todo mundo na minha casa eu preciso ver gente. Tragam comida.

Jiminie

Já chego.

Jisoo

Vou só trocar de roupa.

Safajin

Tem comida na tua casa não, morto de fome?

Comida e água acabaram a quatro dias, minha sanidade acabará em alguns minutos kkk trás Danone e rufles, te amo.

Mensagens off

Dez minutos depois todos os três ômegas chegaram à casa de Taehyung com pacotes cheios de guloseimas. Foram recebidos por um dos empregados e levados até o jardim onde o dono da casa estava deitado sob uma árvore com seus braços abertos e a cabeça recostada sobre um pedaço de madeira suficientemente grande para acomodá-lo. Ao ver aquela cena um tanto inusitada de seu irmão, que sempre se comporta como um modelo, jogado na grama do jardim, Jin tratou de trazer o irmão a superfície da convivência social com seu jeito fofo e educado de agir.

- Levanta desse chão Taehyung, tá parecendo um doido com esses cabelos despenteados acho que os mendigos de Hersir estão com aparência melhor que a sua. Cuidado ou o Hoseok vai acabar te largando por um desses mendigos, levanta daí imbecil!

- É bom saber que sempre vou poder contar com suas palavras de carinho e compreensão irmão, obrigado. – Jimin e Jisoo ajudaram Taehyung a se levantar e se sentaram em um dos bancos do jardim. – E então onde está a comida? Eu preciso descontar toda minha frustração em um pacote de rufles, o Hoseok quase não para em casa e os empregados acham que sou louco.

- Com razão, você estava jogado no chão despenteado e cheio de grama nas roupas e no cabelo. Vai tomar um banho e se trocar Tae a gente te espera aqui prometo não tocar nas suas batatas.

Taehyung desapareceu do jardim e foi tomar um banho rápido a fim de se recompor, voltou ao jardim alguns minutos depois com os cabelos arrumados, uma calça jeans clara e uma camiseta branca sem estampa. Tinha voltado ao seu estado normal. Os ômegas resolveram entrar na casa e tomar a cozinha dispensando os funcionários que lá estavam; Jisoo abriu todas as batatinhas e as colocou num pode grande enquanto Jimin colocava todos os Danoninhos num pequeno refratário de vidro enquanto Jin apenas observava a bagunça que as “crianças” estavam fazendo mergulhando a batata frita no Danoninho.  

- Vocês são muito nojentos.

- O que? É bom! – falaram em uníssono.

- Toma, experimenta só um pouquinho. - Jisoo ofereceu ao Jin tentando convencê-lo de que aquela iguaria, era a melhor coisa que já existiu em todo o mundo.

A princípio a cara de nojo continuou presente, mas logo foi substituída por olhos arregalados e um audível “hummmmmm” escapar de suas cordas vocais.

- Pelos deuses isso é incrível. Dá licença eu quero mais. – falou enquanto afastava as mãos dos demais ômegas do pote de batatas.

Ficaram ali por cerca de vinte minutos só comendo e conversando besteiras até que o assunto ficou menos descontraído.

- E você e o Jungkook Jimin? Como vão as coisas? – Taehyung perguntou curioso e ao mesmo tempo preocupado. Conhecia bem o amigo e com toda a situação do reino eles não deviam estar bem. Mas as palavras do menor provaram o contrário.

- Vai tudo bem, melhor impossível o Jeon na fortaleza e eu em casa fazendo o que bem quero da minha vida. Acho que ele me ligou ontem não tenho certeza, um dos empregados disse que tinha uma ligação da fortaleza para mim, mas eu estava no banho e não atendi.

- Por que não ligou para ele de volta? Podia ser importante. – Jisoo colocou algumas balas na boca e continuou. – O Jeon está trabalhando muito Jiminie, devia ser mais legal, ele só quer te proteger, não só você o que seria mais fácil, mas todo o reino... ele deve estar acabado. O Yoongi me disse que para tudo lá na fortaleza recorrem ao Jungkook, aparentemente estão precisão de pessoal qualificado para trabalhar na inteligência, mas até agora não encontraram ninguém para o cargo.   

Jimin permaneceu em silencio apenas ouvindo e absorvendo todos os fatos que iam sendo apresentados pelos amigos ficando internamente chocado com a gravidade da situação.

- O Hoseok não vem em casa a mais de uma semana eu nunca sei onde ele está. Na última vez que nos falamos ele estava em Blustorm numa reunião com o banco de lá para conseguir auxílio de verba para nosso exército. Graças aos deuses os reinos ao redor estão dispostos a ajudar. – Tae dizia enquanto lavava as mãos tirando o excesso de sal das batatas dos seus dedos.

