História Ruggarol depois de sou luna - Capítulo 42


Escrita por:

Postado
Categorias Sou Luna
Tags Ruggarol
Visualizações 171
Palavras 1.502
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Aventura, Ficção, Terror e Horror

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


💠Boa Leitura💠

Capítulo 42 - Que saudades


E vamos correndo para fora do aeroporto tipo doidos. Quando chegamos lá fora, já pegamos o Uber, já que eu e a Karol íamos para casa dos pais dela, o Mike e a Valentina iam para casa da família Ronda e a Giovanna ia visitar seus pais. "E o restante?" vc se pergunta, bom vão todos para um hotel, mais tenho certeza que vão passar mais tempo curtindo por aí, do que no hotel

Pegamos o Uber e fomos para casa da Karol. Não demoramos muito já que não era tão longe do aeroporto, mais também não era tão perto, enfim chegamos lá em pouco tempo. Quando chegamos pagamos o Uber pegamos nossas malas e fomos para casa da Sevilla

Chegamos em frente a porta e ela deu um sorriso e apertou a campainha. Não demorou muito e um homem um pouco mais alto que eu, cabelos cacheados, magro que presumi ser o pai dela, abriu a porta. Ele olhou muito feliz para Karol e deu lhe um grande abraço

Kah- pai que saudades - diz se soltando do abraço e dando outro sorriso

Ricardo- também senti muitas saudades - diz e olha para mim - ah, e quem é ele?

Kah- Sim, ele é o Ruggero - aceno com a mão e ele da um sorriso - meu namorado - e assim ele desfaz o sorriso e fica com uma cara que não consegui decifrar

Ricardo- Olá Ruggero, sou Ricardo Sevilla - diz e aperta minha mão em comprimento, mais ainda me olhava estranho

Tenho certeza que a Karol deve ter percebido o clima tenso que estava aquela hora então resolveu se pronunciar

Kah- bom pai, eee é onde esta a mamãe e o Maurício?

Ricardo- sua mãe teve que viajar com o Maurício e deve ficar uns três dias fora. Mas te falo mais detalhes depois, agora entrem

Kah- ok 

Pegamos nossas malas e entramos para dentro da casa. Então fomos andando até a escada e quando estávamos quase chegando perto de seu quarto seu pai resolveu falar algo para ela

Ricardo- SEU QUARTO ESTA EM ORDEM COMO DEIXOU A ÚLTIMA VEZ FILHA - diz gritando lá da cozinha

Kah- OK - diz também gritando 

Enfim entramos em seu quarto, colocamos suas malas em um canto e eu deito de barriga em sua cama, enquanto ela sentou na cama e começou a mexer em meus cabelos

Rugge- amor, acho que seu pai não gostou de mim - digo colocando minha mão em sua coxa e começando a fazer carinho ainda deitado na mesma posição de antes

Kah- pq acha isso? - diz ainda mexendo em meus cabelos

Rugge- é que ele me olhou estranho quando vc disse que eu era seu namorado

Kah- amor não seu preocupa, é só questão de tempo para ele começar a gostar de vc

Rugge- ok, então vamos tomar banho?

Kah- claro estou morta de tanta canseira

Rugge- então vamos 

Levantamos da cama e vamos arrumar nossas roupas, que na verdade  eram pijamas, mais tudo bem não é?! já que tenho certeza  que nem eu nem ela vamos querer sair. Pode falar que já dormimos bastante no vôo, mais seria dizer que vcs não nos conhecem já que nos dois somos igual duas preguiças de tanto que dormimos

Mas enfim, ela termina de pegar suas roupas e vai para porta do banheiro me esperar de pegar a roupa. Finalmente acho uma roupa e vou até ela, que tinha um sorriso no rosto que me fez ficar boiando por muito tempo até eu me tocar e pensar em pedir para ela

Rugge- pq ta sorrindo? - digo e a olho curioso parado a frente a ela

Kah- vc sabe que demora mais que eu para achar uma peça de roupas não é? - diz dando risada

Rugge- vc quer brincar Sevilla? - digo colocando minhas duas mãos em volta de seu corpo a prensando contra a porta do banheiro

Kah- quero brincar e muito, só que com seu amiguinho aí embaixo - diz sussurrando em meu ouvido

Olho para baixo e vejo que já estou duro, esse é o efeito que a dona Karol Sevilla causa em mim

Rugge- então quer brincar com meu amiguinho é? - digo roçando nossas intimidades

Kah- sim... por favor - diz e da um gemido um pouco alto

Rugge- calma meu amor vai ter o que quer - digo roçando mais nossas intimidades e colocando a mão debaixo de seu moletom e o levantando devagar

Estava quase, quase lá quando somos interrompidos pelo Ricardo. Agora que me viu quase transando com sua filha, tenho certeza que quer minha cabeça sendo destruída por cachorros de três cabeças. Nós separamos super rápido quando ele entrou, mais mesmo assim ele nos viu. E pra nos ajudar, a minha ereção estava enorme, até tentei disfarçar, e cobrir com as mãos mais tenho certeza que ele viu

Ricardo- posso saber o que estavam fazendo - diz bravo e cruza os braços

Kah- mais não é meio óbvio? - diz e eu a olho assustado - o Ruggero só estava me dando um beijo 

Ricardo- Sim, por isso ele estava tirando seu moletom não é?! 

