1. Spirit Fanfics >
  2. Salutor: O Início De Uma Jornada Sem Fim >
  3. Into The Castle Of Evil

História Salutor: O Início De Uma Jornada Sem Fim - Capítulo 11


Escrita por: MechaHuman

Notas do Autor


Esse conto é a continuação da aventura iniciada no anterior (o mesmo vale para o próximo). Esse é bem grande, um dos maiores até agora. Mas também é um dos mais completos e bem construidos..

Aqui, um lado obscuro de Salutor vira a tona. Bora para a história kkkk

Boa leitura para todos...

Capítulo 11 - Into The Castle Of Evil


Fanfic / Fanfiction Salutor: O Início De Uma Jornada Sem Fim - Capítulo 11 - Into The Castle Of Evil

Pov Salutor

Realidade Espiritual

lá estava eu, flutuando no meio do espaço...sim, espaço..mas isso tem uma explicação...oque esta flutuando não é o meu corpo, é sim o meu espirito..esta é uma das habilidades que desenvolvi ao longo do tempo

mais conhecida como Separação Espectral, é a capacidade de elevar sua consciência, ou alma, até o ponto que ela se separa do seu corpo...isso ocorre naturalmente, quando os humanos morrem, e seus espiritos se desprendem dos corpos físicos...

porém, quando se é um usuário de magia, como eu, é possível realizar essa separação sem que o organismo tenha que se desligar...normalmente, a maioria dos magos, bruxos e feiticeiros não consegue manter isso por muito tempo...visto que é necessário um grande equilíbrio entre a parte física e espiritual....

nessa realidade, eu posso observar as almas que rodeiam a terra...entidades que, por algum motivo, vagueiam sem rumo...talvez para manter-se próximos, e ao mesmo tempo distantes, dos seus entes queridos vivos....eles me vem, podem interagir comigo..mas para os seres do plano físico, somos intocáveis e invisíveis....

eu gosto de passar um tempo aqui...observando a imensidão do universo..um espaço que, aos olhos de um humano, parece incompreensível...mas, para min, é apenas mais um lugar interessante de explorar...um vasto é imenso oceano..no qual eu posso mergulhar muita mais profundamente nesta forma...

Salutor: melhor eu voltar...mas oque foi aquilo?..eu desmaiei e, do nada, vim parar aqui...até parece que meu espirito foi "jogado" pra cá... -eu disse, cruzando os braços e olhando para os planetas...

???: filha...pare com isso! -uma voz ecoou na minha cabeça...

???: olha mamãe, ele tem um pingente de pentáculo... -outra voz ecoou, parecia mais fina...

Salutor: oque?... -eu falei, ao ouvir ambas as vozes- preciso saber aonde estou.. -eu disse, fechando os olhos....

VOLTANDO AO MUNDO NORMAL...

aos poucos, começo a abrir os olhos...sinto que estou deitado em algo macio, provavelmente uma cama....tem alguém na minha frente, sentado ao meu lado e afagando meus cabelos..

menina: mamãe, ele esta acordando!... -ouço a voz de uma menina..deve ter uns 7 ou 8 anos...

mãe: deixe-o levantar filha... -ela disse, indo para perto da garota- você esta bem?...

Salutor: hum...quem são vocês?.. -eu disse, sentando na cama e ajeitando meu sobretudo...

Clara: eu sou Clara...essa é minha filha, Eveline.. -ela disse, abraçando a menina...a mulher possuia longos cabelos pretos, usava um vestido marrom e possuia olhos azuis..

Eveline: muito prazer senhor.. -ela sorriu, olhando para min...sua filha era um pouco diferente..usava um vestido azul, tinha olhos verdes e seu cabelo preto estava preso por um laço vermelho- você é um bruxo?.. -ela disse, olhando para o meu pingente de pentáculo..

Clara: Eve, não fale isso...talvez só seja um enfeite.. -ela disse, repreendendo a filha..

Salutor: não se preocupe moça...na verdade garotinha, eu sou algo a mais..

Eve: um mago?...

Salutor: não...

Eve: um feiticeiro?...

Salutor: também não...

Eve: então eu desisto... -ela disse, fazendo bico...

Salutor: hahaha...tudo bem.. -eu falei, me divertindo vendo ela tentando acertar- onde estão minhas coisas?...

