1. Spirit Fanfics >
  2. Saint Seiya A Luxúria de Sendai >
  3. Confraternização Conturbada

História Saint Seiya A Luxúria de Sendai - Capítulo 33


Escrita por:


Capítulo 33 - Confraternização Conturbada


Fanfic / Fanfiction Saint Seiya A Luxúria de Sendai - Capítulo 33 - Confraternização Conturbada

 

Chega o fim de semana, Sendai estava animada, ela resolve organizar um jantar de confraternização para os cavaleiros, já que agora estavam se dando bem com ela. De seu templo, havia dado muitas ordens.

-Decorem o salão e arrumem a prataria e as demais comidas e bebidas, pois Aldebaran e Shura cuidarão do churrasco, Dohko irá ajudá-los com as bebidas. -Sendai ordena os empregados, que saem atarefados.

 

Ela se senta no sofá, ao lado de Saga e o abraça, Saga acaricia os cabelos dela, e lhe dá um beijo. Depois, ficam se encarando por um tempo.

 

Sendai:

-Estou muito feliz agora que estamos todos nos dando bem. Acho que os demais dourados não nutrem raiva ainda por mim… o que você acha Saguinha?

 

Saga:

-Acho que eles tiveram raiva, mas já passou. Provavelmente te perdoaram. Bom, nem todos ainda… Milo continua chateado. É um marrento!

 

Sendai:

-Estou organizando esse jantar também, porque Milo não poderá se negar a vir. Hoje conseguirei ‘me entender’ com ele…. -Ela sorri maliciosa.

 

Saga:

-Se isso é tão importante para você… que assim seja. -Olha para o chão.

 

Sendai nota a melancolia de Saga, ela pega no rosto dele e o faz olhar para ela:

-Saga, você sabe o quanto você é importante para mim? O quanto eu amo você de verdade? Não imagino mais minha vida sem você. Porém não deve esquecer que o Milo fez o mesmo por mim. E é por isso que esse amor especial, e um tanto quanto mais forte e desgovernado, eu sinto apenas por vocês dois.

 

Saga:

-Sendai -Ele segura as mãos dela – Porque não pode escolher um de nós. Só um para se casar talvez?….Ou apenas eu e o Milo?... Você não imagina como me machuca saber que você fica com todos os meus colegas….Está se tornando insuportável para mim…. - A expressão que ele esboça é um misto de tristeza e preocupação.

 

Sendai cora, ela se levanta, livrando-se das mãos de Saga. Então responde:

-Saga eu já lhe expliquei que eu amo todos vocês. E todos são meus. Porque eu haveria de me privar de alguns?…Você faria isso se fosse um deus?

 

Saga se levanta e a encara:

-Faria! Porque isso sim seria demonstrar amor!… Para amar é preciso se sacrificar, fazer de tudo por quem você ama…

 

Sendai não queria mais ouvir Saga, ela desvia e ia se retirando, mas Saga segura seu braço, fazendo ela se virar e ter que olhá-lo de novo. Ela fez cara de irritada.

 

Saga:

-Como você se sentiria se eu dissesse a você que eu também tenho mais amantes??

 

Sendai puxa com força seu braço, e fica extremamente brava com ele. Ela cora, e sem saber o que responder, ruma para sua suíte e bate a porta. Saga suspira, e sai do templo da deusa.

 

Sendai se encosta na porta que acabara de fechar, ela pensa consigo mesma:

-O que? Como se atreve! Vocês pertencem a mim, unicamente a mim! Não precisam de outras mulheres em suas vidas…. Isso seria…. Imperdoável! -Ela esfrega com força as mãos na cabeça, muito perturbada, apenas por pensar numa hipótese dessa.

 

-------------------------------------

 

Aldebaran e Shura haviam retornado do açougue, e estavam felizes na cozinha do grande salão preparando a carne para o churrasco. Aldebaran conhecia os pedaços e cortes como ninguém, e Shura fatiava tudo conforme o colega lhe indicava.

 

Afrodite fazia uma decoração, e ligou uma música animada para eles ouvirem enquanto trabalhavam. MDM e Dohko chegam com um veículo carregado de bebidas, eles descarregam e vão colocando tudo nos freezers.

 

Afrodite:

-Vocês não acham que exageraram na bebida? Quem é que vai tomar TUDO ISSO?

