História Samurai; sakura to yoake no taka. - Capítulo 20


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hana Inuzuka, Hanabi Hyuuga, Hinata Hyuuga, Hyuuga Hiashi, Ino Yamanaka, Inochi Yamanaka, Itachi Uchiha, Izumi Uchiha, Kakashi Hatake, Kankuro, Karin, Kushina Uzumaki, Madara Uchiha, Mikoto Uchiha, Minato "Yondaime" Namikaze, Nagato, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikaku Nara, Shikamaru Nara, Shisui Uchiha, Shizune, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Itaizu, Luta, Naruhina, Nejiten, Saiino, Samurais, Sasusaku
Visualizações 146
Palavras 1.982
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Luta, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Kon'nichiwa minna-san!

Como estão? Espero que bem!

Bem lhes trago hoje alguns acontecimentos ao longo do tempo em cada lugar, com alguns personagens, bem poucos mesmo.

Espero que gostem, esse cap está meio sério e meio tiste agora no início. Beijos!

BOA LEITURA!

Capítulo 20 - Esse mundo injusto... E os seres que nele habitam.



Sakura não se imaginava dentro dessa situação outra vez. Claro, quando criança não sabia do que se tratava. Mas agora já estava com seus dezoito anos completos, sabia o suficiente da vida nessa idade. E pensar que mais uma vez perderá entes queridos... Seus olhos ardem como se estivesse cortando uma maldita cebola. Guerras, guerras e mais guerras. Será que um dia isso tudo acabará? Não sabia dizer, talvez com o tempo esse ódio que os seres humanos tanto têm acabará assim como a ganância de seus olhos famintos por excesso.

Pelo menos isso acreditava.

"- Meu bem, olhe bem para o horizonte._ Pediu o moreno de cabelos longos e lisos. Tão escorridos. A menininha de orbes arredondadas e verdes faz o que lhe foi pedido.

A paisagem era linda. O sol se pondo, iluminando alguns pontos a sua frente. Estava fraco, podendo assim, ser observado. As luzes alaranjadas, amareladas e um tanto quanto vermelhas destacavam a paisagem do alto da pequena montanha. Um campo aberto, cheio de flores e seus aromas adocicados na medida certa. Mais ao longe, uma grande aldeia se era vista. A aldeia dos Senju.

- É lindo, vovô!_ Diz com um sorriso banguela. - Mas por que me trouxe aqui?_ Perguntou confusa.

O homem riu.

- Eu lhe trouxe aqui, Sakura, porque queria te dizer que não importa o que aconteça, seja sempre essa menina iluminada e feliz que você é. Seja como esse lindo sol._ Apontou para o mesmo fazendo a menina fitar o sol caindo entre aquelas casas ao longe. - Que apaga somente para ir dormir e, que no outro dia, levanta ainda mais brilhante e alegre. Ele é como você, que por onde passa, todos ficam felizes a ponto de dançar de alegria! Nunca mude esse seu jeito, todos temos orgulho de você, meu bem._ Diz tocando levemente a pontinha de seu pequeno nariz.

- Yikaeri e o vovô Tobi também, vovô?_ Pergunta com os olhinhos brilhando em esperança.

O moreno riu.

- Mas é claro! Quando eu digo todos, não excluo ninguém da lista! Até aquele baka que você chama de avó!_ Diz rindo da expressão feliz da garota. Claro que a última frase se referia a Tobirama.

- Promete de mindinho?_ Pergunta mais uma vez com um brilho encantador nas orbes grandes e esverdeadas como uma esmeralda. Apontou o dedo menor de sua mão. O menor mesmo, já que todos eram pequenos e gorduchos pela idade da garota.

- Prometo de mindinho!_ Os dois entrelaçaram se dedos como uma promessa. - Agora me prometa que jamais irá se apagar, meu pequeno sol!_ Fez o mesmo gesto sendo retribuído pela pequena.

- Prometo! E olha que uma promessa minha não é nunca descomprida!_ Diz com um sorriso de orelha a orelha, fazendo Hashirama rir escandalosamente como era seu jeito."

Lembrar-se daquilo, não ajudava em praticamente nada. Seu sorriso nostálgico sumiu conforme se olhou no espelho a sua frente. Ela estava sem o kimono, apenas uma bermuda e uma enorme faixa escondendo os seios. Ela usava muito quando saía de casa em grandes missões.

