História Salty Kiss - Capítulo 9


Escrita por: e IKnowGuk

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Bottom!jungkook, Bts, Hoseok, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Jungkook!sick, Kooktae, Kookv, Menção Jihope, Menção Yoonjin, Namjoon, Namjoon!psychologist, Suga, Taehyung, Taehyung!oppressed, Taekook, Vkook, Yaoi, Yoongi, Yoongi!fem
Visualizações 183
Palavras 3.537
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Iai

Capítulo novinho para vocês sz

Esse tá mais curtinho que o outro, mas tá uma belezinha, ok? :)

Boa leitura anjos 💜

Capítulo 9 - Discovered


Fanfic / Fanfiction Salty Kiss - Capítulo 9 - Discovered

O Kim despertou sentindo um peso sobre o braço esquerdo - que naquele momento estava adormecido -, logo se dando conta que o peso se chamava Jeon Jeongguk, e que dormia serenamente. Sorriu ao lembrar da noite anterior, estava mesmo muito apaixonado pelo garoto ao seu lado. Lindo, pensou Taehyung, e passou a admirá-lo.

Passou tanto tempo olhando o outro dormir, que logo pôde ver um par de olhos de jabuticaba o fitando de volta.

- Sinceramente, às vezes tenho medo de você, hyung. Fica me encarando até enquanto durmo. - Resmungou o mais novo

- Bom dia 'pra você também, Jeon. - Revirou os olhos e sorriu mínimo

- Bom dia?

- É, já está na hora de levantarmos, vamos! - Deu um tapinha na coxa do moreno

- Ah nem vem! Me deixa dormir! - Se aconchegou mais no abraço do Kim

- Jeongguk-ah, vamos! Não podemos matar aula novamente.

- Só mais 15 minutos, hyung. - Choramingou de olhos fechados

Taehyung teve uma luz.

– Se você levantar, eu te dou um beijo. – Sorriu malicioso para o menor.

– Que horror, hyung! Eu ainda nem escovei os dentes. – Respondeu desacreditado.

– Ontem você nem se incomodou em me beijar depois de comer. – Riu.

– Ya! – E foi o suficiente para o mais novo pegar um dos travesseiros e arremessar na direção do outro e levantar corado, e pisando firme saiu bufando até o banheiro do Kim, que agora ria mais alto.

O Jeon mal saiu do banheiro, e o outro tratou de entrar correndo para também fazer suas necessidades e escovar os dentes, saindo na mesma velocidade.

- Vem aqui. - Puxou o mais novo pelo braço e juntou os lábios nos dele num selar casto.

Jeongguk não satisfeito só com aquilo, entreabriu os lábios e os movimentou, convidando Taehyung à fazer o mesmo. Ficaram alguns segundos assim até que o Jeon se afastou.

– Temos que ir ‘pra escola, lembra?

– Ya, Jeonggukie… – Foi a vez do mais novo rir.

Já vestidos com os uniformes, desceram para tomar café da manhã com a família do Kim, os encontrando todos - Menos o pai - já sentados em volta da mesa.

– Bom dia, meninos. Dormiram bem? – Disse a mulher enquanto servia panquecas à eles.

– Se tem uma coisa que o Jeongguk faz bem, essa coisa é dormir. – Disse sorrindo para o mais novo, que foi o único a entender o duplo sentido da frase. Melhor assim.


(...)


- Tae hyung, vou encontrar a Tzuyu, tudo bem?

- Ok, vou procurar os garotos. Nos vemos no almoço, sim? - Puxou o mais novo e deu um beijinho em sua testa

- Claro! - Sorriu - Até depois, hyung. - Deu tchauzinhos enquanto se afastava

Taehyung repetiu o gesto e quando perdeu o Jeon de vista focou na missão de achar os dois idiotas que considerava seus melhores amigos.

Não demorou muito à acha-los. Visto que sempre estavam no mesmo lugar - fazendo as mesma coisas -.

Surpreendentemente os dois invés de estarem aos beijos estavam apenas sentados lado a lado conversando - até pareciam pessoas civilizadas -. Taehyung foi na direção dos amigos e se sentou à frente deles.

