1. Spirit Fanfics >
  2. Rubí >
  3. Ambição

História Rubí - Capítulo 1


Escrita por: Exoticstar

Notas do Autor


Estou nervosa kkkkk é a primeira vez q eu escrevo uma fic, então, por favor, desculpem se ela estiver uma m*rda.
O capítulo é pequeno por ser o primeiro, eu vou deixar os outros maiores, em média de 4 mil à 5 mil palavras.

Ah, é baseado em uma novela mexicana antiga, acho q até fizeram uma série dela recentemente, mas na fic vai ter muitas mudanças.

Podem enviar críticas. Se está boa, ruim, péssima, só ñ me xinguem kkkkkkkkk

Sinceramente, espero q gostem pelo menos um pouquinho 🙏

Capítulo 1 - Ambição


O quarto escuro, iluminado apenas por uma luz vermelha de uma placa neon da casa noturna ao lado, cheirava a suor e sexo. O ato em si já havia terminado, porém Baekhyun, deitado de lado, olhando o letreiro piscar pela janela, ainda podia sentir o homem mais velho depositando vários beijos por suas pernas. Ele descia vagarosamente até seus pés e subia, com menos pressa, até seus quadris. O vento frio que entrava pela janela e batia em seu corpo nu, fazendo seus pelos se eriçarem, deixava mais fácil o fingimento de sentir prazer com aquele boca pegajosa que passeava por seu corpo. Fechou os olhos, desejando que o sono chegasse e que fosse tão profundo que não o permitisse acordar antes que o outro fosse embora.

- Baby? - ele queria poder ignorar, mas sabia que não podia, não deveria. - Você está dormindo?

Com muito esforço, lutando contra sua verdadeira vontade, Baekhyun virou para ele, colocou a mão em seu rosto e sorriu de forma doce.

- Como eu poderia dormir com sua boca colada em mim? - puxou o homem para mais perto, modiscando seu lábio inferior. - Apenas estava curtindo mais o momento.

- Eu vou sentir tanto sua falta? - o mais velho falou demonstrando pesar na voz ao ver os lábios do menor formarem um bico triste. - Eu te levaria comigo se não fosse sua faculdade.

- Eu irei te encontrar assim que me formar. Prometo!

O sorriso largo que foi dado pelo moreno foi verdadeiro dessa vez, porém, não era pelo motivo que o maior acreditava. Sebastian realmente acreditava que Baekhyun iria atrás dele? O quão idiota ele poderia ser?

Não, Sebastian não  era um homem idiota, afinal, um idiota não poderia ser dono de uma das maiores empresas tecnológicas da América do Norte. O crédito se dava todo a incrível atuação de Baekhyun, o outro realmente se sentia adorado pelo menor e isso conseguia fazer o Byun se divertir como poucas coisas nesse mundo conseguiam.

Não negava que quando conheceu o milionário na festa de noivado de uma das filhas do seu professor da faculdade, o achou muito bonito. Aquela noite, o professor queria apresentar Baekhyun a suas filhas, exclusivamente à filha mais nova, era nítida a intenção do homem em criar alguma relação entre seu aluno preferido e sua filha. A única coisa que o velho homem não poderia imaginar era que Baekhyun acabaria a noite em um dos banheiros da casa gemendo enquanto era fodido pelo noivo de sua filha mais velha.

Sim, Sebastian era noivo da filha mais velha de seu professor na época em que o conheceu, mas eles já haviam se casado, porém nada mudou entre o homem e Baekhyun, sabia até mesmo que ele preferia foder Baekhyun do que a bela loira com quem era casado, o próprio homem havia deixado isso claro enquanto gozava dentro do menor minutos antes do casamento acontecer.

Entretanto, agora, Baekhyun já não sentia desejo por ele, a verdade é que o desejo que nutriu por um tempo, não passou de umas poucas noites, apesar de já estar com Sebastian há alguns meses. Mas Baekhyun não pôde o deixar de lado, não poderia dispensar os presentes e a boa vida que Sebastian o proporcionou durante esse tempo, sem falar nas mensalidades da faculdade que ele insistiu em pagar. Não jogaria fora seu cofre infinito.

