História Sanatório U.A - Katsudeku - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Boku no Hero Academia (My Hero Academia)
Personagens Izuku Midoriya (Deku), Katsuki Bakugou
Tags Assassinos, Bakugou, Bnha, Izuku, Katsudeku, Katsuki, Loucos, Midorya, Sanatorio
Visualizações 293
Palavras 1.632
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Lemon, LGBT, Literatura Feminina, Policial, Shounen, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


• Opa!

• Olha eu com mais uma OneShot, que como é de Boku no hero, se torna OneSHOUUTOOO

• Já faz um tempo desde que fiz uma OneShot assim, espero muito que vocês gostem por ser meio diferente ^^

• Beijinhos

Capítulo 1 - Capítulo único


Lá estava ele, com seus pulsos presos por um pesada algema feita do mais puro ferro, apertada para propositalmente machucar seus pulsos branquinhos e ainda sem marcas algumas. Andava acompanhado de dois grandes e fortes guardas, armados até os dentes e sem piedade de atirar e matar algum dos vermes que ali viviam

Observava minuciosamente as paredes incrivelmente brancas daquele lugar, com alguns erros por causa do tempo que estão ali sem trocar as mesmas. O chão estava levemente amarelado por causa do tempo, mas não deixava a mostra que a construção estava em pé a quase dois séculos, o que era uma surpresa por resistir tanto

Seus passos ecoavam pelos corredor silencioso, mas pararam quando um dos guardas o deixou parado em seu lugar, mandando o outro ir buscar o guia de Izuku, afinal, eles não queriam se contaminar com os germes daqueles malucos que estavam no outro lado de uma grande porta de ferro, trancada pela melhor tecnologia da época

Midorya esperou, ainda olhando para os cantos, estudando o local com calma para logo sorrir ao ouvir um grito extremamente nostálgico, um tom de voz agressivo e ameaçador foi ecoando atrás da porta, ele sabia de quem era aquela voz e estava com saudades da pessoa na qual a possuía

Na verdade, estava com saudades de todos os loucos e assassinos daquele lugar...

Aquele amado lugar...

Seus olhos verdes de fecharam por longos segundos, seu sorriso ainda não tinha mudado, suas sardas estavam perto de seus olhos o deixando com uma aparência fofa, quem olhasse diria que ele, Midorya Izuku, nunca tinha entrado em um lugar tão podre e sórdido como aquele, nunca tinha feito o que ele fez a anos atrás para entrar naquele lugar, assim como fez para entrar mais uma vez

Que engraçado, não?...

Pessoas com caras de inocente são os piores, aqueles que escondem as coisas que fazem...

Ao abrir seus olhos, pode ver, aquele homem atravessando a grande porta agora aberta. Abriu mais seu sorriso ao ver o olhar raivoso do mesmo ser trocado por um olhar surpreso, direcionado especialmente para ele, mal sabendo o quanto tempo Midorya esperou para ver aqueles olhos vermelhos de novo

O homem a sua frente se chamava Katsuki Bakugou, também era japonês assim como o garoto de estranhos cabelos verdes. Katsuki era alto, seu corpo forte e definido por causa das horas de malhação, seus olhos eram vermelhos assim como o sangue das pessoas que já matou em nome da sua loucura, seus cabelos eram loiros, bagunçados e espetados

Bakugou, ou kacchan como chamava o esverdeado, era, ainda é, um homem de personalidade duvidosa, mostrando suas emoções de uma maneira bem peculiar e explosiva, fazendo muitos se afastarem e apenas os verdadeiros amigos ficarem por perto. Sua personalidade era explosiva, agressiva, de um típico louco, mas mesmo sendo uma autêntica arma humana, ele era bem inteligente e assim como Midorya, fazia planos mirabolantes e certeiros

Katsuki o olhou assim por mais alguns segundos, para logo sorri de seu jeito, indo ate o mais novo e lhe dando um forte soco de boas vindas, fazendo Izuku rir e revidar da mesma forma

- Deku, seu merda, já faz uns anos que não vejo essa sua cara de inútil - disse Katsuki, tirando uma risada do menor que o olhou sorrindo - Tire esse maldito sorriso dessa sua cara de merda seu porra

- Você não mudou nada, kacchan - Respondeu ele, apenas isso antes de se jogar em cima do loiro que o pegou em um abraço apertado

O loiro revirou os olhos com isso e apenas foi seguindo caminho, ainda com o menor em seus braços, logo olhando para suas algemas e tirando as mesmas com as chaves que tinha no bolso, tinha roubado a mesma de um guarda idiota que tinha ficado de guarda baixa

Enquanto andavam, Midorya ouvia a voz do loiro de olhos vermelhos sair em um murmúrio, um murmúrio de uma música que ele conhecia muito bem e tinha orgulho de dizer que compôs junto a seus amigos quando os mesmos quase morreram em uma tentativa de escapada daquele lugar

Meus amigos são selvagens e..
Vão querer saber quem você é
Nao faça movimentos bruscos
Você não compreende o abuso

Meus amigos são selvagens e
Vão querer saber quem você é
Não faça movimentos bruscos
Você não compreende o abuso

Fechou seus olhos por um tempo, lembrando da primeira vez que se "conheceram" e praticamente se jogaram pra cima um do outro se deitando na porrada. Aquele dia foi bom para ambos, afinal já de conheciam desde a infância e sempre se comportaram da mesma maneira um com o outro, como se comportam agora, mesmo adultos

