1. Spirit Fanfics >
  2. RUA 127 (noart) >
  3. Capítulo 5: Mal-agradecida a

História RUA 127 (noart) - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Capítulo 5: Mal-agradecida a


SINA DEINERT BEAUCHAMP

Com alguns minutos pensando no que eu iria fazer, decidi andar pelas ruas tentando encontrar uma maneira de saber aonde eu estava, já que não havia nada o que eu poderia fazer além disso.

Quando me dei conta aonde eu estava, dei um pausa perto de um poste de luz que havia na rua 127 para descansar e para a minha tontura parar, porque infelizmente o álcool não sairá totalmente do meu corpo. E quando dei por ver algo imprevisível acontecia, um par de mãos me puxava para atrás com brutalidade.

- Me solta!- falei gritando até que senti suas mãos geladas em minha boca, certamente tentando me fazer para de gritar.

- Cala boca,vadia! Ou se não eu irei te machucar- o homem fala, mas eu mordo a mão dele fazendo ele me solte rapidamente.

- Sai daqui, bafo de bunda!- falo ao me soltar- Quem você acha que é para chamar de vadia e me tratar desta forma?

- Além de vadia é mimada- ele fala debochado se aproximando de mim e eu ao mesmo tempo vou dando passos para trás- Eu sei que o papo está muito legal e tals, mas agora me passa seu dinheiro.

- Eu não tenho dinheiro e mesmo se tivesse não te daria.

- Você não tem dinheiro,mas tem uma pulseira bastante brilhante, é de ouro?- pergunta se aproximando cada vez mais.

- Claro que é, você acha mesmo que eu usaria bisuteria vagabundas e pode ficar paradinho se não você irá lidar com as consequências- falo exaltada.

- Ahhh, então essa sua pulserinha vale muito e quem vai sofrer as consequência se fizer qualquer coisa vai ser você, vadia mimada- ele fala agarrando meu braço tentando tirar a pulseira que o Josh havia me dado e eu estava gritando cada vez mais alto e me debatendo contra ele, mas ele infelizmente acaba conseguindo pegar minha pulseira .

- Me solta, porra!- grito no pé do ouvido dele.

- Solta ela, seu imbecil!- uma voz masculina fala vindo de longe que acaba assustando o vagabundo, que me solta e em seguida dou um chute nas suas bolas.

- Belo chute- o desconhecido que havia gritado chega perto de mim dando umas tapinhas de leves no meu braço, nem sequer ousei olhar para ele, pois estava concentrada demais olhando o ladrão de minha pulseira- Você se machucou?- me pergunta segurando meus braços para ver se havia algum machucado, então transferi meu olhar furioso para ele, mas logo se desmanchou ao ver um dos homens mais bonitos que vi em toda minha vida vestido com tralhas que parecia que ele havia tirado do lixo, foi quando percebi que ele era um completo estranho e lá estava eu me derretendo na frente dele.

- T-talvez....quer dizer não, mas será que dá para me soltar, não basta esse dai?- falo apontando para aonde estava o ladrão e logo percebo que ele já não estava mais lá- Ótimo ele já fugiu e levou a minha pulseira novinha- falo voltando meu olhar para o principe fantasiado de mendigo.

- Só estava vendo se você estava machucada- ele falou soltando meu braço, mas em nenhum momento tirando o olhar de mim.

- Mas como pode ver eu não estou machucada- falo mostrando meus braços, quebrando o contato visual que haviamos estabelecido.- Você sabe que a culpa é sua por ele ter levado minha pulseira, né?

-Minha nossa senhora!! Você é muito mal-agradecida, garota- ele fala irritado.

- E pelo o que eu deveria ficar agradecida? Eu acho que com certeza eu conseguiria lidar com isso sozinha.

- Eu vi o que estava acontecendo aqui e não me parecia que você estava sabendo lidar com a situação sozinha-falou debochado em seguida rindo.

- Vê se me erra... garoto- falo saído da frente dele olhando de um lado para o outro tentando saber por onde eu deveria ir.

- Procurando algo?- fala após parar de rir.

- Eu acho que isso não é da sua conta, não é mesmo.

- Não está mais aqui quem falou- fala resmungando- Então tá, eu já vou indo garota insuportável- fala e quando percebo que ele estava indo embora me desespero, já que eu não sabia para em que direção ir, porque eu nunca havia andando por aquela rua, apenas sabia que estava na rua 127, então eu seguro seu braço.

- Calma, garota! Era só ter pedido para eu ficar- fala malicioso.

- Hahaha que engraçado, eu só quero que você me ajude a chegar em casa.

- E porque você acha que eu irei te ajudar?- pergunta ergendo a sobrancelha.

-Eu não acho que você vai, eu tenho certeza- falo convencida- Eu quero chegar na Rua Amantinas, então vamos logo que eu quero chegar o mais cedo possível- digo o puxando para me dizer a direção.

- Vish, além de convencida, mal-agradecida e insuportável, também é mimada- ele fala com um certo deboche- Eu acho melhor você melhorar esse teu jeito, porque se não ninguém vai conseguir fica perto de você.

- Eu não sou nada disso- falo irritada, mas logo me acalmo já que se me estressasse não resolveria nada- Vamos lá, por favor- imploro.

- O.k, lembrando que eu só irei fazer isso porque eu sou um cavalheiro- ele fala e dou pulinhos de alegria, mas percebo que devo está parecendo patética, então paro e ajeito minha postura e vou para sua frente.

- Ótimo, vamos- digo virando a esquerda e andando pela rua, então ele me puxa pelo braço me virando para ele- Que foi??-pergunto sem entender.

- E que é por aqui- ele fala rindo olhando meu olhar de confusão e apontando para a direita.

- Claro, eu só estava vendo se você sabia mesmo- falo dando um desculpa que claro que não colou, porque ele começou a rir mais.

Começamos a andar pelas ruas com ele me conduzindo na frente. Enquanto andávamos ficava observando as suas costas perfeitas e musculosas esperando ele puxasse assunto, já que eu não puxaria, porque sou orgulhosa demais.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...