História Rumours - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Sou Luna
Tags Ámbar Smith, Simbar, Simón Álvarez, Sou Luna
Visualizações 1.075
Palavras 3.885
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olha eu aqui de novo com mais uma história nessa bagaça.
Quem aqui tá com saudades de Simbar? Porque vamos combinar, em SL3 tem tudo, menos esse casalzão da porra.
Vamos para mais um capítulo.

Capítulo 1 - Capítulo 1


Fanfic / Fanfiction Rumours - Capítulo 1 - Capítulo 1

 "Souberam que temos uma novata?"

      "Ouvi dizer que ela é fria e sem coração."

      "Parece que foi tudo por causa dos ex namorados que ela teve. Eles não a trataram bem!"

      "Ouvi dizer que seu corpo é fantástico, se é que me entendem!"

      "Pelo o que eu sei, as amigas dela a odeiam porque ela conquista todo cara que quiser!"

      "E ela deixa os garotos babando por ela"

      E todos do Blake South College falavam da novata.

      A mesma conseguiu que todos falassem dela antes mesmo que todos vissem seu rosto.

      - Opa, galera. O que estão falando?

      Simon Álvarez.

      Um simples mexicano de 18 anos que está prestes a terminar o ensino médio se adentra na sala de aula e vai até seus "parças".

      Era o único de seus amigos - Matteo, Pedro e Nico - que não se importava muito em ter a fama de "pegador"; seu apelido é "certinho" por causa disso.

      - Da nova aluna! - Matteo responde. - Soubemos que ela é gostosa pra caralho.

      - Começou! - Simon revira seus olhos. - Sempre que entra um novato, começa esses rumores, boatos, fama ou mais sei lá o quê.

      - Não é verdade! - Foi a vez de Nico falar.

      - Antes de me conhecerem, vocês pensavam que eu tinha uma cabra de estimação justamente por causa desses rumores.

      - Não iremos errar novamente. - Pedro fala.

      - Vocês pelo menos sabem como é o nome dessa garota? - eles negam com a cabeça - Então por que diabos vocês estão falando dela?

      - Eu conheço uma pessoa, que conhece um pessoa,que conhece outra pessoa, que conhece a prima da irmã da melhor amiga dessa garota. - Matteo responde. - Ela nos contou tudo.

      - E quem disse que isso é verdadeiro? - Simon cruza os braços - Nem sempre boatos são verdadeiros, já pararam para pensar.

      - Você é muito clichê, Simon! - Nico revira os olhos.

      - Vocês que são loucos! - o garoto revira os olhos novamente.

      - Hey, calem a boca. - Diz Pedro - a novata tá entrando.

      Todos desviam seu olhar diretamente para a porta, entrando a aluna nova na sala.

      Seus cabelos era um loiro longo com mechas rosas, usava uma maquiagem dark e não ligava para os olhares que lhe cercavam.

      Era mediana, com um corpo muito bonito, formado por leves curvas. Realmente ela é muito bonita.

       A garota passa pelos quatro amigos, deixando os mesmos boquiabertos com tamanha beleza e a loira vai para uma carteira em um canto isolado da sala, para que não chamasse mais atenção do que já tinha.

      - Eu disse que a garota era gostosa! - Matteo foi o primeiro a se pronunciar.

      - Isso ninguém pode negar! - Pedro comenta - Até as garotas estão olhando-a.

      - Nico, você precisa convidá-la pra sua festa no sábado!

      - Eu irei! - rapidamente, o loiro confirma.

      - Qual é, caras? - Simon começa - Não pode convidar uma garota que nem conhecem para uma festa. E se ela achar que vocês são tarados?

      - Ela não parece conhecer ninguém e festas são uma maneira incrível de interagir com as pessoas. - Matteo Balsano: sempre querendo ser o dono da razão. - Não vejo problemas em convidá-la. E vocês?

      - Eu também não!

      - Digo o mesmo!

       Simon revira os olhos mais uma vez naquela manhã. Seus amigos eram tão cabeças duras.

      - No intervalo, eu a convidarei. - Nico fala.

      - É bom que ela não aceite!

      - Põe praga em outro, cara. Em mim não.

      - Vocês estão muito confiantes!

