História Salty Kiss - Capítulo 1


Escrita por: e IKnowGuk

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bottom!jungkook, Bts, Hoseok, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Jungkook!sick, Kooktae, Kookv, Menção Jihope, Menção Yoonjin, Namjoon, Namjoon!psychologist, Suga, Taehyung, Taehyung!oppressed, Taekook, Vkook, Yaoi, Yoongi, Yoongi!fem
Visualizações 319
Palavras 1.578
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oioi nenês

É primeira fanfic que a IKnowGuk escreve e é a primeira que eu escrevo com alguém.
Nós queremos agradecer a Fu-Yu pelo banner e a capa, ficaram lindos aaa

Cairam algumas lágrimas enquanto escrevíamos? Caíram!
Já nós apegamos pelos personagens? Sim!
Rimos por idiotices e mudamos de assunto toda hora? Claro que sim!
Mas mesmo assim, nós duas esperamos agradar todos vocês!
Esperamos que gostem.

sz

Capítulo 1 - In My Blood


Fanfic / Fanfiction Salty Kiss - Capítulo 1 - In My Blood

Jeongguk estava entediado. Ele via o relógio de parede à sua frente se mover mais do que lentamente, tudo o que o rapaz queria era sair daquela consulta chata ao terapeuta logo, mas aquele relógio estava num dia ruim e resolveu transformar o do Jeon em pior que ruim. Em péssimo.

 

A voz de seu terapeuta, Namjoon, o fez voltar a realidade.

 

- Perdão? - Perguntou, mostrando que não havia escutado o que o terapeuta dissera. - Estava distraído, me desculpe.

 

- Percebi, senhor Jeon. Você tem se 'distraído' muito ultimamente, não acha? O que vem te afligindo? Posso te ouvir, caso se sinta confortável em desabafar comigo. - Falou, com uma expressão calma, como quem diria "tenho todo o tempo do mundo".

 

- Na verdade, Senhor...  – Jeongguk olhou para o relógio pela vigésima vez naquele dia - Infelizmente não temos mais tempo! – O rapaz se levantou do sofá com uma falsa cara de tristeza - Parece que deu minha hora, e não quero ocupar mais do seu tempo. Então, até quarta!

 

Namjoon iria protestar, porém, antes que pudesse falar algo o rapaz já havia saído correndo, com uma pressa que o terapeuta nem cogitou tentar entender.

 

Jeongguk parou ofegante na porta do consultório. Ele adorava Namjoon, e sabia que o mais velho estava tentando o ajudar, afinal esse era o trabalho dele, porém o mais novo estava cansado de tantas idas inúteis ao terapeuta. Se quisesse desabafar, escreveria um diário ou postaria no Twitter.

 

Colocou a pequena mochila que continha seu cilindro de oxigênio nas costas e rumou ao carro, se sentando no banco de passageiro e esperando pela mãe que deveria estar falando com a secretária de Namjoon.

 

A mesma não demorou muito, logo perguntando o motivo da pressa do filho. - Eu não aguento mais essa terapia, mãe. - Choramingou, fazendo um bico, o fazia sempre pra tentar conseguir o que queria.

 

- O que há de errado com Namjoon, meu filho? Ele me foi muito recomendado, é um dos melhores da cidade, seu pai e eu faremos tudo que estiver ao nosso alcance para você ter ao menos uma melhora, meu filho.

 

- O problema é esse, mãe. Não é o Namjoon, ele é até bem simpático, é so que... Eu sinto que não estou melhorando. Isso não deveria estar acontecendo e só está me deixando pior, eu estou morrendo a cada dia, mãe. - Disse olhando para a mais velha, desviando o olhar logo em seguida para as próprias mãos repousadas em suas pernas, assumindo uma feição triste.

 

- Jeongguk-ah não fale isso, meu amor, você ainda vai viver muito, filho. Só que para isso, você precisa frequentar a terapia, tomar os medicamentos e fazer os exames, tudo bem?

 

- Mãe, você não entende mesmo né? Eu estou morrendo, eu tenho essa droga de doença há 16 anos e até hoje nenhum dos medicamentos ou idas ao terapeuta têm me ajudado. Muito pelo contrário, eles só tem me feito piorar! - Jeongguk elevou seu tom de voz e fez com que sua mãe o olhasse assustada.

 

 

- Jeongguk, eu realmente não quero discutir sobre isso agora tudo bem? Vamos para casa, você tem que tomar seus medicamentos e descansar. - A mulher deu partida no carro e rumaram para casa.

 

Todos continuavam dizendo a Jeongguk que aquilo iria melhorar. Mas ia mesmo? Porque para ele é como se todas as paredes em volta de si estivessem desmoronando, ele só queria desistir e parecia que nenhum medicamento era forte o suficiente, ele só queria ajuda, mas existia alguém que realmente poderia o ajudar?

 

 

-X-

 

 

- Filho, você sabe que sou rígido com você pelo seu próprio bem. Se quiser um bom cargo em nossa empresa no futuro, terá que fazer por merecer. – O Kim mais velho quase sempre carregava uma expressão nada amigável no rosto, e ela só se tornava pior quando se tratava das notas de seu filho mais velho, Taehyung, na escola.

 

- Mas pai! Eu terminei o bimestre com um 9,0 em física, não é o suficiente para o senhor? – O mais novo bufou, frustrado com a reação do pai ao lhe mostrar seus resultados. – Além do mais, quem disse que eu quero merecer estar nessa sua empresa idiota? Só estou fazendo isso porque VOCÊ QUER! – Elevou o tom de voz na última parte, fazendo Kim Siwon rir em descrença.