Suas lembranças passearam por sua mente, voltando para o dia em que conheceu todos os outros, aqueles doentes que sempre animavam os seus dias quando ainda estava preso. Ele tinha bons momentos com eles e não deixaria que aquilo acabasse por causa de sua saída

Seja bem vindo a sala com gente
Que perdeu uma porrada de gente
Ficou doente
Não pode entrar com uma arma na mão
Mas nós gostamos de uma explosão

Você adora um maluco perto de você
Você adora um assassino perto de você
Como vim parar aqui bem perto de você
Depois do que eu falei?
Não vá esquecer

Um suspiro saiu de seus lábios, voltando ao dia em que conheceu todos e não se simpatizou com nenhum, graças a Katsuki que falava mal dos mesmos. Outra memória invadiu sua mente, fazendo o mesmo lembrar dos conselhos que Bakugou dizia ao mesmo, dizendo para que ele não seguisse o mesmo caminho que o mesmo ou iria parar no mesmo lugar que ele ou em um pior

Ele realmente não ligava pra isso...

Meus amigos são selvagens e..
Vão querer saber quem você é
Não faça movimentos bruscos
Você não compreende o abuso

Nós não lidamos com estranhos bem
Por que novatos costumam feder
Por que vou confiar em alguém?
Se o cheiro ja me diz quem é quem

Uma risada saiu da boca do mais velho, chamando a atenção do menor que o olhou com curiosidade

- Lembro de quando matamos aquele novato que entrou no nosso bloco, poderia fazer isso de novo, os gritos dele me deixaram dormir bem - Respondeu ao olhar de curiosidade do menor - Porra, odiavamos aquele fedor dele, o que ele chamava de perfume

Izuku apenas sorriu, concordando e pegando a camisa de Katsuki, o puxando para si e colando seus lábios nos lábios do mesmo em um beijo selvagem, o famoso beijo de arrancar pedaço. Pode sentir o mesmo sorrir contra seus lábios e suas mãos em sua cintura, ou pelo menos uma delas já que a segunda descia até sua farta bunda e apertava a mesma com força

Um gemido escapou da boca do menor, este que sorriu colocando uma mão dentro da camisa do loiro e acariciou seu peitoral antes de descer para a calça do mesmo, apertando seu membro com calma para não machucar o mesmo

Uma batida em um ferro, vindo de um dos guardas, despertou os dois do beijo, fazendo os mesmos olharem para o guarda mandarem o mesmo tomar no cu antes de sairem andando. Não demoraram para chegar na porta, abrindo a mesma e ao entrarem, fecharem e a porta automaticamente se trancou

Você adora esse circo perto de você
Você adora os esquisitos perto de você
Como fui parar aqui bem perto de você?
Depois do que falei..
Não vá esquecer

De fato era verdade, toda a turma do bloco 3° gostavam dos esquisitos, dos que ficam no canto observando todose querendo suas mortes. Eles gostavam disso, Midorya gostava disso, Bakugou gostava disso, todos gostavam e por esse motivo os mesmos se davam bem, muito bem

Meus amigos são selvagens e..
Vão querer saber quem você é
Não faça movimentos bruscos
Você não compreende o abuso

Meus amigos são selvagens e..
Vão querer saber quem você é
Meus amigos são selvagens e
Vão querer saber quem você é

Por que veio eu disse pra ficar
Eu avisei pra não se aproximar
Eu sinto no tom da sua voz
Que agora você é um de nós

Estranhamente, quando chegaram as pessoas ficaram extremamente silenciosas e calmas, mas logo os olhares se tornaram afiados e os sorrisos maldosos e doentes, eles estavam esperando aquele esverdeado e não iam deixar o mesmo ir embora de novo

- Eu voltei - Murmurou Deku, sorrindo doentemente enquanto seus olhos ganhavam um brilho assassino, suas pupilas diminuíram e sua mente voltava a pensar como o melhor dos assassinos, assim como ele antigamente era e ainda é

A tensão no ar nunca existiu, mas podiam sentir uma aura assassina e de loucura rodeando aquele bloco. Não demorou muito para Midorya ganhar suas boas vindas mais que dignas daquele lugar..

Como disse...

Ele nao ligava de estar naquele lugar...
De ser como as pessoas que ali estavam...
Talvez...
Talvez ele fosse pior que elas..
Ele não se importava

Aquela era sua casa..
Seu lugar..
Onde estavam seus loucos e assassinos amigos...

Aquele circo onde os palhaços são aqueles que riem dos outros, da desgraça dos mesmos...

Midorya Izuku sabia que nunca teria que ter saído e agora, estava pagando pelo seu pecado na cama de Katsuki, recebendo fortes mordidas e chupões em seu pescoço enquanto o pênis de Bakugou entrava e saía de dentro de si sem dó ou piedade alguma, a força do loiro era assustadoramente gostosa na opinião de Izuku

Ele não sairia mais daquele lugar...

Do temido sanatório U.A..

E era melhor todos os guardas e médicos se prepararem, pois o bloco 3° A iria ficar bem pior que antes!

Afinal, a 3° A estava completa novamente e com planos mais diabólicos que nunca!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...