1. Spirit Fanfics >
  2. Sasunaru - Laços >
  3. A festa - parte 2

História Sasunaru - Laços - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Eii, como prometido capítulo duplo dois dias seguidoss
Agora sim vem as emoções, hehe
Espero que gostemmm

Capítulo 4 - A festa - parte 2


Fanfic / Fanfiction Sasunaru - Laços - Capítulo 4 - A festa - parte 2

 

 

POV Itachi

 

— Ei, Itachi! Vem, estamos brincando de consequência ou consequência! – Obito me gritou de onde estava, sentado em uma mesa com todos os outros membros da Akatsuki em volta. Eu já sabia no que isso daria, mas resolvi aproveitar aquele momento em amigos sem muita preocupação em mente.

Vai, vamos voltar com isso logo. – Kisame disse enquanto girava uma garrafa de vodka em cima da mesa. — Konan, você desafia o Dei.

Aquela não era a primeira vez que jogávamos aquele jogo, todos nós estávamos cientes da regra. A primeira: quem perguntava e quem respondia tinha que beber. Segundo: não podia negar o desafio, seja lá qual fosse. Terceira: quando todos haviam sido desafiados, todos tinham que dar um selinho em todo mundo. Sempre acabávamos nos divertindo muito com aquelas brincadeiras, enquanto as outras pessoas de fora do grupo adoravam observar os desafios sendo cumpridos. Sendo assim, Konan e Deidara beberam enquanto o loiro preparava para ter o seu desafio. Pelo visto, todos já estavam bêbados e aquilo tornaria o jogo ainda mais interessante.

— Dei, eu quero que você beije o Obito. – em segundos o loiro beijava o seu amigo que sentava ao seu lado, dando-lhe um selinho.

 

— Não, isso a gente faz em todo mundo. – Konan riu, maliciosamente. Agora eu já entendia quais eram os seus planos. — Eu quero que vocês se beijem, de língua.

Os dois se entreolharam, pareciam não saber o que fazer mas ao mesmo tempo estavam cientes de que não poderiam negar o desafio. O resto da roda os incentivava batendo palmas e rindo, e então finalmente o fizeram. Obito puxou agressivamente o seu amigo para um beijo apressado e sedento, que durou alguns minutos. Todos nós assobiávamos e rimos, eu estava muito feliz e extasiado naquele momento.

 

— Kakuzu, você pergunta pro Hidan. – Sasori afirmava, o que fez Hidan interromper o beijo que dava na menina sentada em seu colo. Kakuzu ria, e parecia ter apreciado o fato de desafiar o seu melhor amigo.

Idiota, pula na piscina, só de cueca. – todos voltamos a rir e a bater na mesa, ansiosos por aquela cena. Hidan pediu licença para a garota que ele beijava e então sem nenhum pudor tirou a roupa e pulou na piscina. Batemos palmas e voltamos ao princípio.

 

— Obito, sua vez. Pergunta pro Itachi. – apesar de ansioso por saber o que me esperava, eu não estava preocupado.

Itachi, Itachi... – ele olhava para mim maliciosamente. — Aquelas duas gatinhas estavam doidinhas atrás de você.

O garoto aponta, então para duas garotas do segundo ano. Eu as conhecia por serem do círculo de amizade do meu irmão, e a loira por ser melhor amiga da Sakura. Eram Ino Yamanaka e Tenten Mitasashi. Olhei para as duas e acenei, e assim as fizeram de volta.

Deem um beijo triplo vocês três, vai. – ele enfim revelou o desafio.

Não, eu não... – hesitei, eu ainda estava meio abalado por ter dito tudo aquilo para a rosada e não queria magoá-la. — Elas são amigas do meu irmão, porra.

Inventei uma desculpa qualquer, a que nenhum deles ali havia caído. Todos me xingavam e continuavam dizendo que eu não poderia quebrar a regra. Eu tinha ciência disso.

—Não vai me dizer que tá apaixonado por outra, né? – Sasori ria em conjunto com os demais, agora eu estava realmente encrencado. Não poderia negar.

Olhando ao redor para a festa, para garantir que ela não presenciasse a cena, finalmente a encontrei. Sakura estava na pista de dança, e não estava sozinha. Ela estava agarrando o nosso professor substituto de física, Kakashi, beijando-o e dançando colada a ele.

Tentei manter a calma naquela hora, respirei fundo. Ela estava em seu direito, eu havia sido um babaca. Mas ao mesmo tempo aquilo significava que também estava em meu direito. Sem poder raciocinar direito devido aos efeitos da bebida, levantei-me convicto de que a partir daquele momento eu faria o que eu quisesse. Então, juntei as duas garotas pela cintura e combinávamos nossas línguas em sincronia em um beijo triplo. Não satisfeito, ao encerrar o beijo ainda as beijei individualmente, fazendo questão de apalpá-las e aproveitar ao máximo.

