História Saga Hunter - Anjos da noite - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Hitórias Originais
Visualizações 7
Palavras 2.698
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Ficção Adolescente, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Saga, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


me decupem a demora,vida de estudante não e fácil,bom historia nova! Espero que gostem

Capítulo 2 - Dia-a-dia de um caçador


Somerton, Filadélfia. Dias atuais

       O sol mais uma vez nasceu sobre a cidade, os raios brilhavam sobre o céu e pareciam atravessar as folhas das arvores e as cortinas das diversas casas. O despertado marcava 08h00min,foi quando o jovem levantou,olhando as horas ele se assustou e logo levantou da cama e pós sua roupa, seu cabelo escuro estava todo bagunçado, sua calça jeans e sua jaqueta preta estavam amarrotadas, como se estivessem sido mastigadas,exceto sua camisa vermelha que estava impecável. Ele logo desceu as escadas correndo e foi direto pra cozinha, perto do balcão avia um vidro onde se podia ter uma visão bonita do quintal, no canto da cozinha avia um husky siberiano com uma coleira marrom que dormia quando o adolescente entrou na cozinha, ele levantou sua cabeça e latiu para ele

-E eu sei que to atrasado, obrigado por lembrar Ruffles- ele logo pegou uma torrada que estava no forno e foi para sala

No tapete perto do sofá estava sua mochila, ele desesperado a colocou nas costas e saiu correndo, no lado de fora ele foi a disparada pelas causadas sem olhar para trás. Após um tempo ele, quase morto, chega às escadas do Colégio Pine Road, ele entra correndo sem se deparar com o zelador que apenas sorriu para ele.

Chegando à sala 17, ele parou antes de entrar e olhou para a pequena janela que avia na porta e viu todos os alunos concentrados escrevendo em seus cadernos. O jovem acostumado com a situação de algum professor estar sempre passando matéria ou alguma atividade e não prestar atenção na porta entrou e foi logo em direção a seu lugar quando ele congelou

-Senhor Drake- Disse uma voz suave e sarcástica- Vejo que está 5 minutos adiantados da sua media anual

Ele então se vira para o quadro onde estava a diretora, senhorita Foster, uma mulher sempre seria com um ar de superioridade, sempre com um vestido que batiam em seu joelho, com um rosto fechado e jovem, seus olhos castanhos atravessavam qualquer alma como uma flecha, ela sempre estava usando um coque com dois palitos prendendo o cabelo, durante as aulas mais calmas como as de historia era possível ouvir seus passos curto com o salto nos corredores da escola.

-Se... Senhorita Foster, como vai? Já disse que a senhora esta bonita hoje?

-Sente-se, por favor, como estou de bom humor hoje deixarei passar mais saiba que

-“Essa e a ultima vez”. Pode deixar senhora

Após algumas horas a aula finalmente acabou e os alunos começaram a ir para suas casas. O jovem garoto andava apresado para ir embora quando notou um grupo em círculos empurrando um garoto, todos eles pareciam mais velhos do que o pequeno que estava sendo empurrado ate ele cair no chão

-Oh me desculpe- Disse um loiro alto, com um casaco de time de baseball- Acho que isso e seu- Então ele pega todos os livros da mochila do garoto que ainda estava caído no chão e os jogou em cima dele.

-Seus idiotas! – disse o garoto tentando pegar seus livros do chão

-Como e que e?- Disseram o grupo chegando mais perto dele

-Eu disse: Seus idiotas!

-Parece que o quatro olhos aqui gosta de apanhar- Disse o loiro para o grupo que logo começaram a rir

 Ele então levantou seu punho e deu um soco no garoto, mas antes Drake chegou a tempo e conseguiu segurar o punho dele, e com um soco ele conseguiu empurrá lo para trás

-Ai garoto, pega suas coisas e sai daqui- Disse Drake olhando para o grupinho

-Quem e você?

