1. Spirit Fanfics >
  2. Sangue Estrangeiro >
  3. Emprego

História Sangue Estrangeiro - Capítulo 1


Escrita por: AkiraLeviack

Notas do Autor


Conta nova, fic nova CHECK. Espero que gostem.


Mostrem pra algum amiguinho amante de fanfic SASUSAKU...vai que ele goste👉👈 fiquem com a fic.

Capítulo 1 - Emprego


Fanfic / Fanfiction Sangue Estrangeiro - Capítulo 1 - Emprego

---[Sasuke]---

Ganância...seria essa a palavra que eu usaria para resumir o mundo em que vivemos. Tudo é movido a negócios e suborno valendo dinheiro, drogas ou, o mais recente ultimamente, mulheres. Nada hoje em dia é com esforço e dedicação. Os maiores negócios de Londres, são monopolizados as cégas por gangues sujas sem o menor escrúpulo ou por políticos com sede de dinheiro. Era um verdadeiro inferno...

Me pegava deitado no sofá de casa com um braço cobrindo meus olhos e o outro em minha barriga subindo e descendo por conta de minha respiração.

-Sasuke. Vai agora procurar sua irmã. - dizia dona mikoto.

-Ela tem 23 anos, é adulta e sabe se virar. - respondo sem mexer nada além da boca.

-Então você que vai liderar a entrega daqui 10 minútos.

-Nem fodendo. - me levanto num pulo e logo saio daquele lugar.

As entregas que minha mãe organizava e liderava, eram feitas pela nossa maior parceria, a família Yamanaka. Eles levavam e buscavam prodútos de outros lugares que dona Mikoto e meu tio Madara encomendavam. Não tínhamos permissão para isso, mas graças a nossa posse de armas, ja ajudamos os prefeitos das cidades vizinhas a acabar com as tentativas de roubo e sequestro de suas famílias.

Permitir as escondidas que esses produtos chegassem até nós era o mínimo que eles podiam fazer como forma de agradecimento. Claro, como pagamento, os Yamanakas podiam fazer determinados pedidos também usando nosso nome como fonte. De todo jeito, ambos ganhavam alguma coisa.

Eu simplesmente odiava liderar essas entregas por que tomavam muito tempo e paciência, coisa que eu não tinha. E também, a filha de Inoichi Yamanaka vivia no meu pé. Ele não sabe, mas ela trabalhava como Stripper num bar noturno de um amigo nosso. Pra ele, as saidinhas demoradas a noite eram bicos noturnos para ajudar em casa. E era mesmo, só com vários homens nojentos em volta.

Saindo de casa com um sobretudo preto, acendo meu cigarro e vou a Caça Kyiomi. Não que eu não saiba onde ela está, até por que, eu sou o único que sabe sobre seu românce com o filho do padeiro, Gaara Sabakuno, mas como dona Mikoto não sabe, eu tenho que enrolar um pouco antes de ir busca-la. E também, não tô afím de interromper seja la oque eles estão fazendo.

Decidi dar mais uns minutos a sós com seu encosto e fui para o bar de um amigo nosso das antigas. Ele servia ótimas bebídas e coquetéis então era o melhor do momento.

Entrando em seu bar, assim que aquela porra de sininho faz barulho, ele olha para mim me cumprimentando de imediato.

- A, oi Sasuke. Vai querer o de sempre?

- Eai, Kakashi. Pode mandar.

-Num instante. Hinata, tráz o especial.

-J-ja to indo.

-Ela ainda ta trabalhando aqui? Mesmo lotado de homens que assediam ela diariamente?

-Depois de começar a namorar o Naruto, ninguém mais mexe com ela.

-Sorte. Caso contrário, ela ficaria traumatizada.

-Com certeza. A garota que preencher a vaga de cantora do bar está destinada a mãos leves.

-Como a Hinata aceitou esse trabalho mesmo depois dos avisos?

-Ela disse que não se importava ja que lidou com assédio desde pequena por parte de seu pai. Ela ja sabia lidar com isso mesmo que de forma simpática.

-Hmm...

