1. Spirit Fanfics >
  2. Saint Seiya Hubris >
  3. Defesa siciliana I

História Saint Seiya Hubris - Capítulo 15


Escrita por: dragaomarinho

Notas do Autor


Todos os direitos de propriedade intelectual são reservados ao Masami Kurumada e a Toei Animation. Essa fanfic não tem fins lucrativos, é um trabalho de fã para fã.

Capítulo 15 - Defesa siciliana I


Kolonaki, Atenas, Grécia. 2018.

POV Kanon

- Eu nunca mais subo numa moto com você, nem que me paguem – disse Saga, retirando o capacete da cabeça – você não conhece o conceito de regras de trânsito. Me pergunto como a polícia grega ainda te deixa pilotar uma moto.

- Então vá para a terapia de ônibus, de agora em diante – respondeu Kanon, também retirando o capacete – não vou ficar levando gente que não sabe nem dizer um “obrigado”.

- Eu iria, se você não me enchesse o saco para me levar – disse Saga.

- E você quer que eu deixe você pegar o ônibus para que? Para vomitar, que nem da última vez? – perguntou Kanon, nervoso.

- Você sabe que eu não tenho culpa, são os remédios! – exclamou Saga.

- Por favor gente, sem brigas! – disse Aiolos, caminhando na direção dos gêmeos. Atrás dele, estava Aiolia, com uma mochila nas costas – estávamos esperando vocês, por que demoraram tanto?

- O trânsito em Atenas estava um inferno – disse Kanon – eu poderia ter passado por entre os carros com a moto, mas esse medroso aqui não deixou – completou, apontando para Saga.

- Acho que existe uma enorme diferença entre ser medroso e querer que nossas vidas sejam poupadas – disse Saga.

- Eu nunca me envolvi em acidentes de trânsito.

- Ainda.

Aiolos suspirou.

- Gente – disse Aiolia, que parecia um pouco apreensivo – vamos entrar? Acho que eles estão nos esperando já.

Kanon olhou para a fachada da sede da tal Fundação Graad, ou melhor, da mansão da Fundação Graad. A sede ficava no bairro de Kolonaki, uma das regiões mais chiques e caras de Atenas. Claro que a Fundação Mais Querida da Grécia TM ficaria ali, já que Saori Kido não economizava quando se tratava de mostrar para todos que ela era rica, muito rica. A mansão tinha vários pilares jônicos e na frente deles, havia uma porta de madeira enorme. Pararam em frente a porta e apertaram a campainha.

- Quando você me disse que tinha um irmão mais velho – disse Aiolos – não imaginava que fosse seu gêmeo, Kanon.

- Ah, mas Saga adora jogar na minha cara que nasceu 22 minutos e 36 segundos mais cedo. Não é, Saga? – perguntou Kanon, ironicamente.

- São só 22 minutos mais velho, mas parece que é foi a vida toda, do jeito que você é – resmungou Saga.

- Aliás, eu também não imaginava que você tivesse um gêmeo, Aiolos – disse Kanon, olhando para o rapaz idêntico ao seu advogado, tirando algumas poucas diferenças. O rapaz tinha os cabelos mais claros e mais rebeldes, uma barba e bigodes loiros. Também parecia um pouco mais informal que Aiolos, que estava de blazer, camisa e calça social, enquanto Aiolia usava uma camisa de banda, calças jeans e tênis, além de ter um piercing próximo a sobrancelha direita e um outro no nariz.

- Ah, não - adiantou-se Aiolia – Olos é sete anos mais velho que eu. Meu nome é Aiolia.

- Nossa, mas parece que vocês dois são gêmeos – exclamou Saga – tem até nomes parecidos!

- Ainda bem que a nossa mãe não teve essa ideia – disse Kanon – Deus me livre ter a cara do Saga e ainda por cima ter um nome parecido com o dele.

- Vá se ferrar, Kanon – disse Saga.

Aiolos e Aiolia riram e logo um segurança atendeu a porta e convidaram-lhes para dentro do local.

A mansão era um luxo, o que era de se esperar da Socialite Mais Querida da Grécia TM. Toda a mansão era uma tentativa de recuperação da arquitetura neoclássica do século XIX. Ao entrar na mansão, davam de cara com um hall enorme, cheio de estátuas de deuses e heróis gregos e pinturas renascentistas. Na frente dos rapazes, havia uma enorme escada com piso de mármore, que se bifurcava em duas, levando para o segundo andar. Atrás da escada, um enorme vitral, com anjos e criaturas cantando e tocando harpas e liras.