      - Se não estivermos, quem vai estar por nós?
...

      Intervalo.

      Nico acabava de voltar para seus amigos após falar com a garota nova sobre a festa.

      - Então? - Matteo pergunta esperançoso.

      - Ela vai! - Nico responde e todos, com exceção de Simon, comemoram.

       - Vocês se animam com qualquer coisa! - Simon resmunga.

      - Simon, não acaba com nossa alegria. - Pedro comenta.

      - Não estou acabando, só estou dizendo que ela concordou em ir à festa, mas quem garante que ela vai ficar com algum de vocês?

      - Cala a boca, Álvarez! - Os três falam em coro e Simon revira os olhos.

       - Ok, ok, ok... Então Nico, como é o nome dela?

      - Como assim?

      - Você não perguntou qual é o nome da garota? - Simon bate na própria testa.

      - Eu esqueci desse detalhe!

      - Você apresentou-se para ela? - ele assente - Então por que diabos você não perguntou o nome dela?

      - Ok, dono da razão. - Nico se levanta - Vou ir lá perguntar o nome dela!

      O mesmo se levanta e vai novamente até a garota, mas logo volta.

      - Seu nome é Âmbar. Âmbar Smith.
...

      A semana vai passando e os rumores sobre a garota nova foram continuando. Ninguém sabia de onde ela veio, o que fazia a loira ser mais cobiçada por garotos e garotas.

      Sábado acabara de chegar e a festa de Nico também.

      Todos já estavam animados para a festa, mas após saber que a novata iria, a animação dos rapazes só aumentou, o que confirmou um dos boatos: "as amigas dela a odiavam porque ela sempre tinha os garotos aos seus pés".

      Mas que culpa Âmbar tinha? A garota é linda, mas muito linda mesmo.

       O horário da festa chegou e as pessoas foram começando a chegar.

      Nico já estava até um pouco bêbado. Álcool era algo que nunca faltou nas festas do loiro. E bem, todos gostavam desse pequeno detalhe.

      Simon acabara de chegar no local e procurou o amigo.

      - Opa, Nico!

      - Simon, meu amigão! Quer alguma coisa? Cerveja? Vodka?

      - Do jeito que seus jogos aqui só tem álcool, eu prefiro esperar até eles!

      Simon não era muito fã de bebida alcoólica, mas sempre participava dos jogos de Nico que deixavam qualquer um em coma alcoólico.

      - Garoto esperto, garoto esperto! - ambos riem.

      Pedro e Matteo se aproximam dos amigos.

      - Hey, hey, hey!

      - Está louco, Matteo? - Simon pergunta ao ver o amigo animado demais, mas quem responde é Pedro:

      - Âmbar acaba de chegar!

      Eles olham para a porta e ver a loira entrando e por Deus, parecia uma modelo desfilando.

      Seus cabelos longos e rosa estavam voando com a pequena brisa do local, com um batom vermelho super sedutor, mas isso sem tirar a atenção da saia curta que valoriza suas coxas/pernas e do cropped que valoriza seus seios até demais - ambos vermelho - em seu corpo, o que confirmou mais um rumor: "Ela sempre conseguia ser mais sexy!"

      - Da licença que eu sou o anfitrião dessa festa e tenho que falar com todos que chegam!

      Nico sai da frente dos amigos e vai falar com a garota.

      - Caralho, eu preciso dessa garota em um colchão! - Matteo falou aos amigos.

      - Ela é gata para um cacete! - Pedro fala.

      - Isso eu não posso negar! - Foi a vez de Simon.

      A questão é, Âmbar conseguia hipnotizar qualquer pessoa fácil, fácil.

      Nico parecia querer a garota, mas ela realmente não dava muito bola para ele. Apenas veio à festa para querer se divertir um pouco. Não há nada demais nisso.

      - Você quer alguma coisa? Uma cerveja? Vodka?

      - Uma água sem gás está de bom tamanho! - a garota fala tentando não soar grossa. Para falar a verdade, já estava cansando-se do loiro.

      - Certo, já volto com sua água!

      Assim que o garoto desaparece de sua vista, Âmbar revira os olhos.

      - Que garoto irritante! - Âmbar murmura.