Kah- pai é que vc não entendeu, ele tava me ajudando a tirar esse moletom pq ele é um pouco apertado e eu não consigo tirar sozinha

Ricardo-  aham sei. Agora me reponde estavam indo tomar banho - diz quando vê nossas roupas jogadas na cama 

Rugge- estávamos

Ricardo- juntos? - diz com raiva

Rugge- nã... Não, não Sr Sevilla - digo  muito nervoso, merda

Ricardo- pois não parecia!

Kah- é que eu ia tomar banho primeiro e depois ele ia tomar banho

Ricardo- sabe que eu tenho uma solução?! - diz sarcástico - pq vc Ruggero, não toma banho no quarto de hóspedes

Rugge- mais não quero encomo...

Ricardo- mais não vai encomodar nem um pouco - diz ainda sarcástico - pegue sua roupa e venha comigo

Rugge- é claro - digo e olho para Karol que estava triste

Pego minha roupa e vou para quarto de hóspedes. Lá entro no banheiro e ligo o chuveiro, e logo em seguida entro no mesmo 

Enquanto tomo banho começo a pensar, eu queria muito estar com a Karol agora, queria sentir seu corpo ao meu enquanto as gotas d' água caem sobre nossos corpos nús, fico até duro de pensar

Mas não precisava ser para transar, e sim só para sentir seu corpo ao meu, para lembrar que nada nem ninguém vai nos separar

Depois de longos minutos no banho, lembro que meu sogro é o cão de ruim e já deve estar queimando de raiva por eu demorar tanto no banho.  Saio super rápido do banho, me visto e abro a porta bem devagar

Olho para todo o canto do quarto e não vejo ninguém, então com certeza o Ricardo deve estar em outro cômodo por aí. Então resolvo sair do quarto e... Me dou de cara com ele

Rugge- oo... Oi Sr Sevilla

Ricardo- sem querer me enrolar, quero conversar com vc 

Rugge- claro, pode falar

Ricardo- quero que saiba que não gosto que vc e minha filha fiquem se pegando, e te digo uma coisa, não quero que em momento algum vc e ela trazem na minha casa ok

Rugge- é claro 

Ricardo- não confio que um qualquer um fique tendo relações sexuais com a minha filha

Rugge- só pra deixar claro, eu não sou "qualquer um". Eu respeito sua filha, e muito. Eu só faço com ela o que ela quer, e sei que só podemos fazer esse tipo de coisa quando confiamos um no outro - digo explodindo de raiva

Ricardo- olha aqui, não confio em nenhuma de suas palavras. E da próxima vez que for querer dar lição de moral, lembre que sou eu que decido se um dia poderá se casar com minha filha, então pense bem no que sempre irá dizer ou fazer para mim

O encaro sério e saio dali sem lhe dizer nada vou para quarto da Karol, mais eu não vou dizer para ela o que aquela peste me disse, ela não precisa saber das regras que não serão seguidas por mim. Chego no quarto e ela esta lá mexendo no celular

Rugge- oi meu amor - digo e sento na cama onde ela estava deitada

Kah- oi mor - diz e me da um selinho - desculpa pelo que meu pai disse, ele não gosta que faça certas coisas, principalmente se for na casa dele

Rugge- então não vou poder fazer nada por uma semana? - digo triste

Ela pensa um pouco

Kah- nem que meu pai me de a maior bronca do mundo, mais eu vou fazer o que vc quiser e na hora que quiser - ela diz e me deito ao seu lado

Rugge- a hora que eu quiser é - digo a olhando malicioso

Kah- é claro, tipo agora - diz e sobe por cima de mim

Se pensei no que o Ricardo me disse? Sim, pensei mais não estou nem aí para aquelas merdas que ele falou, principalmente vou fazer isso pq ele me chamou de "qualquer um"

Rugge- se prepare para melhor noite de todas - digo e seguro sua cintura

Kah- com vc todas são as melhores - diz e começa a rebolar sobre meu membro

E assim começa a primeira de muitas rodadas de...


Continua??








Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...