- Bom dia, amigos. - Sorriu para os hyungs

– Veja, Hobi. Taehyung todo felizinho e chamando a gente de ‘amigo’ sem fazer nenhuma piadinha. – Debochou o Park – Pode ir falando. – Disse cruzando os braços.

– Falando exatamente o que? – Se fez de desentendido.

– Não faça a sonsa, TaeTae. O que aconteceu? Você ‘tá esquisito. – O Jung agora apalpava o rosto do Kim, como se tivesse checando a temperatura.

– Aish… Jeongguk dormiu lá em casa e nos beijamos ontem à noite. E-e… eu gostei. Acho que estou gostando dele. – Disse corando, o que era raro de se ver.

– Olha só o TaeTae, finalmente resolveu assumir. Achei que ia demorar mais, pelo tanto que você é orgulhoso. – Brincou com o melhor amigo – Mas a parte de estar gostando dele, isso é sério? – Os olhinhos do Park agora brilhavam em expectativa.

– Sim, na verdade eu não acho nada. Eu tenho certeza que estou apaixonado por um garoto, um garoto chamado Jeon Jeongguk! Merda, então eu sou mesmo gay? – Desabafou, tirando risos por parte dos melhores amigos.

– Olha, Taehyung – O mais velho começou – Não temos só gays e héteros no mundo, primeiro vamos aos fatos. Você já beijou uma garota, certo? – O Kim assentiu – E o que sentiu?

– Em relação ao beijo do Jeongguk? – Teve um aceno de cabeça como resposta – Nada. Nem se compara, o que eu senti beijando a garota, não chegou nem perto do que eu senti ao beijar o Jeon.

– Isso pode significar duas coisas: Ou você achou melhor por ser um garoto, e você seja mesmo gay. Ou… – Ponderou o Park.

– Ou? – Fez gestos com a mão para que o amigo continuasse.

– Eu nunca conheci uma pessoa com essa sexualidade, mas você pode ser demissexual. – Tirou olhares confusos dos outros dois.

– Demissexual? Não estávamos falando do Jeongguk? – Disse o Jung, levando um tapa - como sempre - na cabeça por parte de Jimin.

– Idiota! – Jimin massageou as têmporas – Demissexual é uma pessoa que só sente atração por outra, se tiver uma ligação afetiva com ela. Digo, quando há amor. Se for o seu caso, Tae, você só vai transar com ele por que está apaixonado, e não pelo seu gênero. Está me entendendo?

– Acho que sim, mas… eu nem estava pensando em sexo, Jimin! O Jeongguk é puro e inocente, ainda não consegui imaginar algo desse tipo com ele.

– Foi só um exemplo, droga. Olha, não dá pra conversar com vocês dois, eu vou pra minha sala antes que o último sinal toque. – Hoseok e Taehyung nem se importaram, e apenas seguiram o Park até a sala de aula.


(...)


- Ei, pestes, quietos! Eu preciso falar, caralho! - A desbocada professora Yoonji chamou atenção dos alunos que ficaram em silêncio imediatamente. - Infelizmente uma das professoras que ia dar aula à uma das turmas do terceiro ano faltou. Ou seja, eu sou a única professora que eles acham capazes de controlar mais de 60 alunos no mesmo lugar, e sobrou 'pra mim. Baboseira tudo isso, eu sou a única que tem coragem, isso sim. - Reclamou

- Será que é a turma do Taehyung? - Jeongguk sussurou para a amiga que apenas deu de ombros.

Logo depois da fala de Jeongguk a porta foi aberta bruscamente e um monte de alunos mais velhos passou a entrar e ocupar os lugares vagos.

O moreno logo reconheceu o rosto do Kim no meio de tantos.

- Tae, aqui! - Levantou o braço com a intenção de chamar a atenção do mais velho. E funcionou.

Taehyung sorriu e com os dois amigos logo atrás veio em direção ao Jeon e a amiga taiwanesa.

- Oi! - Se sentou ao lado de Jeongguk e passou os braços ao redor do pescoço do mesmo. Jimin e Hoseok riram e Tzuyu o olhou meio torto.

