1. Spirit Fanfics >
  2. Royals >
  3. Casamento

História Royals - Capítulo 5



Notas do Autor


Desculpe pela demora amores, espero que gostem desse capítulo.

Capítulo 5 - Casamento


 


 

February 13rd, 2018

 

 

Tuesday 23:30 PM

 

 

Eu estava alegre.

 

Depois daquele dia eu e Taehyung havíamos nos tornado de fato amigos. O beta tornou-se meu confidente para todas as horas e um péssimo conselheiro porém um ótimo ouvinte.

Passávamos horas rindo e conversando durante o período que ele havia ficado no palácio mas eu sabia que isso não duraria para sempre. Há duas semanas ele partiu me deixando chateado com a notícia porém nem um pouco surpreendente, a não ser essa amizade que se tornou mais forte do que eu esperava. 

Enquanto no castelo corria pra desabafar sobre meus problemas e minhas inseguranças em seu colo, conversei sobre minha relação com Min Yoongi sem citar lhe o nome somente para saber se eu estava certo em ir mais a fundo nessa história mal resolvida. Ele concordou e disse que me ajudaria com o que fosse preciso e eu sabia que ele não mentia.

Uma coisa das quais eu percebi com essa relação repentina é que Taehyung é alguém ingênuo e verdadeiro, por mais que eu me esforçasse para não corrompe-ló estava sendo praticamente impossível. Era inegável a beleza do rapaz, tive a oportunidade de lhe ajudar a se vestir algumas vezes e ter o vislumbre de sua pele nua era realmente uma tentação. 

Estava deitado no banco da biblioteca olhando para o nada relembrando do rapaz. Não tinha nada para fazer e também não conseguia dormir, estava ansioso por algum motivo, um pressentimento talvez.

Desde a última vez que vi os meus pais percebi que não poderia continuar vivendo tão afastado dos mesmo, mandar-lhes um pouco de dinheiro já não estava sendo mais suficiente e vi que eu não queria cometer o erro de não aproveitar ao máximo com eles enquanto posso.

Cheguei a conclusão que tinha a necessidade de estar com eles e não me importaria de perder meu emprego para isso. Vinha ponderando a alguns dias, muitos benefícios iriam para o ralo porém estava disposto a perdê-los.

Decidido me levantei da cama e caminhei em direção ao escritório do administrador do castelo. Iria pedir demissão e esperava que ele me remunerasse o ultimo pagamento desse mês. Bati na porta e ouvi uma confirmação para que eu entrasse.

— Não queria incomodar-lhe em um momento tão inoportuno Choi. — falei vendo uma pilha de papéis em cima da mesa dos quais ele provavelmente passaria a noite toda analisando e os assinando.

— Tudo bem, iria lhe chamar de qualquer forma. — ele disse se limitando a empurrar a armação do óculos com o dedo indicador sem retirar os olhos do papel. — Sabe o que é isso? — disse apontando para o certo amontoando de folhas.

— Alguns documentos eu acho. — disse incerto.

— Documento da sua transferência. — arregalei os olhos com a sua declaração.

— Como assim? — indaguei vendo ele retirar seu óculos e pô-lo encima da mesa.

— O que eu quero dizer com isso é que você será encaminhado para a divisão de Liones, irei lhe fazer uma carta de recomendação e com sorte você será aceito.

— P-por qual motivo?

— Você sempre foi um ótimo funcionário durante seu tempo por aqui porém estamos cortando verba e fiquei sabendo que sua família mora lá. — ele falou e eu ri de nervoso.

— Com todo respeito senhor mais você nunca sequer reparou em mim e agora vem com essa proposta. — disse desconfiado.

— Realmente, então agradeça a Park Taehyung, ele encheu-me a paciência durante essa última semana. — ele sorriu enquanto massageava as têmporas.

— Isso é surreal. — falei alegre porém desacreditado.

Havia comentado com Taehyung algumas coisas sobre meu desconforto por ficar tão afastado dos meus pais porém nunca imaginei que ele faria isso por mim.

— Está me dizendo que não vai aceitar? — ele indagou confuso.

— Não! — gritei e fiquei levemente envergonhado voltando a respirar fundo. — Eu adoraria.

