1. Spirit Fanfics >
  2. Safira >
  3. Segredos

História Safira - Capítulo 16


Escrita por:


Notas do Autor


Oi!!
Muito obrigada pelo amor e carinho de todos vocês (e pela paciência tbm kkk)
Segue aqui mais um capítulo fofo, com muita emoção.
Aproveitem a paz e o amor!

Capítulo 16 - Segredos



Safira on
Anel Inferior

Zuko e eu caminhávamos pela cidade, fazendo compras para a loja, enquanto conversávamos.

Nos últimos dias, como eu carrego seu segredo, não tenho ido para o Anel Superior ver Aang e os outros. Primeiro porque eles desconfiariam, segundo porque eu não conseguiria esconder de Katara, muito menos de Sokka, que estive com Zuko esse tempo todo. As meninas perguntariam de "Lee", e eu não sei mentir.

--Ta bem, mas onde você aprendeu a dominação avançada desse jeito?--perguntou ele, enquanto segurava uma sacola com plantas para fazer chá.--Já passei por várias tribos da água antes, nunca vi dominação como a sua.

--Um passarinho me ensinou.--respondi, enquanto caminhava.

Zuko me encarou com o cenho franzido, frustrado por eu ter esse poder sobre ele. Carrego seu segredo, e sei quem ele é, mas ele não sabe nada sobre mim, pelo menos não sabia nada de tão extraordinário sobre a minha história.

--Você guarda meu segredo.--disse ele.--Nada mais justo que me contar um dos seus.

Bingo!

Mas de qualquer forma, é, ele estava certo. Se vamos fazer uma trégua e ser amigos, preciso confiar nele, tanto quanto confiou sua identidade à mim. Tá bem, ele não confiou, eu descobri, mas isso não importa.

--Promete de coração, que não vai me decepcionar?--dirijo meu olhar de encontro ao seu, brincalhona.--Promete como homem guerreiro?

--Odeio quando você usa esse sarcasmo.--diz ele, revirando os olhos enquanto desviava o olhar. Eu apenas gargalhei, esperando uma resposta.--Prometo.

Zuko suspirou.

--Ta bem, me encontra no morro da cidade, ao Pôr do Sol.--falei, abrindo a porta da casa de chá.

--Sério?--questionou, duvidoso.--Precisa mesmo tudo isso?

--Vou te contar meu maior segredo, príncipe.--ele adentrou.--Custaria a minha vida, tanto quanto a sua se descobrissem.

Zuko pareceu surpreso e assustado, mas lancei-o meu olhar meigo, então logo ele se acalmou.

Trabalhamos a tarde toda. Era tanto chá de lá pra cá, indo e voltando. As pessoas realmente eram harmoniosas, e o humor deles deixava tudo mais agradável, e era divertido a maneira como Iroh vivia dizendo que o segredo de seu chá maravilhoso era o amor, e Zuko como sempre arqueava as sobrancelhas de um modo engraçado.

Prevejo que posso me acostumar com esse estilo de vida ao lado deles, por mais comum e superficial que fosse.

[...]

O Pôr do Sol chegou.

Fui até o local combinado e esperei, fazendo um som nasal, pensando na música que minha mãe cantava quando eu era criança, sentada de pernas cruzadas à frente da árvore do morro.

Enquanto aguardava por Zuko, sentada enquanto estava encostada na árvore que estava nesse morro, meus olhos permaneciam fechados, e com a música que cantava, pensava em minha irmã. Nunca parei de pensar nela, nem se quer um dia. Todas as noites, eu encarava a Lua, cheia ou não, era a única família que eu tinha, e se foi. Papai nunca me deu bola, mas eu não o culpo por isso, Yue sempre foi perfeita, em todos os sentidos. Até eu a escolheria, se pudesse.

Parei de cantar quando senti alguém se encostando na árvore, logo ao meu lado, porém em pé, de braços cruzados. Abro os olhos, erguendo a cabeça. Zuko já estava ali.

--Você canta bem.--disse, enquanto se assentava ao meu lado.--Tem uma voz bonita.

Senti minhas bochechas se enrubecerem levemente.

--Minha mãe costumava cantar pra mim quando era menor.--apertei meu colar com força.--Mas enfim, você veio, curioso.

--Você me deve.--retrucou.--O que tem pra me dizer?

Respirei fundo, ainda me decidindo se devia realmente fazê-lo. Bem, já que estamos aqui, por que não contar?

--Já ouviu falar na biblioteca do Conhecimento?--virei minha face para encará-lo.--Guardada pelo espírito Coruja?

--Devo ter ouvido falar.--franze o cenho.--O que tem?

--Sempre li sobre esses lugares antigos quando era pequena.--expliquei.--E como você percebeu, amo minha dominação.