- Desculpe, vovô._ Diz baixando o olhar. - Não consegui comprir com minha promessa..._ não possuía coragem para se encarar enquanto falava indiretamente com seu avô. - Eu me apaguei. E descobri o porquê daquelas suas palavras. Você dizia aquilo... Porque sabia que algum de vocês não sairia vivo contra batalha dos Uchiha. Estava me preparando pro pior. Garanto que não imaginava que apenas Tsunade-sama sobreviveria dentre vocês cinco que tanto estavam do meu lado._ Fungou. Sentiu uma lágrima grossa descer seguida de muitas mais. - Você me fez prometer algo que só entenderia depois... Não foi justo! Foi horrível descobrir que perdi minha família e ainda tive que manter uma máscara que não seria capaz de aguentar tanto tempo! Peço perdão pela minha quebra de promessa!_ Se ajoelhou no chão de cabeça baixa. - Peço... Que... Que me olhe daí de cima, e me guie. Porque eu não sei que caminho trilhar! Todos tem armadilhas! Que são... Extremamente dolorosas!_ Dizia em meio ao choro contido. Haviam mais vidas em jogo dessa vez. Pensou em Hikari. Ah, não queria que ela se sentisse da mesma forma que se sente agora. Sakura era sua única família agora. - Eu... Não quero... Passar por isso denovo... Eu não quero... Ver outras pessoas... Passando pelo que passei..._ Falou em um fio de voz que mal poderia ser escutado. - Por que esse mundo é tão injusto?_ Falou mais alto.

Embora suas palavras fossem direcionada à uma pessoa, existia outra a qual estava escutando tudo atentamente. Ele se sentia ridículo em ficar escutando conversas alheias atrás de uma porta de correr. Afinal, poderia ser considerado uma conversa aquilo que ouvira? Para ele, não. Era apenas um desabafo. Algo que não deveria estar sendo escutado por ouvidos alheios. Mas não pôde evitar, quando ouviu a voz doce de Sakura sussurrar tais palavras, quisera entender o que estava acontecendo em sua vida, o que ela estava sentindo.

Agora entendia. Queria sair dali e abraça-la e dizer que tudo ficaria bem, mas... O que diria mais? Sasuke era péssimo com palavras, odiava conversar com pessoas e isso ajudou para que ficasse assim, uma pessoa cuja não sabe o que dizer em determinadas situações.

Trágico, ele sabia disso. E admitia.

Ele suspirou. "Que se dane", dizia mentalmente. Em um impulso impensado do mesmo, ele adentrou o quarto vendo Sakura ajoelhada e o corpo curvado para o chão. Reparou em algumas gotas no chão de madeira, deduziu ser algumas das lágrimas de Sakura. Vendo aquela cena, o homem se penalizou. Foi como um tiro em seu peito vê-la naquele estado. Queria vê-la sorrindo, não tristemente. Um sorriso sincero que apenas ela sabe dar.

Se aproximou da mesma e a tocou no ombro, fazendo-a olhar em sua direção. Os olhos marejados, rosto inchado e avermelhado. Lágrimas desciam insistentemente. Aproximou a mão de seu rosto e limpou as lágrimas. A garota fechou os olhos com o toque do rapaz. Parecia que apenas em tocá-la uma calma imensurável transbordou o seu peito.

Fazendo-a esquecer até mesmo de momentos atrás. Ele a aproximou de seu corpo e colocou-a sentada em seu colo, com sua cabeça escorada em seu peito enquanto ele acariciava seus cabelos róseos. Ela depositou suas pequenas e delicadas mãos no peito de Sasuke. Os dois ficaram assim por um bom tempo.

- Eu sinto muito, não tenho palavras para lhe ajudar, afinal sou péssimo com elas._ Diz fechando os olhos, gostando da companhia da garota como estava.

- Eu não preciso de palavras, Sasuke-kun. Apenas seu toque me acalma._ Diz fazendo com que um sorriso de canto aparecesse no rosto do rapaz.

Ele se lavanta e deita com ela na cama que ali estava. Ela por cima de si realmente não encomodava, na verdade, era uma sensação ótima. Seu coração esquentava de uma forma nunca sentida antes.

- Acho que encontrei a mulher da minha vida._ Murmurou sorrindo, ouvindo uma risada baixinha.

- Isso seria um pedido, senhor Uchiha?_ Diz debochada ainda de olhos fechados.

- Talvez..._ Diz provocativo. Logo os dois adormeceram com aquela sensação boa de nunca mais estarem sozinhos. Pelo menos assim eles queriam.

Sempre juntos.

•••

- Como andam as investigações, Takeuchi?_ O Uchiha mais velho pergunta a um dos samurais ali presentes na reunião.

Havia reunido ninjas e samurais de altos níveis daquela aldeia. Todos precisavam estar atentos, afinal agora é guerra.

- Não encontramos nada que seja de extrema importância, senhor, as investigações não estão indo longe._ Informou o jovem.

- Hm... Entendo._ Murmura pensando em algo melhor, mas nada lhe veio em mente. "Pai, me dê uma luz, por favor", pensou o homem. - Como estão os Haruno?_ Perguntou.

- Já foram avisados, senhor, estão contando com uma aliança._ Diz o mesmo homem de antes. - O líder está em reuniões como nós, tentando encontrar uma saída, senhor._ Informou.