O segurança os convidou para subir e esperar a reunião no andar de cima, enquanto eles admiravam a construção de boca aberta. Ao chegarem ao escritório, perceberam que não era somente o hall que era luxuoso; mais estátuas e quadros renascentistas, uma mesa imensa de alguma madeira nobre, o que fez Kanon pensar quantas famílias nativas devem ter sido retiradas de seus territórios para que aquela mesa estivesse ali, na frente deles. O segurança saiu e fechou a grande porte de madeira, deixando-os sozinhos, que se sentaram nas quatro cadeiras que ficavam de frente para a tal mesa.

- Chique, né? – disse Aiolia.

- O que esperar de Saori Kido? – suspirou Saga – lógico que tudo isso aqui seria um luxo. Viu as obras lá embaixo? Não me surpreenderia se ela tivesse comprado algum daqueles quadros em algum leilão por milhões de dólares.

- Aliás, o que você faz aqui, Aiolia? – disse Kanon – você é algum tipo de estagiário escravo do Aiolos?

- Não – disse Aiolia, rindo – é que eu ganhei uma bolsa pela Fundação Graad. A minha entrevistadora pediu para que eu viesse para a sede da fundação para mais uma etapa da minha bolsa de intercâmbio.

Aiolos encarava Aiolia, estreitando os olhos.

- Eu quero ver o que a tua entrevistadora vai achar quando ver um estudante de direito com dois piercings na cara – disse Aiolos.

- Olos, ninguém mais liga para piercings. Nem na sua época de faculdade as pessoas se importavam – disse Aiolia.

- É claro que se importam. O que você acha que a sua entrevistadora vai dizer quando ver que, da semana retrasada pra cá, você inventou de colocar dois piercings nessa tua cara? – disse Aiolos – Como é que é o nome dela...?

- Para sua informação – começou Aiolia – a Marin é bem jovem. Se for velha que eu, deve ser, no máximo, uns dois anos. E não é todo mundo que é um engomadinho que nem você, Olos.

- Vocês não acham que vocês têm uma diferença de idade muito pequena pra ter um conflito geracional? – perguntou Kanon, rindo – Parece um pai conservador brigando com o filho rebelde.

- Ah, mas Aiolos acha que ele é meu pai mesmo, sempre foi assim – disse Aiolia.

- Você não entende. Quando você nasceu e papai morreu...

- Vai começar.

- Eu tive que me tornar responsável por você e ser o homem da família...

- A gente já conversou sobre isso ser machista, Olos.

- Mas eu tive que me tornar responsável! Por você e por mamãe!

- Olos, o seu cliente tá vendo você brigar comigo.

- Eu tô amando, podem continuar – disse Kanon.

- Kanon! – exclamou Saga.

Os quatro riram.

Alguns minutos se passaram, enquanto os quatro checavam os celulares, em silêncio. A situação toda incomodava Kanon, que tinha um sexto (e até mesmo sétimo) sentido para situações que poderiam dar em confusão. Afinal, por que ninguém veio falar com eles até agora? Tudo bem que assunto dele era com Saori Kido, e falar com ela poderia lhe render algumas horas de chá de cadeira, já que a socialite deve pensar que nem ele, nem Saga e nem Aiolos tem alguma coisa para fazer essa tarde de sábado. Aliás...

- Aiolia – perguntou Kanon – a entrevistadora pediu para que você comparecesse para a entrevista no mesmo dia em que eu e Aiolos conversaríamos com a Kido?

- Sim – disse Aiolia – estranho né? Foi uma coincidência e tanto. Mas acho que eles já devem saber que Olos é meu irmão.

- Eu também pensei nisso, Kanon – disse Aiolos – mas o que eles iriam querer com o meu irmão? Ele não é uma ameaça grave.

Aiolos mal terminou de completar a frase, e quatro seguranças enormes, entraram na sala, trancando a porta.

- Não é por nada não gente – disse Saga, com os olhos arregalados – mas acho que a gente acabou de se tornar uma ameaça grave.

- Ah, Saori, sério? – bufou Kanon – quem iria adivinhar que você iria nos sequestrar?

Antes que pudessem lutar, os quatro funcionários os imobilizaram, colocando capuzes pretos sobre suas cabeças, ameaçando-os com armas e amarrando seus punhos. A última coisa que Kanon sentiu foi uma picada no seu braço e uma dormência em seu corpo, antes de desmaiar pelo efeito da droga. 


Notas Finais


Esse capítulo e o próximo, originalmente, eram pra ser um capítulo só. Mas como eu não queria um capítulo muito longo, resolvi dividir em dois. Mas posso dizer que finalmente, a ação vai começar! Espero que tenham gostado.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...