História Sarada e Boruto, as indecisões da adolescência (Borusara) - Capítulo 42


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Chouchou Akimichi, Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Mitsuki, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha
Tags Borusarada, Boruto, Naruto, Romance, Sarada
Visualizações 386
Palavras 1.267
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 42 - Revelações


Pessoal, eu odeio fazer isso e depois edito para tirar, mas leiam as notas finais. Beijos.

Eram 3h e os quatro adultos se olhavam preocupados. Sasuke suspirou pensando naquele debate que vinham tendo há horas na sala da própria casa. Perguntou-se por quais motivos ainda debatiam aquilo. Fechou os olhos e pensou naquela noite há 17 anos. Sarada tinha acabado de nascer. Era uma pequena réplica de Sasuke. Diferente dos momentos em que viviam agora de muito dinheiro e poder, as coisas eram complicadas. Precisava trabalhar praticamente sem parar para manter o melhor para ela. Seu melhor amigo se via na mesma situação. Estavam sentados um de frente para o outro sem nada dizer. Estavam cansados. Lá fora, a chuva castigava a cidade. Parecia que o mundo poderia acabar naquele dia de tanta chuva que caía lá fora.

Olhou pro amigo que parecia absorto nos próprios pensamentos. Seu filho, o qual Sasuke foi convidado gentilmente a ser padrinho, havia nascido meses atrás e já estava com quase quatro meses completos. Era muito parecido com Naruto, incluindo as pequenas marcas na bochecha.

- O que faremos? – Naruto parece ter tirado o último fio de coragem para perguntar sobre aquilo. Eles tinham achado uma saída através de Hinata Hyuuga, esposa de Naruto. Mais especificamente, o pai dela, Hiashi Hyuuga. Os Hyuugas detinham muito poder e dinheiro podendo colocar qualquer empresa no topo com alguns contatos discretos, mas precisos. Boruto, aquele bebê de apenas quatro meses era o herdeiro de direito, mas Hiashi pensava bem mais a frente. Então ele sugeriu que em alguns anos Naruto tivesse mais um filho, independente do sexo, que herdaria o grande império Hyuuga. Em seguida, sugeriu que déssemos um jeito de nossos filhos, Sarada e Boruto, aqueles bebês que não sabiam o que era a vida direito, tivessem um herdeiro que assegurasse a propagação não só do império que as empresas Uchiha e Uzumaki se tornariam, mas também, como um efeito em cadeia, engrandecer ainda mais o império Hyuuga. Quando Naruto trouxe a ideia para mim, a tomei como um absurdo de imediato, entretanto, agora que Sarada nasceu, me sentia perdido e levemente perturbado, ao mesmo tempo, aquilo era como vender a alma para o diabo.

- Não sei – respondi seco. Justo eu que sempre soube exatamente o que fazer.

- Não temos outra opção – ele disse com as mãos no rosto em um tom de decepção consigo.

- Eu sei – digo me amaldiçoando pelas palavras – Não poderei ser padrinho dele, Naruto. Não sabendo que um dia terei que entregar minha filha de bandeja.

O homem loiro a minha frente assente com uma expressão séria que poucas vezes vi no rosto dele. Não sei como ele se sentia, mas eu estava me sentido fraco e acovardado. Sakura e Hinata já haviam concordado, mas eu ainda assim sentia aquilo me deixar exausto e perturbado.

- Por que essa cara? – Naruto me pergunta.

- Acabei de decidir mudar a cede da empresa de cidade. Não posso permanecer aqui vendo minha menininha crescer e no final, talvez ter essa conversa com ela um dia. Preciso diminuir os vínculos.

- Não seja imbecil se afastando de novo – a raiva tomava de conta da voz de Naruto.

- Eu não estou pedindo opinião. Minha esposa concordou – Naruto bufa e se afunda na cadeira – Cuide dela.

Sasuke se levanta e sai em passos largos. Queria ter a filha no colo antes de tudo aquilo.

A mente de Sasuke o traz para o dia em que viu o garoto que devia ser seu afilhado conversando com ele sobre a filha.

- Oi, Tio Sasuke! Eu queria mesmo falar com o senhor – ele diz engolindo em seco.

Eles sentam um de frente pro outro na mesa da cozinha. Sakura sobe percebendo que é um assunto de homem pra homem.

- Tio... – se pergunta se deve chama-lo assim – eu não sei o que a Sarada já contou sobre a gente e não sei se ela contou o que aconteceu mais cedo – Sasuke fechou a cara para ele

- Prossiga – ele diz em um monotom assustador

- Bom, uma garota me beijou e a Sarada viu. Eu vim falar com o senhor porque penso que se fosse com a minha filha, eu iria querer matar a pessoa – ele diz olhando sem jeito pro Sasuke

- Ainda bem que você sabe – ele diz com um tom raivoso

- Mas eu não sou um moleque. E eu vim aqui como homem dizer que sinto muito que isso tenha acontecido e que ela tenha visto, mas eu a quero como minha namorada e quero sua benção – diz de maneira acelerada quase cuspindo as palavras.