Clara: aqui... -ela disse, indo até o canto da pequena casa de madeira e pegando minha mochila, junto da minha espada- eu aproveitei e dei uma afiada na lâmina...meu pai era ferreiro, então eu sei o jeito certo de tratar uma espada...

Salutor: obrigado moça... -eu disse, deixando minha mochila ao meu lado e retirando minha espada da bainha...a lâmina esta limpa e bem afiada..dava para ver os detalhes no aço...

Clara: estou preparando uma sopa...nesse frio, é a melhor coisa para aquecer.. -ela disse, indo até a lareira e mechendo a grande panela...

Salutor: de onde vocês são?... -eu perguntei, me levantando e colocando minha bainha de volta no cinto...encaixando minha espada na mesma...

Clara: somos de Valknor...meu marido, Harry, é montanhista e esta sempre procurando novos lugares para escalar...alguns dias atrás, ele partiu para subir até o topo desta montanha gelada...desde então, ele não voltou..

Eveline: mas nos sabemos que papai esta bem...ele é forte e já passou por coisa pior.. -ela disse, com um olhar confiante..

Salutor: acredito que sim... -eu disse, fazendo um carinho na cabeça da menina- agradeço sua gentileza e ajuda Clara, mas eu preciso ir...

Clara: ah, por que?...esta muito frio lá fora e a sopa esta quase pronta...fique mais um pouco...

Salutor: me chamo Salutor...obrigado mas não posso aceitar...tenho assuntos a tratar com as pessoas no topo dessa montanha...

Eveline: na toca dos bruxos?...mas eles são perigosos senhor Salutor..

Salutor: eu sei Eveline...mas eu vou mesmo assim...

Clara: ok, vou abrir a porta pra você... -ela disse, me levando até a porta- Eve, você pode ficar de olho na sopa para a mamãe?..

Eveline: claro mãe.. -ela disse, sorrindo e indo até a lareira...olhando para a penela..

ao sair da casa comigo, Clara fechou a porta e juntou as mãos, procurando se aquecer...ela se encostou na parede e me olhou séria..

Clara: olha, não posso ficar aqui fora muito tempo, portando serei breve...meu marido não foi escalar essa montanha, na verdade, ele foi capturado pelos bruxos da Ordem Dos Filhos De Sangue... -ela disse, tremendo as mãos..

Salutor: contou pra ela?... -eu disse, cruzando os braços..

Clara: ainda não...ela é muito nova e não entende isso...Harry ainda esta vivo, eu sinto isso...sei que mal conheço você Salutor, mas preciso lhe pedir algo...se encontrar meu marido lá em cima, por favor, traga-o de volta.. -ela disse, apontando para o castelo no topo da montanha..

Salutor: não posso prometer que vou fazer isso...mas se ele estiver inteiro, eu vou liberta-lo..de resto, ele tera que descer até aqui sozinho..

Clara: já é o suficiente...Harry esta acostumado a climas como esse, não sera difícil para ele...obrigado Salutor.. -ela disse, pegando minha gentilmente- ela vai ficar muito feliz.. -ela disse, olhando pela janela e vendo Eveline, mechendo a sopa na panela..

Salutor: sem problema...agora tenho que ir...antes que esse frio piore..

Claro: certo.. -ela disse, largando minha mão e abrindo a porta, adentrando a casa e fechando-a em seguida...

nisso, eu coloquei meu capuz e olhei para o lado...Raiser estava ali, embaixo de um telhadinho, me observando com um olhar indescritível..

Salutor: pois e...não sei se deveria ter aceitado isso.. -eu disse, subindo em cima dele- oque você acha rapaz?.. -em resposta, ele deu uma relinchada fraca...como se dissesse "se vira ai cara"...

eu apenas dei um suspiro e um leve toque nas rédeas, fazendo-o andar e voltarmos a trilha escondida na neve...seguindo até o topo da montanha...

enquanto andava, pensava no que me esperaria lá em cima...sendo uma ordem de magia negra bem organizada, eles devem saber lidar com invasores..assim espero...

QUEBRA DE TEMPO

quando eu cheguei na entrada do castelo, me deparei com a seguinte cena...um grande grupo de bruxos, deviam ser uns quinze ou mais, vestidos com longos mantos pretos, com magias de fogo e gelo em suas mãos..enfileirados em uma grande parede humana...

ao me verem, eles ficaram em posição de ataque...porém, eles incrivelmente foram educados, visto que estavam esperando eu descer de Riser paa me atacar..

