História Ruin Of Hogwarts - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Harry Potter, The Originals
Personagens Alvo Dumbledore, Antíoco Peverell, Bellatrix Lestrange, Blásio Zabini, Cedrico Diggory, Cho Chang, Córmaco Mclaggen, Cornélio Fudge, Dama Cinzenta, Dino Thomas, Dolores Umbridge, Draco Malfoy, Elijah Mikaelson, Ernesto Macmillan, Esther Mikaelson, Fenrir Greyback, Fílio Flitwick, Finn Mikaelson, Fred Weasley, Freya Mikaelson, Gellert Grindelwald, Gina Weasley, Godric Gryffindor, Gregory Goyle, Gui Weasley, Harry Potter, Hayley Marshall, Helena Ravenclaw, Helga Hufflepuff, Henrik Mikaelson, Hermione Granger, Hope Mikaelson, Horácio Slughorn, Ignoto Peverell, Jorge Weasley, Klaus Mikaelson, Kol Mikaelson, Lílian Evans, Lord Voldemort, Lucius Malfoy, Luna Lovegood, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Mundungo Fletcher, Murta Que Geme, Narcissa Black Malfoy, Neville Longbottom, Newton Scamander, Pansy Parkinson, Pedro Pettigrew, Remo Lupin, Ronald Weasley, Rowena Ravenclaw, Rúbeo Hagrid, Salazar Slytherin, Severo Snape, Sirius Black, Tiago Potter, Tom Riddle Jr., Vincent Crabbe
Tags Crossover, Personagem Original
Visualizações 23
Palavras 1.237
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Fantasia, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Quinto capítulo, folks.

Capítulo 5 - The Sorting Ceremony


As portas do castelo se abriram e todos nós começamos a caminhar em direção ao Salão Principal onde acontece a Cerimônia de Seleção.

E eu realmente queria ver o que Dumbledore teria faria em relação à minha seleção, já que obviamente eu não irei para o primeiro ano, eu quero ver a desculpa que ele dará aos alunos e demais professores, exceto Professora McGonagall, Snape, Flitchwick e Binns, e eu tenho sérias dúvidas de que o último se lembraria de algum dia ter me visto.

Conforme os alunos que já haviam passado ela Cerimônia entraram, a Professora McGonagall parou a minha frente e pediu que eu esperasse que os alunos do primeiro ano fossem selecionados e que assim que terminasse, eu poderia entrar.

Passados uns vinte minutos, com meu celular ainda em mãos, eu não consegui escutar mais nenhum som vindo do Chapéu Seletor que, além de separar os alunos do primeiro ano por casas, cantara uma nova música falando sobre como uma guerra estava por vir e tudo mais, e nem da própria McGonagall indicando os alunos onde deveriam sentar, então me aproximei das grandes portas e com um uso mínimo de força as empurrei fazendo com que elas se abrissem.

E de repente toda a atenção se voltara para mim. Era hora de começar o show. Dumbledore se levantou e parou diante de um pequeno pedestal com uma coruja e esperou até que eu estivesse perto o suficiente.

O barulho que o impacto do meu salto fazia com o chão tornava tudo mais excitante. Eu já disse o quanto eu gosto de ser o centro das atenções?

Ao caminhar entre as mesas de cada casa, eu podia ver algumas pessoas cochicharem com quem estivesse mais próximo, mas sem ainda tirar os olhos de mim. Segundos depois, eu me encontrava parada degraus abaixo de Dumbledore e do banco que os alunos normalmente sentavam para serem selecionados.

— Senhorita Villegas, creio que ocorreu tudo bem com a transferência de Ilvermorny para cá. —ele disse assim que eu estava próxima o suficiente. Ilvermorny, huh? É errado eu apenas saber que é a Escola de Magia dos Estados Unidos?

— Sim, diretor. Tudo perfeitamente nos trilhos. — sorri docemente, e ele retribuiu.

— Certo, certo. — disse e piscou levemente para mim. — Bom, essa é Marianna Villegas. Nossa nova aluna e ela estará se juntando a Hogwarts do quinto ano em diante. —disse em alto e claro tom. — Queira se sentar, senhorita Villegas.

Assim que ele apontara para o pequeno banco de madeira, eu me dirigira até o mesmo e segundos depois de sentar, pude sentir o Chapéu ser colocado na minha cabeça.