      Precisou esquecer que aquele garoto existia ir dançar um pouco.

      Assim que dança, todos a encaravam. Uns mais discretos e outros nem tanto. Mas ela não estava nem aí.

      Não chamava atenção de propósito, ela não podia evitar de ter todos os olhares para ela; a única coisa que ela tinha que fazer era ignorar.

      A Smith notou que alguns olhares eram tão maliciosos quanto outros, e fazia tempo que não pegava ninguém desde a tragédia de seu último relacionamento. Talvez ela precisasse de sexo essa noite.

      Ela olhou para alguns rapazes e pensou na possibilidade de poder ficar com um deles, mas nenhum lhe atraía, até que seu olhar se chocou com um moreno dos olhos chocolates, que logo desvia o olhar ao ver a loira a encarava.

       Âmbar sorriu mordendo seu lábio inferior.

        Tímido? Âmbar adorava os tímidos, pois todos os tímidos eram os mais safados na cama.

      Mesmo sem saber o nome do rapaz, a garota colocou na cabeça que iria pegá-lo,ou não se chamava de Âmbar Smith.

      Do lado paralelo da jovem, Simon acabara de desviar do olhar de Âmbar. Apesar de todos falarem que a garota era uma bênção, Simon notava aqueles olhos diabólicos que a menina tinha e era até tentador.

      Simon não podia evitar de que Âmbar era uma grande tentação e que até ele mesmo queria ficar com a garota por uma vez na vida, pelo menos.

      Mal sabia ele que a noite só tava começando.
...

      - Vamos começar o melhor jogo de todos: Beer Pong! - Nico começa falando e todos aplaudem. - Acho que vocês conhecem, mas vou explicar para não restar-lhes dúvidas: vamos dividir-nos em dois grupos e chamaremos uma pessoa por rodada. Terá os dez copos de cerveja e o adversário tentará acertar um dos copos do outro time. Caso acerte, a pessoa que está jogando bebe toda a cerveja. Quem acertar a bola de ping pong em todos os copos, vence e ainda faz o grupo todo beber mais um copo de cerveja. - todos estavam empolgados. - Preparados?

      - SIM! - um grito eufórico saiu na garganta de cada jovem que estava lá, com exceção de Âmbar, que jurou ter estourado os tímpanos.

      - Ótimo, vamos começar!

      As equipes se separaram e as duas primeiras pessoas começam o jogo.

      Nem devo citar que aquele jogo só enlouqueceu todos ainda mais. Eles já estavam bêbados e após o jogo então... Deus livre-os da maldita ressaca que terão no dia seguinte.

      A única pessoa que não estava bêbada por completo era Âmbar. Ela tinha bebido sim, mas estava totalmente consciente de seus atos.

      Simon também estava bêbado, mas não tanto quanto os jovens da casa, porém não tão consciente como Âmbar. Digo, ele podia ser o mais certinho do grupo, mas a bebida fazia um efeito nele.

      Após o décimo quinto round, todos decidiram que era melhor continuar dançando - ou tentando, já que eles cabaleavam para os lados mais do que dançavam - e alguns adolescentes assanhados aproveitaram para fazer mais coisas. Âmbar viu a oportunidade perfeita para pegar o "garoto tímido".

      Âmbar procurou pelo garoto e, quando o encontrou, foi discretamente até o garoto, puxando-o para longe daqueles milhares de hormônios.

      Quando já estavam afastados da festa, Simon iria reclamar e xingar a pessoa quem estava lhe puxando, até se virar e se deparar com Âmbar.

      Xingamentos? O que é isso? É de comer!?

      - Âmbar?  - o garoto pergunta sem entender nada. Por um momento pensou que estava muito bêbado e vendo alucinações.

      - Ah, vejo que me conhece! - Simon escuta aquela voz doce pela primeira vez em uma semana.

      Âmbar não era de falar muito no colégio e Nico era a única pessoa que devia ter tido coragem para falar com ela.

      - Sim! Digo, todos conhecem. - A Smith revira os olhos. É claro que a conheciam.

      - É claro, minha "reputação". - a mesma diz em um tom irônico a palavra "reputação".

      - Bem, tem algum problema onde eu possa ajudar?