– Muito bem, já que todos já estão sentados em seus devidos lugares, vamos começar. – A professora começou, enquanto se sentava sobre a mesa, na intenção de ficar mais alta – Como temos duas turmas de anos diferentes aqui, eu sugiro que-

Foi interrompida por Seokjin, professor de Educação física, que entrou pois a porta continuava aberta. “Ótimo”, pensou a Min revirando os olhos.

– Bom dia, alunos! – Disse o professor, dando um enorme sorriso e arrancando murmúrios animados por parte dos adolescentes. Gostavam muito dele. – Me desculpe a interrupção, professora Min. Tenho um comunicado à fazer, e como temos duas turmas reunidas aqui, quis passar primeiro. O fato é que faltam alguns meses para o verão, e como sabem, temos a nossa gincana anual e…

Continuou falando e falando, deixando a mulher levemente irritada.

– Bom, era isso mesmo. Espero que muitos de vocês se inscrevam. Tenham um bom dia. – Disse já saindo pela porta, porém dando um passo para trás, em direção à Yoonji, que sorriu falsamente. – E senhorita Min, acho que deveria tentar ser mais simpática com as pessoas que gostam de você. Nos vemos mais tarde. – Deu uma piscadela antes de sair e fechar a porta, tendo vários “hmm” vindo dos alunos. Deixando, mais uma vez, a Min em irritação.

- Quietos! Continuando... Como temos muitos alunos hojes e de turmas diferentes, sugiro que façamos uma aula mais simples e livre. Quero que venham até aqui na frente, cantem, toquem algum instrumento que saibam ou até façam rap. - riu - É livre, podem escolher qualquer música que quiserem.

Os alunos rapidamente ficaram animados e se voluntariaram para poderem começar. A professora, novamente os mandou ficarem calados.

- Shh! - Colocou o dedo indicador na frente da boca. - Eu vou escolher o primeiro que virá até aqui, portanto esperem.

A mulher baixinha passou os olhos pela sala inteira até encontrar Jeongguk. Perfeito.

- Jeongguk, venha. Você é um dos poucos que eu realmente gosto de dar aula. - Sinalizou com a cabeça, chamando o moreno para vir à frente.

Taehyung que ainda estava com o braço sob Jeongguk o soltou e o mais novo se levantou indo para frente meio acanhado.

– Muito bem, Jeongguk. O chamei primeiro, porque sei que canta muito bem. Poderia mostrar o que sabe, aos seus sunbaes*? – O garoto assentiu e depois de um pigarreio, quando se sentiu preparado, começou.

A voz melodiosa e doce de Jeongguk pode ser ouvida por toda a sala, cantando acapella.



O jeito para me amar não é difícil

Apenas me abrace forte como agora,

Nós não sabemos o que nos acontecerá mais tarde,

Mas eu gosto que não há nada decidido.

Quem se importa com o que os outros dizem?

Não podemos viver um sem o outro, então qual é o problema?

Podemos estar mais apaixonados juntos.

Se você começar à gostar de outra pessoa

Se eu me acostumar à não estar mais com você

Quando chegar esse momento, quando for esse momento,

Só então podemos nos separar.



Quando enfim o moreno terminou de cantar o refrão, recebeu vários aplausos e assovios dos colegas, inclusive de Taehyung, que o olhava surpreso e maravilhado. Tinha como ficar mais apaixonado por ele? Taehyung não acreditava, até aquele momento.

– Jeongguk… Eu… não sabia que cantava tão bem, estou realmente surpreso. Não sabia que gostava de cantar, estava lindo. – Disse o mais velho, para somente o outro ouvir, quando este se sentava de volta ao seu lado.

– Tem muita coisa sobre mim que você ainda não sabe, hyung. – Apenas sorriu mínimo e deu de ombros, enquanto se virava para frente, a fim de prestar atenção no outro aluno que se colocava a cantar.

O tempo de aula se passou rapidamente, não dando tempo de todos participarem, e logo as duas turmas voltaram para suas respectivas salas onde teriam suas próximas aulas.