 

— UHUUUUU! ESSE É O ITACHI QUE EU CONHEÇO! – Deidara zombava, assim como todos os outros que me vangloriavam.

 

 

POV Sasuke Uchiha

 

Minha cabeça estava girando, eu não sabia exatamente se era devido ao excesso de bebida que eu tinha consumido ou por não estar conseguindo assimilar tantas informações que eu recebi nos últimos minutos. O pedido de desculpas do meu irmão havia sido sincero, eu entendia o motivo de toda a sua preocupação. Mas o fato de eu ser um problema na vida dele ainda me doía e me incomodava plenamente. Eu teria que começar a conviver com o fato de que meu irmão também precisava de uma pessoa para amar que não seja eu, por mais que aquilo me deixasse com uma pontinha de ciúmes.

Mas agora, eu deveria seguir o conselho do meu irmão mais velho e ir conversar com o motivo de toda essa confusão nos meus sentimentos.

 

Shikamaru eu vi você olhando pra aquela menina, para de mentir! – Temari gritava, enquanto o moreno permanecia confuso e com a sua cara de tédio.

— Para com isso, eu não fiz nada. – dizia tentando se defender das acusações.

Pelo visto Neji, que era quem sempre separava aquela briga estava ocupado demais olhando para a cena de Tenten Mitasashi beijando ninguém menos do que o meu irmão. Porra Itachi, e a conversa de que estava apaixonado? Eu sabia que o ele não prestava, mas dessa vez ele tinha se superado.

 

— Sasuke? Sasuke! – Naruto também começou a gritar e a me puxar para um abraço assim que me viu chegar ao seu lado. Eu conseguia sentir o cheiro do álcool mesmo de longe.

— Ah, você chegou. – Hinata diz com a cabeça baixa. Ela e o loiro pareciam estar se divertindo juntos, e eu provavelmente estava os atrapalhando. Desde o princípio a Hyuuga era uma das únicas meninas do meu ano que não ficava no meu pé, e apesar de estranhar eu a admirava por isso. Era perceptível o quanto ela amava o Naruto, até quando éramos apenas crianças.

— Baka, vamos lá pra dentro. Eu preciso falar com você. – disse tentando não rir, ele estava mais engraçado e sorridente do que o normal, dançava ao som da música alta e continuava a beber.

— Conversar? Ah, tudo bem. – o garoto finalmente cedeu e pediu licença para Hinata, que não parecia nenhum pouco contente com a minha presença e por eu ter roubado o seu momento com o seu amado. Dei de ombros.

Tentei conversar com ele na sala, que estava lotada, e nem sequer conseguíamos nos ouvir. Irritado, puxei-o pelo braço até o meu quarto para termos o mínimo de privacidade, mas não me preocupei em fechar a porta. Afinal, todos estavam divertindo-se o bastante na parte de baixo da casa.

— Temeeeee! O que aconteceu, você precisa da minha ajuda? – ele continuava a falar alto e a rodopiar pelo cômodo.

— Primeiro, senta. – apontei para a minha cama, se ele continuasse rodando daquele jeito acabaria vomitando no tapete. Quieto, obedeceu ao meu pedido e assim pude tentar começar a falar.

—Baka, eu tenho que te perguntar uma coisa, eu fiquei a noite toda pensando nisso... – tentei desviar o olhar, aquilo era constrangedor o bastante para que eu não conseguisse o olhar nos olhos.

— Olha pra mim, o que foi? – em um gesto calmo ele levantou o meu rosto fazendo com que eu corasse ao mirar em seus olhos azuis, que me encaravam. Talvez seria apenas a bebida fazendo efeito, mas ele estava ainda mais bonito hoje. Não poderia negar.

Hoje mais cedo na piscina... O que... 

Tentei dizer, em vão. Eu não conseguia, estava envergonhado demais. Nós éramos amigos muito unidos, e se eu estivesse precipitado? E se fosse tudo invenção da minha cabeça? Talvez chama-lo para essa conversa tenha sido um erro. Eu não queria correr o risco de estragar a nossa amizade.

— Você tá querendo saber se eu ia te beijar? – diretamente, ele perguntou. Apesar de ser descarado naturalmente, estava ainda mais inibido pelo seu grau de embriaguez. Permaneci calado, o que o instigou a continuar a falar.