-Acho melhor voltar pro inicio né? Meu nome e Kalton Drake, e se você me der licença vou dar uma surra nesses caras

  -Veja só se não e o aluno favorito da classe- Disse o loiro se levantando – Só por que o Peter não esta aqui não significa que você vai sair ileso dessa vez

-E não e só por que o Peter não esta aqui que significa que você tenha que agir como valentão da escola

-vamos ver então- Antes do loiro sair pra cima de Kalton, algo muito forte apertou seu pulso, era a Sra. Foster que tinha aparecido para separar a briga

-Senhor Thompson, que alegria em velo, não vejo à hora de te colocar na detenção de novo- Ela então olha para Kalton que se manteve calmo com aquele olhar aterrorizante e ao mesmo tempo doce da diretora – Já você senhor Drake, resolvo amanha- Então ela saiu largando o loiro que logo foi embora com seu grupinho

-Não liga pro Yan- Disse Kalton pegando o livro do garoto- Ele e o grupinho dele vivem atormentando os outros alunos, mas e só eles verem a Sra. Foster que saem com o rabo entre as pernas- Ele com presa entregaram os livros ao garoto que agradeceu com uma voz tão baixa que quase não deu para ouvir- Bom se me der licença eu tenho que ir, a gente se vê amanha - Então ele saiu correndo

Depois de um tempo ele finalmente chegou a sua casa na Av. Clearview. Ele antes de entrar notou que a garagem estava aberta com uma caminhonete preta estacionada em frente, ele logo entrou e foi aos fundos onde tinham alguns carros e varias ferramentas espalhadas pelo chão, ele foi em direção a um carro branco onde um par de pernas estava por baixo dele

-Bom dia pra você também – Ele da uma leve batida na lataria do carro

Então o homem sai e se levanta ele era auto, forte, seu cabelo estava bagunçado, tinha uma pequena barba, aparentava ter 38 a 39 anos, estava sujo e com algumas marcas de óleo em sua camisa

-E então? Como foi a aula?

-Como sempre nada de novo, mas pelo visto você tem algo de novo né- Ele então da uma boa olhada pro carro branco – Me deixa adivinhar: um Ford Mustang 1968?

-69, mas gostei do chute. Essa belezinha ai e edição de colecionador, mas ta com a suspensão na lona e de um senhor rico que diz vir de Nova York

-Nova York? Ele veio pra cá? Pra Somerton? Só pra você concertar a suspensão?- Dizia o adolescente indignado

-Segundo ele esta viajando a negócios quando estava passando por aqui a procura de um mecânico

  -ate parece

-Bom mudando de assunto, o que acha de darmos uma volta por ai na lata velha?- Disse ele limpando as mãos com um pano. Ele sempre chamava sua caminhonete de lata velha por ser um pouco antiga

-Tudo bem

Um tempo depois estavam eles dentro da caminhonete indo em direção a uma área florestal da cidade

-E agora? – Disse Kalton saindo do carro

-Vamos ver o que conseguimos achar - O homem saiu logo a frente seguindo uma trilha e Kalton foi logo atrás, o homem estava com uma roupa mais casual algo bem estranho para uma trilha, ele também levava um rifle em sua mão onde Kalton só percebeu que estava em suas mãos quando ele parou

-Veja- Eles então observaram um cervo que pastava tranquilamente- Lição N.6: estratégia – ele então posicionou o rifle – Observe cada passo, ache uma abertura, esteja sempre alerta, depois dessas lições passadas você agora entra na sua sexta lição, analise todas as possibilidades e quando achar uma – ele atira, mas apenas acerta o chão muito próximo a cabeça do cervo o fazendo recuar para trás quando ele da um segundo tiro bem próximo a perna dele o fazendoele mudar de direção e sair correndo mais rápido- atire! Isso fez sentido pra você?

-Sim, e como estar lendo os passos do inimigo. Observação não e?                                                      

-Ótimo - ele então colocou o rifle em suas costas - agora que você entendeu vamos lá

-Aonde vamos? – Kalton tenta acompanhar seus passos

-A pratica leva a perfeição

Eles então entraram no carro e foram ate um hospital, eles ficaram um tempo estacionados antes de sair

-Um caso?

