1. Spirit Fanfics >
  2. Saint Seiya: A saga da Deusa Nike >
  3. Decisões

História Saint Seiya: A saga da Deusa Nike - Capítulo 28


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite, gente! Espero que esteja tudo bem com vocês e que vocês estejam se cuidado para não contrair o vírus!
Enfim, sei que tô demorando para postar, mas apesar da falta de aula, ainda estou tendo trabalhos, por isso, tô tendo pouco tempo para escrever.
Espero que compreendem e curtam a história :-)

Capítulo 28 - Decisões


Ísis havia acordado e olhou para lado, teve que colocar ambas as mãos na boca para não acordar Milo, que estava num sono profundo.

- "Meu Deus, meu Deus. Nike!!!"

Ela queria gritar com a Deusa, mas não conseguiu, não queria acordar Milo. Ísis saiu bem devagar da cama e foi em direção ao banheiro. Lá, ela se trancou, vistiu uma roupa e chamou Nike, baixinho.

- O que diabos você me fez fazer? Meu Deus, eu tô com o Aiolia e você me faz dormir com Milo?

O cosmo de Nike estava irônico e Ísis ficou irritada com aquilo.

- "Seu corpo também é meu, sabia? E outra, você gostou..."

Ísis apertou o seu punho bem forte e começou a contar até dez. Então ela suspirou.

- Ah só espero que o Aiolia não descubra isso.

- "Seria bom terminar com ele..."

- Jamais, eu o amo e...

Ela se acalmou, não queria que Milo a ouvisse. Mas também torceu para o Leonino não descobrir sobre isso. Ela se assustou quando Milo bateu na porta.

- Ísis, está tudo bem?

- Sim, só estou... escovando os dentes!

Milo deu de ombros e voltou para cama. Ísis suspirou e xingou Nike mentalmente.

- "Ah só espero que o Aiolia não descubra."

Ela escovou os dentes rapidamente e saiu do banheiro. Milo a encarou e começou a rir.

- Você foi escovar os dentes ou colocar uma roupa?

Olha olhou para o seu próprio corpo, envergonhada.

- Eu... hã...

Milo se levantou, segurou as mãos dela e a guiou para cama.

- Ei calma. Estou apenas brincando, eu te acho linda. Com ou sem roupa.

Ísis sorriu, Milo era muito gentil e sabia como conquistar uma mulher. Ela olhou para ele e viu que ele ainda estava nu.

- Mas acho que seria bom você se trocar também.

Milo sorriu, olhou para o seu próprio corpo e lhe deu um selinho.

- Tem razão. Você se importa se tomar banho aqui?

- Não, pode tomar.

Ele se levantou e foi em direção ao banheiro, Ísis quis desviar o seu olhar, mas aquilo foi difícil. Milo tinha um bumbum muito lindo. Ela sorriu com aquele pensamento.

- "Que maldade."

Ela deitou-se em sua cama e voltou os pensamentos para o que havia acabado de acontecer, não tinha se arrependido tanto, ainda mais por Nike.






    Milo estava no banho, estava feliz e satisfeito. Gostava de Ísis e ficou extremamente feliz por tê-lá em seus braços, claro que ainda tinha Aiolia, mas não via ele como um adversário. Pelo menos, não mais.

- "Ruim vai ser quando ele descobrir... Ah dane-se, não vou desistir dela."

Milo já estava de olho em Ísis à algum tempo (na verdade, sempre achou ela bonita), por isso, não iria perder para Aiolia. Milo saiu de seu banho, pegou uma toalha e secou seus longos cabelos loiros. Ele foi para o quarto de Ísis e viu que a ruiva estava triste, meia distraída.

- Ei, está tudo bem? 

Ela o encarou, meia avoada, com a mão no queixo e sentada na cama, como se estivesse pensando.

- Sim. Só estou pensando no que fizemos. E me sentindo culpada.

Ele se aproximou e sentou na cama, ao seu lado.

- Por quê?

Ísis suspirou e olhou dentro de seus olhos.

- Atena. Eu não sei como ela está... Não sinto o seu cosmo.

Milo lhe deu um beijo em sua testa.

- Ela está bem, eu sei disso. Atena é mais forte do que parece e apesar do que eu disse ontem, sei que os Cavaleiros de bronze vão salvá-la.

