1. Spirit Fanfics >
  2. Safiens - Jikook >
  3. 53 - Pelo Bem da Ciência

História Safiens - Jikook - Capítulo 54


Escrita por: parkjny

Notas do Autor


Oiee..
Boa leitura!!

Capítulo 54 - 53 - Pelo Bem da Ciência


Fanfic / Fanfiction Safiens - Jikook - Capítulo 54 - 53 - Pelo Bem da Ciência

��

Os dias que se seguiram foram corridos. Estávamos treinando o dia inteiro - eu mais do que os outros - estava me esforçando porque eu tinha muito o que aprender ainda. Eu precisava me esforçar para aperfeiçoar todos os meus poderes, eu queria ser capaz de defender as pessoas que são importantes para mim. Eu não queria ter que passar pelo o que passei dias atrás com Jimin quase morto e meu pai ferido.

O rei queria voltar atrás e desistir de me mandar para a missão em ametista por medo que me pegassem, mas eu resisti, eu não cheguei até aqui para parar agora, eu iria até o fim, eu iria lutar ao lado dos safiens e iria ajudar a dar um fim nesses banidos miseráveis que só pensam em si mesmos. Eu precisava fazer isso, por mim, mas também por minha família e amigos da terra, além de ajudar o povo ao qual pertenço. Mesmo que seja em partes, eu sou um safien e vou ajudar o meu povo.

Por isso, me esforcei tanto em meus treinos e nesse meio tempo consegui me mover mais rapidamente, tanto em terra quanto no ar, aperfeiçoei meus poderes mentais e fiquei mais forte fisicamente.

E como descobrimos que o meu sangue pode mesmo restaurar, passei a dar pequenas doses dele ao meu pai. Aos poucos os poderes dele estão voltando e ele está muito animado com isso. O rei permitiu que ele treinasse no palácio, ainda não sentia que era a hora de deixar que os outros soubessem que meu pai foi absolvido, mas ao menos não o trancafiou em uma cela novamente e o tratava como um hóspede em seu castelo.

Como o rei havia dito, Namjoon veio a safira com o seu grupo. Então, eles também estavam me ajudando com os treinos. Eu gostava quando era somente Jimin e eu, mas com eles tudo ficava mais divertido, caótico às vezes, mas divertido. O estranho, porém maravilhoso, foi que a Hwasa não voltou com eles, ela simplesmente sumiu e ninguém sabe onde está. A Wheein veio com eles, mas estava treinando com um grupo de garotas, desta forma restaram apenas os meninos.

Como Namjoon estava lá com Jimin, o treinador Jisub se encarregou de outros safiens e eles ficaram comigo.

- O que quer treinar hoje, Jungkook? - Namjoon perguntou quando estávamos na sala de treino.

- Quero aprender a me teletransportar com mais de uma pessoa ao mesmo tempo - Respondi. Desde a invasão da prisão que quero aprender isso.

- Isso é quase impossível - ele disse. - Ninguém, além de Jimin já fez isso e só foi com uma pessoa.

- Ele consegue - meu namorado falou todo confiante. - Eu vou ajudar.

- Claro que vai - Namjoon sorriu negando fracamente com a cabeça.

- Você já conseguiu fazer sozinho, então tente fazer com outra pessoa - Jimin se aproximou de mim. - O processo é o mesmo, se concentre onde quer ir e centralize o seu poder nisso, a única diferença é que precisa envolver outra pessoa.

- Certo - respirei fundo e soltei todo o ar.

- Deixe sua mente te guiar, meu bem - sua voz saiu baixa, mas audível o suficiente para que eu ouvisse. - O poder está na sua mente.

- Tudo bem. Eu consigo - me concentrei no que ele disse e preparei minha mente para aquilo. - Vem - agarrei ele pela cintura e o puxei para mim. Ele soltou uma risadinha e passou as mãos pelo meu pescoço. E eu roubei um beijinho dele, o que fez ele soltar uma risadinha.

- Lembrem que isso é um treino e nós estamos aqui - Hoseok falou antes de sorrir.