- Espero que encontrem. Eu não sei o que fazer._ Disse sincero. - Obrigado, homens, podem voltar aos seus postos. E lembrem-se, qualquer movimento estranho, não hesitem em informar!_ Diz antes de seus homens sairem da sala.

Suspirou. Mais uma vez, vidas em risco.

•••

- O que quer dizer, garoto?_ O homem loiro e alto pergunta ao rapaz a sua frente, ao lado de sua filha.

- Vim informar, senhor Yamanaka, que estão tramando uma guerra em cima de dois clãs, pelo que foi descoberto. Esses dois são os Haruno e Uchiha._ Avisou.

O loiro de madeixas longas parou pensativo. Por que os Haruno? Os Uchiha tinham uma rixa longa com muitos inimigos, mas... Os Haruno? Esses eram calmos até demais para rixas como as dos Uchiha.

- Eles estão brigando entre si, ou foi uma ameaça contra os dois?_ Perguntou meio confuso com a situação.

- Foi uma ameaça._ A Yamanaka mais nova parecia apreensiva por saber que sua grande amiga estaria em perigo novamente. - Estou avisando porque não sabemos se são apenas esses dois ameaçados. Estou avisando a todos da aliança. Os Nara, Akimichi, Inuzuka e Sabaku No ainda não foram avisados. Apenas vocês os Yamanaka e os Hyuuga estão avisados. Além, claro, dos Uzumaki, Uchiha e Haruno. Aparentemente os Senju também já sabem, pelo motivo de Senju Tsunade ser a tia de Haruno Sakura._ informou em detalhes.

- Os dez clãs da aliança, apenas seis foram informados?_ Perguntou curioso.

- Aparentemente, sim, senhor._ confirma.

- Entendo. Obrigado, Naruto, por nos avisar. Daremos todo o apoio possível. Ficaremos atentos e avisaremos qualquer coisa._ Diz o Yamanaka mais velho. O loiro assente.

Logo segue viagem em direção aos Nara. Precisariam de reforços, suas intuições nunca falham, e elas diziam que não era uma possível guerra pequena.

•••

- Yuri, como andam as coisas?_ Pergunta o loiro sem olhar nos olhos do homem ao seu lado. Observava ao loge as colinas.

- Não andam muito bem, senhor. Quatro ninjas de aparência suspeita adentraram a aldeia hoje de manhã. Diziam ser nômades e precisavam de um lugar para descansar para alguns dias._ Informou o ninja.

- Hm. Quero que fique de olho neles. As pessoas que vierem de fora não serão confiáveis por enquanto._ Disse o líder dos Haruno.

- Sim, senhor!_ fez uma leve reverência e saiu em uma nuvem de fumaça.

O homem suspirou. Quanto tempo mais teriam que aguentar isso? Um Uchiha havia viajado até sua aldeia informando que estavam os ameaçando de guerra e fariam uma aliança com os Haruno para saírem dessa. Logo ele percebeu ser algo sério, já que os Uchiha não tem o costume de sair por aí fazendo alianças. Confirmou a aliança, já que sabia que nem mais pequna batalha seu clã teria sucesso. Os Haruno como todos sabem é um clã pequeno e precisaria de um clã maior como os Uchiha ao seu lado.

As notícias vagaram até seus ouvidos que os Uzumaki estariam ao seu lado. Isso era melhor ainda.

O fato era: quanto mais aliados, mais chances tinha de não sair ferido e não ferir sua irmã.

Porque sabia que aquela idiota iria lutar, não importava o que ele dissesse. E isso o preocupava. Suspirou. Fez um clone seu.

- Vá até o clã Uchiha, procure por Sakura pelo seu líder e fale com ela. Convença-a a não entrar nessa história de guerra. Você saberá o que fazer._ Diz e seu clone assente sumindo de sua visão. - Espero que esteja nos olhando aí de cima, vovô._ Olhou para os céus, voltando seu olhar para o horizonte. - Espero que todos vocês estejam fazendo isso._ Murmurou.

•••

- Hmm... O que você acha?_ O homem pálido de cabelos negros pergunta ao jovem aprendiz grisalho.

- Acho que devemos esperar mais um pouco, shishou._ Diz ao seu mestre.

- Ora, não seja pessimista, Kabuto!_ Diz daquela sua forma debochada. - Apesar de achar que está certo. Vamos esperar o momento certo, até soltá-los, hun?_ Dizia observando aquelas pessoas que seriam essenciais para sua guerra. Todas dentro de tubos gigantes com liquidos de uma cor fraca de verde. Estavam desacordados por ora.

Ah, sim... Os Haruno sofreriam por tê-lo negado em sua aldeia para esperiências. Os Uchiha sofreriam por ter matado pessoas importantes em sua vida.

Ah, sofreriam, e muito...





Continua...






Notas Finais


Hah, ansiosíssima para o próximo capítulo!😆

Bem, é isso, desculpe os erros, dei uma revisada rápida.

Bjs e até a próxima!😘👋


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...