-Aqui está, Sasuke. - Hinata chega do despensa com um Drink muito bem decorado em mãos.

-Valeu Hinata.

Naruto era filho de Kushina e Minato, os chefes da polícia militar. Por Hinata ser namorada dele, os homens que normalmente a assediavam com palavras e olhares, pararam por pensar que Naruto era durão igual ao pai e a mãe. Se soubessem que ele é um idiota tapado, voltariam a assedia-la na hora.



---[Sakura]---


Finalmente cheguei nessa merda. Fala sério, 10 horas de viagem pra encontrar apenas homens com olhares sujos para meus peitos e minhas pernas...Que inferno. Homens que saibam respeitar uma mulher e olha-la nos olhos ao invés da bunda estão em extinsão.

Mas não é hora de se arrepender. Eu decidi me mudar para cá e abandonar aquela vida sufocante...sem choramingar Sakura Haruno, até por que você nunca foi disso.

Saíndo do táxi que havia me deixado numa cidadezinha chamada Konoha, a primeira coisa que vou a procura é de um emprego. Como eu sobreviveria nesa cidade sem um trabalho? Com minha maleta marrom em mãos, começo a andar pelas bandas da cidade a procura de um único anúncio de procura-se ajudante.

-Ô lá em casa eim? - ouço um homem dizer para mim assim que passei na frente de uma tabacaria.

Em Londres só tem homens nojentos?

Fiquei perambulando aquela área por uns 8 minútos até parar em frente a um bar com um panfleto de "Procura-se cantor(a) de Segunda a Sexta "

Era meu momento. Eu cantava muito bem pra uma amadora. As aulas que eu tive no chuveiro foram ótimas. Entrei no bar e ja dei de cara com uma núvem de fumaça...aquele lugar sim, era uma verdadeira tabacaria.

Mesas com cinzeiros e garrafas de cerveja não estavam em falta naquele lugar. Me dirijo até o balcão onde encontro um homem de cabelos grisalhos usando uma máscara e um moreno sentado tomando sei lá o que.

-Oi, boa tarde. - digo cumprimentando o homem de máscara.

-Olá moçinha. O que deseja?

-Preencher a vaga de cantora.

Ao dizer isso, o tal moreno que se encontrava sentado ao meu lado, começou a rir baixinho como se tirasse sarro de mim.

-Falei algo engraçado? - pergunto a ele.

-Talvez. - ele responde sem o menor interesse.

-M-moça, pense melhor. Estamos sim precisando de uma atração pra entreter os clientes, mas seu rosto delicado e bonitinho é como uma isca para os homens desse bar.

-Olha, eu vim de longe enfrentando homens me assediando com olhares na estação de trem, nas ruas e até na porta desse bar. Meu rosto bonitinho, tem mais potencial do que parece. - digo apoiando minhas mãos no balcão.

-Então canta ai, irritante. - diz o moreno virando seu shot de sei lá o que e virando para me olhar na mesma hora.

-Hum. - resmungo dando de costas para os dois e subindo no pequeno palco que tinha alí e pegando o microfone que ja estava ligado. Vou mostrar do que um rostinho delicado e bonitinho é capaz.

O balconista grisalho, gira um botãozinho ao lado de uma estante de bebidas e diminui as luzes acesas do bar deixando apenas uma focada em mim que me encontrava um pouco nervosa, mas bem consigo mesma pra minha sorte ou azar.

Respirei fundo, acalmando meus ânimos enquanto ouvia homens me assediando com palavras e com calma começei a soltar a voz:



Tem uma tempestade se formando

E estou presa no meio disso tudo

E isso toma o controle

Da pessoa que eu pensei que eu era

Da garota que eu costumava conhecer

Tem uma luz na escuridão

E eu sinto seu calor

Nas minhas mãos, no meu coração

Por que eu não posso me segurar?

Isso vem e vem em ondas

Sempre vem e vai, sempre vem e vai

Nós assistimos nossos jovens 

Corações sumirem na inundação

Na inundação



-Uau Sasuke. Ela canta bem mesmo. - o homem dizia para o moreno que me assistia com atenção.