– Jeongguk, o que há entre você e esse Taehyung? – A garota perguntava, enquanto esperavam pelo professor de matemática.

– Nós estamos… Ficando? – Disse mais em tranquilidade do que em dúvida.

– Hm… Sabe o que eu penso sobre isso, não sabe? – Não esperou uma resposta e continuou – Entenda, só não quero saia machucado dessa. Se cuida, por favor.

– Eu cresci muito em maturidade ao longo do tempo, eu sei me cuidar sim, Tzu. Pode ficar tranquila, o Tae é diferente. – A menina apenas assentiu receosa e voltou a atenção para o professor, que acabara de chegar.


(...)


- Vai querer comer o que? - O Kim perguntou para o mais novo, dessa vez o acastanhado estava com o braço enlaçado à cintura do Jeon e os dois estavam se direcionanando à fila do almoço.

- Acho que vou pegar um sanduíche e você?

- Só isso? É a hora do almoço, precisa comer algo que sustente mais. - Taehyung repreendeu o moreno

- Não estou com muita fome, hyung. - Fez um biquinho

- Nada disso. Eu vou buscar um almoço decente 'pra você. - O mais velho soltou da cintura de Jeongguk e foi em direção da fila.

Jeongguk sorriu pela preocupação que o Kim tinha consigo.

O observou pegando, além do sanduíche - que o mais velho escolheu um natural - uma maçã, uma caixinha de leite e outra de suco, e um pequeno pacote de biscoitos. Riu do gesto do outro.

– É isso o que chama de almoço decente, hyung? Comer bem não significa se empanturrar de comida.

– Shh… Me deixa mimar você, certo? – O Kim disse, o que causou um revirar de olhos da menina - difícil - e risinhos dos amigos, que estavam logo atrás deles. O Jeon apenas concordava com tudo.

Quando terminaram de se servir, logo estavam todos os cinco sentados em volta da mesa costumeira. Hoseok foi o primeiro a se pronunciar enquanto comiam:

– Começo de relacionamento é assim mesmo… – Debochou rindo, enquanto Taehyung dava comida na boca do outro. Melosos. Ambos os três pensavam naquele momento.

De repente, o Kim parou o que estava fazendo, apenas para responder:

– Pelo jeito você e o Jimin estão há meses nessa, pois não se desgrudam um minuto. – Disse, recebendo um olhar feio do casal de amigos, e risadas vindas de Jeongguk e Tzuyu, o que o surpreendeu.

Continuaram a comer em silêncio por alguns minutos, até que Jimin - mais calmo - resolveu puxar outro assunto, para mascarar aquele constrangedor silêncio.

– Hey, Jeongguk! – Chamou, continuando quando teve a atenção do mais novo da mesa – Não sabia que cantava, parabéns, você canta muito bem. – O elogiou, fazendo o outro corar.

– O-obrigado.

– É verdade, Jeonggukie, fiquei surpreso. Além de tudo ainda tem uma voz maravilhosa… – Disse, se aproximando do mais novo e continuou num sussurro, para que só ele o ouvisse – Apoio você cantar ‘pra mim, só ‘pra mim, mais vezes.

Deixou o garoto corado de novo, arrancando mais um sorriso mínimo da garota à sua frente. Pensando em como seu melhor amigo andava mudado, mas principalmente mais feliz, desde que conheceu aquele garoto. Ele até mesmo tinha voltado a cantar sem que a professora Min pedisse mais de duas veze para que o fizesse. Naquele momento, resolveu que daria uma chance ao Kim, por estar fazendo tão bem ao seu garoto.

Os três ficaram observando os amigos naquele mel até o fim do almoço. O Jeon e o Kim fizeram manha porque não queriam se separar e os garotos e Tzuyu tiveram que arrastá-los até suas devidas salas.


(...)


O último sinal bateu e Jeongguk quase pulou de animação pois poderia ver Taehyung novamente. O mais velho não estava diferente de si.

O Jeon puxou Tzuyu até o portão - onde combinara de se encontrar com o acastanhado para poderem se despedir - e a garota não reclamou, somente riu da afobação do melhor amigo.