Contei a ele sobre a biblioteca, sobre minha dominação. Bom, essa parte não é segredo, quer dizer, eu confiei-a a Sokka, então poderia muito bem contar pra Zuko, isso é irrelevante. Mas o que eu estava prestesa dizer, era o que realmente importava.

--Uau.--disse ele, sem humor, como sempre.

--Não é isso, Zuko.--o Sol, logo terminaria seu trabalho por hoje, e Yue assumiria seu lugar.--Eu aprendi tudo, sobre tudo da água.--revelei.--Sei de coisas que você não imaginaria, coisas que eu nunca faria.

Senti lágrimas acomulando-se, mas eu não as deixei cair.

--A água é forte, perigosa. Salva, mas mata com facilidade.--falei.--O mar é bom, divertido, mas na primeira distração, ele te leva, te afoga.

--O que quer dizer?

Suspirei, hesitante.

--Zuko, que isso não saia daqui, nem para Iroh.--encarei-o seriamente.--To falando sério!

--Ta bem!--retrucou, um pouco incomodado.--Não confia em mim?

Eu queria confiar, mas falava sério, se mais alguém soubesse disso, o mundo se eternizaria, ainda mais que a Nação do Fogo é inimiga, usaria isso contra a Tribo da Água e contra todos os dominadores de água.

Por fim, suspiro, pronta para falar.

--Há muito tempo, Zuko, nos tempos dos primeiros Avatares, havia uma coisa em relação às dominações opostas.

Dominei a água que estava em algumas folhas da árvore acima de nós, logo, as folhas morreram, e o líquido flutuava. Utilizei a água e formulei o símbolo de cada dominação, água e fogo, terra e ar.

--Fogo e Água, já tentaram unir seus reinos.--excluí ar e terra, mantendo apenas fogo e água.--Acontece que, quando a Nação do Fogo e a Tribo da Água estavam no início de sua formação, era conveniente para a Tribo da Água ter o território da Nação do Fogo, mas o Senhor do Fogo era apaixonado pela rainha da Tribo.

--Já imagino como termina.

--Não.--cortei-o.--Você não imagina.

Zuko pareceu surpreso pelo meu tom de voz. Mas era verdade, eu pensei, quando menor, que era algo simples, e agora, vejo meu povo como inocente, ou tento, mas nem sempre foi assim.

--A rainha o usou para fazer um selo, uma conexão.--voltei a falar.--De uma forma em que ele a obedecesse, que ela fosse sua chefe.

Silêncio, enquanto eu encarava Yue.

--Durante o Pôr do Sol, naquele dia, a Lua era Cheia, e deixava a rainha mais forte, tatuagens selaram o casamento.--fiz o formato de dois desenhos com a água, sol e lua.--O Senhor do Fogo fez a tatuagem da Lua e do sol...--usei a água, formando um braço, com uma pequena tatuagem de Sol, com a Lua o compeltando.--E a rainha também deveria fazer os dois, equilibrando o domínio.

--Mas?

--Ela não fez.--suspirei.--Apenas a da Lua, que controlava o poder dela sobre ele, ou seja, ele não poderia se virar contra ela, se ele a matasse, ele também morria.--faço uma pausa brusca.--Uma conexão eterna.

Zuko curioso, esperava pelo final.

--E?

--Para salvar seu povo, ele a matou.

O silêncio a seguir foi frio e constrangedor. Eu nunca havia compartilhado disso com ninguém antes, nem com Yue, nem com ninguém. Admito, colocar minha pressão para fora foi bom, mas para contar isso à Zuko, valeria minha cabeça. Prometi à Coruja, tentar guardar segredo, e dei o meu máximo, mas não acredito que Zuko levaria isso para sua vida, de qualquer forma.

--Só isso?--perguntou.

--É.--confirmo.--E é muito complexo, ainda hoje pode ser feito, mas o segredo morreu no conhecimento humano, conforme os anos.

--Quer dizer que se eu fizesse a tatuagem completa no seu braço, mas se deixasse somente o Sol no meu, você me obedece?--questionou.--Tipo, escrava?--arqueei as sobrancelhas, brincalhona.--Não que eu vá fazer.

Sorrio de leve, assentindo.

--Bom agora você sabe o meu maior segredo.--suspirei.--Espero que o guarde como eu guardo o seu.

Zuko me encarou profundamente, antes de assentir.

--Pode deixar.

É, foi nostalgia, admito. Mesmo assim, foi bom pelo menos uma vez na vida, compartilhar dos meus segredos.


Notas Finais


Isso muda tudo.

Muito obrigada à nossa querida amiga e leitora Parkeson, pela linda capa!

Gente, se vocês escrevemhistórias ou pretendem começar a escrever, a Parkeson faz capas pra gente!
Segue aqui o jornal dela, explicando tudo certinho pra vocês conseguirem uma capa bem legal:

https://www.spiritfanfiction.com/jornais/capas-para-a-sua-fanfic-18740670


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...