Sim teme, eu ia. Mas eu achei que você ia me bater ou algo do tipo. – o garoto que vestia uma blusa azul e calças jeans surradas cruzou os braços, ele parecia confuso.

— E... porque você ia fazer isso? – eu tentei questioná-lo, ainda consumido pela vergonha. Eu gostaria de que naquele momento o álcool tivesse o efeito contrário e fizesse com que eu me soltasse para poder dizer tudo que eu queria. Mas poucas palavras conseguiam sair pela minha boca.

— Não sei. Me pareceu certo na hora. – simplesmente disse, bagunçando os seus fios loiros e sorrindo logo depois. — Mas eu sei que você não quer nada disso, então tá tudo bem.

Continuei imóvel ao seu lado, eu definitivamente não conseguia dizer mais nada. Senti a minha bochecha corar violentamente enquanto ele ria, aquilo parecia tão natural para ele que a sua confiança parecia me incomodar. Eu estava cansado de ser tão inseguro e covarde. Senti que aquela seria a hora de eu finalmente demonstrar para ele que eu também sabia o que eu queria.

 

Quando estava prestes a enfim fazer algo sobre, escuto um barulho de ‘click’, o mesmo que se faz para tirar fotos, que pareceu ter vindo do corredor. Virei-me abruptamente e em seguida o olhei, assustado.

— V-você ouviu isso, baka? – questionei-o.

— O que? Não ouvi nada. – ele parecia estar realmente no mundo da lua, era óbvio que não teria escutado nada. Afinal, aquilo poderia ser realmente alguma coisa da minha cabeça paranoica.

 

— NARUTO! Até que enfim eu te encontrei. – a garota estava ofegante, parecia ter corrido até chegar ao meu quarto.
 

— Hinata? O que você está fazendo aqui? – perguntei, como ela saberia que estávamos ali?

E-eu, eu procurei você na casa inteira, Naruto. Você deixou o seu celular comigo, a senhora Tsunade te ligou no mínimo umas onze vezes.

Eu não estava entendendo o que estava acontecendo, da mesma forma que o garoto sentado ao meu lado também não. A Hyuuga lhe entregou o celular, ele preocupado logo retornou a ligação. Eu e Hinata esperávamos por alguma resposta, também curiosos para saber o que a diretora queria tanto falar com o Uzumaki que não poderia esperar até a manhã do dia seguinte, afinal já eram praticamente uma duas horas da manhã.

— Alô, vovó Tsunade? – ele atendeu, e logo sua cara fechou. — Vovó, o que aconteceu? Por que você está chorando?

Sua pele empalideceu em questão de segundos, ele parecia estar em estado de choque e mal conseguia formular uma frase.

T-tá. Eu estou indo pra aí agora, calma vovó. – agora ele tremia, havia derrubado o seu telefone em cima da minha roupa de cama e me olhava assustado.

 

— Sasuke... O meu avô...

 

 

POV Sakura Haruno

 

Aquela festa estava quase perfeita, a música agradava a todos os convidados que felizes sorriam e dançavam, não faltava bebida para ninguém e eu estava me sentindo muito a vontade. Sorri e brinquei com os meus amigos que também já não estavam sóbrios, dancei até altas horas e aos poucos a casa foi se esvaziando.
 

Até eu me surpreendi quando comecei a dançar e conversar com Kakashi, o meu professor substituto de física. Ele era ainda mais divertido do que o garoto que eu conheci a alguns anos, por ser do mesmo time de futebol que os meninos da Akatsuki. Além de sempre ter sido muito, muito atraente. Tudo nele era convidativo. Ele era gente boa, engraçado, bonito e extremamente gostoso.

Me senti totalmente lisonjeada quando ele começou a dar em cima de mim, eu via aquilo como uma perfeita oportunidade de tirar o idiota do Uchiha da minha cabeça. Sem pensar duas vezes, eu o puxei para um beijo que continuou cada vez mais intenso.

— Acho que eu já escolhi a minha aluna preferida. – ele dizia em meu ouvido enquanto me envolvia pela cintura, o que me fez sorrir para ele.

O meu motivo de felicidade logo acabou quando alguns metros na frente, na mesa onde estavam reunidos a Akatsuki eu conseguia ver o Itachi. E ele não estava acompanhado de qualquer pessoa, e simplesmente de Tenten e a minha melhor amiga. Ino.

Senti o meu corpo ferver, a minha maior vontade era ir até lá e começar a surtar com os dois. No mesmo momento tive que me conter, afinal tínhamos combinado que essa noite não estaríamos juntos e eu tinha acabado de pegar o meu professor. Eu não tinha o direito de reclamar, por mais que eu quisesse. Eu estava pegando fogo, queria esquecê-lo imediatamente.