- E isso tudo graças ao Jeon que tem mandado soldados do exército negro para protegê-los. As sete nações aparentemente nunca estiveram tão unidas antes. Isso à primeira vista pode ser bom, mas assim como nós sabemos dessa união os Hurks também sabem. Eles podem estar se organizando para um possível ataque agora mesmo.

De repente todos ficaram em silêncio a conversa que começou com uma pergunta intrometida sobre a vida de casado do Jimin se tornou numa reunião jornalística sobre o que acontecia fora de seus muros. O clima na cozinha estava tão denso que poderia ser cortado com uma faca, felizmente Jin deu a notícia do campeonato de polo entre os reinos amanhã e o assunto dissipou um pouco toda aquela apreensão.

- Um campeonato assim tão de repente? Os reinos já concordaram com isso? – Jisoo perguntou confusa até este momento as pessoas estavam em casa e do nada sairão amanhã apenas para ver um campeonato idiota de polo? Era realmente difícil de acreditar.

- Sim, foi ideia da rainha e já está tudo pronto para a chegada dos jogadores amanhã. O torneio começa às 09hrs.

- E a ida é obrigatória? – Jimin perguntou sem muita vontade de rir. – Eu tenho vários nadas pra fazer amanhã, vou estar ocupado.

- Bem, não terá nenhuma lista de presença. Mas é um evento planejado pela sua sogra, seria muito deselegante não comparecer.

- Puta que pariu que chatice. – Jimin cruzou os braços e fez o biquinho mais fofo do mundo fazendo Taehyung abraçá-lo e apertar suas bochechas e Jin puxá-lo dos braços do irmão só para dar um tapa em seu pescoço.

- Você é fofo, mas tem a boca muito suja, se orienta pirralho ou eu te dou umas palmadas.

Após aquela “refeição” eles foram para a área da piscina onde ficaram durante o resto da tarde. Como já estava quase anoitecendo todos foram para suas casas precisavam relaxar e esquecer do mundo, pois amanhã era um dia coringa, não precisariam ficar em casa o dia todo sem fazer nada de interessante veriam pessoas depois de quase um mês, só precisariam esperar mais algumas horas.

Jimin voltou para casa junto com sua irmã que pediu para dormir com ele aquela noite para irem juntos ao campeonato na manhã seguinte. Cinco minutos depois já estavam em casa, Jimin mostrou a casa a irmã e lhe disse onde ela poderia dormir, mas decidiram ver um filme na sala e acabaram dormindo no sofá.

Na manhã seguinte foram acordados por uma das empregadas que naquele momento tinha de limpar e organizar a sala. Jimin e sua irmã foram se arrumar em seus respectivos quartos e meia hora depois desceram para tomar o café da manhã para em seguida irem ao campo de polo. Dez minutos de carro e finalmente chegaram ao campo, várias pessoas ocupavam seus lugares em uma arquibancada improvisada enquanto numa área mais privilegiada, haviam algumas mesas bonitas destinadas aos nobres onde encontraram o Tae e o Jin com pequenos leques tentando dissipar um pouco do calor. Ficaram os quatro em uma mesa conversando vez ou outra cumprimentando figuras ilustres de outros reinos, banqueiros, empresários e artistas. Estava tudo aparentemente bem e até um pouco divertido, mas para esses ômegas nada nunca está 100% perfeito, Jisoo notou a presença de alguém que conhecia muito bem... o ex namorado de seu irmão.

- Jimin aquele não é o Kai conversando com o herdeiro das empresas Baek?

Jimin seguiu o olhar de sua irmã e encontrou o alfa a quem ela se referia, este que por sua vez notou rapidamente os olhares de Jimin e Jisoo sobre si desenhando um sorriso safado em seus lábios. Kai termina sua conversa com Baekhyun e se aproxima da mesa dos ômegas.

- Olá rapazes, Jisoo! É um prazer reencontrá-los novamente. Como estão? – falou educado.

- Olá pintor! Quanto tempo. – Taehyung disse brincalhão. – O Jimin disse que você foi comprar tinta e nunca mais voltou.

- Eu estava em busca das de melhor qualidade, no fim eu as encontrei e agora estou de volta.

- Devia ter ficado com suas tintas, não tem nada pra você aqui. – Jisoo falou séria sabia que Kai tinha ferido os sentimentos do irmão. Ok que Jimin não tinha muitos sentimentos, mas os que ele tinha o Kai feriu e para ela isso é imperdoável.

- Aa eu acho que tem sim. – falou olhando para Jimin que apenas tentava ignorar a presenta do mais velho. – só cheguei um pouco atrasado, mas vou recuperar o tempo perdido, vou te tomar de volta pra mim. Entendeu meu anjo? – perguntou enquanto acariciava a bochecha esquerda do menor.

Um dia antes do torneio, Fortaleza de Hersir – 22:00 da noite  

Jungkook on

- Comandante Jackson para que horário está prevista a chegada dos jogadores? Há alguma possibilidade de eu poder voltar para casa?

