História Rumours - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Sou Luna
Tags Ámbar Smith, Simbar, Simón Álvarez, Sou Luna
Visualizações 674
Palavras 3.000
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olha eu aqui. Devia tá dormindo pois tenho prova amanhã, mas eu tô aqui.
Vamos para mais um capítulo.

Capítulo 5 - Capítulo 5


Fanfic / Fanfiction Rumours - Capítulo 5 - Capítulo 5

Adolescentes nunca sabem ao certo quando e onde vão encontrar a pessoa que amarão perdidamente.

      Alguns vivem sonhando com o príncipe com o cavalo branco ou princesa encantada adormecida para acordá-la com um beijo. Outros pensam que a primeira pessoa que beijou será quem amará pelo resto de sua vida, mesmo que não seja um personagem dos contos de fadas. Você idealiza aquela pessoa perfeita e sonha com ela toda noite como se fosse sua própria pessoa.

      Mas eu não diria que isso é amor, talvez paixão.

      Paixão é você você gostar daquela pessoa pensando que ela é a pessoa mais perfeita que existe e quando você descobre que, como qualquer ser humano normal, essa pessoa tem defeitos é um balde de água fria na sua cara. Já o amor não. Você sabe que a pessoa não é perfeita, mas ama cada detalhe dela - seja qualidade ou não.

      Simon não sabia explicar como Âmbar entrou em sua mente e em sua alma assim tão depressa. Não sabia de nada da garota; não sabia seus medos, seus sonhos, seus pecados, mas estava disposto a descobrir e isso até lhe assustava.

      Digo, a única coisa que ele sabia de certeza sobre Âmbar é que ela gostava de pegar os caras e não apegar. Mas como foi que tudo começou? Por trás de toda pessoa, existe uma história que a forma como ela é - com Âmbar não seria diferente.

      A cada segundo que passava, Simon pensava em Âmbar e mais uma vez isso assustava. Ele sabia que não seria só mais uma paixonite adolescente. Ele sabia que, com a Smith, seus sentimentos iriam explodir.

      Ela era a garota. Ela é a garota.
...

      Já na segunda feira.

      Aquele final de semana foi bom para Simon. Ok, ele não parava de pensar na loira enquanto sorria pelos cantos e fazia sua mãe estranhar, pensando que ele esteve usando drogas. Talvez Âmbar Smith fosse a droga de Simon.

      Decidi ficar louco por Âmbar Smith foi algo que ele não escolheu, mas que gostava disso.

      Apesar de pensar em Âmbar, ele não podia deixar que seus amigos desconfiassem. Era um segredo. Um segredo muito bem guardado.

      - Peguei uma garota na festa de Benicio! - Nico comenta - Ada é seu nome!

      - Eu também peguei uma. - Matteo comenta - se chama Fernanda.

      - Eu ainda tô com minha mente em Delfina ser minha garota! - diz o Arias. - E você, Simon?

      - Beijei Luna! - diz indiferente.

      - Ela ainda continua louca por você?

      - Achei que ela tivesse superado! - Diz o Balsano.

      - Eu também!

       - Gente, foi só um beijo. Nada mais rolou! - Simon tenta acalmar os amigos, que já estavam pensando merda.

      - Você mesmo fala que nunca mais vai voltar a pegar Luna, mas sempre volta! - Matteo revira os olhos.

      - Eu não gosto de Luna, se é o que insinuam!

      Amigos bobinhos. Bem bobinhos.
...

      Trabalho em dupla na sala de aula são terríveis, sem um pingo de dúvidas; principalmente quando é o professor que escolhe as duplas. Mas...

      - Simon Álvarez, fará dupla com Âmbar Smith!

      ... Até que sua dupla estava ótima para isso.

      Todos da sala se formaram em duplas após o professor explicar como seria tal trabalho e Âmbar junta sua carteira com a de Simon.

      - Âmbar! - diz com um sorriso.