Ísis se encostou no peito de Milo, deixando o mesmo lhe confortar.

- Espero. Isso foi culpa minha.

Milo acariciuou os seus cabelos vermelhos.

- Isso não foi culpa sua. Pelo o que soube, Poseidon é inimigo de Atena desde os tempos mitológicos.

Ísis o ignorou, sabia que no fundo Milo tinha razão mas tinha certeza que Poseidon surgiu nessa época por sua causa. Ísis e Milo ficaram por alguns minutos assim, sabia que isso era injusto com Aiolia, mas estava precisando de um momento de paz em sua vida e o Escorpionino estava lhe dando atenção e carinho que precisava. 

Então Ísis sentiu um pequeno, mas poderoso cosmo tentando se conectando com o seu.

- "O que é isso?"

Ela olhou para Milo, mas talvez ele não tenha sentido, porque ele ainda estava quieto, ela se afastou e Milo a olhou.

- Está tudo bem?

- Você não sentiu esse cosmo?

Milo a olhou sem entender, mas nada disse, Ísis se levantou e foi se trocar.

- Eu já volto.

Milo sorriu para ela e se levantou também.

- Vou terminar de me trocar e sair daqui, não podemos ser vistos juntos né.

Ísis o encarou, não quis soar rude.

- Não Milo, não é isso. É que... Eu senti um cosmo tentando se conectar com o meu.

Milo a encarou, sério.

- Acha que pode ser Atena?

- Eu não sei. Talvez. Preciso conversar com o Camus.

Milo assentiu e Ísis saiu do quarto e foi em direção ao Templo de Atena.

- "Saori, cavaleiros... Por favor, estejam vivos!"

Ao chegar no Templo, ela se deparou com Saga. Que estava olhando para o céu, ele estava sem a armadura de ouro e sua expressão era um tanto séria, mas Ísis pôde notar a tristeza em seu olhar.

- Saga, está tudo bem? O que está fazendo aqui?   

Ele a olhou, um pouco desconfiado.

- Sim, estou. Eu apenas senti um cosmo...

- Espera... você também sentiu esse pequeno cosmo?

- Hã... Acho que sim, se estivermos falando do mesmo cosmo. Acha que pode ser Atena?

Ísis abaixou o olhar, meia triste.

- Talvez. Eu não sei. Eu estava querendo ir até o templo de Poseidon.

- Mas senhora...

- Saga, entenda: Se Atena morrer, não teremos chance contra Hades. Eu sei que sou Nike, mas não sou tão forte quanto ela para combater o Imperador do Mundo dos Mortos!

Saga desviou o olhar e ambos ficaram quietos por alguns segundos.

- Certo, mas a senhora não vai sozinha. Não vou permitir.

Ísis sorriu, achando engraçado e ao mesmo tempo fofo esse jeito do Saga.

- Tá bom. Na verdade, eu não ia sozinha não, eu vou com você!

Saga arregalou os olhos, não podia acreditar naquilo.

- C-comingo? 

Ísis revirou os olhos, de modo irônico e lhe deu um sorriso.

- Não tem mais ninguém aqui, certo? Eu quero que você vá comigo, são ordens de Nike.

Ela se virou e voltou para o salão do Grande Mestre. Talvez devesse chamar Milo ou Aiolia, mas em seu coração, algo estava dizendo para manter Saga perto de si.

- "E não ajuda o fato de Aiolia ter brigado com ele, né?"

Claro que esse era um outro fator e talvez estivesse cometendo um enorme erro, mas não podia deixar Atena morrer. Já havia se decidido, iria atrás de Poseidon para salvar Atena.








Kanon havia usado o seu cosmo para atrair tanto Nike quanto Saga. Soubera a pouco tempo que seu querido e irmão gêmeo Saga estava vivo.

- "E lutando pelo bem. Quem diria..."

Kanon tinha muita raiva de Saga, por ser fraco e agir como um falso deus. 

- "Tolo e esse imbecil ainda está do lado de Atena, depois de tudo o que fez."

Ah pobre Atena, seus cavaleiros de bronze patéticos não foram capazes de vencer Poseidon. Está certo que os Marinas foram derrotados rapidamente, mas Kanon nem se importava com eles, mas já havia algum tempo que o cosmo daqueles cavaleiros haviam se apagados. 