— Disponibilizarei um cocheiro para que te leve até o castelo. — Iria lhe indagar novamente quando ele completou. — exigências de Park Taehyung.

— Obrigado, muito obrigado! — me curvei várias vezes em sua direção.

— Agradeça ao príncipe. — ele disse se levantando e me guiando até a porta. — Até nunca mais Jung. — ele disse bem humorado e nem me dei o trabalho de responder.

Sai de forma calma de seu escritório e caminhei pelos corredores contendo a vontade de gritar dentro de mim. Assim que estava mais distante de algumas pessoas no corredor me pus a correr e pular chacoalhando os braços. Estava tentando esvair minha alegria e ansiedade de poder comparecer ao aniversário de casamento dos meu pais.

A festa aconteceria amanhã e vários parentes compareceriam, poder ir à festa e permanecer lá havia sido um presente. Assim que cheguei em meu quarto peguei a pequena mala que eu tinha afobadamente e pus o máximo de roupas que conseguia.

— O que é isso? — ouvi Lalisa lamuriar cansada. 

Vi ela questionar da parte de cima do boliche retirando seu coberto de cima do seu corpo e fiquei envergonhado pois não sabia que ela estava dormindo.

— Eu vou ir pra Liones assim que amanhecer.— falei engolindo o seco.

Esperava que a garota ficasse chateada ou que me xingasse com todos os nomes imagináveis e inimagináveis mais ela apenas desceu do beliche e pulou em mim me acolhendo entre seus braços.

— Isso é ótimo Hobi-ah! — franzi meu cenho com a sua declaração.

— Sério, não vai me bater nem nada do tipo? — estava estranhando a mansidão da garota.

— Eu sei o quanto você queria isso, então não, não vou bater em você. — ela disse risonha e então retribui o abraço da garota.

— Muito obrigado. — agradeci.

Ela me ajudou em uma época muito difícil e fez com que eu me adaptasse a rotina nova que eu teria no palácio, receber a aprovação dela era importante para mim já que ela é uma grande amiga.

— Vamos, eu te ajudo com suas coisas.

— Não precisa, volte a dormir.

— Hoseok eu acho que é melhor você me escutar. — ela apontou para a mala que tinha um bolo de roupas.

Sorrimos enquanto nos pusemos a arrumar as malas. Após algumas horas de conversa e muita bagunça os raios de sol passavam pela cortina do quarto iluminando todo o ambiente, me despedi da garota dizendo que nos reencontraríamos outras vezes e fui para fora do castelo.

Me virei para traz admirando a grande estrutura que estava atrás de mim, ela era muito vistosa e eu não tinha dúvidas que sentiria saudades do lugar. Nunca fui de ter muitos amigos, de alguma forma eu conseguia os afastar antes que chegássemos a essa nomenclatura porém Lalisa foi uma das poucas pessoas que me ajudaram e eu a agradecia por isso.

Olhei para o cocheiro vendo ele pegar minha mala e guardar dentro da carruagem abrindo a porta para que eu entrasse dentro do veículo, seria mentira se eu disse-se que não estava gostando de ser tratado como um príncipe.

Lia um livro qualquer durante todo o percurso e nem me dei conta que já havíamos chegado em Liones. Olhava espantado para aquela cidade, comparado a Kingdom Rose Liones era quase como uma nação de tão grande, me via admirado pela flora do local me recordando de meus tempos aqui.

Minha família sempre fora muito pobre mesmo com a plantação então tive que sair de casa muito precocemente para ir ao reino vizinho que oferecia mais oportunidades de emprego.

A carruagem parou abruptamente e a porta foi aberta de forma singela pelo cocheiro que se curvava perante a mim me deixando envergonhado afinal eu não era alguém tão importante. Ignorei esse fato e assim que pisei meus pés no chão vi uma silhueta bem conhecida por mim me esperando de braços cruzados.

Caminhei timidamente até o rapaz e o cumprimentei estendendo minha mão em sua direção vendo ele negar com a cabeça e me puxar para um abraço. Percebi que Taehyung era alguém que gostava muito mais de contato físico, não que eu me incomodasse é claro.

— Hoseok Hyung achei que não viesse, já estava começando a ficar nervoso. — comentou risonho.