— Oh, curioso. Muito curioso. — disse o Chapéu. — Uma grande vontade de mostrar que é capaz, mas também grande força e determinação. Você se daria muito bem na Grifinória, sabia? — eu dei de ombros quando ele disse isso, eu realmente não me importava onde seria colocada. — Mas além disso a ambição, orgulho e passado se sobrepõe lhe garantindo um ótimo lugar na Sonserina. — constatou o objeto, mas no mesmo momento em que dissera pareceu se questionar e ficou quieto novamente. — Difícil, realmente difícil. Vejo que possui uma mente sábia, muito sábia, e muito complexa também. Além de criativa e prática. Sabe exatamente como lidar com certas situações. Eu já sei onde te colocar. — disse e pareceu satisfeito consigo mesmo. — CORVINAL.

Aplausos irromperam da mesa à minha esquerda, onde eu pude ver o brasão azul e prata com um corvo no centro. Sorri levemente e me direcionei a tal mesa, me sentando na ponta.

Depois que o silêncio se sobrepora novamente, Dumbledore se levantou e começou novamente seu discurso sobre como a Floresta era restritamente proibida para qualquer aluno, deu avisos de Argo Filch e no meio de tudo o que ele falara, eu me perdi em uma figura rosa que sentava na outra estremidade da mesa, ela tinha uma expressão arrogante.

A mulher tivera a audácia de interromper Dumbledore enquanto ele falava, e com apenas um leve movimento de cabeça fez com que ele a apresentasse. Dolores Jean Umbridge. Sub-secretária sênior do Ministro da Magia e, agora, intitulada professora de Defesa Contra As Artes Das Trevas.

E não fora apenas uma vez que ela fizera um "un-um". Três vezes bastaram para que ela conseguisse arruinar todas as tentativas de Dumbledore para dar os recados da noite.

 

  E as palavras dela soaram bem idiotas no meu ponto de vista, mas resumindo tudo ela disse que o ensino em Hogwarts deveria começar a ser monitorado pelo Ministério da Magia e que a escola agora deveria ter professores indicados pelo Ministro e mais um monte de baboseiras, ou seja, como disse a garota na mesa próxima, o Ministério vai interferir em Hogwarts.

Assim que ela finalmente terminou o discurso ensaiado, Dumbledore disse que o jantar poderia ser servido e imediatamente os recipientes à nossa frente se encheram de vários tipos de comida.

Depois da terceira garfada no meu prato, eu já poderia admitir que estava até bem apetitosa a comida, no geral. Mas mesmo com os sabores maravilhosos que cada prato em especial, eu ainda sentia falta de alguma coisa. Como Dumbledore o deixou claro anos atrás, a minha parte vampira fora sim reduzida assim que eu atravessei os portões de Hogwarts.

Mas o que ele não esclareceu foi que apenas parte foi reduzida, quer dizer, eu ainda sentia a minha força vibrar por todo meu corpo, ainda poderia escutar claramente o que acontecia fora do Salão Principal e o sangue pulsando de cada pessoa presente.

Ou seja, apenas a minha sede foi minimizada. Repetindo, minimizada, não erradicada. E se esses feitiços não fossem checados regularmente, eu tenho certeza que em breve estaria me alimentando normalmente novamente.

Após o jantar, cada casa teve que seguir seu monitor respectivo e se direcionar para seus dormitórios e se preparar para a aula no dia seguinte. Ao chegar na torre em que ficava o dormitório da Corvinal, o monitor rapidamente respondeu ao enigma que o quadro fizera e assim que ele se abrir, nós entramos.

A mesma menina asiática estava parada alguns passos de distância de mim e eu pude escutar ela cochichando sorrateiramente com a mesma colega sobre Harry. Pelo visto o menino Harry anda arrasando corações.

Ao ir para o dormitório feminino que fora indicado pelos monitores, eu rapidamente entrei no quarto que tinha meu nome manuscrito em uma caligrafia caprichosa na porta, e entrei no mesmo e ao olhar para a cama perto da janela, pude ver minhas malas.

Você deve estar se perguntando porque eu não usei um malão, certo? Bom, primeiro, eu acho aquelas coisas antiquadas demais. Dois, não colaria bem eu colocar as bolsas de sangue que eu trouxe por precaução no meio de tudo e três, eu não trouxe tudo o que a lista pedira. Apenas o básico, livros que eu tinha certeza que usaria e as penas, tinteiros, e outras coisas que Minerva exigiu estritamente que eu trouxesse.

Depois de me livrar da roupa que eu vestia e colocar apenas uma blusa que eu peguei de Damon na última vez que nos vimos, eu pude escutar passos vindo em direção ao quarto em que me encontrava e rapidamente fechei as minhas malas e coloquei meu celular embaixo do meu travesseiro com o alarme já acionado para tocar às 06:00 da manhã.

Amanhã será um longo dia.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...