      - Eu quero transar contigo! - Âmbar diz direta e Simon até arregalou os olhos pensando não ter escutado certo.

      - É... Pode repetir?

      - Eu. Quero. Transar. Contigo. - diz pausadamente cada palavra.

      - Você não sabe nem meu nome!

      - Qual é seu nome, amorzinho? - e mais uma vez ela usou a ironia.

      - Simon Álvarez.

      - Simon Álvarez, você poderia fazer o fazer de foder a minha boceta? - perguntou mais uma vez.

      Âmbar era direta. Não tinha isso de enrolar não. Se ela quisesse, ela falava/fazia em um piscar de olhos.

      Simon acabou não resistindo a garota e logo lhe puxa para um beijo quente.

      Que pegada!, Âmbar pensou. Se ele era assim só com uma simples pegada, imagine na hora da transa? Aí sim a Smith aproveitaria.

      Por sorte, Simon conhecia a casa de Nico e foi guiando Âmbar para o quarto mais próximo, sem se separar do beijo. Honestamente, a loira adorava a pegada do mexicano.

      Com um pouco de dificuldade, Simon abre a porta do quarto e por sorte ninguém estava lá dentro. Ainda sem separar de Âmbar, o mexicano tranca a porta ao entrarem.

      A Smith já foi retirando a camiseta listrada de Simon e foi passando seus beijos para o pescoço do mesmo. O Álvarez arfou.

      O batom de Âmbar já nem estava mais em seu rosto, mas nem reclamou, apenas ficou lá no pescoço de Simon dando-lhes mais beijos e iniciando os chupões.

      Âmbar chupava o pescoço de Simon enquanto arranha o abdômen do mesmo e o mexicano novamente arfa.

      Simon segurou o suas coxas firmemente e levanta-a, levando-a até a cama.

      O mexicano se deita por cima da garota e a beija novamente.

      O beijo era quente, Simon apertava a cintura de Âmbar para se aproximar mais dela. A Smith envolve seus braços ao redor do pescoço do garoto. Podiam deixar aquele quarto em chamas a qualquer momento já que o nível de tesão entre os dois não podia ser disfarçado.

      Suas bocas se encaixavam perfeitamente e ambos se beijaram como se não houvesse amanhã.

      Simon já não aguentava mais, quando suas mãos foram para as costas de Âmbar e foi abrindo o zíper do cropped vermelho tão atraente da mesma.

      Ele retira a peça de roupa da garota e ver seus deliciosos seios em sua frente. Apesar de não ver seu corpo nú por completo, mais um rumor se confirmou: "Ela fica linda sem roupa".

      Simon sorri malicioso e toca nos seios de Âmbar, que de imediato arrepia-se o toque do moreno.

      Simon, Simon, Simon. Tímido na rua, safado na cama. Âmbar tinha razão e isso porque mal começou.

      Os bicos do peito de Âmbar se endurecem, fazendo Simon abocanhar o seio direito enquanto tentava tirar a saia da mesma, até que foi rápido.

      Enquanto chupava o peito de Âmbar, o outro era estimulado pela mão esquerda de Simon e a outra mão foi para debaixo de sua calcinha com os dedos indicador, médio e anelar dentro da menina fazendo movimentos circulares lentamente em seu clitóris. 

      Âmbar gemia. Alto e intensamente. Se a música não estivesse extremamente alta, a loura poderia ser escutada por todos os cantos da casa.

       As mãos de Âmbar foram para as costas de Simon e logo pôs as unhas para arranhar o garoto, que soltou um gemido rouco enquanto ainda chupava o peito da menina.

      Simon troca de seios, mas continua estimulando o clitóris de Âmbar e a outra mão livre foi para o outro seio da mesma. Mais uma série de gemidos de Âmbar.

      A garota estava adorando ser tocada por ele. Ao contrário dos outros caras com quem ficou, Simon era gentil em todos seus toques, apesar de todo tesão que sentia no momento e era gostoso pra caralho.

      Simon passou a depositar uns chupões e mordidas nos peitos de Âmbar e a mesma começou a morder os seus lábios sentindo sua intimidade se contrair e ficar cada vez mais úmida. O fato de Simon ser gostoso ajudava um pouco sua intimidade estar mais molhada do que o maior oceano do mundo.