 - Hm, corajoso da sua parte – Sasuke diz e Boruto quase viu um sorriso saindo do canto da sua boca – boa sorte em convencê-la – ele diz e agora claramente sorri.

Assim que o garoto sai, Sakura desce e olha para ele que tinha uma expressão chateada.

- Por que essa cara?

- Não pensei que seria tão cedo – eu digo suspirando.

- Sasuke, o que faremos?

- Você dará pílulas de farinha ao invés de anticoncepcionais – ele disse ríspido e irritado. Sakura sabia que a irritação dele não era com ela e sim com aquilo que estava acontecendo. Aquela situação criada há anos.

Sasuke volta seus pensamentos para a sala. O amigo parece ter a mesma postura que tinha há 17 anos, perdido. Sakura fitava o vazio sem expressão e Hinata olhava para Naruto como quem espera uma solução.

- Não diremos nada – diz Sasuke por fim.

- O que? – pergunta Sakura levemente irritada.

- Concordo com Sasuke. Eles vão casar e estão felizes. Nós também estamos. Já era destino deles isso – Naruto diz sem olhar nos olhos de Sakura. A mulher a assustava.

- O tudo pelo que eles passaram? – Sakura dizia irritada.

- Já foi superado – diz Sasuke.

- Não! – Sakura grita e o homem lhe lança um olhar de repreensão.

- Sakura, o que você quer? Que eles tenham raiva? Que não confiem na gente? Afastem nossos netos? Pode escolher as grandes possibilidades de essas coisas acontecerem. Não seja tola querendo fingir fazer o certo depois de anos. Já foi resolvido. Na pior das hipóteses, queimaremos no inferno – Hinata diz pegando todos de surpresa. Não espera resposta da amiga. Apenas pega suas coisas e se retira para o próprio apartamento.

Naruto fita o amigo com um olhar de quem pede desculpas pela reação de Hinata. A mulher era calma e gentil, mas ao mesmo tempo era um leão preso.

- Acho que encerramos aqui – diz Sasuke.

Naruto não diz nada que não seja uma breve despedida dos amigos ali presentes. Desce um andar e se depara com a mulher com um copo de uísque na mão. Ele se surpreendeu, mas nem tanto. Parecia um repetição da cena há 17 anos quando chegou da conversa com Sasuke. A mulher também estava sentada na sala com a bebida na mão. Ele sorriu desgostoso. Pegou um copo e sentou ao lado da mulher. Não trocaram uma palavra. Não precisavam. Ambos se sentiam magoados por tudo o que aconteceu, por como aconteceu. Sentia-se frustrado e fraco como naquela noite. Ao mesmo tempo, sentia-se feliz. Amava Sarada como uma filha e tentou cuidar dela de todas as formas possíveis enquanto Sasuke esteve fora. Agora, ela era mãe dos netos que ele tanto amava. Sorriu consigo. Será que eles apenas não fizeram o que já estava escrito no destino dos dois? Afinal, Naruto lembrava com clareza como Boruto protegia a menina e falava dela. Não era de agora. Sempre foram eles. Sempre foram um do outro.


Notas Finais


O capítulo de hoje foi curto, eu sei e foi feito para preencher uma lacuna na história. Espero ter conseguido afinal.
Como eu disse antes, a história tá chegando ao fim e isso me enche de tristeza porque eu acabo me apegando aos personagens. Algumas pessoas pedem para que eu não acabe nunca, mas não é bem assim que funciona. As histórias precisam acabar e em gêneros como romance, de preferência quando tudo está bem. Nunca me perguntaram, mas eu vou explicar porque decidi fazer sobre eles. Bom, eu sou fã de Naruto desde que descobri o anime. Li tudo, assisti tudo e até hoje choro com qualquer cena. Quando lançou Boruto, fiz o mesmo e não entro em discussões sobre quem é melhor. Só que a Sarada pra mim é especial e me representa de certa forma. Ela é analítica, inteligente, forte, dedicada e decidida. Atribuições que eu admiro muito nas pessoas. E bem, Boruto é um mimado que a gente acaba gostando (risos). Por conta disso, decidi escrever sobre eles e no fim abri mão um pouco dos outros personagens porque a história é sobre eles.

Aos que me elogiam, eu agradeço grandemente e felizmente porque sinto que é de coração. Aos que me veem como inspiração, recomento que assim como eu, busquem ler o máximo possível. Eu leio muitos livros, contos, histórias, sou assinante de clube de literatura. Não digo que sou a melhor escritora, mas ler é fundamental para quem escreve.

Aos que quiserem manter algum contato comigo fora do Spirit, deixo aqui meu instagram: @maugustabranco. Eu não gostava de deixar alguma rede minha assim exposta, mas comecei a querer saber um pouco mais sobre quem está atrás das histórias que admiro e pensei que talvez algumas pessoas quisessem isso de mim.

No mais, deixo meu beijo e abraço a todos. Nos encontramos no final dessa Fic e nas outras que irei escrever. Todos vocês tem um espaço no meu coração!

Deixo aqui o link da minha nova fic pra quem quiser acompanhar: https://www.spiritfanfiction.com/historia/a-vida-no-internato--borusara-13616916


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...