 

MDM e Dohko só se olham, e em seguida caem na risada:

-AHAHAHAHAHA!

 

MDM:

-Espere e verá, além do mais, quem tá exagerando aqui são aqueles dois ali! Veja quanta carne compraram! Hahahahaha!

 

Afrodite:

-Ainda bem que eu fico só nas minhas saladas e bebidas saudáveis. Espero que vocês não tenham esquecido de comprar bebidas saudáveis, não é??

 

Dohko então lembra disso, e coça a cabeça envergonhado:

-Bem é, digamos que…..

 

Afrodite cruza os braços irritado:

-Esqueceram né? Então me digam, o que eu, Muny e Shaky vamos beber e comer nesse jantar? Será que nos odeiam tanto assim?

 

MDM:

-Calma, sem brigas. Nós acabamos mesmo esquecendo de pensar nisso. Mas eu resolverei, irei agora mesmo no mercado. Mas…..

 

Afrodite:

-Mas O QUÊ?

 

MDM:

-Você tem que me dizer o que comprar… porque eu é que não sei o que vocês bebem, talvez eu traga só gelo, e vocês podem beber só água….

 

Afrodite:

-Seu!…… -Bate em MDM que corre dando voltas pelo local fugindo do mesmo que o perseguia.

 

Dohko cruza os braços e não para mais de gargalhar. Então, Camus aparece no local, sem demonstrar a menor das expressões por ver MDM e Afrodite brigando e bagunçando, destruindo a decoração que Afrodite acabara de fazer, ele se aproxima de Dohko.

 

Camus:

-Você me disse que eu posso ser útil em algo. Muito bem, me diga o que posso fazer.

 

Dohko:

-Ah sim, siga-me! O seu papel aqui será o mais importante de TODOS! -Faz um sinal com a mão e ruma para a cozinha, que era enorme.

 

Aldebaran:

-Eu ouvi isso hein! Não concordo! -Grita para Dohko, brincando com o mesmo.

 

Dohko se aproxima e abre os freezers, as bebidas tinham sido colocadas ali a pouco tempo, estavam quentes ainda.

 

Dohko:

-Dá uma gelada ai! -Pisca para Camus.

 

Camus sem responder concentra seu cosmo, e desfere um golpe poderoso de gelo, mas ele mantém o controle de uma temperatura que não congelaria as bebidas, apenas as deixariam supergeladas, e assim o faz em todas, já deixando os freezers também cheios de gelo. Dohko sorri como uma criança, e depois de acabado, ele logo fecha as tampas. Em seguida abre uma bebida e já toma.

 

Dohko:

-Bom trabalho! Ahh está ótima mesmo! -Bate nas costas de Camus.

 

Camus:

-Era só isso?

 

Dohko acena que sim com a cabeça e continua bebendo. Camus se retira. Ao passar de volta pelo salão percebe que agora MDM e Afrodite estavam consertando o que estragaram da decoração, e discutindo muito. Camus passa por eles como se não houvesse nada no local, e sai.

 

Dohko se aproxima de Aldebaran e Shura, e bebendo, fica admirando o trabalho dos colegas. Aldebaran temperava as carnes e as ajeitava nos espetos, enquanto Shura cortava os pedaços facilmente.

 

Aldebaran :

-Muito bem, acho que só isso vai dar! HAHAHHAHAHA!

 

Shura:

-São tantos Kg de carne, e ele ainda diz: ‘Só isso’. -Faz negação com a cabeça sorrindo de canto.

 

Aldebaran :

-Melhor que sobre do que falte! Vocês vão amar churrasco, eu sei! Agora vou já começar o fogo na churrasqueira, para dar tempo de assar tudo. -Ele começa a preparar madeira e carvão, assobiava contente.

 

Para Aldebaran aquilo era uma diversão, assim como seria um típico domingo em sua terra natal, nas reuniões de família, isso lhe trazia nostalgia e ele tinha muito prazer em viver um dia pacífico e alegre assim, com os amigos e colegas de trabalho.

 

Shura:

-Muito bem, terminado. Mas agora vou preparar estas carnes veganas para nossos colegas. -Ele se empenha naquela ‘falsa carne’, feita de outros alimentos naturais, que parecia carne moída, queria agradar os que não eram carnívoros também.

 

Dohko sorri com a animação dos colegas. Em seguida, Afrodite e MDM vem ajudar Shura a fazer mais comidas.