      Não se contentando só com os seios da jovem, Simon vai descendo cada vez mais, indo entre as pernas de Âmbar e afastando-as enquanto retirava sua calcinha.

      - Delícia! - Simon sussurra com um sorriso maroto em seu rosto ao ver Âmbar molhada.

      Antes de ir de boca para os lábios de baixo de Âmbar, Simon começa provocando-a com leves beijos ao redor de suas coxas. Uns beijos aqui, uns beijos lá, Simon começou a mordiscar as coxas de Âmbar e dar mais alguns chupões. O corpo dela ficaria completamente com as marcas dele e ele sorriu.

      A boca de Simon era quente. Quente demais até para Âmbar, mas ela sabia que precisava daquela boca lhe chupando tão fodidamente que ela não iria se cansar nunca.

      - Ai, caralho... - ela geme ao sentir uma chupada rápida em sua vagina, mas que logo não sentiu mais. - S-Simon...

      - Peça! - Simon diz sedutoramente.

      - Me chupa, porra!

      Com um sorriso no rosto, Simon começa a fazer uma oral em Âmbar.

      Apesar de Simon não saber, Âmbar adorava oral e é claro que o garoto estava se saindo bem nisso.

     Âmbar segura os cabelos de Simon e "ajudou-o".

      A língua de Simon parecia estar dando mais um beijo quente na loira, com a diferença de que os lábios de baixo eram os protagonistas do beijo. Sua língua se movia tão bem que Âmbar podia gozar bem rapidamente, mas se conteve. Os dedos de Simon começaram a participar da oral quando eles foram diretamente pro clitóris da Smith.

      Âmbar soltou um gemido tão alto que soou como um grito. Simon acabou tendo uma nova voz favorita: a de Âmbar - gemendo ou não.

      Âmbar não podia estar mais maluca com Simon. O garoto beijava bem, mamava bem e ainda chupava bem? Sem contar que Simon era extremamente delicioso, diga-se de passagem. Oh céus, era o paraíso com uma pegada de inferno.

       Ao sentir um líquido quente na sua boca, Simon suga e engole todo o conteúdo. Âmbar tinha um gosto maravilhoso.

      Ele vai pra cima e começa beijando-a mais uma vez. Na verdade ele queria ser retribuído e Âmbar sabia pois logo se posicionou em cima de Simon.

      O pescoço de Simon já estava cheios de chupões, mas Âmbar não hesitou e enquanto tirava sua calça, junto com sua cueca, também dava mais chupões em Simon.

      Ela foi descendo por todo tórax e abdômen de Simon, dando beijos e arranhões no mesmo, até que chegou ao pênis do garoto. Grande e grosso, além de estar mais do que duro. Âmbar sorriu marota.

      Ela pegou no pau do garoto e abocanhou. Que boca gostosa, Simon pensou. Não era só a boca, mas Âmbar era gostosa.

      Com a glande em sua boca e as mãos nas bolas do garoto, Âmbar começou a fazer o melhor boquete que Simon recebeu na vida.

      Âmbar o chupava como ninguém nunca o chupou na vida. Ela ia abocanhando cada vez mais o pau de Simon que parecia que iria engasgar a qualquer momento. Ela soltou um risinho e falou:

      - Eu adoro sentir sua glande sufocando minha respiração! - Âmbar diz rápido e Simon solta um risinho, que logo foi substituído por um gemido ao sentir a boca da loira novamente.

      Âmbar continuava chupando Simon, até que começou a fazer movimentos lentos para provocá-lo, e sim, ela conseguiu.

      - Eu vou gozar, Âmbar!

      Simon alerta, mas isso só fez Âmbar acelerar os movimentos cada vez mais e assim sentiu o gosto de Simon em sua boca, também engolindo tudo.

      Suas respirações estavam ofegantes. Ambos haviam gozado, mas ainda queriam continuar - e foi o que fizeram.

      Simon agradeceu muito o fato de que, quando tinha festas, a casa de Nico era o que mais parecia um Swing e agradeceu ainda mais por ter camisinhas na mesa ao lado da cama.