— Não tinha como recusar, aliás como você conseguiu? — disse.

— Ser um príncipe é um saco mais também tem seus benefícios. — ele falou se separando de mim com o seu característico sorriso quadrado estampado em seu rosto.

Assim que ele se afastou minimamente tive um vislumbre melhor do seu visual, devia admitir, o rapaz estava lindo. Ele trajava uma bota marrom que vinha até a sua canela tendo por baixo uma calça bege que combinava com o colete que o mesmo usava por baixo de um sobretudo preto, o colete tinha raminhos de cereja delicados na abertura da frente e tudo harmonizava com um lenço branco que estava amarrado ao seu pescoço.

— Nunca vou ter como te agradecer o suficiente por isso. — falei.

— Nem precisa, é o mínimo que eu posso fazer depois do dia do Festival, não sei o que teria acontecido comigo se você não estivesse lá. — vi ele estender seu braço e eu os entrelacei.

Fui guiado pelo rapaz que me apresentou os cômodos e o lugar onde eu ficaria que definitivamente era melhor do que eu tinha antes em Kingdom Rose, só pelo simples fato de não ter que dividi-ló com alguém já estava sendo vantajoso.

Rondamos mais uma vez o castelo quando me foi apresentado seu quarto do qual ele me convidou a entrar. Quando pus meu pé lá dentro vi Yoongi sentado na poltrona da cama nos olhando dos pés a cabeça.

Era a primeira vez em anos que tínhamos uma troca de olhares tão direta e verdadeira, pude ver através de suas orbes cintilantes que ele estava surpreso e aberto ao diálogo. Naquela época éramos muito imaturos e o tempo fez com que nossos pensamentos e atitudes se transformassem e só de ver que ele aparentava querer falar comigo já me deixava imensamente feliz, eu queria por um ponto final naquela história.

— Bom Hoseok, esse é Min Yoongi o subtenente da guarda real. — estendi minha mão que logo foi apertada pelas mãos frias do rapaz que não ousava desviar o olhar. — Vocês já devem se conhecer. — assim que o acastanhado falou eu me engasguei com a própria saliva.

O principal motivo para eu não ter exposto o nome de Yoongi para Taehyung era por que eles pareciam ter um tipo de relação, vez ou outra Taehyung comentava sobre o rapaz e eu não queria que a imagem que ele tinha do guarda fosse manchada por problemas da minha vida.

— C-como? — questionei-o.

— Pensei que tivessem se conhecido no dia do festival. — ele deu de ombros e eu soltei o ar em meus pulmões aliviado — De qualquer forma estão apresentados. — tornei a olhar nos olhos do garoto a minha frente.

— É um prazer te conhecer Min. — falei vendo o pálido que até agora não havia se pronunciado dizer:

— O prazer é todo meu. 

Eu estava brincando com fogo e não tinha medo de me queimar.

— Pode nos deixar a sós Yoongi. — Taehyung declarou e vi o garoto passar bem próximo a mim.

Tão próximo que podia sentir o seu cheiro forte de alfazema que a tempos atrás me deixava tão extasiado. Assim que a porta se fechou Taehyung veio saltitante em minha direção.

— O que achou? — perguntou.

— Eu achei ótimo, muito obrigado por tudo que tem feito por mim. — disse o abraçando.

Assim que me dei conta do que havia feito o empurrei delicadamente um pouco envergonhado vendo ele rir.

— Seus pais ficarão felizes com a notícia. — ele disse.

— Com certeza. Mal posso esperar para vê-los. — declarei me sentando na cama do rapaz.

— Quando se encontrarem diga que eu mandei um oi. — ele falou e eu fiquei pensativo.

— Porque você mesmo não diz isso a eles? — joguei a pergunta no ar e recebi olhar confuso do príncipe.

— Como assim?  — indagou.

— Hoje meus pais vão celebrar o aniversário de casamento deles, pensei que você pudesse ir como meu acompanhante... q-quer dizer, s-se você quiser. — disse tudo rapidamente com as bochechas rosadas.

O rapaz riu e apertou minhas bochechas. — Muito fofo da sua parte, mais não tenho certeza, e se eles não gostarem de mim? 