 

--------------------------

 

Desde o ocorrido na casa de Escorpião, Milo não parou mais de pensar em June. Gostou do jeito dela, de sua personalidade honesta e firme, do fato de ela não ser como as outras mulheres em relação a ele. Ela era mais séria e difícil, mas ao mesmo tempo, tão linda, tão feminina e delicada, sua voz era gentil e suave, e seu beijo e seu cheiro deixaram o Escorpião maluco por ela.

 

Milo subia as escadarias do santuário em direção a casa de Aquário. Mas atormentado pelo que aconteceu entre ele e June, seguindo seu impulso, dirige-se primeiro ao salão do grande mestre para ver se a encontrava.

 

Ele entra no local, e consegue ver June através de uma porta entreaberta, vai até a biblioteca para encontrá-la, ela estava de costas ajeitando uns livros na prateleira e não o viu chegar.

 

Milo:

-Com licença…. June, será que podemos conversar?

 

Ela se assusta derrubando os livros no chão, se arrepia toda só de ouvir a voz dele:

-Milo?!… Eu…. Acho que não temos nada para conversar!…. -Fica bem sem jeito.

 

Ela pega os livros e continua seu trabalho, mesmo muito envergonhada e nervosa perante a presença dele, tentando não demonstrar isso.

 

Milo:

-June, eu percebi que nos envolvemos de uma forma que…. Então eu só queria….. -suspira- …. Apenas queria saber porque você disse que não ‘poderia’ se apaixonar ‘especificamente por mim’?…. Eu fiquei pensando nisso….no nosso beijo e….

 

June:

-Milo esquece tudo ok?…. -corta a fala dele- Somos amigos e só… E se for ver, isso já é demais...

 

Milo se surpreende com o que ela diz, então a segura pelos ombros e a vira de frente para ele, encostando-a na estante, ficando muito próximo dela, a encara, mesmo que na verdade estivesse encarando os olhos da máscara sem expressão dela.

 

Milo:

-Diga para mim que não sente nada?…. Seja honesta, tire a máscara e me fala olhando em meus olhos..… Se ainda assim me disser que não, nunca mais a incomodarei... -Ele fala suave, mas decidido e muito sexy.

 

June fica ofegante, seu coração começa a bater forte no peito, parecendo que ia explodir, ela derruba novamente os livros que ainda tinha na mão, e vira a cabeça para o lado, fechando os olhos com força, buscando não ver o rosto belo e provocante demais dele, qualquer deslise, a faria se entregar aos braços daquele cavaleiro dourado no mesmo instante.

 

June:

-Milo… Eu não quero ter nada com você…. Além do mais, somos cavaleiro e amazona, e portanto, proibidos pelas leis do Santuário de qualquer relacionamento….

 

Milo apertou os dentes de nervosismo e ansiedade, queria naquele momento, era tirar a máscara dela e lhe dar um beijo para provar que estava enganada. Porém, ele se conteve, resolveu respeitar a decisão dela, não desejava lhe causar nada de ruim, pois já estava sentindo algo verdadeiro por June. Ele fica por alguns minutos assim, pertinho dela, se acalma e depois a solta, ajunta os livros e os entrega para ela.

 

Milo:

-Mesmo achando que você está enganando a si mesma… Vou respeitar sua decisão….

 

Ele sai do local, só se ouvem os passos pesados dele, causados pelo som de sua armadura dourada no piso. June perde a força nas pernas, sentando-se no chão, retira sua máscara para tomar mais ar, estava tremendo e com o coração disparado.

-Nem sei como consegui dizer aquilo para ele e aguentar sem abraçá-lo…. Mas é o certo…. Além de ser pelas regras daqui…. Eu não posso!…. Não posso ficar com o cara que arrasou a ilha onde eu treinava e matou tanta gente que eu conhecia…Isso é errado... Mesmo que ele seja tão diferente agora…. Ahh céus!…. Porque Milo tem que ser tão lindo?….Porque ele é tão intenso?… porque é tão provocante para mim?…. Estar perto dele chega a ser uma tortura… mas agora me deixará em paz….Essa foi por pouco, ufah! -June se reprime em pensamentos, tentando se recuperar para retornar ao trabalho.

 

----------------------------------

 

Milo se dirige à casa de Aquário, chegando lá entra, e Camus estava na sala lendo algo. Milo senta-se no outro sofá.