- Jimin é a minha inspiração - respondi. - Todas as vezes que precisei realizar algo novo, ele foi o meu impulso, pensar nele sempre me dava força para realizar qualquer coisa, então quanto mais pertinho melhor, certo, amor? - Jimin sorriu todo bobo em meus braços e assentiu.

- Quanta melação - Yoongi disse entediado. - Estarei cochilando enquanto terminam - ele se deitou no canto da sala.

- Não liguem pra ele, só está cansado de ontem à noite - Taehyung se pronunciou.

- Precisa explanar? - Yoongi resmungou.

- Nem queremos saber o que fizeram ontem - Jin disse revirando os olhos.

- Diz isso porque está na seca, quando foi a última vez que você transou com alguém mesmo? - Yoongi perguntou em tom de deboche.

- Minha vida pessoal não te interessa - respondeu irritado.

- Ou seja, faz muito tempo - Yoongi rebateu sarcasticamente.

- Cala a boca, Yoongi, melhor você dormir mesmo, quem sabe não fala tanta besteira - Jin disse ainda mal humorado.

O baixinho soltou uma risada e se acomodou no canto pra dormir, enquanto Jin resmungava algo desconexo. Desviei minha atenção deles e voltei a me concentrar no que tinha que fazer.

- Certo, então vamos lá - falei todo empolgado. - Pronto para atravessar a sala em meus braços?

- Com certeza - Jimin afirmou com um sorriso.

Eu fechei os olhos e respirei fundo expulsando todo o ar depois.

O poder está na sua mente, meu bem - Jimin repetiu em pensamentos.

Ainda de olhos fechados, tentei visualizar o outro lado da sala em minha mente e concentrei todo o meu poder naquilo. Apertei Jimin ainda mais em meus braços e aos poucos senti o meu corpo flutuar junto ao seu, foi aí que aquela onda de energia já conhecida passou a percorrer por minha pele e células. E em um segundo eu passei de um lado da sala para o outro com Jimin em meus braços.

- Conseguiu, meu bem - disse animado e me beijou em seguida.

Assenti sorrindo e voltei com ele para o outro lado da sala da mesma forma.

- Muito bem, Jungkook - Namjoon me parabenizou. - Você faz jus ao título de híbrido.

- Agora quero tentar com outra pessoa - falei empolgado.

- Vai lá - respondeu sinalizando com a mão.

Eu rodeei a cintura de Jimin com o braço direito e segurei Hoseok com o esquerdo para tentar me mover com os dois. Repeti todo o processo que fiz anteriormente e consegui me teletransportar com os dois ao mesmo tempo para o outro lado da sala.

- Estou impressionado - Namjoon disse assim que retornei com os dois para perto dele.

- Quero tentar com outra pessoa - falei com a mesma empolgação. Meu corpo estava quente e eu sentia meu poder correndo em minhas veias.

-  Vamos tentar, agora não duvido de mais nada vindo de você - completou.

Dessa vez eu tentei com os dois da última vez e com o Jin. Segurei Jin e Hoseok com os braços enquanto Jimin me abraçou pelo tronco. Foi um pouco mais difícil, mas no final consegui. Eu tentei incluir mais uma pessoa da outra vez, mas não consegui, eu estava exausto. Já estava treinando há bastante tempo, então o cansaço chegou ao fim.

Por isso, nós voltamos para o palácio. Jimin insistiu para que eu descansasse um pouco, então nossa intenção era subir diretamente para o quarto, mas fomos interrompidos por um safien ao chegarmos ao palácio.

- Jungkook, o rei quer vê-lo - disse ele.

Apenas assenti e segui com Jimin a sala do rei onde ele nos aguardava.

- Ah, já chegaram - disse o rei ao nos ver entrar. - Sentem - apontou para as duas cadeiras em sua frente.

Ele não estava sozinho, tinha um homem muito bem vestido com ele. Olhei para ele de soslaio e apenas me sentei onde foi indicado.

- Jungkook, você sabe que eu queria desistir de mandá-lo para ametista com os outros, mas você insistiu e o deixarei ir, mas o nosso outro acordo permanece - disse o rei.

- Do que exatamente? - Franzi o cenho em sua direção demonstrando a minha confusão.

- Sobre a procriação - disse simplista.