-É...



Liberdade, paixão, o sentimento

O sentimento que eu pensei estar na rocha

Escapa pelos meus dedos,

Fortemente tentando fugir

Isso vai e vem como ondas

Isso vai e vem como ondas

Isso nos leva para longe

Pelo vento

De volta ao lugar

Onde nós nos deitávamos quando nós

éramos crianças

Memórias de um lugar roubado

Preso no silêncio

Como se eu estivesse perdida no espaço

Isso vem e vai como ondas

Sempre vem e vai, sempre vem e vai

Nós vimos nossos jovens corações sumirem na inundação

Na inundação



-Quem é aquela? - uma garota de cabelos lisos e olhos peroládos surge atrás do balcão perguntando para o moreno e o grisalho.

-A nova cantora do bar...- respondeu o moreno.

-Nossa...ela canta muito bem. E é muito bonita por sinal.

-É...é sim...



Liberdade, paixão, o sentimento

O sentimento que eu pensei estar na rocha

Escapa pelos meus dedos,

Fortemente tentando fugir

Isso vai e vem como ondas

Isso vai e vem como ondas

Isso nos leva para longe

Pelo vento

De volta ao lugar

Eu assisti minha visão de mundo

Desaparecer na frente dos meus olhos

Momentos de mágica e maravilha

Me parecem tão difíceis de encontrar

Isso vai voltar algum dia?

Isso vai voltar algum dia?

Me leve de volta pro sentimento de quando

Tudo fora deixado para ser encontrado

Isso vem e vai como ondas

Sempre vem e vai, sempre vem e vai

Liberdade, paixão, o sentimento

O sentimento que eu pensei estar na rocha

Escapa pelos meus dedos,

Fortemente tentando fugir

Isso vai e vem como ondas

Isso vai e vem como ondas

Isso nos leva para longe



Terminando de cantar, fica um silêncio danado naquele lugar...eu estava com medo de ser vaiada ou coisa assim logo no meu primeiro dia nessa cidade. Seria uma sorte enorme. Esperando a pior das reações, me surpreendo ao ouvir palmas de todos alí presente. Homens assoviavam e gritavam ao mesmo tempo. Acho que consegui o emprego.

Haha, chupa moreno

Descendo do palco, enfrento aquela aglomeração para chegar até o balconista que estava com uma expressão emocionada no rosto.

-Então, senhor. O que me diz? - pergunto a ele.

-Contratada. Você canta muito bem moça.

-São as aulas no chuveiro. Pode me chamar de Sakura.

-Muito prazer, Sakura. Eu sou o Kakashi, essa aqui é a Hinata...

-Oi, muito prazer. - ela diz me cumprimentando.

-E esse ai sentado ao seu lado é o Sasuke. Nosso cliente VIP.

-É...ele parece muito extrovertido. - digo com sarcasmo fazendo Hinata e Kakashi rirem de sua cara fechada.

-Vai brincando...você não dura nem 1 semana aqui com esses caras. - ele diz dando um ultimo gole em sua bebida e saindo do bar.

-Não liga, ele é assim com todo mundo.

-Ja enfrentei homens mais babacas do que esse.

-Você é nova por aqui né, Sakura? - Hinata me pergunta.

-Sim. Chegei agora de Tóquio.

-Nossa...de tão longe assim? Por que?

-Com o tempo você enjoa e quer conhecer coisas e cidades novas.

-Escolheu a pior cidade. - Kakashi indaga.

-Eu consigo lidar com ela.

-E ja tem lugar pra ficar?

-Ainda não. Meu plano era achar um emprego primeiro.

-Por que não fica comigo? Eu moro sozinha então é perfeito pra você.

-Não é pedir muito?

-Imagina. Eu que me ofereci.

-Vou aceitar então. Obrigada, Hinata.

-Que fofo. Ja são amiguinhas, agora volte ao trabalho Hinata.

-S-sim chefe.- ela diz correndo para servir as mesas

-E Sakura, se quiser ficar aqui observando para tentar aprender alguma coisa fica a vontade.