-Um fazendeiro foi atacado ontem à noite, foi mordido e infectado por alguma doença. Sua esposa diz que quando achou ele estava tendo alucinações, antes de ter uma compunção ele mencionava que o animal tinha virado pó. Estranho não?

-Vampiro?-indagou Kalton

-Já ouviu falar de algum vampiro que devorou metade de um gado de ovelhas?

-Bom o que estamos esperando, seja o que for iremos descobrir

Os dois saíram da caminhonete e foram à recepção. Apos explicar quem eram a enfermeira o acompanhou ate o quarto onde o paciente estava

 -Se precisar de alguma coisa detetive estarei aqui ao lado- disse a gentil enfermeira

Ele agradeceu e ela saiu do quarto fechando a porta

-Ta bom, onde você conseguiu esse distintivo?- Perguntou Kalton indignado

 -Longa historia, mas vamos ver o que temos aqui- ele se aproxima da cama e pega a prancheta que estava na cabeceira da cama- “Thiago Henrique Ferraz, 49 anos, situação: instável.“

-Veja – Apontou Kalton para o pescoço da vitima – veias escuras a flor da pele, e parece que estão se espalhando – Kalton sentiu um leve arrepio subindo pelas costas – John o que e isso?

-Vamos ter que descobrir

[...]

Passado três dias Kalton e John andaram fazendo inúmeras pesquisas sem deixar atrapalhar suas vidas

Na sala de star, Kalton estava sentado no sofá lendo um livro,em sua frente avia uma pequena mesa de madeira com 2 pilhas de livros e um copo de chocolate,já era de noite quando der repente John entra na sala com tudo e joga um livro aberto na frente de Kalton

-Pensa bem: meio rebanho de ovelhas devorado, uma vitima infectada por uma mordida, um ataque noturno, uma criatura que só ataca de noite e não resiste aos raios do sol, que não há nenhum registro sobre ela em nenhum livro

Kalton viu a figura no livro, depois de alguns instantes ele olhou para cara de John e começou a gargalhar sem parar deixando John com um olhar perplexo e confuso 

-Desculpe John, sei que você e um caçador veterano, você esta me treinando pra seguir esse mundo a fora, já matei vampiros, quase matei um lobisomem, já expus sei espíritos vingativos e outros tipos, mas isso já e demais – ele então continuou gargalhando

-Pensa bem, um vampiro demora quanto tempo pra transformar um humano?

-Poucos segundos, dependendo se o corpo do humano vai reagir ao sangue de vampiro

-Mas e na segunda vez? Se ele tivesse tentado e o sangue agisse como um veneno matando aos poucos o hospedeiro ate que o corpo seja forçado ou aceitar esse veneno ou acelerar o processo de óbito

-5 ou 6 dias

-Exato, e se essa criatura tivesse a mesma característica?Hoje não completa o sexto dia que o nosso amigo esta no hospital

-Droga!

Os dois saíram de casa com a caminhonete e foram ao hospital. Chegando La aviam varias viaturas da policia de Somerton, eles então desceram e foram ate um guarda

-Por favor, se afaste – disse o policial aos dois

-Tudo bem- Disse John mostrando o distintivo falso – Detetive Kenny, esse e meu parceiro. O que aconteceu?

-bom nesse caso um dos pacientes matou uma enfermeira e depois fugiu,não sabemos ainda seu paradeiro

-Isso e tudo?

-Sim. Vem cá, você não e muito novo para ser parceiro de um policial? – perguntou ele a Kalton que se assustou

-Sabe como e essas novas leis de programa de jovem aprendizado – Disse John – acho melhor irmos embora, assim podemos passar um radio pra central – Eles então foram pro carro novamente

-Essa foi por pouco – Disse Kalton colocando o cinto de segurança

-Vejamos: Acabo de fugir do hospital. Com fome e sem onde se esconder, com ha policia atrás de mim, aonde vou?

-Pra casa, mas não seria meio óbvio? E se os policiais estiverem lá?

-Eles iriam fazer uma investigação pelo perímetro e depois iriam por lá

-Então vamos ate lá?