Salutor: obrigado por o pouparem...ele é um cavalo legal.. -eu disse, passando a mão direita na cabeça do mesmo- você já sabe oque fazer, então siga o plano..

assim que eu desci de Riser, pude ver os ataques vindo em minha direção...esferas de fogo e estacas de gelo..em grandes proporções..eu simplesmente estiquei minha mão direita para frente e, no último segundo, um círculo mágico vermelho surgiu na minha frente...servindo de escudo, protegendo eu e Riser das magias..

nesse momento, meu cavalo correu para longe...sumindo no meio da nevasca..os bruxos, ao verem que seus ataques foram bloqueados, lançaram estacas e esferas maiores...algumas chegando a criar um rastro de fogo..todas foram bloqueadas facilmente pelo meu escudo..

Salutor: eu não tenho tempo pra vocês.. -eu disse, fazendo o grande círculo se dividir em vários círculos menores..fazendo eles aparecerem na frente de cada um dos bruxos, em um momento em que eles haviam parado de atacar- apenas saiam da minha frente..

nesse momento, lâminas negras sairam do interior dos círculos...transpassando o corpo dos bruxos ou perfurando seus pescoços..eu apenas fiquei parado, vendo seus corpos caindo no chão e ouvindo seus gritos de dor...

logo, havia uma grande fileira de corpos na entrada do castelo..eu fiz os círculos sumirem e comecei a caminhar até a porta..olhando ao redor e vendo que, apesar do frio extremo, algumas plantas do jardim ainda estavam vivas..

chegando até a porta, eu toquei na maçaneta e, no mesmo instante, a porta se abriu sozinha...como se me convidasse para entrar..eu não neguei e adentrei o local, ouvindo em seguida a grande porta dupla se fechar atrás de min...

devo admitir que, apesar das paredes estarem visivelmente danificadas, foram muito bem cuidadas...toda a arquitetura interna do castelo, mesmo que bem rústica, estava limpa e sem um grão de poeira...a decoração, os móveis, os quadros, a grande escada a alguns metros de min, tudo estava impecável...fico pensando se o lider regional realmente se deu ao trabalho de remodelar toda a estética desse lugar..

do lado de fora, parece um castelo velho e abandonado...mas por dentro, era muito belo e aconchegando..nem parecia que essa construção estava a merce da natureza selvagem das montanhas..

depois de alguns minutos andando, reparando em cada detalhe, eu cheguei a uma bifurcação..do lado esquerdo, um corredor que dava a uma bela porta dupla, decorada com detalhes de ouro e pedras preciosas..do lado direito, um corredor escuro...de onde vinha um cheiro horrivel..

decidi ir para a direita primeiramente...logo chegando a oque parecia ser a ala prisional do castelo..com várias celas e correntes nas paredes, aonde haviam esqueletos e corpos em decomposição..por isso aquele odor desagradável de antes...

ao passar por uma das celas, fui surpreendido por um homem...que pulou do interior de sua prisão e agarrou as grades...me olhando desesperadamente..

Homem: você é um deles?, esta aqui para me salvar?, quem é você?.. -ele disse, de forma rápida e ininterrupta..

Salutor: se esta falando dos bruxos lá fora, não, eu não sou um deles...sou Salutor, e tenho assuntos a tratar com o dono desse castelo.. -eu disse, olhando sua aparência...ele usava apenas uma tanga de couro marrom, tinha cabelo preto curto, olhos verdes e um bom condicionamento físico..

Harry: ótimo..eu sou Harry..esses caras me prenderam aqui..eu não sei oque eles querem, mas não deve ser coisa boa...por favor, me tira daqui.. -ele disse, me implorando..

Salutor: ok.. -eu disse, agarrando as grades com a mão direita e, com um leve puxão, as arrancando...liberando a passagem para ele e jogando o resto no chão..

Harry: como você fez isso?.. -ele disse, saindo da cela e me olhando surpreso..

Salutor: isso não importa..apenas saia daqui, pegue a roupa de um dos corpos na entrada e suba no cavalo..ele vai te levar até a sua familia...

Harry: familia?...Clara, Eveline...você sabe aonde elas estão?..

Salutor: apenas faz oque eu disse...eu já te soltei, agora vai logo.. -eu disse, olhando seriamente para ele..

