1. Spirit Fanfics >
  2. Sabrina >
  3. Adeus minha velha

História Sabrina - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Adeus minha velha


Fanfic / Fanfiction Sabrina - Capítulo 3 - Adeus minha velha

Abro a porta e me deparo com as cartas de despejos, afinal, não pago o aluguel à séculos, me deito no sofá e tento relaxar um pouco.

-------Passado-------

Após minha mãe ser pressa tive que morar com minha vó, ela tinha alzheimer então era complicado estudar e cuidar dela, então larguei os estudos, confesso que nunca gostei da escola, sempre arranjava brigas e mais brigas. Quando fiz 18 anos tive que deixar minha vó no asilo, eu não era boa pessoa pra ficar perto dela, terminei a escola e nem pensei em fazer faculdade. Agora sou uma adulta, desempregada e revoltada que só arranja confusão, que belo exemplo de neta eu sou, pelo menos ela não lembra de mim mas eu sempre vou lá, pelo menos 1 vez no mês, e se eu deixar de ir ela não vai sentir falta mesmo.

---------------

Acordo e quando vou olhar já são 11:40, estou despreocupada eu nem trabalho, vou para cozinha e faço um miojo com queijo e pego a coca cola na geladeira. Após meu almoço saudável vou para o banheiro tomar um banho e escovar os dentes, mais tarde vou visitar minha vó. Entro no banheiro, ligo o chuveiro e espero a água esquentar, enquanto isso fico pensando como vou conseguir dinheiro, minhas compras estão acabando. Vejo que a estava fazendo vapor então entro no chuveiro, molho meu cabelo e espero a água percorre em todas as curvas do meu corpo, já que não são muitas, pego o shampo e passo delicadamente em meus cabelos, enquanto massageio meus cabelos eu lembro do meu pai, o jeito que ele abusava minha mãe era diferente, eu tenho um desejo enorme por vingança, mas ele já está morto e saber disso sabendo que não posso colocar minhas mãos nele me deixa com mais raiva ainda.....

Após me vestir eu saio de casa e vou andando ao asilo, chegando lá avisto uma das funcionárias.

- Olá Sabrina.

- Oi Bia, por que essa cara triste? Alguém morreu? *risos*

- Então....

- Foi ela né?

- Sinto muito Sabrina, ela já estava de idade também e....

- Ela morreu do que?

- Saudades 

- Fala a verdade- digo sem expressão.

- Ela começou a contar a história de sua filha e sua linda netinha, ela começou a chorar de saudades, tentamos acalma-lá, ela ficou muito agitada e teve uma parada cardíaca, o coração dela também tava meio fraquinho e....

- Ela deixou alguma coisa?

- Pode ir pegar as coisas dela no quarto 311- ela entrega a chave em minha mão.

- Quando foi o enterro?

- Ontem.

- Por que não me avisaram antes? Por que não me avisou quando ela se lembrou de mim?- falo com os olhos lagrimejando, mas não o suficiente para chorar.

 - Você não usa celular, não conseguimos entrar em contato com você.

-abaixo o tom de voz- Você sabe como eu me sinto? a única pessoa que eu tinha era ela, e nem pude comparecer no velório, onde fica o quarto?

- Sinto muito, fica no final do corredor.

Vou até lá e abro a porta, nunca tinha entrado lá, o quarto era cinza com postits coloridos nas paredes, cada um tinha um lembrete e a data em que foi colocado, vejo um na cabeceirada cama "Sua neta se chama Sabrina, ela tem 18 anos" 

- Esse foi colado quando ela veio para cá.

Continuo vendo os bilhetes, "Sabrina é uma jovem muito bonita de olhos pretos como jabuticaba" "Não esqueça do presente de aniversário dela"

- Ela nunca me esqueceu, eu sou uma péssima neta- começo a chorar ajoelhada nos pés da cama.

- Desculpa Vó, eu te amo- falo com a voz falhada por conta do meu choro.

Deito na cama e começo a sentir o cheiro do cabelinho grisalho dela no travesseiro, um cheiro inexplicável, olho para os lados e vejo a imagem dos Santos dela com lembretes, me levanto e vou ler " Santo anjo do senhor, meu...." ela escreveu as orações para não esquecer, sua letra era tão delicada, vou andando em direção ao guarda-roupa dela, quando abro vejo nossas fotos na porta dele, tinha foto com a minha mãe, tinha foto só comigo, era um verdadeiro paraíso de lembranças, pego algumas fotos e um santinho pra não esquecer dela, mas não vou esquecer do travesseiro dela, coloco essas coisas numa caixa que a Bia me deu e vou procurar os presentes, olho embaixo da cama e não tinha nada, abro a gaveta do guarda roupa e encontro várias caixinhas de presentes com bilhetinhos "Ela fez 19 anos dia 29/10" "Ela fez 20 anos dia 29/10", tinha 6 caixinhas, peguei elas e coloquei na caixa, iria abrir em casa, me sento na cama e começo a conversar com ela, como se ela estivesse aqui.

- É vó, parece que vc nunca me esqueceu, e estava fazendo o possível para se lembrar de mim, mas eu não fiz nada- começo a chorar- Desculpa vó, desculpa mesmo, obrigada por cuidar de mim, me aguentar por tanto tempo, espero que você tenha virado um anjo....

Sinto um arrepio em meu braço esquerdo.

- Eu também te amo.

Saio do quarto e vou pra casa com a caixa, chegando em casa já tinha dado umas 14pm, eu não me sinto preparada para abrir os presentes, deixo a caixa na sala e vou para o quarto, tiro a roupa e deito na cama, estou chorando um pouco, mas nada que 2 dias para tudo isso passar, pelo menos um pouco, de calcinha e sutiã deito e durmo, não preciso me preocupar, eu moro sozinha.





Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...