-Que horas acaba o turno de Hinata?

-São 16:20? Ela tem mais 3 horas de serviço.

-Posso deixar minha mala aqui? Preciso comprar umas coisas e a mala vai atrasar. Quando a Hinata sair eu volto e ja vou direto com ela.

-Pode sim. Só toma cuidado. Essa cidade é cheia de doidos.

-Tudo bem. Muito obrigada, Kakashi.

Digo dando de costas e saindo do bar feliz da vida. Mal cheguei e ja tenho um emprego de cantora e um lugar para ficar. Agora só preciso comprar umas roupas e alguma coisa para agradecer a Hinata.



---[Sasuke]---


Quero só ver...essa rosada n vai durar nem 1 semana se depender daqueles homens nojentos. Mas enfím, ja dei tempo demais pra Kyiomi. Se ela quiser dar pra esse cara, ela que lute com nossa mãe para aceitar seu namoro.

Fui até um mercearia fechada onde esses dois idiotas normalmente se encontravam. Jurei pra mim mesmo que se eles estivessem se comendo quando eu chegasse, Kyiomi iria namorar um cadáver. Ela pode dar pra quem quiser, mas se eu ver, o cara ta morto.

-Kyiomi!! - entro no lugar caindo aos pedaços chamando seu nome aos berros - por sua culpa eu quase tive que liderar a entrega de hoje então é bom você sair se não quiser que eu afoge seu namoradinho na vala perto da prefeitura!!!.

-Não grita Sasuke. Você me assustou. - ela diz enquanto estava sentada de mãos dadas com o Gaara atrás de uma das colunas que seguravam o edifício.

-O-oi Sasuke. - ele me cumprimenta.

-Hum...anda logo idiota. A mãe só não botou a Kushina e o Minato atrás de você por que eu era o mais acessível no seu alcance.

-Ok,ok. Tchau Gaara. Até outro dia. - ela diz dando um beijo nele.

Que nojo. Garota com 23 anos nas costas e beija o cara como se estivesse chupando manga.

-Tchau, Kyiomi. Te vejo na padaria.

-Hihi, ok.

-Anda logo caralho. - digo puxando ela pelo braço.

Se eu deixasse, ela ficaria o dia todo comendo a boca desse sofrido. Ja do lado de fora, a única coisa que ouço é a Kyiomi reclamar na minha orelha.

-Poxa Sasuke, precisava disso? Você sequer falou "Oi" pra ele.

-Eu não sou obrigado a agradar o seu namoradinho.

-Mas precisava me tirar de la assim?

-Só não te tirei de lá pelos cabelos por que você ia se debater igual um peixe sem água.

-Ai Sasuke, você é muito grosso. Quero ver o que vai ser da tua namorada.

-Eu não vou namorar.

-Não garanto nada. Logo logo vai aparecer uma cunhadinha linda pra eu fofocar.

-O Obito ja namora. Você tem a Rin pra fofocar.

-Obito é um crianção e a Rin é uma sonsa... Você é o único da família que tem maiores chances de arrumar uma namorada legal fora o Itachi.

-Cala boca Kyiomi. Eu não sou igual a você. E faça o favor de não citar o nome daquele traidor perto de mim.

-Ok,ok. Foi mal...revoltado...- ela diz baixinho enquanto resmungava na minha orelha.

No caminho de volta para casa, Kyiomi havia calado a boca enquanto nos aproximavamos de casa. O silêncio durou pouco tempo quando ela me cutuca

-Ei, Sasuke...

-Que foi porra? Você não consegue ficar quieta?

-Olha lá aquele homem do outro lado da rua. - ela dizia apontando para um cara muito suspeito andando as escondidas logo atrás de uma mulher, que por coincidência, era Sakura, a garota do bar mais cedo.

-Fala sério...- digo acompanhando os passos deles esperando o pior. - vamos andar mais depressa Kyiomi.

-Ok.

Eu não estava preocupado com a garota, mas conhecendo os caras dessa cidade eu previa o que poderia acontecer se ela se afastasse da movimentação nas ruas nem que por um segundo.