- Se eles vierem de avião chegam ainda hoje por volta das 23hrs, caso contrário, só chegaram amanhã as 05hr. Acredito que nosso planejamento de distribuição de homens e as barreiras fortificadas estão de bom tamanho para a segurança do povo amanhã. Acho que o senhor pode voltar sim, nós seguramos as pontas por aqui, qualquer coisa entramos em contato.

- Ok, acho que vou descansar um pouco, qualquer coisa sabe onde me encontrar.

Finalmente dormi o sono dos justos depois de quase um mês dormindo menos cinco horas por dia. Essa confusão toda não podia ter acontecido em momento pior, eu que devia estar com o Jimin, tive que deixá-lo sozinho naquela casa enorme. Por sorte os empregados que o pai dele enviou chegaram logo e de alguma forma puderam lhe fazer companhia enquanto eu estive fora. Em meio a pensamentos eu adormeci rápido, estava precisando muito desse descanso, acordo as seis da manhã do dia seguinte e tomo um banho demorado coloco uma roupa legal e pego as chaves do meu carro... quarenta minutos de estrada e finalmente chego ao campo. Estava lotado de pessoas, mas como em qualquer outro campeonato há sempre uma área reservada aos nobres então tento ir até lá, mas no caminho sou parado diversas vezes por figuras importantes dos vários reinos que vieram prestigiar o evento.

- Príncipe Jeon obrigada pela sua ajuda, ChangDu tem uma dívida eterna com Hersir saiba que pode contar conosco para qualquer eventualidade.

- Obrigada, mas eu não fiz mais do que o meu dever, eu vivo para proteger meu povo. Agora se me der licença eu preciso ver meu ômega, não o vejo a semanas. – o reverenciei e sai à procura de Jimin.

Vago por mais alguns minutos no meio daquelas pessoas e finalmente encontro meu pequeno sentado em uma mesa junto aos amigos e sua irmã, ele está tão lindo a saudade do seu cheiro, da sua pele já não cabe dentro de mim eu preciso dele preciso agora. Comecei a caminhar em direção a ele, mas parei ao ver alguém se aproximar, aquele alfa maldito de novo. Tento ouvir o que eles estavam conversando, mas não consegui então decidi ir direto até ele e meu sangue ferveu ao ouvir o que aquele bastardo falou.  

– [...] só cheguei um pouco atrasado, mas vou recuperar o tempo perdido, vou te tomar de volta pra mim. Entendeu meu anjo? – perguntou enquanto acariciava a face de Jimin.

- Não, você não vai e tire suas mãos imundas do meu ômega.

- Jungkook, que surpresa! Não notei você aí. – Kai disse sorrindo de lado claramente tentando me irritar, mas eu não darei esse gostinho a ele.

Jimin e todos na mesa me olhavam com certo medo, foi aí que percebi que tinha usado a voz.

- Me desculpem por isso, não era minha intenção. – me desculpei e voltei meu olhar ao meu ômega. – Jimin pode vir comigo um instante preciso falar com você.

- Agora?

- É, agora! Você vem? – estendi minha mão na esperança de que ele a pegasse e assim ele fez. Entrelacei nossos dedos e o levei para o mais longe possível daquele lugar.

Entramos em um dos vestiários, peguei um aviso de interditado que estava dentro de um dos armários ali presentes, e o coloquei em frente a porta fechando ela em seguida.

- J-Jungkook o que estamos fazendo aqui? O jogo começa daqui a pouco. – advertiu preocupado.

- Que se foda o jogo Jimin eu passei quase um mês longe de você, não sei se aguento mais. – prensei o menor contra a parede e o beijei necessitado, Jimin já não resistia mais a mim, só precisava do estímulo certo. Nossas línguas lutavam por espaço, tudo era tão urgente, mas infelizmente fomos separados pela falta de ar.

Ficamos ali recuperando o fôlego por alguns segundos até o silêncio começar a incomodar.

- Senti sua falta. – disse enquanto beijava seu pescoço fazendo um arrepio percorrer todo o corpo do mais novo.

- Eu também, é chato não ter com quem brigaaar – Jimin deixou um gemido escapar ao sentir meu membro já rijo contra o seu. – Caralho Jeon aqui não é lugar pra isso, alguém pode nos ver.

- Que vejam eu não me importo. Ajoelha. – vi no espelho meus olhos se tornarem vermelhos e já sabia que Jimin faria o que eu mandasse agora.

O menor se ajoelhou e mirou meus olhos aguardando minhas ordens.

- Me chupa e só para quando eu gozar.

Observei Jimin começar a abrir meu cinto e desabotoar minha bermuda o suficiente para meu membro ser exposto. Sua mão minúscula e macia começou um vai e vem gostoso antes de seus lábios finalmente envolverem meu pau fazendo um gemido longo escapar entre meus lábios.

