1. Spirit Fanfics >
  2. Run - ABO >
  3. Capítulo - XXIII

História Run - ABO - Capítulo 23


Escrita por: Tashi_Uchiha

Capítulo 23 - Capítulo - XXIII


Faz alguns dias desde a última vez que Tony olhou para o rosto do seu companheiro, mas ele ainda consegue ouvir a voz dele e ainda consegue sentir aquele cheiro que consegue tirar o pequeno dos seus pensamentos em instantes, por isso, ele sempre está pensando em Steve, naquela briga idiota e também na Mansão Stark. Tony pensou bastante e está ciente que não foi justo com o loiro, mas o problema é o seu orgulho, que lhe impede de fazer algo a respeito, além desse enorme defeito do pequeno, ainda há a possibilidade do mais velho ter algo com Bucky, ele sabe que há algo estranho na relação deles, pois leu as mensagens do Beta e ainda deu uma boa olhada nas redes sociais do suposto amante de Steve, mas não achou nada muito interessante, apenas imagens de paisagens, algumas frases e pouquíssimas fotos. 

- Eu... Eu devo conversar com o papai? Você sabe que ele me machucou bastante, mesmo assim devo conversar com ele? Devo pedir... Droga, isso é por sua causa? É por causa dos hormônios? Ou isso é por causa daquela marca Idiota? - Tony perguntou com os olhos marejados, ele está morrendo de saudades do seu companheiro, mas o pequeno ainda acha que não está pronto para encarar o loiro - Eu estou enlouquecendo... - Tony suspirou, secou suas lágrimas e colocou a mão no rosto, enquanto esperava uma resposta, não uma resposta da criança que está em desenvolvimento no seu ventre, quem sabe uma resposta do seu lobo ou uma resposta do próprio destino, ele soltou uma breve risada após pensar em algo tão idiota, segundo o próprio Ômega, e depois pôs algo na sua cabeça: Acho que minha sanidade chegou no seu limite.

Após alguns minutos, Tony conseguiu ouvir o barulho da porta da sala sendo aberta, ele olhou rapidamente para o relógio e notou que o seu companheiro chegou cedo, o mesmo levantou-se da cama e andou até a porta do quarto de hóspedes, não demorou para ele sentir o cheiro forte do seu Alfa, o Ômega olhou para maçaneta por um instante, enquanto pensava se deveria ir falar com o seu companheiro ou deixar para outro momento, mas acabou achando melhor ignorar aqueles pensamentos e ir falar com o mais velho.

- Eu... Eu estou pronto para ter uma conversa - Tony disse enquanto anda até o quarto do casal, ele deu uma boa olhada no seu companheiro, Steve parece ter ido para casa o mais rápido possível, pois ainda não se trocou, parece estar bem cansado e está suado. O loiro olhou para o pequeno e apenas assentiu, o maior parece estar um pouco surpreso, provavelmente, ele pensou que o seu pequeno ia continuar com isso por mais alguns dias - Eu sei que... Que errei, eu invadi sua privacidade, disse várias coisas horríveis e nem dei uma chance para você se explicar, por isso, quero que você saiba que sinto muito - Tony disse após desviar o olhar, está sendo muito difícil para ele, fazer esse pedido de desculpas enquanto pensa na possibilidade do seu marido estar tendo um caso, mas ele não consegue passar mais um dia longe dele - Mas... Eu preciso saber sobre a sua relação com o Bucky - O loiro olhou para ele e mostrou um sorriso fraco, ele não faz ideia de como explicar a sua relação com o seu melhor amigo ou antigo melhor amigo, pois é difícil até para ele entender como tudo começou e como tudo terminou.

- Éramos vizinhos, por isso, passamos muito tempo juntos, íamos para escola juntos, brincávamos e às vezes ele aparecia na minha casa para jantar ou apenas para conversar - O loiro começou a explicar, Tony olhou para ele e quis tentar entender o que aquilo tinha a ver com as mensagens de Bucky -  Depois dos meus 11 anos de idade, algo mudou, comecei a ter problemas para controlar as minhas emoções e os meus pais acharam aquilo estranho, pois isso nunca aconteceu antes, primeiro eles conversaram comigo para saber o motivo para isso acontecer, mas quando eles notaram que aquela conversa não ajudou, eles me levaram para conversar com um psicólogo, ele nos encaminhou para um médico, pois ele achou que aquilo tinha a ver com o meu gênero secundário, os meus pais me levaram até um médico e descobriram que sou um Alfa Lúpus, por isso, aquelas mudanças aconteceram tão cedo - Steve contou com um tom de voz melancólico e olhou para os olhos de Tony -  Eu nasci em uma cidade pequena, então essa notícia acabou se espalhando rapidamente, as pessoas me olhavam de um jeito estranho e começaram a se afastar, às vezes parecia que elas tinham medo de mim, mas o Bucky nunca se afastou e sempre esteve ao meu lado para me apoiar - Steve respirou fundo antes de continuar - Com o tempo, acabei me apaixonando por ele e fiquei bastante surpreso por ele também gostar de mim, então começamos a namorar, mas n deu muito certo, eu... Eu machuquei ele - Steve colocou a mão na cabeça, ele parecia estar bem abalado. 

- O que você quer dizer com machucar? - Tony pergunta meio preocupado com a segurança do bebê e da própria.