Vimos que Sakura, havia virado num beco um pouco afastado da movimentação e o homem que a seguia, olhando em volta, virou também. Não teria como ela gritar ou ser vista por alguém depois que entrasse la. O que essa idiota tinha na cabeça? Será que ela não sabe que está sendo seguida? Que inferno.

-Sasuke, ela...

-Vamos Kyiomi. - digo puxando-a pelo braço e atravessando a rua com cuidado pra não morrer.

Chegamos na calçada e começamos a correr tentando chegar o mais rápido possível até ela. Finalmente, quando chegamos no começo daquele beco, vimos o homem que a seguia caído com a boca sangrando e completamente apagado enquanto ela limpava a sujeira de sua roupa. Que porra aconteceu ali?

-Na próxima eu arranco seus olhos da cara...haja paciência.. - ela dizia revoltada até notar nossa presença. -A, oi.  O que faz aqui?

-Achamos que precisava de ajuda, mas pelo jeito, viemos atoa. - digo sem o menor interesse.

-Você estava me seguindo é?

-Não seja idiota. Estamos voltando pra casa e por coincidência, vimos você sendo seguida e resolvemos averiguar.

-Entendi.

-Que bom que está bem. Se ele tivesse te feito alguma coisa eu teria chegado chutando o saco dele e depois socaria ele bem no nariz. - Kyiomi dizia com um sorriso ameaçador no rosto.

-Obrigada pela preocupação. Eu sou a Sakura. - ela diz estendendo a mão para Kyiomi.

-Que nome lindo. O meu é Kyiomi.

-Muito prazer. Preciso ir agora mas obrigada novamente pela preocupação, Kyiomi e Sasuke. Até logo.

-Tchau tchau. Nos vemos por ai. - Kyiomi diz acenando para ela, que pega suas compras e sai na maior tranquilidade. -Como ela sabia seu nome se você não disse?

-Nos conhecemos hoje mais cedo. Ela é a nova cantora do bar do Kakashi.

-Jura? Ai que tudo, vamos poder ser amigas agora. Amanhã eu passo lá.

-Que fofinho, agora anda logo se não a dona Mikoto vai te botar pra lavar a casa inteira.

-Nem morta. Eu pintei minhas unhas ontem.

(...)

Depois de chegarmos em casa, Kyiomi tentou ir para seu quarto escondida da dona Mikoto mas não deu certo. Assim que entramos em casa, ela estava nos eperando sentada no sofá só no aguardo de dar um sermão toda preocupada. Eu, como um ótimo irmão que sou, entrei e fui direto para o meu quarto deixando ela se foder sozinha na mão da patroa.

Fechando a porta e caindo na cama, me veio a cabeça, pequenos pensamentos na garota irritante do bar. Ela tinha uma aparência incomúm jamais vista em Konoha. Seus olhos verdes vibrantes e seus cabelos curtos em tom rosado a tornavam única na cidade. Notava-se de longe que eram naturais, e não lentes de contato ou tinta da Lóreal.

Mas por que eu estava pensando nela? Não faz sentido. Eu sequer conversei adequadamente com ela...a foda-se, vou dormir. Essa idiota da Kyiomi e seu namorado iludido conseguiram me esgotar por completo hoje...


Notas Finais


HUEHUEHUEHUE essa Kyiomi lembra algum conhecido de vcs?

Se fosse eu no lugar da Sakura, assim que notasse alguém me seguindo, eu ja teria saido correndo que nem um cavalo sem rumo KSKSHIJEKSJ.

Trilha sonóra: https://youtu.be/DRVnVu2etsA

(Essa música que a Sakura cantou é a tradução do inglês da música acima)


Desculpem qualquer erro ai no meio. As vezes mesmo corrigindo, o teclado buga outras palavras HUEHUJUEHUE. Depois eu leio e corrijo dnv.



Espero que tenham gostado. Próximo cap ja está em andamento, mas não dou data de lançamento exata ;). Me sigam para notificações de futuras fanfics.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...