- "Mas talvez eles estejam vivos..."

Ou não. Quem ligava? Faltava pouco para Kanon poder controlar Poseidon completamente, até que aquele maldito do Sorento lhe avisou sobre Nike. Kanon não fazia idéia que aquela deusa imprestável havia reencarnado.

- "Afinal, faz treze anos que estou do lado de Poseidon."

Kanon suspirou, ele havia chamado Nike e Saga para o templo de Poseidon de propósito. Tinha que admitir que Saga foi um mero capricho seu.

- "Ah eu senti tanta a sua falta, meu querido irmão."

Talvez tenha sido um pouco imprudente de sua parte chamar ambos, mas Kanon precisava rever Saga depois de todos esses anos. Talvez Nike fosse ser uma boa brincadeira para Poseidon.

- O que está fazendo aqui, Dragão Marinho?

Kanon virou-se e viu Sorento encostado numa parede, perto de seu pilar.

- Sorento, eu que te pergunto isso, afinal, você que está no Pilar do Atlântico Norte.

Kanon nunca demonstrou ser gentil ou simpático para com os outros generais.

- Ah nada, apenas queria saber do porquê você está aqui? Afinal, o Imperador Poseidon está sozinho no seu templo contra os cavaleiros.

- Está de brincadeira comigo? Soube que Poseidon venceu todos os cavaleiros.

Kanon deu as costas para Sorento. O que aquele cara queria afinal?

- Não todos. Soube que o Fênix e o Pégaso estão de pé ainda, lutando.

Kanon arregalou os olhos e se voltou para Sorento. Aquilo era impossível! 

- Do que você está falando, Sorento? Eu não sinto mais os cosmos daqueles lixos!

Sorento se afastou de Kanon e ele o odiou por isso, Sorento era um tanto desrespeitador.

- Eu não sei da onde eles tiram tanta força. Mas essa é a verdade, Kanon. Ambos estão de pé e parecem que não vão se dar por vencidos.

Kanon amaldiçoou Poseidon por ser tão fraco. Por que diabos estava demorando para matar dois insetos de bronze?

Mas por um lado, não queria se meter na luta porque queria encontrar com Saga e a Nike.

- "Maldição, o que faço agora?"

Sua única preocupação era com o Grande Pilar Principal, mas ainda havia o seu, que não tinha sido destruído.

- "Vocês nunca vão vencer, cavaleiros de Atena! Mesmo que destruam todos os pilares, logo iram descobrir que o Grande Pilar Principal não é tao fácil de destruir."

Kanon teve que conter o riso, afinal, Sorento ainda estava ali. Seus pensamentos mudaram, então voltou-se para Sorento de novo.

- Certo. Não se preocupe, Sorento. Dois ratos de bronze não vão ser capazes de derrotar o Imperador Poseidon.

Sorento, porém, o encarou, seu olhar mudou, antes estava hostil e tranquilo. Agora seu olhar estava com uma certa desconfiança.

- Kanon... Agora pouco pude sentir um cosmo, parecia que estava chamando alguém. Por acaso era o seu?

- E se for, qual seria o problema?

Sorento ergueu sua flauta até os lábios, mas antes de tocá-lá, ele falou:

- Se realmente for o seu e se você estiver pensando em trair o Imperador Poseidon...

Por falar nele... o seu cosmo se elevou rapidamente e tanto Sorento quanto Kanon olharam em direção ao seu templo.

- Imperador Poseidon!

Sorento olhou para Kanon, então ele se virou para ir embora, mas antes de ir, Sorento falou:

- Kanon, não tenho tempo para discutir com você. Mas saiba que se você tiver com a intenção de trair o Imperador... Eu não vou hesitar em matá-lo!

Sorento nem deu tempo de Kanon responde-ló, mas não ligava. Não tinha medo dele e apenas queria que Saga e Nike aparecessem por ali logo.

- "Espero que vocês possam ser uma boa diversão para mim."

Kanon sorriu, apesar da ameaça de Sorento e dessa teimosia dos cavaleiros de bronze, seus planos estavam seguindo como planejado, faltava pouco para Kanon ter os poderes de um deus.




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...