      - Oi! - ela parecia desanimada e o Álvarez estranhou.

       - Tá tudo bem contigo?

      - Não gosto das segundas-feira.

      - Só isso?

      - Sim. - A garota revira os olhos. - Principalmente a aula após o intervalo. Odeio educação física.

      - A minha após o intervalo é artes!

      - As piores aulas. - bufa.

      - Realmente. Muitas pessoas cabulam essas aulas. - Simon diz indiferente - Bem, vamos começar a fazer que temos muita coisa.

      - Tive uma idéia!

      - O quê?

      - Vamos matar a aula após o intervalo. Você e eu.

      - E para onde iremos?

      - Não tem nenhuma sala abandonada aqui não?

      - Tem o quarto de limpeza do zelador. Mas ele só aparece no final do dia para limpar o colégio!

      - Ótimo. Vai ser pra lá que iremos!

      - Hey, quem disse que eu iria para lá?

       - Quer que eu chame o Benicio para me acompanhar? Tenho certeza que ele vai concordar, principalmente se for pra fazer outras coisas.

      - Eu mato aula com você! - Âmbar sorri vitoriosa.

      - Esse é meu garoto!
...

      O sinal do fim do intervalo acabou de tocar e foi a hora em que Âmbar e Simon foram para o quartinho de limpeza do zelador. Torceu para que não fossem pegos.

      - Eu ainda não entendo essas aulas separadas de educação física para meninas e meninos! - Âmbar comenta.

      - Rolou uns casos de assédio por causa do tamanho do short das meninas por parte dos caras. O Blake preferiu separar essas aulas.

      - Que babacas! - a loira comenta.

      - Pois é!

      - Esse quartinho é apertado para duas pessoas! - Âmbar comenta ao ver que estavam bem colados um ao outro. - É um pouco desconfortável para mexer os braços.

      - Bem, você coloca os seus braços pelo meu pescoço e eu pela sua cintura. Assim ficamos "um"...?

      - Eu entendi o que você quis dizer! - Âmbar envolve seus braços no pescoço do Álvarez. - Não foi uma desculpa para roubar meus beijos não, certo? - Âmbar pergunta provocando-o.

      - E quem disse que eu preciso de desculpas para isso? - Simon coloca seus braços na cintura de Âmbar, também provocando-a.

      - E quem disse que você já pode me deixar sem desculpas?

      - Na verdade, eu acabo de escutar alguém dizendo que devemos nos beijar agora!

      - E quem disse isso!?

      - Eu!

      Simon termina de dizer sorrindo e beija a loira calmamente. Um beijo calmo, doce e sem nenhuma malícia, o que era estranho vindo dos dois seres humanos que quando falaram pela primeira vez transaram cinco minutos depois.

      Um beijo demonstra carinho e afeto, e Âmbar pôde sentir aquilo vindo de Simon. O toque de suas mãos delicadamente por sua cintura e seus lábios beijando-a de forma doce era algo surreal para Âmbar e Simon a fazia sentir nas nuvens com tanta doçura.

      Simon também sentia o mesmo. Adorava os sentimentos que somente Âmbar podia lhe proporcioná-lo. Era algo novo e diferente de tudo que já sentiu antes; ele não queria parar de sentir isso tão cedo.




      Após vários beijos dentro daquele quarto escuro, eles ficaram conversando e tentando se conhecerem melhor.

      - E onde você mora? - Âmbar questiona.

      - Duas quadras após a sua. A única casa azul da rua.

      - Passarei lá qualquer dia desses.

      - Não vou me importar! - rouba um selinho da garota.

       - Bem, você sabe que eu moro com minha madrinha, mas e você? Mora com quem?

      - Minha mãe.

      - E o seu pai?

      - Morreu!

      - Sinto muito!

      - Obrigado.

      - Se servir de consolo, não sei onde meus pais estão!

      - Como assim não sabe?

      - Desde que eu me entendo por gente, Sharon sempre cuidou de mim. Não sei nada sobre minha mãe ou meu pai!