Confiante de todas as minhas atitudes sorri maliciosamente para o prateado e o levei até o meu quarto, no andar de cima. Fechei a porta e o empurrei na cama sem que ele tivesse tempo nem de dizer alguma coisa. Comecei a beijá-lo imediatamente, tirando a sua blusa cinza e observando o seu corpo totalmente escultural.

Posicionei-me em cima do seu quadril e logo comecei a retirar o meu vestido com a sua ajuda. Selava o seu corpo inteiro com meus lábios até chegar a sua calça, a que eu rapidamente retirei juntamente com a sua cueca box branca. Dei uma risadinha para ele, que provavelmente já sabia o que viria depois disso.

— Sakura, Sakura... Quem diria que você é tão safadinha assim. – ele sorriu para mim, o que me fez ter ainda mais vontade de tê-lo.

Logo terminei de o despir, passando a língua pela sua glande e beijando-a, antes de coloca-la em minha boca por completo. Passei minutos fazendo movimentos de vai e vem e contribuindo com a minha mão, ele gemia rouco e eu conseguia prever que ele estava quase chegando ao ápice. Sendo assim imediatamente parei, eu ainda não tinha o aproveitado por inteiro.

Você está me deixando louco. – dizia ele enquanto puxava um preservativo do bolso da sua calça, eu apenas fiquei calada e esperei até que ele colocasse-a perfeitamente.

Me encaixei por cima dele, o que imediatamente fez com que eu soltasse alguns gemidos baixinhos. Apoiava minhas mãos em seu abdômen malhado, enquanto ele tirava o meu sutiã e abocanhava o meu peito me fazendo arrepiar. A sensação estava maravilhosa, ele era perfeito na cama e eu não queria parar nem por um segundo. Mas até agora eu não conseguia tirar o rosto daquele imbecil da minha mente.

— Aaaah, Sakura, eu... — novamente após bons minutos instigando-o e rebolando por cima dele, ele estava prestes a gozar. Aquilo não era um problema, pois eu também em segundos chegaria ao meu ápice.

 

— K-kakashi, você é realmente muito bom... — disse após ambos deitarmos cansados sobre a minha roupa de cama branca, eu ainda estava ofegante depois de tanta agitação. Ele apenas sorriu e selou os meus lábios, permanecemos ali por alguns segundos. Aos poucos comecei a me martirizar, eu não acredito que eu tinha acabado de transar com o meu professor.

Era tarde demais para me arrepender, e no fim tinha valido a pena. Eu não menti quando disse que ele era extremamente bom no que fazia, os seus toques eram únicos e eu quase me deslumbrei de prazer com ele. Mas aquilo tudo me fazia pensar, ao mesmo tempo, que eu nunca tive essa sensação com o Itachi. Isso por que eu nunca havia transado com ele. A nossa relação era muito mais de ligação do que realmente de contato, o que provavelmente foi um dos motivos que fizeram eu me apaixonar. Eu deveria parar de pensar nisso tudo enquanto estou deitada ao lado de um homem maravilhoso e que era meu essa noite.

 Alguns instantes depois fomos surpreendidos com batidas apressadas e agressivas na porta. Sem que houvesse tempo para eu me vestir e atender, apenas me cobrir quando ele adentrou ao meu quarto. Ele parecia tão assustado quando eu.

— SAKURA, ONDE ESTÃO AS CHAVES DO CARRO? – ele dizia alto, ao mesmo tempo que estava abalado por me ver naquele estado ao lado do nosso professor substituto, o garoto estava extremamente desnorteado devido a outro assunto que eu não sabia qual era.

Sasuke, o que... – ele começou a vasculhar as minhas coisas, provavelmente já tinha procurado no quarto de Itachi e não haviam a encontrado. Para casos de emergência eu possuía a chave dos carros do meu pai e de Itachi, assim como todas as chaves da casa. Não era surpresa que eu era a mais responsável entre os que moravam na residência. Logo a peguei, ainda envolvida no meu cobertor e o entreguei. Eu ainda estava completamente sem entender a situação, por isso tentei conversar de novo antes que ele deixasse o cômodo.

— O que aconteceu? Me fala! – comecei a ficar preocupada, eu nunca tinha visto o Sasuke nervoso daquele jeito.

— Naruto... eu preciso leva-lo até o seu avô. – foi a única coisa que o moreno conseguiu dizer antes de partir, e eu não sabia o que fazer naquele momento. Kakashi me olhava confuso enquanto vestia suas roupas, o que em seguida comecei a fazer também.

— Eu... preciso ir, a noite foi ótima. – disse sorrindo fraco pra ele antes de também deixar o cômodo, afinal tinha outros assuntos para resolver.