Harry: ok...obrigado Salutor, eu serei eternamente grato.. -ele disse, um pouco assustado e correndo para fora da área das celas...

eu o segui e, dessa vez, fui para o lado direito...parando em frente a grande porta dupla, abrindo-a lentamente..fechando a mesma logo em seguida...

Pov Narrador

Harry havia percorrido todo o castelo...ao sair do mesmo, ele se dirigiu rapidamente até os portões de entrada, vendo a grande fileira de corpos a sua frente..

Harry: ele fez tudo isso...oque esse cara é afinal?.. -ele disse, pegando um dos mantos pretos dos bruxos, para se proteger do frio rigoroso..

de repente, de dentro da tempestade de neve, Riser veio rapidamente...parando a frente do homem e dando uma relinchada..indicando para o mesmo subir...

ele nem falou nada, apenas montou no cavalo e deixou que o animal o guiasse...percorrendo a trilha na neve até chegar na cabana de Clara e Eveline...quando Harry saiu de Riser e abriu a porta, ambas, que estavam sentadas na cama, tomando sopa, ficaram paralisadas...

Eveline: papai, papai... -ela disse, largando o prato no chão e indo, toda sorridente, até seu pai, o abraçando- eu sabia que o senhor estava bem..

Harry: minha pequena...eu senti tanto a sua falta.. -ele disse, retribuindo o abraço da menina...

Claro: Harry...você esta vivo..graças a deus.. -ela disse, largando o prato em uma mesa e correndo para abraçar seu marido...

logo os três estavam chorando..eles nem se importavam com o frio que entrava pela porta, apenas queriam viver aquele momento em familia...depois de muitas carícias, abraços e declarações de afeto, Eveline percebeu Riser..parado ao lado da porta..

Eveline: mãe, pai, olha ali...o cavalo do senhor Salutor!.. -ela disse, apontando para o animal que, para dar mais privacidade a eles, se dirigiu para o telhado ao lado da cabana...

Harry: vocês conhecem aquele cara?...foi ele quem me salvou..

Clara: eu pedi a ele...nos o achamos na neve, ele estava desmaiado..então eu e Eve o ajudamos, e ele disse que precisava ir para o castelo..

Harry: espero que ele esteja bem...eu vi a pessoa que governa aquele lugar..ela não é nada boa.. -ele disse, indo até a porta e fechando a mesma..

ENQUANTO ISSO...

Pov Salutor

assim que eu passei pela grande porta dupla, me deparei com um salão enorme...com cortinas pretas, um lustre dourado no teto, pinturas góticas nas paredes, candelabros prateados e um tapete roxo, que cobria todo o chão...

no fim do salão, sentado em uma cadeira luxuosa, estava um homem...ele usava um terno, com uma gravata cinza, e calças pretas, sapatos brancos e, presa na parte de trás da sua roupa, uma capa vermelha...ele estava bebendo uma taça de vinho, me olhando com um sorriso no rosto...acima de sua cabeça, dentro de uma grande moldura, estava desenhado, com oque parecia ser sangue, um pentagrama invertido, com um coração no seu interior...mas não era um desenho, era um coração de verdade...já que eu conseguia ouvir ele batendo..

Nefir: ola Salutor, o Desconhecido...eu sou Nefir, bem vindo aos meus aposentos.. -ele disse, enquanto bebia o resto de seu vinho..

Salutor: se o seu visual era pra me dar medo, você falhou...esta parecendo uma cópia genérica do Conde Dracula.. -eu disse, cruzando os braços..

Nefir: vou fingir que você não teve a intenção de me ofender...bem, eu soube oque você fez com os meus subordinados..achei bem interessante você ter derrotado todos eles sozinho...

Salutor: tirando o tal do Grim, o resto eram bruxos simples...para min, que sou um usuário de magia experiente, não foi difícil.. -eu disse, olhando para o "quadro" acima dele..

Nefir: entendo...ah, oque achou da minha obra de arte?...não é linda?.. -ele disse, apontando para cima...

Salutor: me lembra contos de terror da idade média...bem sombrio e macabro.. -eu disse, dando alguns passos e ficando a alguns metros de Nefir..

Nefir: concordo...emfim, como você percebeu, só restou eu e você aqui.. -ele disse, levantando da cadeira e ajeitando seu terno- eu planejava usar o homem que estava preso para o ritual de hoje a noite...mas eu mudei de idéia...em vez disso, VOU USAR VOCÊ.. -ele disse, sorrindo e gritando a última frase..