      - Que merda!

      - Sim, realmente!

      - Você é daqui da Argentina?

      - Sim, e você?

      - Não, eu sou mexicano!

      - Nunca havia transado com um mexicano!

      - Fico feliz em ser seu primeiro mexicano!

      - O que gosta de fazer no tempo livre?

      - Tocar violão e cantar. É algo que gosto bastante!

       - Eu poderia escutar você cantando?

      - Claro!

      Fica um silêncio.

      - Então, garoto? Vai cantar ou não?

      - Espera, agora?

      - Sim, Álvarez!

      - Mas que música eu cantarei?

      - Hã... cante uma que você goste.

      - Ok!

      Simon pensa um pouquinho até que vem uma música na sua cabeça.



       Cause a girl like you deserves affection when we're sexing [Porque uma garota como você merece carinho enqaunto transamos]
      It's a blessing that you came [E é uma bênção você ter vindo]
      So when you come through [Então quando você vir]
      You already know what's on my mind [Você sabe o que eu tenho em mente]
      We ain't gotta waste no time [E nós não perderemos mais tempo]



       
Um certo arrepio correu pelo corpo de Âmbar após ela ter escutado Simon cantando em seu ouvido essa música.

      - Está arrepiada? - Simon questiona ao parar de cantar.

      - Estou bem! - Âmbar desconversa - Bonita voz a sua.

      - Obrigado. Posso cantar para você mais vezes.

      - Não iria reclamar!

      - Tá afim de beijar?

      - Estou!

      - Então vamos nos beijar!

      - Por favor!

      Mal esperam e se beijam mais uma vez.

      - É estranho nos beijarmos sem nenhum toque sexual! - Âmbar comenta.

      - Você quer toques sexuais durante o beijo?

      - Não... digo, sim... Não, espera. - Ela parece pensar e Simon ri - Eu não sei. Eu gosto quando temos toda essa tensão sexual entre nós, mas também gosto dos beijos doces que me dá. Então não sei.

      - Fazemos assim, beijamos docemente antes e aos poucos começamos com nossos toques.

      - Pode ser!

      Mais uma vez eles iniciam um beijo calmo, dando tempo de sobra para suas línguas se tocarem de uma forma lenta e doce. Âmbar gostava disso.

      Aos poucos, as mãos de Simon começam a se locomover pelo corpo de Âmbar. Ele chega na coxa da garota e aperta, fazendo a Smith arfar contra o beijo. Suas mãos sobem mais, indo para debaixo da saia da garota e apertando sua bunda. Mais uma vez Âmbar arfa.

      Como suas mãos continuavam envolvendo o pescoço do garoto, Âmbar decidiu ficar por lá mesmo, arranhando a nuca do garoto bem lentamente.

      Tudo estava mil maravilhas, quando ambos escutaram o sinal tocar.

      - Parece que precisamos voltar!

      - Pois é! - Simon revira os olhos. Âmbar dar um selinho demorado no garoto.

      - Vamos, mexicano!
...

      Sra. Álvarez olhava seu filho completamente feliz enquanto almoçava e não entendia motivo de tanta alegria do rapaz.

      - Filho?

      - Diga, mãe!

      - O que você tem?

      - Como assim?

      - Você anda sorrindo pra as paredes, filho!

      - Não há nada. - ele continua sorrindo - Não posso mais sorrir?

      - Quem é a garota e quando vocês transaram? - Simon quase se engasga.

      - Como?

      - Eu já tive dezoito anos, Simon. Também já fiquei com vários caras sem que minha mãe soubesse. Anda logo, conta.

      - Não tem garota nenhuma, mãe. E também não transei!

      - Ok, se não quer me contar, não vou te obrigar. - a mulher se levanta da mesa, retirando seu prato por ter terminado de comer - Mas espero que você esteja se protegendo. Não quero ser avó tão cedo!
...

