1. Spirit Fanfics >
  2. Sacrifice >
  3. Prologue: I

História Sacrifice - Capítulo 1


Escrita por: MIRAII_

Notas do Autor


Oi Oi galera!
Finalmente, eu (Mitsuo/Mirai) tomei vergonha na cara e decidi postar a fanfic!
Essa é a primeira fanfic da categoria de Jujutsu Kaisen na qual eu realmente posto, então ela possivelmente estará meio ruinzinha, além de que eu tava brisando muito nessa ideia.

Agradeço do fundo do meu coração, a @verysilly que fez a capa e o banner, obrigada! Ambos ficaram muito perfeitos 🐸💙

Eu revisei e vou dar um revisada a mais depois que eu postar esse capitulo, então por favor, me perdoem por qualquer erro ortográfico.

Pequenos avisos:

A fanfic se passará em um universo medieval, então possivelmente vocês leram coisas e tradições que houveram nessa época, mas não quer dizer que eu vou apoiar tais tradições.

Outro tema que possivelmente será abordado, mesmo que apenas um pouco, era a influencia da igreja e religião nessa época. Não, não é intolerância religiosa! Estou apresentando fatos e a influencia e ações da igreja nessa época, e isso é chamado de teocentrismo (Se eu não me engano, representa Deus acima de tudo).

Boa leitura! 🌷🐸💙

Capítulo 1 - Prologue: I


Fanfic / Fanfiction Sacrifice - Capítulo 1 - Prologue: I

O reino e seus moradores encontravam-se animados e eufóricos pela notícia que acabara de ser anunciada, muitos estavam até emocionados. Mas afinal, qual era a notícia que causou tanta emoção dentre as pessoas lá?

 

A notícia era o nascimento do segundo herdeiro da família real do império, só que dessa vez, seria um garoto que seria um dos herdeiros na linha de sucessão do trono, o trono do império de Aurantis.

 

No palácio real, uma mulher de aparencia jovial com cabelos negros, se encontrava em cima da grande cama de casal, ofegante e a chorando enquanto segurava um bebe em seus braços.

 

— Ele é lindo, não é? — Perguntou a mulher, que chorava emocionada, ela parecia extremamente feliz.

 

— Sim, muito lindo. — O homem concordou, sorrindo bobo pela esposa e o nascimento do filho.

 

O mesmo mudou totalmente a sua expressão e se virou para encarar a pessoa no fundo da sala, que sustentava um sorriso ‘’arrogante’’ e a expressão presunçosa, com isso o homem encarou o outro com uma expressão sombria, talvez até mais que o outro

.

.

.

17 anos depois; Império Aurantis.

 

 

A sala estava arejada, não estava nem tão frio e nem tão quente, as cortinas voavam devido às leves rajadas de vento. O clima e o dia em si, estavam praticamente perfeitos. 

 

Já era primavera, caso não estivesse enganado. 

 

Andava pelos corredores incrivelmente vazios, sentava se dirigindo ao jardim que tinha fora do palácio, lá era um lugar agradável e confortável de ficar, principalmente na hora do chá ou em qualquer hora na qual precisasse relaxar. 

 

Levava alguns papéis junto de si, alguns livros e um tinteiro com uma pena para assinar os papéis ou qualquer outra coisa que precisasse escrever. 

 

Após alguns curtos minutos andando pelos corredores, saiu do palácio e seguiu até o jardim. 

 

Na parte exterior do palácio, era um local agradável de se ficar, por ser um local bastante grande e possuía um espaço aberto, existiam muitos lugares e possibilidades na qual poderiam servir de esconderijo. 

 

Lá era um espaço repleto de árvores, flores e plantas diversas, eram muito bem cuidadas e aparadas corretamente. Haviam diversas áreas separadas, tinha um pequeno lago de águas cristalinas, havia um lugar onde animais ficavam sem restrições ou algo do tipo, apenas livres em seu habitat, havia jardins de rosas, e outras áreas. 

 

Dentre todas essas áreas, iria para um jardim que ficava coberto sobre algumas árvores, lá havia uma mesa e duas cadeiras com umas almofadas, e possuía uma estrutura de quatro pilares brancos que ia até o topo e cobria a mesa e as cadeiras, à parte de cima era coberta, para evitar que alguém se molhasse caso ocorresse alguma chuva.

 

Deixou os papéis sobre a mesa redonda, e sentou-se em uma das cadeiras, aproveitando um tempo para ver a paisagem ao redor de si. Logo decidiu focar nos poucos papéis que teria que terminar de assinar, papéis direcionados ao governo e instituições próximas a ele. 

 

Ficou tão imerso em seus próprios pensamentos, e focado em terminar de assinar os papéis, que mal notou quando eles acabaram e alguém começou a se aproximar. 

 

— Vossa alteza. — Uma voz atrás de si soou, e ele se virou para encará-lo. — Chegaram-lhe cartas essa manhã. 

 

Sorriu minimamente ao notar a pessoa a sua frente, o sorriso sarcástico e a pose usual eram bastante comuns para si desde que era criança e ganhou a companhia dele, Ryomen Sukuna, um demônio. 