Salutor: eu?...foi mal, mas eu não tô afim..

Nefir: eu prévia que ia resistir...por isso, eu preparei algo especial.. -ele disse, arregaçando sua manga esquerda e mordendo seu pulso...deixando seu sangue cair no chão..

nisso, as gotas de sangue começaram a se espalhar por todo o tapete...formando o simbolo de um pentáculo invertido, que se expandiu..até cobrir todo o chão do salão...

Nefir: uma Prisão Mágica De Sangue...apenas aquele que derramou o sangue pode sair...você esta preso nesta sala comigo Salutor.. -ele disse, abrindo sua mão direita, invocando um machado de energia negra em seu palmar...

Salutor: eu ia tentar bater um papo mais longo com você...mas já que você quer partir pra ação logo, por min tudo bem.. -eu disse, criando um círculo mágico vermelho em minha mão esquerda...usando a outra para retirar uma espada de energia vermelha, do interior do círculo..

Nefir: não pense que eu sou como os meus servos...o poder do próprio inferno flui dentro de min...eu sou o Bruxo Mestre de Valknor...Salutor, hoje você morrera pelas minhas mãos.. -ele disse, rindo feito louco e correndo em minha direção..

eu fiz o mesmo, iniciando uma troca de golpes com ele...o som de nossas armas batendo uma na outra ecoava pelo cômodo..a cada golpe que ele dava, eu percebia que minha espada parecia cada vez mais fraca..

em um momento, nossas armas se chocaram frontalmente, com um fazendo pressão no outro...ao contrário da minha arma, seu machado parecia cada vez mais forte...exalando uma áurea poderosa de energia negra...

Nefir: de fato, você é tão habilidoso quando dizem...mas lhe falta uma coisa nesse momento.. -ele disse, sorrindo e me olhando de um jeito psicótico...

Salutor: oque... -eu disse, mantendo minha expressão calma e vendo as rachaduras na minha espada, que aumentavam cada vez mais..

Nefir: LHE FALTA MALDADE.. -ele disse, quebrando minha espada com seu machado, me deixando levemente desnorteado...isso abriu brecha pra ele desferir um chute em meu peito..me jogando longe e fazendo eu rolar no chao...

Nefir: você é um ótimo combatente Salutor...mas, se o seu instinto assassino é mais fraco do que o do seu oponente, sua magia se torna fraca.. -ele disse, caminhando até min, colocando meu corpo de barriga pra cima e apontando seu machado para o meu pescoço- eu sou um portador do mal...MINHA SEDE DE SANGUE É MAIS FORTE QUE A SUA.. -ele disse, dando uma risada louca e levantando seu machado...

Salutor: sera mesmo?... -eu disse, imóvel e com os olhos fechados..

Nefir: hm..mas é claro, olha pra você..foi derrotado com um golpe.. -ele disse, com um tom debochado na voz...

Salutor: me responda uma coisa...o seu sangue é salgado ou doce?.. -eu disse, com um tom de leveza na voz..

Nefir: ah..como assim?.. -ele disse, visivelmente confuso...

de repente, eu me levantei, agarrei seu pescoço e dei uma Mordida no seu ombro esquerdo...nisso, ele deu um grito ensurdecedor...largando o machado..eu soltei seu pescoço, porém, quase retirei um pedaço de sua carne...sendo possível ver nitidamente um ferimento profundo, causado por dentes fortes....

Nefir: ah, droga.. -ele disse, colocando a mão em seu ombro e dando um passo para trás...eu havia rasgado uma parte de seu terno, escorria muito sangue..tanto que ele nem mesmo conseguia estancar com sua mão direita..

Salutor: interessante...eu pensei que o gosto seria horrível...como uma carne pobre..porém.. -ao abrir meus olhos, foi possível ver que eles estavam completamente pretos..com pupilas vermelhas brilhantes- é como beber um vinho do mais alto preço.. -eu disse, sorrindo e olhando para ele...

Nefir: seu monstro...oque diabos você é?.. -ele disse, me olhando com uma mistura de raiva e medo...

Salutor: oque eu sou...eu sou Salutor.. -eu disse, de forma debochada, lambendo o sangue em meus lábios..

Nefir: não se faça de idiota..eu estou sentindo a energia macabra vinda de você...e como se fosse..

Salutor: um Demonio...isso você conhece muito bem não e?...você diz que é um portador do mal, e olhe aonde esta...com medo min.. -eu disse, me aproximando dele..