      Ele coloca uma camisinha em seu pau, que continuava duro apesar de ter gozado, e vai até a entrada de Âmbar, a penetrando logo. Estava louco para foder com ela.

      Apesar de doer no começo, a dor se tornou algo minúsculo comparado ao prazer que ambos estavam sentindo naquele exato momento.

      Simon fodia tão bem, Âmbar pensou.

      O Álvarez segurou a cintura de Âmbar e começou a apertá-la, enquanto a loira rebolava sentindo cada vez mais o pau dele dentro dela. Era uma delícia.

      Mais um vez, Âmbar o puxa para um beijo. Mais um beijo quente e desesperado.

      Simon beijava bem e Âmbar gostava de beijá-lo. Digo o mesmo em relação ao garoto.

      Âmbar morde lentamente o lábio inferior de Simon que soltou um grunhido excitante.

      Ambos chegam ao seu limite e mais uma vez gozam.

      Simon sai de dentro de Âmbar e pensou que a transa havia acabado, até que viu ela ficando de quatro pra ele.

      - Tem certeza? - o garoto pergunta. Fazer um anal dói.

      - Temos a noite toda e minha imaginação é fértil, Simon!

      Ao receber uma piscadela de Âmbar, Simon perdeu totalmente a sanidade e pega outra camisinha -e um lubrificante, já que não era uma das coisas mais fáceis a fazer.

      Simon se posiciona mais uma vez e vai entrando dentro do ânus de Âmbar, começando a fazer os movimentos dentro da garota mais uma vez enquanto segurava seu cabelo como um rabo de cavalo.

         Âmbar soltou um grito. Sexo anal conseguia ser tão prazeroso quanto o sexo normal e ela não podia evitar de soltar mais gemidos.

      - M-mais rápido!

      Ela manda e Simon obedece. O garoto aproveitou e depositou mais beijos na nuca da garota e chupões em suas costas.

      Gostoso!, Âmbar pensou.

      Gostosa!, Simon pensou.

      A mão livre de Simon foi para a vagina da garota e os seus dedos vão acompanhando os movimentos que seu pênis fazia, fazendo Âmbar delirar.

      E pela terceira vez essa noite, eles gozaram, além de ter o famoso orgasmo.

      Simon se deita ao lado de Âmbar e ambos quase não conseguiam respirar de tão ofegantes que estavam. Foi a melhor transa que eles já tiveram na vida.

      - Caralho, isso foi bom!

      - Porra, você é muito gostosa!

      Âmbar se vira para Simon e deposita um beijo rápido no mesmo.

      - Você também é! - Âmbar solta uma piscada e Simon sorri.

      Âmbar se vira e pega no sono, já Simon ficou acordado um pouco, admirando a beleza da garota, até que finalmente pega no sono.
...

      Ao acordar na manhã de sábado, Simon se vira e não encontra Âmbar. Parou por um minuto e pensou que tudo não passou de um  sonho. Um sonho delicioso, mas ainda assim um sonho.

      Mas tudo mudou quando foi se levantou, olhou-se no espelho e viu todas as marcas que Âmbar deixou nele, principalmente em seu pescoço que tinha um chupão bem marcado. Sorriu.

      Pegou suas roupas, vestiu-se, desceu as escadas e encontrou todos num estado deplorável. Sentia pena da ressaca que todos teriam.

      Apenas ignorou e foi pra sua casa.
...

      11:20.

      Simon havia acordado naquele sábado com seu celular tocando. Logo xingou tudo que é nome,até ver que se tratava de mensagens de Nico.

      "Cara, tá rolando rumores de que Âmbar ficou com um cara!" [11:19]

      "Caralho! Esse cara não fui eu!" [11:19]

      "Pedro e Matteo também disseram que não foram nenhum deles e você eu tenho certeza que não foi!" [11:20]

      "Precisamos descobrir quem é o rapaz!" [11:20]

      "Esse cara sortudo!" [11:21]



       Merda, Simon pensou. Mas um boato rolou com Âmbar envolvida. E pior,o boato era mais do que verdadeiro.

      "Puta merda, no que eu me meti?", Simon pensou.




           .


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Já rolou sexo porque eu sou dessas, mas o que vem por aí? Façam suas apostas.
Beijooooos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...