      Âmbar estava caminhando pela cidade quando alguém trombou nela. Quase foi xingando a pessoa quando viu quem era a pessoa.

      - Gaston?

      - Baby, quanto tempo! - Gaston sorri mediocremente.

      - O que você faz aqui?

      - Eu moro aqui. E pelo visto você também. Quem sabe a gente volte e...

      - Está louco se acha que eu vou voltar para você! - Âmbar o interrompe - Já destrui minha vida antes e não vou cometer esse erro novamente.

      - Falando assim, parece que tudo o que passamos foi terrível.

      - E foi!

      - Foi porque você é louca!

      - Não vai me manipular novamente, se é o que está pensando. Eu não caio mais em seus joguinhos! - ela ia indo embora, quando volta pra falar novamente com Gaston - Ah, e nem pense em se aproximar de mim novamente. A única coisa que eu quero sua, é distância.

      Agora sim Âmbar vai embora. Não acreditara em Gaston está de volta. Não mesmo.
...

      - Eu o-de-io ma-te-má-ti-ca! - Nico soletra toda a frase.

      Simon recebeu seus amigos em casa para que estudassem.

      - Eu também! - Pedro concorda.

      - Mas ainda temos prova, pessoas. Só estudem! - Simon diz sorrindo.

      - Por que tá com esse sorriso? - Matteo pergunta.

      - Por nada!

      - Quem é a garota? - Pedro questiona.

      - Por que todos estão pensando que tem garota? Foi minha mãe, depois vocês...

      - É Luna!? - Matteo questiona.

      - Não, não é Luna!

      - Porque já falamos sobre essa relação de vocês e sempre foi terrível. - Nico diz.

      - Principalmente após ela ter ficado obcecada com você.

      - Não é Luna, caras! - Simon revira os olhos.

      - Se não é Luna, quem é?

       - Não há nenhuma garota, Matteo!

      - Então é garoto? - Pedro pergunta - Pode falar, sem preconceitos aqui!

      - Não há nenhuma garota, nem garoto. Não há ninguém!

      - Ah, tá! - Nico diz sarcástico. - Eu fico com esse sorriso quando tô ficando com alguém.

      - Rapazes, eu posso muito bem sorrir, sem precisar de uma garota para isso.

      - Se você está dizendo...

      - Mas isso tem cheiro de garota! - Pedro completa a frase de Nico.

      - E como tem! - Matteo concorda.

      - Ah, calem a porra da boca de vocês!

      - Oh, revoltado. Sabe o que é isso,falta de sexo!

      "Falta de sexo" ATA, PEDRO!

      - Olha, sabe que cheiro é esse? Matemática! Vão estudar, cabeções!
...

      20:00.

      Âmbar dava uma volta pela rua, caminhando pela cidade, quando se depara com alguém e preferiu acreditar que era apenas uma miragem.

      Começou a andar mais rapidamente, mas sua "miragem" a chama.

       - Âmbar? - a garota parou e se virou para sua miragem.

      - Sebastian!

      - Uou, que louco encontrar você aqui!

      - Que louco mesmo. Pensava que só ia te encontrar no inferno mesmo! - diz debochada.

      - Ainda guarda ressentimento?

      - Ressentimento? Por que eu guardaria ressentimento? Por que você apostou em tirar minha virgindade? Nossa, que louco eu ainda ter ressentimento se não tenho motivo algum!

      - Ok, desculpe por isso. Eu tinha quinze anos. Era imaturo.

      - Eu tinha a mesma idade, mas não era imatura se você está pensando. - cruza os braços.

      - Âmbar, você sabe como os adolescentes são.

      - Correção: eu sei como adolescentes babacas são, até porque aprendi com você. - Âmbar revira os olhos - Por que está aqui?

      - Vou passar um tempo aqui!

      - Que maravilha. Parece que vivo num mundo cheio de aberrações! - diz irônica.

      - Sei que gostou de me ver!

      - Preferia ser cega!