- Ah - engoli em seco e olhei para Jimin no mesmo instante desviando o olhar em seguida.

- O dr. Kim que vai cuidar do seu caso - apontou para o homem bem vestido que estava ao seu lado. - Ele vai levá-lo para fazer uns exames, tudo bem?

- Certo... eu... - Fiquei nervoso e olhei para Jimin novamente.

- Tudo bem, já conversamos sobre isso - disse ele com um sorriso nos lábios para me confortar.

Eu assenti com um sorriso amarelo e voltei a olhar para o rei.

- Certo. O Jimin pode ir comigo? - Perguntei um tanto nervoso.

- Não vejo problema - Dr. Kim disse. Ele soou amigável, o que me deixou menos nervoso. - Podemos ir? - Perguntou ao rei.

- Nós podemos ir mais tarde? - Jimin perguntou antes mesmo que o rei respondesse. Os dois homens olharam para ele confusos, então ele tratou de se explicar. - É que treinamos o dia inteiro, o Jungkook está cansado, voltamos para cá justamente para que ele descansasse um pouco.

- Entendo - disse o doutor. - Podemos remarcar para amanhã, sem problemas.

- Obrigado, senhor - Jimin agradeceu com uma reverência.

Nós deixamos a sala e finalmente seguimos para o nosso quarto. Sim, "nosso" porque eu estou dividindo o mesmo quarto com Jimin, eu me recuso a dormir sem ele. Não sei o que aconteceu, mas quando estive a um fio de perdê-lo, parece que necessito estar por perto dele a todo instante. É como se o meu amor por ele tivesse triplicado de tamanho e agora não me vejo sem ele, nem consigo ficar longe.

Ao chegarmos ao quarto tomamos um banho relaxante. Eu queria aproveitar nosso momento juntinhos e pelados no banheiro para tornar aquele banho em outra coisa, mas Jimin insistiu que eu precisava descansar, então apenas nos banhamos e dormimos um pouco em seguida.

Na manhã seguinte minhas forças estavam completamente renovadas. Então, segui com Jimin - e mais alguns guardas de confiança do rei - ao local onde o doutor iria me examinar. Ao chegarmos ele já nos esperava.

Ele me levou a uma sala cheia de equipamentos e me colocou em uma cadeira acolchoada. Primeiro ele retirou um pouco do meu sangue e começou a fazer uma série de exames, tudo isso estava sendo monitorado por dois dos safiens de confiança do rei que foram conosco. O rei não queria que usassem o meu sangue de forma incorreta e muito menos que caísse em mãos erradas. Como o Hajun nos traiu, ele tinha medo que isso voltasse a acontecer com outros.

Após a série de testes, eu fiquei em uma sala esperando com o Jimin até sermos chamados pelo médico.

- Já encaminhei seu sangue para análise - disse ele. - Daqui a pouco teremos o resultado.

- Certo - assenti.

- Bom, agora vamos precisar de uma amostra do seu sêmen - disse enquanto olhava alguns papéis em suas mãos. - Precisamos saber se você é fértil, caso seja usaremos a amostra para a reprodução - concluiu dessa vez me olhando.

Eu assenti com um aceno de cabeça.

- Eu preciso perguntar, então... - Ele hesitou um pouco, mas logo continuou. - Quanto tempo faz que teve relações sexuais?

Olhei para Jimin desconfiado, incapaz de dizer sequer uma palavra.

- Pela cara dos dois, arrisco dizer que não faz tempo - disse descontraído. - Apenas me digam se faz mais de dois dias.

Eu assenti em silêncio novamente.

Fazia três na verdade. Em um dos dias que o treino foi puxado e eu não consegui realizar o que queria, fiquei frustrado, chateado e mal. Então Jimin começou a me acalentar, fez carinho e no meio de tantas carícias, toques mais intensos e íntimos surgiram, não deu outra, transamos a noite toda. No final eu nem lembrava o motivo de estar chateado, foi a melhor forma de me acalmar que ele poderia ter feito.

- Certo - soltou uma risada fraca. - Então podemos realizar o exame hoje. Você vai entrar em uma sala para a coleta - explicou.

Ele escreveu algo em uma das folhas que tinha em mãos e logo depois me levou à sala onde ocorreria a tal coleta.

