História Running up that hill - Capítulo 4


Escrita por:

Visualizações 14
Palavras 948
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Crossover, Ficção, Ficção Científica, Magia, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa leitura <3

Capítulo 4 - Sorry not sorry


Claire Clarke


Do balcão posso ver Stefan sentado sozinho em um canto, seus olhos me examinam enquanto atendo algumas pessoas. 


- Sabe que não pode me vigiar todos os dias, não é? - sussurro, sabendo que ele me escuta perfeitamente. 


- Falando sozinha? - um cara de cabelo levemente raspado pergunta olhando mais para o meu decote do que para o meu rosto. - A propósito, meu nome é Tyler. 


- Quer um refrigerante? 


- O que? - suas sobrancelhas franzem em uma expressão superior. - Uma vodka, garçonete. 


- De jeito nenhum, garotinho. - sorrio irônica. - Não vendo bebida alcoólica para menores. - sussurro como se contasse um segredo. 


- Você sabe com quem está falando, por um acaso? - abaixa sua voz em uma tentativa falha de me ameaçar. 


- Você é o Tyler, provavelmente filho de alguém importante dessa cidade, o que te torna um garoto mimado e egocêntrico. Agora, se não for pedir nada, favor deixar que outras pessoas peçam. 


- Perdoa o meu amigo, ele não tem muita noção às vezes. - um garoto loiro intervém, tirando o outro de perto de mim. - Uma coca, por favor. - entrego - Obrigada. 


- Eu poderia ter dado conta do garoto, mas você me poupou toda a dor de cabeça e demissão. - brinco e lhe arranco um sorriso. - Obrigada…?


- Matt. Matt Donovan. - estica sua mão para me cumprimentar.


- Claire. - me apresento sem lhe dar muitos detalhes e o observo voltar para sua roda de amigos.


Não sei ao certo quantos anos mais novos esses adolescentes são de mim, mas me sinto bem conversando com um ou outro que para no balcão para pedir alguma coisa. É como se eu finalmente estivesse no colegial. Como se não tivesse passado minha infância e adolescência estudando em casa. Sorrio triste com as lembranças de minha avó me proibindo de frequentar lugares onde minha identidade fosse facilmente descoberta, além do mais, me fez prometer que nunca a desobedeceria e esse foi o motivo por continuar trancafiada após cinco anos de sua morte. Mas as coisas mudaram. Eles descobriram. E nos últimos dois anos vivi a minha vida como se não houvesse dia seguinte. Festas. Bebidas. Algumas drogas. Recorri a inúmeras saídas, mas o medo e a insegurança voltavam a me assombrar no fim do dia. Até descobrir sobre Stefan. 


- Está tudo bem? 


- Não fique fazendo isso. - coloco a mão sobre o coração e ele se desculpa. - Estou bem, apenas um pouco… nostálgica, talvez. 


Stefan assente com a cabeça e eu encho seu copo com whisky, pedindo em seguida para que ele me espere no lugar onde estava antes. Atendo algumas pessoas e o lugar vai se esvaziando aos poucos, me dando alguns intervalos para um ou outro gole d'água. Deus! Eu não imaginava que isso poderia ser tão cansativo. 


O caminho de volta é mais silencioso do que o normal. Estou completamente perdida em memórias e pensamentos, é como se todo o sentimento ruim que venho guardando e substituindo por sorrisos estivesse prestes a abrir um buraco no meu peito e vir a tona. Sinto Stefan dividindo a atenção entre a estrada e eu, querendo desvendar todos os meus pensamentos por conta da estranheza que é Claire Clarke sem tagarelar. 


- Claire. - Stefan me para antes que eu suba as escadas e me tranque no quarto. - Sabe que pode me contar o que está acontecendo, não sabe?


Meus olhos enchem de lágrimas com a preocupação genuína e eu me forço a desviar o olhar, mas suas mãos são ágeis em segurar meu rosto para me encarar. 


- Acho… - engulo em seco, não estou acostumada a dividir sentimentos. - Acho que só essa noite eu tive a noção de que, até hoje, nunca pude viver de acordo com a minha idade. Quer dizer, sempre carreguei inúmeras responsabilidades e nunca curti uma noite com amigos como os jovens que estavam no Grill hoje. Não com amigos de verdade. - seus olhos analisam cada milímetro do meu rosto. - Por Deus! Eu nunca nem tive um namorado! - silêncio e mais silêncio, sinto minhas bochechas esquentarem sob as mãos do vampiro. - Eu estou sendo tola. Me desculpe. 


- Não é tolice, você só queria uma vida normal. - assinto, é exatamente isso. - E acredite, eu te entendo mais do que ninguém.


Seu dedo indicador passa carinhosamente por meu rosto e desliza sobre meus cabelos, colocando alguns fios atrás da minha orelha. Meus olhos são incapazes de fazer outro trajeto que não seja dos seus, para seus lábios. Sinto vergonha por saber que ele pode ouvir quão rápidos estão meus batimentos, mas não ligo. Nada importa agora. Estou finalmente me sentindo uma garota normal com todas essas borboletas no estômago. 


Ele desfaz da pouca distância entre nós quando gruda seus lábios nos meus em um beijo calmo, não posso afirmar que exista amor, mas nosso carinho e afeto é demonstrado enquanto nossas línguas se encontram e me fazem arrepiar. Suas mãos descem para minha cintura e as minhas sobem para sua nuca, onde puxo delicadamente alguns fios de seu cabelo claro. Stefan afasta sua boca da minha para distribuir alguns beijos por meu pescoço, mas sei que as coisas podem não dar certo no instante em que o sinto aspirando todo o ar que lhe é possível nesta área do meu corpo.

Dou um passo para trás apenas para observar seus olhos negros e respiração descompensada, ele parece ficar perdido nessas condições. 


- Me desculpa, eu… - se afasta ainda mais, mas eu me aproximo.


- Sem desculpas por hoje. - selo rapidamente nossos lábios. - Boa noite, Stefan.


Notas Finais


Vocês shippam Claire e Stefan?

Obrigada por chegar até aqui! Comentem <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...