- Eu deixei uma surpresa na sua conta, meu pequeno. - a frase fez o menor voltar ao presente. - E também irei depositar todo mês o dinheiro pra sua faculdade, não deixe de me contactar sempre que precisar de algo.

- Mas eu só preciso de você, hyung. - falou manhoso tentando disfarçar a satisfação da notícia recebida.

Não podia mentir, quando o maior falou que estaria indo embora para os Estados Unidos com a esposa, temeu perder os benefícios que Sebastian lhe dava, claro que já havia bolado um plano para caso isso acontecesse. Mas, não precisar fazer o que tinha planejado, o deixou mais aliviado, evitaria muitas dores de cabeça.

- Como vou conseguir passar quase um ano longe do meu amor? - abraçou o maior, escondendo o rosto no seu pescoço, como se implorasse para o outro não deixá-lo

- Vai passar rápido, baby.

- Não, não vai! - o soltou, empurrando o corpo maior de encontro a cama, logo ficando por cima do mais velho, sentado com uma perna de cada lado do corpo bronzeado - Eu vou ficar tão sozinho - seus dedos corriam pelo abdômen a sua frente, brincando com a pequena trilha de pelos ali - Serão tantas noites frias.

- Não me faça sentir um monstro, pequeno, isso dói em mim tanto quanto em você, ou até mais. - acariciou as coxas brancas e macias como se fossem a coisa mais preciosa para si.

- Não seja mentiroso. - ali estava o bico de falsa mágoa novamente presente nos lábios vermelhos do menor - Enquanto você estará no outro lado do mundo beijando sua esposa... - começou a rebolar devagar sobre o membro flácido do mais velho - Enfiando o seu pau nela... - aumentava o ritmo a cada palavra que saia de forma lenta - Eu estarei aqui, solitário... - segurou a mão destra do maior, a levando até sua boca - Tendo que usar meus dedos enquanto penso em você... - sugou o dedo indicador, mantendo seu olhar fixo no do outro.

- Você está quase me convencendo a ficar. – Baekhyun travou a mandíbula por um instante, o que não foi notado pelo outro. - Mas não posso, baby. É necessário que eu vá.

- Eu entendo, mas... - levou a mão do maior até sua bunda, logo sentindo-o ser introduzido em si, soltando um gemido fraco - Não posso evitar ficar triste.

- Então, vamos aproveitar nossa despedida do jeitinho que você quiser. - levantou o corpo, ficando sentado ainda com Baekhyun em seu colo.

O menor passou a língua pelos lábios do bronzeado, ameaçando um beijo, porém se afastou e riu de forma sacana com a decepção estampa no rosto do outro. Levantou um pouco os quadris e, segurando com uma das mãos o membro já duro do maior, o guiou até sua entrada, onde o penetrou antes que o mais velho tirasse o dedo que já fazia movimentos ali.

Empurrou o corpo de Sebastian novamente para a cama e começou a cavalgar sobre ele, aumentando o ritmo ao ver o outro sugando o dedo que estava dentro dele segundos antes.

Era certo que Baekhyun não nutria nenhum tipo de sentimento pelo mais velho, para ele eram apenas negócios, claro que para o maior não era isso, ele acreditava em um relacionamento amoroso que só existia na mente dele, mas isso não impedia que o menor lhe desse um prazer verdadeiro, ainda mais nessa noite que seria a última, a felicidade era indescritível em saber que não teria mais que aguentar o perfume importado de Sebastian, em não precisar mais sentir suas mãos passeando por seu corpo, em não ter que gemer manhoso, fingindo prazer onde não sentia e, o melhor, continuaria a ter a vida boa mesmo estando sem ele.

Isso sim era unir o útil ao agradável.

- Baby... - o maior o chamou em meio a gemidos roucos. Ele estava prestes a gozar - Como presente de despedida, me deixe gozar em sua boca.