- Acredito que você prefira homens, certo? - O doutor perguntou e eu franzi o cenho sem entender nada. Foi aí que eu li os pensamentos dele e entendi do que ele estava falando.

Eu não sabia como seria feito isso, achei que a coleta seria do meu sangue, mas me surpreendi ao saber que eu veria vídeos de homens transando para me masturbar e ejacular para que assim coletassem o meu sêmen.

- Eu...hum-hum... sim - Imediatamente pensei em Jimin lá fora.

- Certo - assentiu se dirigindo a Tv no centro da parede. - Nós temos uma lista de vídeos aqui, mas se preferir imagens, nós temos algumas revistas naquela mesa - apontou para a mesinha ao lado do sofá de couro. - Aqui está o controle - me entregou o aparelho. - Você precisa colocar seu sêmen naquele potinho bem ali - apontou pro pote ao lado das revistas. - Fique à vontade, quando terminar é só me chamar - ele sorriu e saiu da sala.

Eu tenho certeza que estava vermelho de vergonha. Eu não sou santo, mas pensar que o médico sabe o que eu vou estar fazendo aqui, me deixou um tanto constrangido.

Mas como eu tinha que fazer aquilo, respirei fundo e comecei a analisar os vídeos disponíveis. Antes de dar play eu fui vendo as imagens congeladas e aquilo só me fez pensar em Jimin, em como seria se fosse nós dois ali, eu estava ficando excitado apenas por pensar nele. Eu o queria ali, não aqueles vídeos.

Por isso...

- Onde você está, amor? - Falei mentalmente com ele.

Vim aqui fora respirar um pouco, esse ar daqui não me agrada muito - respondeu.

Se teletransporta até aqui rapidinho.

- Não é mais fácil eu entrar pela porta? - Perguntou sem entender nada.

- Não, ninguém pode saber que vai entrar aqui - respondi rapidamente.

- Por quê? - Disse confuso.

- Aqui eu te explico, vem logo - Eu estava ansioso. Na verdade estava excitado.

Não demorou muito para Jimin aparecer em minha frente.

- O que foi, meu bem? - Perguntou preocupado.

- Preciso da sua ajuda - respondi me aproximando dele.

- Com o quê? - Franziu o cenho.

- Com isso aqui - apontei para o volume no meio das minhas pernas.

- Não acredito que me chamou aqui pra isso, Jungkook - ele arregalou os olhos em minha direção.

- Eles me mandaram assistir vídeos de caras transando, não tenho culpa se fiquei excitado e com vontade de fazer o mesmo com você - me aproximei mais e circulei sua cintura com os meus braços.

- Eu não vou fazer isso aqui, Jungkook. Ficou doido? - Tentou me afastar, mas eu o mantive preso em meus braços.

- É pelo bem da ciência, amor - falei manhoso antes de beijar seu pescoço.

- Não, você não vai me tapear com isso - ele tentou manter a voz firme, mas falhou na última palavra quando eu deixei mais um beijo em seu pescoço.

- Não seja malvado, amor - comecei a distribuir beijos molhados em seu pescoço e logo ele virou a cabeça pro lado me dando mais espaço para tal. - Estou tão duro, preciso que você me ajude.

- Não... - Sua voz saiu fraca, assim como ele estava em meus braços.

- Sim - falei com a voz rouca em seu ouvido.

Nem esperei que ele falasse mais nada, o segurei pelas coxas e enlacei suas pernas em minha cintura andando com ele assim até o pequeno sofá que tinha ali. O coloquei sentado, deixei um joelho de cada lado de suas coxas e me sentei em seu colo enquanto beijava a sua boca com avidez.

Logo suas mãos alcançaram minha cintura e me apertaram ali enquanto seus pensamentos estavam divididos entre o tesão e o medo de sermos pegos por estarmos fazendo algo errado. Porém, esse perigo só nos fez ficar mais afoitos e excitados. Foi impossível parar, foi difícil resistir a excitação irrefreável que preencheu nossos corpos como um calor abrasador.