— Eles te amam, ficam insinuando o tempo todo que nos somos... — interrompi a frase, Taehyung não precisava saber disso.

— Somos... — pediu para que eu completasse a frase.

— Você vai? — mudei de assunto desviando o olhar do mais novo.

— Vou. — afirmou.

— Obrigado Tae, não sabe o quanto isso é importante pra mim. — me joguei em cima do rapaz e o abracei recebendo um carinho singelo na minha nuca e seu sorriso.

 

[...]

 

 

22:47 PM

 

 

Desde a última semana tentava entender se aquilo que estava acontecendo era real. Eu havia beijado Jeon Jungkook e não que isso fosse uma coisa ruim porém eu não queria estragar nossa amizade por mais que parecesse impossível.

Nos últimos dias estava me encontrando mais frequentemente com o rapaz, praticamente todos os dias mais nenhum de nós dois ousava tocar no assunto. Eu tinha que ser sincero comigo mesmo e aceitar o fato de que eu havia gostado da sensação e queria repetir o ato novamente. Me pegava pensando no garoto em atividades do cotidiano e aquilo estava martelando minha cabeça fazendo um barulho ensurdecedor.

Tínhamos marcado de nos encontrar na torre  perto do castelo para que eu lhe fizesse uma surpresa. O lugar era abandonado, ninguém atrapalharia o nosso momento além de que hoje era um dia muito especial pra mim, a chuva de meteoros aconteceria hoje e eu não podia estar mais feliz em poder passá-la com o moreno.

Estávamos aqui sentados em meio a grama tendo o vislumbre do céu estrelado. Estava tentando me focar nos meteoritos que podiam cair a qualquer momento mas observava Jungkook, que no momento parecia tomar minha atenção com mais facilidade do que qualquer outra coisa. Por algum motivo eu passei a olhá-lo de um jeito diferente, estava reparando em cada detalhe.

Vi seu rosto se iluminar repentinamente então olhei para o céu vendo inúmeros feixes de luz cortarem o céu rapidamente, era muito lindo de fato. Retomei meu olhar para o Jeon que observava tudo atentamente enquanto sorria.

— Isso é incrível Hyung! — exclamou ainda extasiado — Desde quando faz isso?

— Venho aqui desde os meus quinze anos, amo astronomia. — falei.

— Você e essas suas coisas de nerd. — ele disse brincalhão.

— Fico feliz de ver “essas minhas coisas de nerd” com você. — falei sincero vendo ele sorrir e negar.

Continuamos a observar aquele espetáculo até que ele se findou restando só um céu pontilhado de estrelas.

Me surpreendi com Jeon se pondo em cima de mim com as mãos apoiadas dos dois lados do meu corpo. Ele me olhava fixamente e sua respiração batia no meu pescoço enquanto ele se aproximava cada vez mais do meu rosto.

— Jimin, eu não sei que tipo de relação temos agora mais eu quero ir mais a fundo. — ele disse olhando no fundo dos meus olhos ficando cada vez mais próximo — Você quer? 

Assim que o garoto perguntou eu afirmei sem desviar meus olhos de seus lábios. Ansiava por mais um beijo do rapaz com lábios tão doces quanto mel. Nossos lábios ser resvalaram porém fomos interrompidos por um grito ensurdecedor. Empurrei o rapaz gentilmente para que ele saísse de cima de mim e olhei para traz vendo Yoongi observando a cena.

— Yoongi o que faz aqui? — perguntei fingindo não ter quase beijado Jeon novamente.

— Eu que deveria lhe perguntar isso. Quem é ele? — disse apontando para Jungkook.

— Ele é um amigo. — respondi rapidamente vendo ele rir irônico com minha declaração.

Se eu estivesse em seu lugar também estaria rindo, estávamos quase nos beijando e a posição não nos favoreceu nem um pouco pra dar credibilidade à minha tese.

— De qualquer forma precisa vir comigo, o rei tem um assunto importante pra tratar com você. — ele disse.

— Sabe o que é? — perguntei aflito, talvez ele tivesse descoberto minhas saídas noturnas para me encontrar com o ômega. Vi Yoongi negar com a cabeça e respirei fundo pensando no que poderia ser. 

— Por favor não conte isso pra ninguém. — supliquei me referindo ao quase beijo com Jeon.