Tzuyu vendo que iria ficar de vela, se despediu do moreno com um abraço e foi em direção à sua própria casa.

Não muitos segundos depois o Kim chegou animado e - como sempre - com os amigos ao seu lado, sorrindo.

- Hey, Jeonggukie! - Jimin se aproximou do mais novo com Hoseok lhe abraçando por trás. Fofos.

Antes de poder responder o baixinho, Taehyung pulou em si lhe dando um abraço de urso.

- Vamos embora, Jimin, esses dois estão todo melzinho. - Hoseok fez uma careta e puxou o outro para irem embora

O Kim apenas ignorou os dois e tratou de abraçar o moreno ainda mais forte.

- Ya, Gukkie, quando chegar em casa me mande uma mensagem, sim? - Taehyung se afastou aos poucos

– Claro, hyung. Pode estar certo disso. – Sorriu com os dentinhos salientes à mostra, fazendo Taehyung sentir borboletas no estômago.

– Que droga, Jeon. Não me faça sentir vontade de te beijar quando não podemos fazer isso.

– Tchau, hyung. – O mais novo apenas ria, se virando e saindo dali.


(...)


– Mãe? – Jeongguk chegou em casa, adentrando à cozinha.

– Oi, amor. Estou aqui. – A mulher saiu de dentro da despensa – Resolvi fazer umas compras.

– Espero que tenha comprado coisa gostosa. – Riu, enquanto se virava para sair do cômodo – Vou subir, fazer alguns deveres. – Mentiu.

– Tudo bem, vou começar a fazer o jantar, te chamo quando estiver pronto. – Jeongyeon pegou as últimas sacolas, e as levava para guardar o resto das compras.

Chegando no quarto, tirou as mochilas das costas e se jogou na cama.


Jeongguk: Cheguei, hyung.


Deu o sinal de vida, requisitado pelo Kim, e largou o celular indo em direção ao armário, onde pegou roupas limpas e seguiu para o banheiro, com a intenção de tomar banho. Saiu secando o cabelo com a toalha, se “esquecendo” de vestir uma camiseta. Deixou-o bagunçado mesmo, sentando-se na cama novamente.


Taehyung hyung: Oi Jeonggukie, senti saudades.


Jeongguk: Mas acabamos de nos ver na escola

Não é tanto tempo assim

Desculpe a demora, estava no banho.


Taehyung hyung: Pra mim é muito tempo

Ya

Gukkie?


Jeongguk: Sim, hyung?


Taehyung hyung: Posso te ligar?

Não sei se aguento até amanhã, já que só podemos nos ver na escola

Por conta do castigo


Bingo.


Jeongguk: Tudo bem


O Jeon logo viu o nome de seu hyung na tela de seu celular o chamando. O moreno riu e atendeu.

- Oi Jeonggu... - Parou a fala - Por que está sem camisa? E de cabelo molhado?

- Já disse, hyung. Acabei de sair do banho. - Sorriu

- Ah, certo. - O Kim riu nervoso - Vá vestir uma camisa, Jeon.

- Por que, hyung? Eu te deixo nervoso assim? - Abaixou um pouco mais a câmera do celular mostrando sua cintura fina e contornada, rindo logo depois.

Taehyung estava surpreso. Nunca imaginaria que Jeongguk, uma pessoa que o Kim jurava de pés juntos ser pura e inocente o provocaria daquele jeito. Estava enganado, claramente.

O acastanhado resolveu ignorar o nervosismo que começava à se apossar em si e resolveu entrar na brincadeira também.

- Quer que eu diga a verdade, Jeonggukie? Sim, você me deixa muito nervoso. Tanto assim, quanto de outros jeitos.

– De que jeitos, hyung. – Jeongguk agora se ajeitava na cama, em expectativa, com uma sobrancelha arqueada.

– Quando você sorri, eu me sinto muito nervoso. Hoje na saída da escola eu quis te socar, ‘pra logo depois te encher de beijos. Se eu pudesse… – Estalou a língua no céu da boca, mantendo-a parada enquanto ponderava. Queria provocar o mais novo, assim como ele fazia consigo.