      - Até logo, Âmbar!

      - Até nunca mais, garoto!

      Sebastian apenas sorri convencido e vai embora. Âmbar revira os olhos.

      - Ok, meu dia está definitivamente uma bosta!

      Âmbar caminhava pela rua e se depara com uma casa azul. A única da rua. Foi até que ela percebeu que estava a duas quadras de sua casa.

      A garota foi até essa casa e tocou a campainha, quando uma mulher atende.

      - Olá, posso ajudar?

      - Oi. Aqui mora o Simon?

      - Ah, é amiga do meu filho?

      - Sim, ele está?

      - Ele foi comprar nosso jantar, ele me convenceu que queria pizza. Mas se você quiser esperar, pode entrar.

      - Vai incomodar?

      - Não, claro que não... Qual é seu nome, mocinha?

      - Âmbar!

      - Não será nenhum incomodo, Âmbar.  Entre e pode esperá-lo na sala.

      - Com licença!

      Âmbar entra na casa e foi para sala, enquanto a mãe de Simon fechava a porta e exclamou:

      - É essa a garota!




      - Mãe, cheguei com a pizza!

      - Oi, filhão. Sua amiga Âmbar está aqui! - sua mãe grita da sala.

      "Âmbar?", Simon arregalou os olhos e foi até a sala, onde estava as duas conversando.

      - Oi! - ele abre um sorriso e Âmbar acena -  Não sabia que iria aparecer aqui!

      - Estava caminhando pela rua, você disse que morava numa casa azul e aqui estou eu.

      - Bom, vou pegar o refrigerante para a gente. - Sra. Álvarez vai para a sala e Simon se senta ao lado de Âmbar, colocando a pizza na mesa da sala.

      - Tudo bom contigo? - Simon diz abrindo a caixa da pizza e pegando um pedaço.

      - Mais ou menos! - Âmbar diz indiferente e pega um pedaço de pizza também.

      - Por quê?

      A garota ver a sra. Álvarez voltando e apenas fala:

      - Depois eu falo. Em particular.
...

      - Mãe, eu e Âmbar vamos conversar no meu quarto, ok?

      - Está bem, mas filho, vem aqui!

      Simon estranha, mas vai até a mãe.

      - O que foi?

      - Nem enrole que eu sei que é essa a garota! - sussurra pro filho. - usem proteção, por favor.

      - Mãeee...

      - Agora volte para garota, vá!

       Simon voltou para Âmbar e a mesma estava confusa com tal situação que aconteceu.

      - O que sua mãe queria?

       - Vai por mim, nem queira saber!




      - Então, - Simon fecha a porta do quarto - o que tá rolando?

      - Posso me deitar na cama? - Simon assente. Âmbar se joga na cama. - Meu dia está uma merda!

       - E por quê? - Se deita ao lado dela.

      - Meus ex's resolveram aparecer. Os dois de uma vez só!

      - Como eles apareceram?

      - Também não entendo!

      - O que seus ex's fizeram para você?

      - O que os rumores sobre eles dizem?

      - Que eles não te trataram bem!

      - É tudo que precisa saber. Pelo menos agora!

      - Não está pronta pra falar?

      - Definitivamente não!

      - Ok. Então quando quiser falar sobre eles, vou estar aqui!

      - Obrigada. - ambos ficam olhando para o teto do quarto de Simon. - Vamos transar?

      - Acha que é o melhor momento para isso? Digo, após você falar de seus ex's.

      - É importante?

      - O importante para mim é te ver bem, Âmbar.

      - Eu estarei bem se fizermos sexo agora. - Simon olha pra a garota desconfiado. - Eu prometo!



      Simon olhou aqueles belos par de olhos azuis e em seguida a beija.

      Parece que sua mãe acertou, no final das contas.



            .


Notas Finais


Espero que tenham gostado.
Esse não teve hot,mas o próximo já sabemos que terá... ou será que não?
Beijooooooooooos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...