Nefir: e-eu não e-estou com m-medo.. -ele disse, com a voz tremula, andando para trás..

Salutor: não negue oque esta sentindo Nefir...você adora uma entidade que representa o mal, mas não consegue manter sua mente calma sob a presença de um ser sombrio.. -eu disse, agarrando seu pescoço e facilmente o lançando longe...fazendo ele bater com as costas no centro do pentáculo invertido na parede, esmagando o coração e sujando toda a parte de trás de seu termo...

antes que ele escorregue para baixo, eu crio quatro pequenos círculos vermelhos, lançando estacas negras em sua direção...cada uma cravando em seus pés e mãos..o deixando preso no centro do pentagrama invertido na parede...

Salutor: você diz que minha sede de sangue não se compara com a sua...então deixe-me lhe mostrar oque significa ser Cruel e Sanguinário...-eu disse e, nesse momento, um círculo negro apareceu a minha frente...

Nefir: oque vai fazer?... -ele disse, me olhando de forma desesperada...

Salutor: você não disse que é o ser que porta o mal...o Mestre Bruxo de Valknor...acredito que saiba oque é isso.. -eu disse, olhando ele com um olhar sério...

no interior do círculo, começou a se formar um pentagrama, feito de ossos e com uma lâmina em meia lua no centro...coloquei minha mão direita nele e, ao tira-la, trago uma enorme foice...com o cabo feito de ossos e uma lâmina negra, que transbordava energia sombria...

Nefir: não, isso não...por favor.. -ele disse, tentando se soltar das estacas...

Salutor: tarde demais...sobre a luz da lua, neste antigo castelo, no topo da montanha aonde o céu encontra a terra, eu irei mandar sua alma direto para o inferno... -eu disse, olhando calmamente para ele e levantando a foice...

logo, uma áurea negra cobriu o corpo de Nefir...nisso, uma essência vermelha começou a sair de seu corpo, enquanto o mesmo gritava de dor...essa essência, que possuia a mesma forma que ele, veio até min...ao ficarmos frente a frente, eu abaixei a lâmina da foice, cortando a essência ao meio....Nefir deu um grito agonizante, tão alto que chegou a quebrar as janelas da sala onde estavamos...

apos isso, as partes da essência foram sugadas pela lâmina da foice...eu fiz as estacas negras, que estavam fincadas nos pés e nas mãos de Nefir, sumir....deixando seu corpo cair no chão, sem vida e com os olhos totalmente vazios...

Salutor: alma ceifada com êxito... -eu disse, fazendo a foice sumir...

ao olhar ao redor, percebo que o simbolo, feito com o sangue de Nefir, desapareceu...viro para trás e começo a caminhar até a porta, abrindo-a e dando uma leve olhada para trás...vendo que, ao cair da parede, o corpo do bruxo despencou na direção da cadeira...caindo sentado e com a cabeça para o lado...

Salutor: um já foi... -eu digo, com um olhar inexpressivo e fechando a porta em seguida...deixando o salão em silêncio..




















Pov Narrador 

 Depois que Salutor saiu pela porta, uma figura baixinha é encapuzado surgiu do nada. Era a mesma pessoa que o vigiou no castelo de Hetonia..

????: nossa, que brutalidade!. Mas esta tão perfeito -ela disse, olhando atentamente para o corpo de Nefir, sentado na cadeira- realmente, não se encontra alguém como ele todos os dias -ela disse, dando um sorriso e olhando para o pentáculo na parede..

 Erguendo sua mão direita, ela fez com que todo o sangue, que desenhava o simbolo, se concentrasse na palma de sua mão, flutuando na forma de uma esfera. Nisso, ela bebeu o liquido em seguida..

????: hm, interessante -ela disse, sentindo bem o gosto- esse sangue era dele. Então esse bruxo mequetrefe fez um pacto com a "Dark Lady" -ela disse, se deitando no chão e olhando para o teto- isso não importa. Oque importa é eu preparar tudo para recebe-lo, hahahahahahaha -do nada, ela teve uma crise de riso. Um riso alegre, mas também malicioso. Logo, a mesma começou a sumir lentamente, até desaparecer por completo



Continua...


Notas Finais


Então, mais uma aparição da "figura encapuzada". Vão se acostumando, porque ela vai ser uma presença frequente kkkkkk

Espero que tenham gostado

Tchau e até a próxima


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...