— Tudo bem... conversamos depois. – ele sorriu depois, saindo logo depois de mim.

Merda, mais uma coisa na minha cabeça. Agora Sasuke havia me visto com Kakashi, e Naruto estava com algum problema que eu não sabia qual era. A pessoa que eu mais necessitava ter agora era Itachi, mas chegando até a área externa onde apenas estavam os membros da Akatsuki e outros amigos, percebi que ele não demonstrava estar sentindo a minha falta.

— Ino, preciso falar com você agora. — a garota engoliu em seco ao me ver ali, provavelmente receosa de alguma coisa.

— VISHHHH, OLHA LÁ O QUE VOCÊ FEZ ITACHI! – Obito gritava escandalosamente, e eu que já não estava em meu estado normal e extremamente nervosa não pude deixar de dar um tapa na sua cabeça. Apesar de gostar do moreno, a sua indelicadeza e o seu escândalo me irritavam profundamente. Os outros na mesa riam da situação, Shikamaru e Temari se despediam indo embora e juntos e Itachi estava de braços cruzados apreensivo.
Afastei a minha amiga alguns metros da gritaria e confusão e comecei a recitar o que estava preso em minha garganta.

 

— Eu não sei o que fazer, eu fiz merda, estou preocupada com o Naruto e estou um pouco enciumada de você. – apenas menti na última parte, o meu coração estava extremamente magoado pela sua atitude mas eu não diria isso para ela.

Sakura, calma, você pode me explicar? –

Ela tentou manter a calma assim como eu fazia, respirando e inspirando diversas vezes evitando de ter um ataque. Logo expliquei a ela tudo que tinha acontecido, desde a parte em que vi ela beijando o garoto que eu queria até a hora em que Sasuke apareceu desnorteado no meu quarto. Ela assim como eu primeiramente estava em choque, mas em seguida tentou me ajudar.

Ei, primeiro me desculpa, eu não sabia que você também queria o Itachi... E você tem que estar é se vangloriando! Você pegou um dos caras mais gatos de Konoha, porra! Também né, quem não iria querer um mulherão desses? — ela riu, mas fechou a cara assim que lembrou do outro assunto. — Sobre o Naruto... A Hinata também estava procurando por ele, você quer ir atrás dela?

Afirmei com a cabeça e dei um abraço na minha amiga. No final das contas eu não poderia culpa-la uma vez que eu nem contei para ela que estava gostando do Uchiha mais velho, eu também o beijaria se estivesse no seu lugar. Não queria pensar sobre o Kakashi no momento, eu estava preocupada demais com o Naruto.

 

 

POV Itachi Uchiha

 

Aquela cena toda me embaralhou, eu tentava ouvir do que se tratava a conversa das duas que logo se afastaram mas tudo isso foi em vão. Aos poucos os garotos começaram a se despedir, cada um ia para a sua casa e com todo aquele clima eu não achei que seria uma boa escolha chamar algum deles para me fazer companhia como sempre fazíamos. Dessa vez preferi ficar sozinhos.

Abandonado pelas duas, Itachi. Corre atrás delas logo. – Kisame batia em meu ombro e brincava comigo.

— Não enche o saco, ele tá preocupado. – Kakuzu dizia, parecendo finalmente entender que eu realmente queria saber o que estava acontecendo.

Me despedi de todos, assegurei que cada um tivesse como voltar para casa seguramente em táxis, afinal nenhum deles estava em bom estado para dirigir.

— Até segunda, galeraaaaa! – Deidaria dizia ainda animado.

A medida com que o espaço ficasse vazio, retornei até a sala procurando preocupado pelas duas que falavam ao celular.

 

— Hinata, você tem certeza que é nesse hospital? – Sakura dizia nervosa na linha, a loira recolhia sua bolsa e pareciam estar prontas para sair.

— Sakura, o táxi chegou! – Ino exclamou, também apressada. Após a rosada desligar o telefone fui obrigado a perguntar, caso contrário ninguém me explicaria nada.

— Espera aí, o que tá acontecendo? – perguntei agora também preocupado, ao ouvir a garota falar sobre hospital.

— O Jiraya, Itachi... Quer saber, anda, vem logo com a gente eu te explico no caminho!

 

Sem ter tempo de ao menos respirar, fui pego no braço e dirigido até o táxi que corria em alta velocidade até o hospital. 


Notas Finais


Aiaiai, esse episódio mexeu tanto com o meu coração como com o de todos os personagens
Espero que vocês tenham gostado, não deixem de comentar
(E obrigada pelos 21 corações!! <3)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...