 

— Que raridade toda essa educação vindo da sua parte. — Brincou. — Sobre do que se tratam as cartas? Tem um remetente?

 

— Eu posso ser bem educado quando quero, tá? — Colocou as cartas na mesa, e puxou a outra cadeira, sentando-se. — Uma das cartas vem de Destroia, possivelmente é daquela garota que foi pra lá.

 

— Destroia… Deve realmente ser dela. — Disse após recorda-se do local, e segurou a carta, que possuía um emblema verde, símbolo principal da casa na qual estava temporariamente em Destroia. — E a outra carta? Qual é o remetente dela?

 

— A outra é do palácio principal. — Respondeu Sukuna, sentado relaxadamente na cadeira, enquanto encarava o outro, que parecia meio tenso e pensativo. — Possivelmente, devem estar solicitando a sua presença novamente.

 

Deixou a carta enviada de Destroia na mesa novamente, pegando a outra carta, já sabia que era do palácio real, era possível reconhecer apenas pelo emblema de cor azul, no selo que fechava a carta. 

 

Abriu a carta cuidadosamente, como sempre fazia, por medo de causar algum dano à carta, passou a mão coberta pelas usuais luvas brancas sob as letras começando a lê-la.

 

‘’Caro vossa alteza.

Sua presença é solicitada no palácio principal, amanhã, com o intuito de participar de uma reunião e comemoração proposta pelo líder de nosso glorioso império e líder de sua grandiosa família. 

O intuito disso, é reunir alguns líderes e seus filhos para uma apresentação formal de seus herdeiros e apresentação de propostas para o período de seca que haverá este ano. Desta vez, sua família vai apresentá-lo formalmente na frente de todos os líderes, e contribuintes para a formação do nosso império, creem que devido ao seu último ano no evento do próximo ano, seria uma ótima oportunidade para isso.

Não precisarás mais ser ocultado de eventos assim.

Além de que, será anunciado o escolhido para cuidar da sua segurança pessoal, na presença dos outros líderes e herdeiros.

Então, pedimos para que compareça ao evento, e caso não faça isso, envie uma carta explicando detalhadamente os seus motivos.

De: Palácio principal.

Para: Vossa alteza e herdeiro, Megumi Fushiguro.’’

 

Suspirou, fechando a carta.

 

— Sobre o que se trata a carta? — Sukuna perguntou, interessado.

 

— Solicitando minha presença no palácio principal amanhã, para um evento entre líderes, contribuintes e seus filhos. — Respondeu Megumi, comprimindo os seus lábios. — E também dizia que iria apresentar o novo guarda, responsável pela minha segurança pessoal.

 

— E você vai?

 

— Não é como se eu tivesse algum direito de escolha.

 

O silêncio dominou o ambiente, o clima era meio desconfortável e ambos sabiam disso, mas não usaram dizer nada. Até um deles quebrar o silêncio.

 

 — Iria ler esse livro novamente? — O demônio perguntou, referindo-se ao livro de capa dura, em cima da mesa. — Porque lê tanto esse livro? Credo.

 

— Já disse que é porque eu gosto dele. — Retrucou. — Afinal, por que você está aqui? Não tinha outra coisa para fazer, não?

 

— Não seja tão cruel. — Murmurou Sukuna, pegando o livro e começando a folheá-lo, o livro de capa dura, possuía uma rosa branca com algumas manchas em tom carmesim gravado nele, e logo abaixo em letras  douradas estava o nome do conto.

 

Lily.

.

.

.

O garoto encontrava-se totalmente animado e admirado, enquanto segurava a carta como se fosse o seu bem mais precioso. 

 

Estava em um quarto alugado de um pequeno estabelecimento que havia lhe sido indicado, e a mesma pessoa que havia lhe indicado o local, também havia dado a carta que era enviada do palácio principal.

 

Jogou suas costas no colchão, encarando o teto, animado com todos os seus pensamentos positivos e teorias que poderiam acontecer no dia seguinte.

 

— É só esperar até amanhã. — Disse para si mesmo, com um sorriso enorme em seu rosto.


Notas Finais


E aí? Gostaram? Eu continuo ela? Se sim, não se iludam achando que eu vou atualizar ela com grande frequência, eu sou uma pessoa preguiçosa e que fica procrastinando muitas coisas KKKKK
Mas vou tentar não esquecer dela, Sacrifice virou a minha fic preferida, meu neném. 🙈💙

É meio curtinha pois é um prólogo, os próximos capítulos serão maiores, prometo.

Se vocês se sentirem a vontade, por favor, coloquem um comentário qualquer aí, isso me deixa a autora mó felizinha e faz o dia dele ser incrível.

Mais uma vez, agradeço a capa que foi feita pela @verysilly
Muito obrigada, novamente! 💙
Também agradeço as pessoas que me ajudaram a decidir o nome da fic, e a @Aika_sama que tá me motivando e obrigando a postar isso, minha empresária que tá falando os horários para as postagens KKKKKK

Obrigada por lerem e até a próxima! 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...