1. Spirit Fanfics >
  2. Sakurasou No Pet Na Kanojo: Dias de Primavera >
  3. Uma Chance de Amar

História Sakurasou No Pet Na Kanojo: Dias de Primavera - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Uma Chance de Amar


Lentamente o sol ia nascendo anunciando a chegada de mais um dia, com o canto dos pássaros levemente harmônicos com o barulho do vento que batia nas folhas das árvores, vagarosamente Sorota abria seus olhos estando deitado confortavelmente ao lado de Mashiro, virando o seu corpo para o lado da parede, ele desperta com um som de espirro, ao se levantar, Sorota se depara com o corpo nu de Mashiro semi coberto pelos lençóis da cama, com um leve sorriso em seu rosto, ele puxava com uma de suas mãos uma coberta e a cobria enquanto lentamente lhe dava um beijo em sua testa.

-Bom dia Mashiro, acho que é hora de nós levantarmos. (Dizia Sorota enquanto a abraçava em seus braços e a envolvia com o calor de seu corpo).

Com seus cabelos bagunçados ela apenas o respondia com um leve "Hmm" e se voltava para o lado e dormia confortavelmente nos braços dele, uma risada inocente se ouvia dos lábios de Sorota, com seu rosto corado ele sentia o seu coração bater mais forte em apenas olha-la dormindo ao seu lado.

Os raios do sol batiam levemente dentro dos cômodos de Sakurasou e logo se ouvia alguém descer as escadas com muita presa e intensidade, ao tocar sobre o chão um leve barulho de um quadro desprendendo-se da parede e caindo sobre o chão é escutado, com seu cabelo bagunçado, sem camisa usando apenas um short de moletom preto e com sua baba escorrendo no canto esquerdo de sua boca Kyungil abria a porta de seu quarto.

-Mais que diabos é isso? nem começou o dia direito e esse dormitório já ta de pernas pro ar? (Dizia ele com sua voz sonolenta e com seus olhos semi abertos enquanto via a Chiho calçando um de seus saltos na maior pressa).

Ela ao vê-lo desta maneira logo abriu um sorriso malicioso em seus lábios, mesmo desconcertada tentando calçar o seu tamanco Chihiro o respondia.

-Uau, até desarrumado você exala testosterona, uma noite dessas quem sabe posso passar no seu quarto. (Dizia ela enquanto desamassava sua blusa de regata e pegava sua bolsa de couro vermelha que estava sobre uma mesinha ao seu lado).

Kyungil tentou não expressar reação mediante ao que tinha ouvido, fechando a porta de seu quarto lentamente ele caminhava em direção a sua cama, jogado entre os lençóis, seus olhos palpitavam até que seu rosto se corou e seus olhos se abriram de uma forma brusca.

-Mais é o que ?? (Dizia ele com sua voz alterada ao se lembrar das palavras da Chihiro sensei).

De forma inesperada um som de batida se ouvia em sua porta, uma voz ecoou e fez o coração de Kyungil saltar pela sua boca.

-Fale baixo estou tentando dormir, passei a noite em claro então faça-me um favor e cale essa sua boca. (Dizia Akasaka já irritado com todo o barulho que se ouvia naquele lugar logo de manhã cedo).

Andando pelo chão com suas pantufas e com seu cabelo meio bagunçado, Akasaka levava sua mão sobre a boca e bocejava, até que um som de uma porta se abrindo o interrompe, seu corpo se virou de forma brusca em direção aquela porta, Kyungil havia congelado ao ver Akasaka em sua frente, seus olhares se cruzaram por breves segundos e um silêncio harmonioso se formava naquele corredor.

-Até quando acorda você se aparenta bem ... vou dormir. (Dizia Akasaka com um leve sorriso em seu rosto angelical).

Kyungil permanecia sem dizer uma única palavra e apenas com seus olhos o acompanhava até que Akasaka entrou em seu quarto e fechara sua porta, aos poucos seus pés começaram a andar para trás, escorando-se na parede de seu quarto, com sua mão boba, Kyungil continuava com seus olhos abertos sem piscar enquanto seus lábios sussurravam o que tinha acabado de acontecer, sua porta se fechava lentamente e com sua visão sobre a janela de seu quarto, um imenso sorriso nascia em seu rosto.

Deitando sobre sua cama, Akasaka desligava a luz de seu quarto, de forma inusitada a tela de seu celular brilha e seu programa aparecia sobre sua tela em forma de uma menina com um semblante um pouco enciumado.

-Você pode me dizer o que foi aquilo no corredor? (Dizia ela enquanto tentava obter respostas por parte de seu criador apenas tentando sonda-lo com seu olhar).