-Exato

Os dois então partiram em direção a área rural da cidade ate a fazenda onde o infectado morava. Quando eles desceram da  John pego uma pistola e a colocou na Cintura

--Não vai me dar uma arma

-Dessa vez não, mas vamos ver como você se da em uma situação de improviso

Eles foram em direção a porta que estava entre aberta. Quando eles entraram o silencio tomava conta da casa, na frente da porta avia um corredor que levava a cozinha e ao lado uma escada, já ao lado da porta estava à sala onde não avia nada. John fez sinal para Kalton subir enquanto ele iria para a cozinha. Kalton não achou nada alem de algumas roupas caídas no chão e a janela do quarto que estava aberta, uma coisa estranha chamou a atenção dele: Marcas de garras na borda da janela, como se algo escalou por lá

-Drake! – Ele desceu rápido para cozinha. Ao chegar lá ele encontra John em frente ao cadáver de uma moça morena com um buraco no pescoço – Essa era a esposa?

-Sim – Ele então olhou para a porta que estava aberta

A porta dos fundos dava aceso a uma vista incrível para a área de traz da fazenda tendo uma visão do seleiro que estava acesso, John foi em direção a ele deixando Kalton para traz que procurava algo, Ao chegar perto do seleiro ele ouviu alguns gritos dos animais que estavam afoitos. Ele entrou cautelosamente e viu uma criatura bizarra esfolando as ovelhas, a criatura tinha a pele rugosa como se os nervos estavam cobrindo sua pele, existia uma extensão de veias escuras por volta de seu corpo, em suas mãos garras parecidas com navalhas rasgavam os animais. John por impulso atirou na criatura, a bala parecia não ter muito efeito perfurando a pele da criatura. A criatura então se virou e olhou para ele,sua boca era um pouco maior do que de um humano,seus dentes erma afiados,um liquido preto escorria de sua boca e seus olhos estavam vazios,sem vida,a criatura soltou um gruindo assustador com um som estridente e atacou John que por sorte desviou do ataque. John atirou varias vezes no peito da criatura que não surtiu efeito, a criatura rugiu mais uma vez e começou a se movimentar pelos pilares de madeira do seleiro, ele era rápido e agiu. Em um ataque de oportunidade a criatura pilou nas costas de John com a intenção de cortar seu pescoço, mas Kalton apareceu rapidamente quebrando uma garrafa na criatura o cobrindo com um liquido. A criatura caiu e Kalton retirou um maçarico de seu bolso e atirando fogo  na criatura que logo inflamou,John sem perder tempo ele atirou varias vezes na cabeça da criatura ate ela recuar e cair no feno fazendo o seleiro rapidamente queimar por completo,mas ele por sorte saíram de lá e foram correndo para o carro antes que alguém os visse.

[...]

Após um tempo,eles já estavam em casa,Kalton estava sentado em um banco de madeira no quintal embaixo de uma arvore,ele fazia carinho em Ruffles que dormia tranquilamente,John andava em direção com duas garrafas de vidro na mão

- Você não faz idéia do quanto tive que andar pra comprar o seu favorito – Disse John se sentando ao lado dele – Esse e o seu refrigerante favorito né? Por que se não for eu terei gastado 12 dólares atoa

-E esse sim, obrigado – Ele então pega a garrafa e da um gole – Alguma ocasião especial?

- Nada de mais, qual e o motivo para não comemorarmos a vida? Afinal daqui a alguns meses você já vai estar com 17 né

-Sabe que eu não quero falar desse assunto

-por que não? Saiba que quando eu tinha a sua idade pude sair de casa e viver minha vida normalmente

-Mas eu não, eu só quero permanecer aqui, no agora e deixar o futuro de lado

-Não adiante – Diz John inclinando o corpo para frente –Uma hora ou outra ele vai bater em sua porta, e ai o que você ira fazer? Correr pro seu quarto e fingir que não esta lá? Não podemos fugir do futuro Drake,mas sim encara –ló

Kalton abaixou sua cabeça por um instante

-então um brinde ao futuro?

-Sim – diz ele sorrindo – um brinde ao futuro

E então os dois brindaram e ficaram conversando ate o dia amanhecer   

 

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...