 

– Resolveu revelar seu lado rebelde agora? Aposto que é influência daqueles seus 'amiguinhos' – Pronunciou com um tom de deboche e repulsa.

 

– Isso só tem a ver comigo, 'tá legal? E a propósito, marquei de sair com eles. Já estou atrasado, aliás. E não estou pedindo permissão, estou avisando. – o fez, batendo a porta atrás de si. Taehyung mudou completamente sua forma de se portar diante da autoridade de seus pais, ao falar com o genitor dessa forma. O Kim sempre fora um garoto manso - fazia tudo o que lhe mandavam - porém, naquele dia explodiu.

 

Taehyung combinara de encontrar seus amigos na festa que Jisoo, sua colega de classe, estava dando em sua casa. E como ficava há apenas alguns quarteirões da sua, o rapaz foi sem pressa.

 

Há poucos metros, o Kim já podia ouvir o som da música alta ecoando por quase toda a rua, o cheiro de bebidas e cigarros também era evidente. Apesar de sua atitude com o pai anteriormente, Taehyung não era exatamente fã desse tipo de ambiente. Estava ali apenas por insistência de Jimin, seu melhor amigo - o mesmo vivia reclamando que o castanho nunca ia nesse tipo de festa quando o convidava.

 

 

Taehyung entrou no ambiente abafado devido ao aglomerado de pessoas dançando – se esfregando – no centro da sala de estar e foi á procura de seu amigo baixinho, que deveria estar tentando se fundir com Hoseok , outro grande amigo seu.

 

O Kim encontrou seus hyungs sentados num sofá perto da escada e logo foi ao encontro deles. Jimin estava animado – até demais – e falando coisas desconexas para Hoseok que lhe dava selinhos e assentia fingindo entender e como sempre com um sorriso no rosto.

 

- E aí, TaeTae? Resolveu sair da toca? – Jimin foi o primeiro a se pronunciar - de maneira divertida - quando notou sua presença, sendo acompanhado por Hoseok - que também cumprimentou o Kim.

 

– Não enche, Park. Sabe que só vim por sua causa, e se eu soubesse que te encontraria aí se comendo com o Hobi em público, nem teria vindo. – Bufou visivelmente irritado com o baixinho.

 

– HEY! – Hoseok o olhou, fingindo estar ofendido. – Isso só faremos mais tarde, quando formos embora daqui. Não é, Chim?

 

– Claro. – Sorriu maliciosamente para o mais velho. – Enfim, acho que esse mal humor todo é falta de uns beijos. Por que não sai à procura de alguém, hein? Nessa festa é o que não falta. Enquanto isso deixa a gente "se comer" em paz, tá legal? – Se voltou para o melhor amigo, que entendia muito bem seu tom de brincadeira. Porém, Taehyung resolveu levar em consideração a última parte, pois não estava afim de segurar vela naquela noite.

 

Taehyung ficou cerca de 30 minutos naquela festa, até finalmente decidir ir embora. O garoto não sabia qual era a graça de encher a cara e dançar a noite inteira quando no dia seguinte acordaria com uma puta ressaca e dores pelo corpo inteiro.

 

A verdade era que Taehyung sentia que não se encaixava em lugar nenhum. Ele não se encaixava nas salas de reuniões como seu pai. Ele não se encaixava no meio daquelas inúmeras pessoas em festas como Jimin e Hoseok. O Kim tinha medo de ficar sozinho, ele odiava isso. Ficar sozinho.

 

Ás vezes Taehyung sentia que não conseguia respirar. Mas será que havia alguém que poderia o ajudar?

 

 

Me ajude

É como se as paredes estivessem desmoronando,

Ás vezes eu tenho vontade de desistir

Mas eu simplesmente não posso

Não está no meu sangue

Deitado no chão do banheiro, sem sentir nada,

Estou esgotado e inseguro, me dê algo

Que eu possa usar para acalmar minha mente,

Basta tomar uma bebida e irá se sentir melhor

Basta levá-la para casa e irá se sentir melhor

Continuam me dizendo que isso vai melhorar,

Vai mesmo?

Me ajude

É como se as paredes estivessem desmoronando,

Ás vezes eu tenho vontade de desistir

Nenhum medicamento é forte o suficiente,

Alguém me ajude

Estou rastejando em minha pele,

Ás vezes eu tenho vontade de desistir

Mas eu simplesmente não posso,

Não está no meu sangue

Não está no meu sangue

Olhando para o meu celular de novo, me sentindo ansioso

Com medo de ficar sozinho de novo, eu odeio isso

Estou tentando achar uma maneira de relaxar, 

Não consigo respirar,

Há alguém que possa me ajudar?

É como se as paredes estivessem desmoronando,

Ás vezes eu tenho vontade de desistir

Nenhum medicamento é forte o suficiente,

Alguém me ajude

Estou rastejando em minha pele,

Ás vezes eu tenho vontade de desistir

Mas eu simplesmente não posso,

Não está no meu sangue

Não está no meu sangue

Eu preciso de alguém agora

Eu preciso de alguém agora

Alguém para me ajudar,

Eu preciso de alguém agora,

Me ajude

É como se as paredes estivessem desmoronando,

Ás vezes eu tenho vontade de desistir

Mas eu simplesmente não posso,

Não está no meu sangue

Não está no meu sangue

Não está no meu sangue

Eu preciso de alguém agora

Não está no meu sangue

Eu preciso de alguém agora

Não está no meu sangue.

 

 

 


Notas Finais


Views em In My Blood: https://www.youtube.com/watch?v=36tggrpRoTI

Um pouco sobre a doença do beijo salgado: https://minutosaudavel.com.br/fibrose-cistica-o-que-e-sintomas-tratamento-diagnostico-e-mais/

Até o próximo capítulo, sim?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...