1. Spirit Fanfics >
  2. Runaways - Larry, Camren >
  3. Me Levem!

História Runaways - Larry, Camren - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


Oie, voltei para o capítulo de hoje! Já estamos quase chegando ao número 10 e, portanto, o meio da fanfic que não será tão grande mas prometo dar o melhor de mim nessa história.

Não tenho muito à dizer hoje, acho que surtei tanto depois de assistir I Care A Lot que até dei uma travada...

Boa leitura, meus anjosss! 🌈😇

Capítulo 9 - Me Levem!


Pov Louis Tomlinson.


-O que foi essa coisa?

-Eu vi o Shawn, Dinah.

-Mani, ele está seguro no colégio, certo? Aquilo era apenas a dimensão brincando com seus medos e inseguranças.

-Tem razão… Obrigada por salvar a gente, Louis. -Ela estica a mão ajudando-me a levantar do chão de sejá lá o lugar em que viemos parar. Acho que minha mente automaticamente pensou aqui por conta da última vez que eu e Harry estivemos nessa dimensão, mas, não faço ideia de onde estamos.

-Droga, estamos no último andar da Torre B! -A garota loira aponta para uma pequena plaquinha de metal pesa em uma barra na parede que virava o corredor.

-Eu não tenho forças para voltar para lá agora, galera… -Digo engolindo em seco ainda com uma repentina falta de ar dentro do peito.

-E o que fazemos agora?

-Camila disse que se nos separarmos, era para continuar o caminho e ir direto ao objetivo combinado. Não é, Normani?

-Sim.

-Tudo bem, vamos continuar em silêncio e escondidos. -Elas assentiram em concordância e tomo a frente do passo seguindo as placas que avistava nos confusos corredores daqui.

-Acho que aquela coisa é uma manifestação física da culpa que estou sentindo por deixar Shawn sozinho na outra dimensão, Dih.

-Ele é um bom garoto, está seguro no colégio. Neste exato momento deve tá no meio de uma reunião do seu clube nerd cinematográfico.

-Mas, não é só isso. Tenho medo do futuro, sabe… Se a gente sair daqui vivo e conseguir prender a Sinuhe pra sempre nesse mundo, eu quero ter a vida como qualquer outro jovem da nossa idade. Continuar minha faculdade, ajudar o Shawn com seus novos estágios e primeiros trabalhos, pegar todo o dinheiro que guardei e viver em um lugar que não seja uma mansão subterrânea que começamos a morar depois de fugir dos nossos pais malignos enquanto tentamos salvar o mundo…

-Juntos podemos deter a Sinuhe e ter um vida maluca no sentido normal como qualquer outro jovem da nossa idade.

-Sabe, quero por em prática aquela ideia que nós tivemos em volta a nossa primeira fogueira naquela noite; voltar a morar todas em apartamentos que sejam um do lado do outro e irmos juntas para a faculdade todas as manhãs.

-Podemos até dividir apartamento dessa vez, aposto que Shawn não ia se importar de ficar no quarto reversa que ninguém usa…

-Ei, garotas. -Sussurro parado em uma esquina entre dois corredores. Elas se aproximam mais em silêncio e vêm cuidadosamente uma sala aberta onde Austin dava ordens e discutia com seus soldados ouvindo em volta.

Assim que ouvimos o homem dizer “agora, vão!”, as puxo rapidamente para a porta mais próxima que vejo e colamos nossas costas na parede apenas ouvindo os barulhos dos sapatos deles se afastando até virarem o final do corredor.

-Essa foi por pouco. -Murmuro suspirando aliviado ao sair dali com cuidado e segui até a sala já vazia onde antes estavam.

-Está bem, Mani?

-Não muito, ainda estou preocupada de que nunca iremos sair daqui e Shawn ficará sozinho; sem pais ou familiares, eu sou tudo o que ele tem.

-Relaxa, vamos voltar sã e salvos com a Ally. 

-Não, eu não consigo relaxar. Já estou a meses, desde fugimos para aquela casa abandonada, sem meus remédios para ansiedade! Vocês ouviram o que os caras conversaram, querem nossas cabeças.