E mais uma vez naquela noite, Baekhyun sentiu o corpo ficar rígido, mas se forçou a continuar cavalgando sobre o outro. Só de pensar em ter sua boca preenchida pela porra pegajosa do outro fez seu estômago revirar, já tinha asco só de senti-la dentro da sua bunda. Porém, naquele momento, sabia que precisava ceder ou o outro ficaria desconfiado e não seria ele a estragar tudo justamente naquele momento.

Tentando disfarçar o nojo que estava sentindo, saiu de cima do maior e aproximou seu rosto do membro que pulsava intenso. Afundou o pau em sua boca antes que pudesse desistir, subindo e descendo a cabeça o mais rápido que podia para acabar aquilo o mais rápido possível. Sentiu o primeiro jato de porra preencher sua boca ao mesmo tempo em que sentiu a mão do maior pressionar sua cabeça ainda mais contra o membro pulsante. Lutou muito para não se debater enquanto sentia aquela gosma descer por sua garganta.

O outro finalmente liberou sua cabeça e Baekhyun se livrou do pau já flácido, buscando fortemente por ar e mesmo sendo difícil, lançou um sorriso para o maior.

- Delicioso, hyung. - nunca havia sido tão falso quanto naquele instante.

- Você é tão incrível. - o puxou para um beijo afoito, sentindo o gosto do próprio gozo. - Espero foder muito essa boquinha quando nos reencontrarmos.

- Claro, hyung. - A vontade de Baekhyun era socá-lo pelo que havia feito. - Agora vamos dormir, você precisa descansar para sua viagem.

- Mas ainda não resolvemos esse probleminha aqui. - segurou o pênis do mais novo, intrigado por ele não estar duro - Oh, meu lindo diamante, fiquei tão preso no meu próprio prazer que não apreciei seu orgasmo.

- Só em sentir seu gosto, eu me desfiz, hyung. - como o outro podia ser tão ingênuo? - Agora nao discuta, vamos dormir.

O maior concordou sem falar nada, apenas sorriu e deu mais um beijo leve nos lábios inchados do menor, sendo correspondido com um singelo sorriso.

Baekhyun voltou a deitar de lado sentindo o outro deitar atrás de si, o envolvendo com um braço. Seus olhos retornaram ao letreiro do lado de fora enquanto começavam a arder com as lágrimas de raiva que ameaçavam cair e sentir a respiração do maior em sua nuca só fazia a vontade de chorar aumentar. Pela primeira vez em sua vida, estava se sentindo sujo e nem mesmo saber que não teria mais que aguentar aquele homem deitado ao seu lado, era capaz de tirar essa sensação de nojo que estava sentido naquele momento, mas sabia que ia passar.

Quando sentiu a respiração do mais velho se tornar serena, se afastou com cuidado para não acordá-lo, saiu da cama e se vestiu com um roupão que estava jogado no chão. Caminhou até o banheiro, se trancando lá. Ao se ver sozinho, forçou o dedo contra a garganta, provocando o vômito que não tardou a vir, juntamente com as lágrimas que segurava.

Quando sentiu que já não havia nada para sair, levantou o rosto e se olhou no espelho. Estava um desastre. Os cabelos negros bagunçados e colados ao rosto pelo suor. Os olhos vermelhos pelo choro, as bochechas molhadas pelas lágrimas quentes, os lábios ainda inchados. Sim, um desastre, mas sabia que não deixava de ser bonito nem mesmo naquele estado.

Para Baekhyun, beleza e inteligência eram as maiores armas de uma pessoas e essas duas coisas ele tinha de sobra, sabendo muito bem como aproveitar cada uma delas em seu devido momento.

Sorriu, olhando cada detalhe do caos em seu rosto e, pela primeira vez naquela noite, seus olhos refletiram seu sorriso.


Notas Finais


Então, gente foi isso para o primeiro capítulo. Vou tentar postar o próximo o mais rápido possível. Até lá:*


- comentários fazem muita gente feliz 🤭


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...