- Porra Jimin, isso, assim continua!

Jimin fazia um oral maravilhoso, sua língua brincava com toda extensão do meu membro ao mesmo tempo em que sugava com vontade. Eu estava ficando cada vez mais duro e começava a perder o controle, queria foder aquela boquinha sem pena mas Jimin percebeu minha intensão e tentou se afastar mas eu segurei seus cabelos o impedindo.

- Até eu gozar lembra? – o menor acenou como pôde e eu continuei. – Então me obedece e faz o que eu mando.

Com os fios loiros do menor entre meus dedos fiz aquela boquinha gostosa me engolir todo, não queria assustá-lo por isso comecei com calma, mas após a terceira estocada acelerei os movimentos, estava difícil me controlar estando à beira do orgasmo, duas estocadas depois eu me desfiz na boca de Jimin que engasgou um pouco com a quantidade de gozo.

- Engole tudo amor, cada gotinha.

Ao fim daquele boquete maravilhoso Jimin sentou no meu colo de frente para mim e me beijou, senti meu gosto em sua boca. E era isso que ele queria, se existe um ômega mais pervertido que o Jimin eu desconheço.

- Seu gosto é uma delícia, não acha? – sorriu ladino.

- O seu é melhor. – tomei seus lábios mais uma vez enquanto trazia Jimin mais para perto, o colocando sobre meu membro já ereto, onde para minha surpresa Jimin começou a rebolar descaradamente.

- Acho que não quero mais ver esse jogo Jeon, vamos pra casa. – isso era tudo que eu queria escutar a semanas, mas eu não me esqueci do que vi mais cedo.

- Não Jimin, você deixou aquele alfa tocar em você. Não está merecendo ter o que quer.

- Mas Jungkookie, eu quero você. – falou manhoso.

- Eu te conheço Jimin se a gente for transar agora, quando a noite chegar vai me ignorar como sempre faz. Eu não sou seu brinquedo pequeno, sou o seu marido, sou o seu alfa. Você me deve o mínimo de consideração, agora vem temos um jogo para assistir. Estendi a mão, mas ele recusou.

- Não obrigada, vou assistir o jogo com os meninos. Você pode fazer o que quiser, amor.

Jimin saiu do banheiro como se nada tivesse acontecido e eu o segui logo atrás. Ao abrir a porte Jimin deu de cara com a Yeon.

- Park?

- Vadia? Quando tempo! Você deve estar procurando o Jungkook, certo? Ele deve estar bem atrás de mim e vai aparecer em 3... 2... 1. Olha ele aí, divirtam-se e boa sorte no jogo.

- Vai torcer por mim? – Yeon perguntou desconfiada.

- Pelo reino querida, por mim você pode quebrar a perna. – terminou de despejar seu veneno e seguiu em direção aos amigos. – Aa já ia esquecendo, não me espera pra jantar Jeon, vou dormir na minha irmã tchauzinho.

- Jimin eu acho bom você está em casa às sete. – segurei seu braço com mais força do que pretendia fazendo Jimin grunhir de dor.

- Solta ele agora Jeon. – esse alfa deve estar querendo morrer.

- Não se mete Kim, eu tô louco pra socar essa sua cara desde a primeira vez que te vi, não me provoca. – o ameacei depois de soltar o braço do Jimin que já não conseguia encontrar.

- Faz isso, sabe quem vai ser o primeiro a vir cuidar de mim? Seu marido, então vem, me bate. – me controlei ao máximo para não cair em suas provocações, mas eu estava totalmente descontrolado e acabei socando aquela cara perfeita.

- Você faz melhor que isso Jungkook vamos eu quero deixar o Jimin ocupado.

As pessoas começaram a perceber a cena e eu tentei me recompor, precisava ir atrás de Jimin, mas fui impedido por minha mãe que infelizmente viu essa cena.

- Jungkook, você vem comigo, não vou deixar você me envergonhar mais, vamos.

Assisti aquele jogo ridículo torcendo para que terminasse logo e eu pudesse ir atrás do meu ômega. Ao final o time formado por Tresko, Blustorm e Hersir venceu. Ouve uma pequena festa em seguida e depois todos foram pra casa. Fui até Jisoo na esperança de encontrar Jimin, mas foi em vão, aparentemente ele já havia ido em bora. Voltei para casa torcendo para encontrá-lo nem que fosse trancado em seu quarto, mas ele não estava lá.

- Por que eu tive que me apaixonar justo por esse garoto? 


Notas Finais


É isso galera. Espero que gostem e imagine que o Jk tá batendo no Kai e não no Guinho.
.
Beijos e até a próxima... não tão próxima assim. Amo vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...