Logo Akasaka se vira para o lado da parede se sua cama dizendo.

-Me deixa em paz, quero dormir ... depois falamos sobre isso. (Dizia ele enquanto tirava sua camisa e com seu polegar desligava a tela de seu celular).

estando apenas com a  calça de seu pijama, Akasaka puxava seu cobertor até cobrir sua cabeça enquanto lentamente fechava os seus olhos sem tentar pensar no que tinha acabado de ocorrer, Já no quarto de Kyungil, o seu sorriso era notável em seu rosto, mesmo que o tinha visto por breves segundos naquele incio da manhã, seu dia parecia ser o melhor de sua vida, apenas de ouvir sua voz, seu rosto, seus lábios molhados pela sua saliva, seus cabelos longos e sedosos refletindo o brilho do sol.

- Como é que tudo isso foi acontecer assim tão de repente? (Perguntava Kyungil para si mesmo enquanto olhava para o teto de seu quarto).

Sem conseguir dormir, ele se levanta de sua cama, pega sua escova de dentes e saí em direção ao banheiro, lavando o seu rosto e secando o seu cabelo, Kyungil vestia uma camisa cavada branca como um contraste com o short preto em que estava usando, saindo do banheiro com uma de suas mãos tampando sua boca enquanto bocejava, Misaki descia as escadas e sem perceber se esbarra com ele no corredor.

-Me desculpe você está bem? (Perguntava ela ao perceber que tinha se esbarrado nele).

Kyungil por sua vez abriu um sorriso para ela e sem responder seguiu em direção ao quarto de Akasaka, parado em frente a porta de seu quarto, Kyungil respirava enquanto falava consigo mesmo.

-Vai homem coragem ... de todo o jeito você não irá dormir mais então ... apenas bata na porta. (Sussurrava ele bem baixinho enquanto tentava tomar coragem para chama-lo em seu quarto).

Parada em um cantinho bem escondida Misaki olhava e observava toda a situação, com um sorriso em seus lábios Aoyama a encontrava a espreita do corredor, sem intender muito bem a situação, abaixando-se ela cutucava Misaki enquanto a perguntava.

-Ei o que você está fazendo? (Dizia Aoyama olhando em direção ao corredor).

Sem perder tempo e de forma inesperada Misaki a agarra pelos seus ombros e com um gesto de silêncio levando seu dedo em seus lábios, ela se aproximava do ouvido de Aoyama e sussurrava.

-Acho que o Kyungil gosta do Akasaka, desde ontem tenho reparado nisso. (Dizia Misaki com a maior naturalidade enquanto Aoyama encarava aquela situação como um tanto que estranha).

-Mas ... isso é estranho não acha? quer dizer ele é homem e Akasaka também. (Dizia ela com seu semblante um pouco perturbado).

Misaki naquele instante a encara com um olhar de desgosto, levantando o seu dedo para cima ela a respondia de forma natural como sempre foi.

-Pelo visto você não entende nada sobre o amor ... pessoas como você foram reprovadas pela vida, desde quando o amor tem que se limitar ao sexo da pessoa? amor é um sentimento puro cujo ao qual nasce em nossos corações independente de quem seja ... afinal de contas ninguém manda em seu coração. (Dizia Misaki enquanto se aproximava cada vez mais perto de Aoyama enquanto ela recuava por receio da reação dela).

- Ou você acha que foi você que resolveu escolher gostar do Sorota? (Prosseguia Misaki dizendo enquanto deixava Aoyama sem graça com sua pergunta).

Balançando sua cabeça em um gesto de negação Aoyama a respondia.

-Você está certa Misaki ... é que eu nunca tinha visto isso pessoalmente, mas você tem toda a razão, mas e o que você está fazendo aqui mesmo afinal de contas? (Perguntava ela com um olhar de curiosidade).

Misaki sempai apenas abriu um sorriso para ela e a respondeu.

-Eu vou ajuda-lo até porque o amor foi feito para ser vivido. (Ao dizer estas palavras ela logo se levantava de seu lugar e se aproximava com muita pressa em direção ao Kyungil).

Ele a olhando chegar perto, logo se afastou um pouco, mantendo o mesmo sorriso em seu rosto Misaki dizia a Kyungil.

-Não se preocupe ... eu irei ajuda-lo nessa busca incessante pela conquista do coração de Akasaka. (Falava ela enquanto batia com muita intensidade na porta do quarto de Akasaka fazendo um barulho estridente ecoar-se pelo corredor de Sakurasou).

 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...