Por isso, nós continuamos. Eu comecei a rebolar em seu colo, logo senti seu pau endurecer debaixo da minha bunda, isso só me deixou mais afoito para continuar investindo nos movimentos de vai e vem que a cada vez ficava mais intenso e agoniado porque eu queria mais, queria sentir mais dele.

- Amor... - Ele chamou com a voz rouca quando separamos os lábios brevemente. - Você tem certeza que isso dará certo?

- Sim - minha voz saiu fragilizada. - Eu só preciso gozar naquele potinho - Apontei com a cabeça para o pote.

Ele ainda queria contestar, mas impedi quando calei a sua boca com a minha.

Eu desci de seu colo com certo esforço e comecei a desabotoar sua calça. Abri o botão, em seguida o zíper e puxei o tecido grosso junto com a box até a perna dele, deixando-o exposto para mim.

Perfeito demais.

Passei a língua pelos lábios ao ver que ele já gotejava por mim. Segurei seu pênis com uma mão e com a outra eu apertei a carne firme de sua coxa. Não resistindo aquela visão divina abocanhei o falo já endurecido e comecei a chupá-lo com o desejo explodindo dentro de mim. Passei a língua por toda a extensão, chupei a cabecinha rosada e inchada e brinquei com suas bolas.

Gostoso.

É isso que Jimin é. Eu poderia chupá-lo o dia inteiro que não enjoaria, eu continuaria no meio de suas pernas usando minha língua do jeito que queria apenas para ouvi-lo gemer tão deliciosamente rouco. Ele tentava se segurar para sua voz não sair alta demais, o risco de sermos pegos em flagrante era o que deixava tudo mais excitante, por isso a vontade de gritar só aumentava.

E eu também não deixei por menos. Investi todo o meu esforço naquilo, chupei Jimin como se fosse o melhor pirulito em minha boca, minha língua brincava com a sanidade dele ao subir lentamente por toda a sua extensão. Meus gemidos graves faziam minhas cordas vocais tremerem e assim transmitir uma sensação deliciosa em seu pau.

Tudo isso somado ao perigo fazia Jimin querer gritar de tesão, mas ele se segurava descontando tudo no sofá ao apertá-lo fortemente entre os dedos e ver aquela cena só me deixou mais afoito.

Então eu continuei a chupá-lo com gosto até sentir seu corpo estremecer um pouco e sua respiração desregular por inteiro. Ele chegou ao ápice e gozou intensamente fazendo seu gozo espirrar forte acertando minha cara.

Olhei para ele e abri um sorriso satisfeito por vê-lo tão entregue. Suas bochechas estavam vermelhas, sua testa estava suada fazendo alguns fios azuis grudarem nela, sua boca estava entreaberta, seus lábios ainda mais vermelhos. Sim, essa é a imagem da perfeição. Jimin fica lindo quando goza, fica lindo logo depois enquanto sente os efeitos deliciosos consumindo  seu corpo.

Enquanto ele regulava a respiração, eu me limpei com algumas toalhas de papel que achei e depois fiz o mesmo com ele.

- Gostoso - soltei acompanhado de um longo suspiro de satisfação ao vê-lo molinho.

Ele me olhou com os olhos carregados de prazer e me mostrou um belo sorriso. Ele esticou o braço em minha direção me chamando para mais perto e eu fui. Ao me aproximar ele puxou minha calça para baixo me deixando completamente nu em sua frente. Então eu me sentei em seu colo colocando um joelho de cada lado e passei meus braços pelo seu pescoço como ele me guiou.

- Minha vez, certo? - Disse com um sorriso malandro nos lábios.

Eu apenas assenti em silêncio aguardando ansioso pelo o que viria a seguir.

Senti suas mãos percorrerem por minhas costas acariciando minha pele por baixo da blusa, mas logo desceram para a minha cintura. A mão esquerda permaneceu ali, enquanto a direita deslizou para minha virilha até chegar em meu pênis.

Jimin começou a me masturbar lentamente subindo e descendo sua mão por minha extensão. Sentir suas mãos quentes em contato com minha pele me fez sentir arrepios eletrizantes por todo o meu corpo, por isso comecei a me mover em direção a sua mão para que aquele contato ficasse mais intenso.