– O que, hyung? – Vendo que o outro não responderia, perguntou.

– Se eu pudesse, estaria aí te beijando… – Agora o mais velho passava a língua sobre o inferior, vendo o outro corar. Perfeito.

– É?

– Sim.

– E o que mais?

– Sabe, Jeon. Eu não me importaria por você estar sem camisa, seria até melhor. Droga, você não sabe o quanto fica sexy desse jeito. O conjunto todo, seminu, com o cabelo molhado e bagunçado e se fingindo de inocente. – O garoto engoliu em seco. Sua provocação estava indo além do que planejara. – Me faz pensar muita coisa errada. – Riu de repente.

– É mesmo é? Me conte mais. – O imitou no sorriso. Agora que já estava ali, queria ver onde ia dar.

– Se eu estivesse aí, eu iria tentar algumas coisas diferentes. Sabe, não é o único que se relaciona com um garoto pela primeira vez.

Jeongguk realmente não imaginara que sua provocação chegaria ao nível dele sentir tremores pelo corpo todo e querer - muito - que o Kim estivesse fazendo tudo aquilo agora.

- É-é minha mãe tá me c-chamando. Até depois. - o mais novo desligou na cara do Kim que naquele momento estava com um grande problema entre as pernas. Malditos hormônios.

Jeongguk não estava diferente, e agora suava copiosamente. Merda, onde tinha se metido? Agora teria que tomar outro banho para poder vestir a camisa como uma pessoa normal.

Resolveu - fugir - desconectar a internet do celular, enquanto aguardava sua mãe o chamar de verdade.


(...)


- Então Jeon, como tem passado? - O terapeuta novamente estava sentado em sua poltrona de frente à Jeongguk

- Estou bem, Namjoon. Muito bem. - Sorriu ao homem

- Isso é ótimo. Não lembro de te ver tão radiante assim antes, então permita-me saber o porquê de estar com esse belo sorriso hoje. - Namjoon falou sorrindo ao garoto

- Bom, depois de eu ter saído daqui no sábado, eu falei com Taehyung o fim de semana todo, já na segunda ele me mandou uma mensagem me chamando 'pra dormir na casa dele. E claro, eu fui. Assistimos filme, nos divertimos e fizemos um piquenique à noite. Ideia do Taehyung. - riu - Falamos sobre o Mingyu, o Tae me perguntou se ele tinha me deixado em paz e eu expliquei toda a situação à ele. Depois disso ele acabou tocando no assunto... - Parou

- Que assunto? - O terapeuta o instigou à continuar.

– Sobre quase termos nos beijado. E aconteceu de novo, Namjoon. Só que desta vez eu não fugi, e nos beijamos de verdade.

– Certo. Então esse é o motivo de estar diferente? – Disse anotando alguma coisa.

– Sim. Eu… acho que gosto dele. Gosto muito. Sabe, não é como eu gostava do Mingyu, eu sinto coisas diferentes em relação à ele. Ontem, estávamos conversando por vídeo, e um assunto mais íntimo se desenrolou, Taehyung estava diferente e eu também senti coisas novas, tive que inventar uma desculpa para fugir do que poderia acontecer. – Jeongguk falava agora fitando os próprios dedos.

– Entendo, esse tipo de coisa é normal na sua idade por conta dos hormônios, e quando se tem alguém que compartilha do mesmo sentimento é ainda melhor. Mas só sugiro que não apresse as coisas, tudo tem seu tempo, Jeongguk, e com certeza você encontrará o seu. – O Kim disse o aconselhando. Também queria o melhor para o Jeon – Apesar de tudo, estou muito satisfeito com seu progresso. Esse tal Taehyung está te fazendo bem.

- Sim, ele está. E eu me dei conta agora do quanto de sentimentos eu tenho por aquele garoto.




Notas Finais


*Sunbae é alguém de um grau elevado, como por exemplo: um chefe ou alguém numa série na escola maior ou mais velha que a sua.

Jeonggukie não é tão inocente quanto você pensa TaeTae rs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...