— Não é da minha conta. — disse indiferente.

Me despedi de Jungkook que estava mais vermelho que um rubi dizendo que lhe mandaria uma carta o mais brevemente possível e segui Yoongi que caminhou pelos corredores do castelo me deixando na sala de meu pai.

Assim que abri a porta me deparei com Jung-hyung parado em pé ao lado da poltrona de meu pai. Estava com um pressentimento estranho já que meu pai ultimamente havia viajado muitas vezes para Kingdom Rose a trabalho. Acanhado me sentei na cadeira na sua frente incomodado com o olhar sedento que o príncipe lançava a mim.

— Eu vou ir direto ao ponto Jimin, nos dois sabemos que desde muito tempo reinos se juntavam através de alianças conjugais, algo estritamente necessário para a prosperidade e a paz de ambos os reinos. — ele falou e eu engoli o seco. — Conosco não seria diferente, você irá se tornar o rei e precisa abnegar suas vontades em favor do povo.

— Onde quer chegar com isso? — temia sua resposta.

— Daqui a um ano você se casará com o príncipe de Kingdom Rose, Jung-hyung. — ele falou me deixando boquiaberto.

— Como pode fazer isso com seu próprio filho? — disse ainda em choque.

— Você tem que intender que isso não tem nada haver com a sua vontade, apenas o que é melhor para o reino. — Ele me respondeu sínico — Eu vou deixar os noivos a sós.

Assim que ele saiu da sala o alfa caminhou até mim e pegou meu queixo de forma agressiva fazendo com que eu olhasse em seus olhos.

— Se você for um bom garoto talvez eu não pegue tão pesado com você. — senti seus lábios ásperos tocarem os meus e rapidamente os mordi.

O rapaz caiu pra trás com a mão sobre a boca, pude perceber que tinha feito um belo estrago já que o chão estava tomado por várias gotas de sangue. Jung-hyung me olhou de forma assustadora e eu não tive mais tempo de pensar em nada a não ser correr como nunca antes na minha vida.

Podia ouvir seus passos atrás de mim me perseguindo então tentei despista-ló entrando em um quarto qualquer fechando a porta o mais rápido que consegui.

Respirei fundo e me ajoelhei minimamente tentando recuperar meu fôlego e normalizar meus batimentos cardíacos quando me deparei com a cena de Taehyung sem camisa sentado no colo de Yoongi o beijando vorazmente. Assim que eles se deram conta da minha presença tomaram um susto e se afastaram, Taehyung tateou a cama buscando sua blusa com as bochechas ruborizadas e Yoongi não estava muito diferente.

— Eu ia te falar sobre isso. — ele empalideceu e engoliu o seco.

— Quer saber, isso realmente não é da minha conta. — falei massageando minhas têmporas.

Sai do meu quarto os deixando a sós vendo que Jung-hyung ainda não havia desistido da caçada e me procurava no início do corredor, assim que me viu corri incessantemente até entrar no quarto de Jin hyung que olhou espantado para mim.

— Jimin o que aconteceu? — Jin perguntou confuso.

Me dei conta do que estava acontecendo, daqui a um ano me casaria com Jung-hyung. Uma a uma as lágrimas rolavam pelo meu rosto sem que eu permitisse e comecei a chorar como não fazia a anos.

Jin viu que eu estava em um momento delicado então pós o livro que estava em suas mãos em cima do criado mudo perto de sua cama e me chamou para que deitasse ao seu lado na cama, corri até o rapaz e me deitei na extensão do colchão apoiando minha cabeça na sua coxa direita. Ele afagava meus cabelos enquanto eu chorava copiosamente em seu colo molhando sua calça com minhas lágrimas.

Olhei através da janela e vi uma estrela cadente cortar o céu. Fechei meus olhos e pedi para ela que o que estava acontecendo não fosse real.


Notas Finais


Desculpe pelo capítulo curtinho e meio parado, prometo que o próximo está cheio de emoções. Comente e favorite pra me deixar muitíssimo feliz <3

OBS: Gostaria de agradecer a maravilhosa @yoongizzz pela capa, ainda não acredito que ela tenha ficado tão perfeita.

Bjs e até a próxima ❤️🌈


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...