Ele parou o que estava fazendo apenas para unir seu pau ao meu e assim começou a nos masturbar de uma só vez. Aquilo estava delicioso e à medida que ele nos tocava eu descontava o tesão no pescoço dele, arranhando e apertando.

No silêncio da sala os únicos sons audíveis eram os nossos gemidos abafados e o som pornográfico da punheta gostosa que Jimin fazia em nós.

Eu estava adorando aquilo tudo, mas ainda assim sentia falta de algo e Jimin percebeu isso. Ele continuou nos masturbando, mas sua mão esquerda deslizou da minha cintura para a minha bunda. Ele apertou a minha carne com vontade e logo seu dedo indicador deslizou para a minha entrada acariciando ali me fazendo contrair em expectativa. Ele judiou um pouco porque sabia que eu o queria dentro, mas ficou ali circulando seu dedo sem realmente me penetrar.

- Amor... - Resmunguei rebolando em seu dedo. - Enfia.

Ele soltou uma risada sacana e continuou brincando comigo. Mas logo a tortura passou, Jimin enfiou seu dedo lentamente dentro de mim movendo-o aos poucos e assim que eu estava acostumado ele começou a me estocar com seu dedo enquanto sua outra mão ainda trabalhava em nossos pênis. Depois ele colocou mais um dedo e começou me dedar com os dois de uma só vez me fazendo revirar os olhos.

Com os estímulos vindo dos dois lados eu sabia que não iria durar muito.

- Eu estou tão perto - falei ofegante.

- Lembre-se que precisa gozar no pote - relembrou. Sua voz tão afetada quanto a minha.

- Eu sei, mas não quero parar, não quero que você pare - insisti. Então comecei a rebolar com intensidade em seus dedos.

- Você só precisa segurar o pote, deixa o resto comigo - disse e me roubou um beijo.

Me estiquei um pouquinho apenas para pegar o potinho sem me mexer muito para que não deixasse de sentir todas aquelas sensações que as mãos do meu namorado estavam me proporcionando.

E ele continuou me tocando da forma mais perfeita que só ele sabe. Eu queria que ele gozasse de novo, por isso comecei a gemer rouco em seu ouvido enquanto acariciava seu mamilo, sei que ele é sensível nesses lugares.

- Desse jeito vou gozar de novo, meu bem - disse fragilizado.

- Eu sei - me limitei a dizer e continuei estimulando-o como podia.

E como previsto, não demorei muito mais para gozar, assim como Jimin que veio um pouco depois de mim. Logo eu estava me derramando nas mãos de Jimin e dentro do pequeno pote que quase deixei cair. Era difícil segurar aquilo enquanto meu corpo inteiro tremia de prazer, e talvez, só talvez, eu tenha deixado um pouco do sêmen do Jimin cair dentro também. Isso nem deve interferir em nada mesmo.

Após nos limpar, eu descansei minha cabeça em seu ombro enquanto tentava regular a minha respiração.

- Não acredito que fizemos isso - falei sorrindo ao me lembrar dessa loucura.

- Você me faz fazer cada coisa - ele resmungou rindo feito bobo.

- Está achando ruim? - Provoquei.

- Óbvio... - Disse sério. - Que não - deixou um beijo em minha cabeça. - Toda e qualquer coisa com você, mesmo que seja uma loucura, valerá a pena, meu bem.

Soltei uma risada fraca e me aconcheguei mais a ele para aproveitar os últimos minutos antes de deixá-lo sair para que eu pudesse falar com o médico.

❧ ℭ��������������...


Notas Finais


º Oiiiiiiiiieeeeeeeeeeeeee.... Vocês não sabem o prazer que é estar de volta. (eu tinha que colocar isso aqui)

º Eu estava tão agoniada por não conseguir postar. Eu nunca demorei tanto para aparecer e isso estava me deixando muito mal. Mas voltei e espero manter a rotina de antes, não quero demorar tanto pra voltar aqui.

º Obrigada a quem não desistiu de mim e minhas maiores desculpas pela demora.

º E sim, estamos chegando na reta final da história :( Ainda faltam alguns capítulos, mas o final tá chegando e eu não sei se tô preparada pra isso.

º Enfim...

Até o próximo capítulo!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...