 

Camus:

-Boa tarde. Fique à vontade.

 

Milo:

-Boa tarde…. Camyu, teria um tempo para ouvir os problemas e confissões de teu amigo?….

 

Camus fecha o livro, o coloca sobre o sofá, ele esfrega os próprios olhos com os dedos de uma mão, parecendo se recobrar do cansaço pela leitura, e por fim, olha para Milo.

 

Camus:

-Sabe que pode contar comigo. O que houve? Nestes últimos dias você está mesmo estranho…

 

Milo:

-Vou explicar…

 

Milo então conta tudo que houve com ele. Sobre Sendai, Pandora e agora Shaina. Assim que Milo termina de falar, ele cora, e olha para o lado já esperando pela bronca do amigo.

 

Camus:

-Minha nossa Milo! Porque você não obedeceu Sendai e prendeu Pandora na prisão em vez de levá-la para sua casa? -Estava bem assustado com tudo.

 

Milo:

-Qual é? Você conhece os guardas né?… Sabe muito bem o que fariam com ela… Você não teria feito o mesmo que eu?

 

Camus:

-Eu a teria prendido em uma cela, e os guardas em outra…Mas o problema foi você ter dormido com ela Milo, sinceramente, onde estava com a cabeça?

 

Milo:

-Camyu acredite em mim! Não fui eu que provoquei isso…. Mas também não resisti né… a mulher se jogou pra cima de mim….

 

Camus:

-Deveria tê-la evitado. Porque seu problema começou aí!

 

Milo:

-Aah! falou o senhor certinho que conseguiria ter evitado, com um mulherão daqueles no seu colo, se mostrando para você…. Até parece…. -Faz beiço.

 

Camus olha bravo para Milo:

-Ok, vamos parar de pensar no que já passou, e ver o que você pode fazer agora sobre isso…

 

Milo:

-Eu to perdido Camyu…. Lembra que eu já tinha comentado com você que eu queria uma namorada mesmo, um relacionamento bom e sério….

 

Camus:

-Sim lembro… ainda que você seja um cavaleiro e não deveria pensar em tais coisas não é?… Afff…Não adianta explicar...

 

Milo:

-Pois então, tem mais algo…

 

Camus:

-Mais problema ainda? Milo!….. -Coloca as mãos na cabeça.

 

Milo:

-Camyu, eu percebi que me apaixonei de verdade agora…. Encontrei uma moça, linda, simpática, meiga e corretinha tipo, …. puta merda, tipo você assim no quesito comportada…

 

Camus revira os olhos mais indignado ainda:

-Você tá saindo com ela também? Como consegue? Como aguenta três? -Camus cora muito ao perguntar isso.

 

Milo:

-Não não!… ela me rejeitou… acho que ela me odeia. De certa forma, é melhor assim… Porque do jeito que está minha vida… ela só se machucaria. Porém eu nunca senti isso antes, esse aperto no peito, essa ansiedade quando a vejo. Ah deixa pra lá, ela merece alguém melhor que eu, com certeza… -Não esconde a tristeza.

 

Camus:

-Quer dizer que você vai desistir dela?….. Estranho, vindo de você que sempre corre atrás do que quer e é decidido.

 

Milo:

-Foi o que ela me pediu para fazer.... E com ela, não tenho coragem de avançar sem ela querer, não quero magoá-la, ela é muito especial para mim… Estou sofrendo com isso… Mas acho que é melhor assim….

 

Camus:

-Milo eu ainda não consigo pensar numa solução. Você está ciente que temos o jantar de hoje para cavaleiros e amazonas, e lá estarão Sendai E Shaina?

 

Milo:

-Você não me acobertaria dizendo a elas que eu to resfriado e ficaria em casa, não é??? hehehehe…. -Sorri forçado e disfarçado.

 

Camus só olha para Milo com uma cara e olhar mantendo expressão séria e negativa. Como quem diria: ‘olha para minha cara e vê se eu faria isso, claro que não’.

 

Milo:

-Foi o que pensei…… -joga os braços para trás da cabeça entrelaçando os dedos das mãos e se recostando no sofá, relaxando- Bom, se as duas loucas quiserem me matar, o que poderei fazer…..Pelo menos alguém sabe o que de fato aconteceu comigo agora...

 

Camus cruza os braços e acena negativamente com a cabeça, fitando o chão, não sabendo o que dizer ao amigo.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...