-Psiu… -Faço sinal de silêncio assim que adentramos uma nova sala onde não tinha certeza se realmente estávamos sozinhos.

-Louis, por favor, você precisa me levar de volta! -Normani implora quase de joelhos no meio de uma de suas crises de abstinência aos remédios que acabou de falar sobre.

-Se eu levar você; além de ficar sem energia, posso não conseguir voltar para esse lugar. Com isso, Harry e as outras ficaram presas aqui pra sempre. Não podemos arriscar, sinto muito. -Respondo de maneira cuidadosa para não piorar mais ainda as coisas.

-Não, eu preciso voltar! -Repete ainda em desespero ao agarrar minha mão e criar uma conexão instantânea entre nós.

Tudo é tomado pelo meu poder das sombras e ficamos sem visão por alguns segundos. Abro os olhos com muita dificuldade em um lugar totalmente diferente; a mansão do presente onde eu e Harry aparecem após o feitiço de Camila. Olho para o lado e vejo Normani no corrimão do segundo andar depois de subir as escadas. Ela se aproxima da beira e vê Dinah junto de um dinossauro, e, além delas, um garoto que devia ter em torno dos 18 anos. Tinha um sorriso otimista e cheio de luz, assim como Harry… Entretanto, toda aquela felicidade não dura muito e o trio é tomado por milhares de corvos raivosos que começam a atacá-los sem piedade.

É então que Normani entra em desespero ao ver machucarem àqueles que importam para ela. A inteligente garota tenta até agir, porém, sem resultado algum pois permanece com os pulsos presos na madeira do corrimão em uma espécie de cordas feitas da fumaça e escuridão do seu pesadelo. A cada tentativa ansiosa de se soltar, seus medos enlaçam mais forte ainda seus braços, e agora também os pés, não deixando se mover. Tudo que lhe foi permitido era assisti-los serem machucados.

-Me larga, me soltem! Não, por favor! Deixe eles em paz, por favor. Me levem no lugar, eu juro que vou. Por favor, deixe eles em paz! Me larga! -Gritava tão alto que podia ver sua garganta ficar vermelha com a ardência da dor que sentia naquela situação.

Fecho os olhos e tento me concentrar para fazer essa visão acabar e voltarmos a realidade normal. Após quase dois minutos de muito choro e pedidos de ajuda tão altos que rasgavam meu coração, consegui fazer-nos fugir do meu próprio poder.

-Que droga foi essa? -Normani se afasta rapidamente ao bater com tudo em uma mesa fazendo os copos de metal caíram todos no chão ao mesmo tempo. Seu peito subia e descia tão rápido quanto a velocidade em que os barulho dos soldados começaram a ficar cada vez mais alto.

Dinah aponta para uma porta e a seguimos rapidamente até atravessar o lugar totalmente eufóricos e sem fôlego algum. Nos viramos ao mesmo tempo apoiando as costas na porta trancada e finalmente caímos na real, haviam vários soldados se preparando para sair dali e se juntar às outras tropas que estavam atrás de todos nós.

-Merda!

-Esse seria um bom momento para nos teletransportar para outro lugar, Louis!

-Me dêem as mãos, rápido… -Digo me preparando para nos tirar daqui, entretanto, os inimigos foram mais rápidos e me agarraram numa tentativa de me pegar. 

Tudo dá errado novamente e viajo junto de outros dois caras que querem me matar para um lugar aleatório daquela dimensão que nem conheço direito. Este é o momento exato em que posso ouvir a voz de Harry em minha cabeça dizendo: Droga, Lou!


Notas Finais


Aaaah, vou sair correndo antes que vocês venham me seguir pra saber o que vai acontecer no próximo capítulo...

Pensando aqui em criar uma meta de até 25 favoritos e voltar assim que chegamos lá, o que acham desse desafio?

Hehe, vejo vocês nos comentários, ou até a minha volta em alguns dias, talvez. Até mais! 😳🙃👇


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...