- Eu quebrei o braço dele quando perdi o controle - Aquela notícia chocou Tony de uma maneira inacreditável, pois ele nunca imaginou que Steve teria capacidade de fazer isso com algum amigo, muito menos com um amante - Ele andava mentindo para mim, acho que ele tinha medo justamente de algo acontecer com ele, só que naquele momento não consegui pensar em nada, apenas quis saber o motivo de tantas mentiras e segredos, mas ele olhou nos meus olhos e mentiu mais uma vez, pois ele pensou que eu não ia saber, depois só lembro dos seus gritos e do som da ambulância - Tony continuava incrédulo e assustado, como o seu companheiro poderia fazer isso com alguém que amava? - Depois daquilo, Bucky achou melhor ir morar com os avós, só reencontrei ele quando já estava trabalhando como policial e foi um dos momentos mais difíceis da minha vida, ele aceitou o meu pedido de desculpas, mas a nossa amizade não é mais a mesma, bom... Depois daquilo, não tinha como ser, só que ele vem conversar comigo às vezes e manda mensagens. Quando ele mandou aquela mensagem que você mencionou, ele estava em um bar bebendo bastante e chorando por ter brigado com algum amante ou namorado, por isso, ele me chamou de amor - Bucky mandou um áudio na mesma noite que mandou aquela mensagem e, após escutar alguns áudios, Tony notou que a voz do Beta estava diferente, mas nem percebeu por causa do sentimento de traição - Eu nunca contei nada sobre o Bucky porque eu não quis te deixar ainda mais assustado e paranóico - Steve se explicou, o maior sabe que aquela história deixou o pequeno assustado por causa do vínculo que eles têm, só não sabe como provar que não é um perigo para ele e nem para o seu pequeno filhote.

- Você pode prometer que nunca vai machucar a gente? - O pequeno acabou demostrando o seu lado mais maternal naquele instante, quando se preocupou com a criança que está carregando em seu ventre, o maior ficou feliz em saber que o menor se preocupa com o futuro bebê e quer garantir a segurança dele.

- Eu prometo que nunca vou machuca-los - Tony parou para analisar Steve e, naquele instante, teve a ajuda do vínculo, ele sabe que o mais velho não está mentindo e que pretende manter aquela promessa, isso aliviou o coração do menor.

- Bom... Se você está disposto a manter essa promessa, vou confiar em você - Tony fala e mostra um sorriso, pois, para ele, aquela situação estava resolvida.

- Eu sei que isso não é verdade - Aquelas palavras machucaram ambos - Você mesmo disse que não confia em mim, demonstrou que tem medo de mim e ainda... Ainda me comparou com o Howard e os outros que te machucaram - O pequeno nunca se arrependeu tanto de algo quanto se arrependeu daquelas palavras - Eu só preciso saber: O que foi que eu fiz de errado? Eu te machuquei? Eu feri os seus sentimentos de alguma forma? O que foi? - Steve fez o possível para ser forte e esquecer aquelas palavras do amado, mas ele não conseguiu, pois aquilo o machucou de verdade.

- Você não fez nada de errado, isso é culpa minha... Eu não consigo esquecer as coisas que aconteceram comigo e também não consigo superar - Tony desmoronou após notar as lágrimas do amado, ele se aproximou para abraça-lo e tentar tranquilizá-lo - Howard sempre colocou na minha cabeça que os Alfas vêm os Ômegas como brinquedos, que são substituíveis e que não existe amor verdadeiro ou almas gêmeas, no começo pensei que aquela era a visão dele, mas havia vários Alfas que pensavam como ele e, por isso,  fiquei com medo de você ser como eles - Tony fez um cafuné no mais velho que tentava controlar suas lágrimas - Quando olhei aquelas mensagens, pensei que você tinha se cansado de mim ou que estava procurando alguém para fazer sexo, pois estou grávido e o nosso contato mais íntimo é um simples beijo, mas depois lembrei das noites que você chegou atrasado, logo juntei as peças e comecei a pensar que você estava se encontrando com ele antes mesmo da minha gravidez, então comecei a pensar no que eu fiz de errado, se não estava sendo bom para você, se eu podia ter feito algo a mais, só que não consegui pensar em nada - Tony respirou fundo e continuou - Além do meu corpo, eu sei que ele não é atraente por causa dessas cicatrizes e sei que você se sente desconfortável por causa delas, então coloquei na cabeça que aquilo era verdade, que você estava se encontrando com outra pessoa porque estava cansado de mim - O pequeno secou suas lágrimas e olhou para baixo para não precisar olhar para o mais velho.

- Eu te amo do jeito que você é, um baixinho confiante, persistente, orgulhoso, bonito, inteligente e o mais importante: você é o meu Ômega - Steve roubou um beijo, um beijo sem malícia nenhuma, ele só precisava sentir os lábios do companheiro juntos aos seus - Eu nunca tive nojo ou algo do tipo ao ver o seu corpo, apenas um leve desconforto após pensar no quanto você sofreu e que eu poderia fazer algo a... - Tony pôs o seu indicador nos lábios do mais velho.

- Eu também te amo - O menor roubou um selinho e depois secou as lágrimas do seu companheiro - Senti saudades de você - Tony confessou e conseguiu arrancar um belo sorriso de Steve.

- Eu também - Após, finalmente, esclarecer aquele mal-entendido, Steve e Tony passaram um bom tempo abraçados e trocando carícias para tentar matar a saudade, bom... Até o pequeno acabar caindo no sono.


Notas Finais


Bom... Espero que tenham gostado, comente o que achou e até o próximo capítulo.

PS: Quero agradecer a todos que acompanham a fanfic e pretendo trazer pelo menos 4 capítulos nesse mês como forma de agradecimento.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...