História Save Me - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Depressão, Jikook, Namjin, Save Me, Suícidio, Vhope, Yoonmin
Visualizações 38
Palavras 2.043
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Just More One


Fanfic / Fanfiction Save Me - Capítulo 7 - Just More One

      Talvez seja tolice do loiro ficar ali dando sopa, já que era o lugar onde seu pai mais passava o tempo, e uma hora ou outra este irria passar pela recepção e avistar o menor, e este encontro provavelmente não renderia bons resultados.

            ...

       Ficaram um tempo ali. Já eram duas e meia e faltava meio hora para a consulta de Jimin, e o mesmo estava impaciente. Queria que o tempo pasasse logo para sair dali de uma fez. Mas também queria que tudo parasse para não ter que entrar naquela sala e ter que responder perguntas sobre sua vida.

        Jimin ansioso e melancólico, e Yoongi cansado e adormecido. Aquele branquelo realmente dormia em qualquer canto, sua cabeça se apoiava para o lado, com seus braços cruzado e expressão de... de Yoongi, dormia sem dar muita atenção para as pessoas de branco que passavam de um lado para o outro. O menor o olhava com um sorriso no rosto, todos os pacientes que passavam olhavam a cena de um jovem jogado na cadeira adormecido como um bebê.

        - Jimin?! - disse YuMi ao passar pela recepção e ver o irmão. - Tão cedo aqui? Ainda falta meia hora para sua consulta.

        - Sei disso mais... longa história depois te falo. - Pensou em explicar mas para que? Mais cedo ou mais tarde saberia, por ele ou por seu pai.

        - Tudo bem. - sorriu - Quer que eu te acompanhe, o doutor costuma deixar entrar com acompanhante se o paciente quiser.

        - Não me leve a mal YuMi, mais Yoongi já se ofereceu. - falou e olhou para o amigo adormecido. - E não acho que seria uma boa ideia... papai irria te perguntar oque contenceu lá dentro e você teria que dizer. Não quero que ele saiba... entende?

        - Você quem sabe, não acho que esse seu amigo vai lhe ajudar já que está dormindo. - falou seria. - Mas se mudar de ideia, estou aqui.

        - Ele não irá. - falou ainda de olhos fechados. - Não se preocupe YuMi, seu irmão está em boas mãos.

        - Estava fingindo dormir? - disse rindo da situação.

        - Não, eu realmente estava dormindo. - abriu os olhos. - Mas acordei com um ser chamando altamente seu nome. - explicou, oque fez YuMi revirar os olhos.

        - Isso aqui é um hospital, não um quarto de hotel. - exclamou para Yoongi que apenas a olhou com expressão de tédio. - Tenho que ir Jimin, tenho coisas a fazer. Quando chegar quem casa temos que conversar. - o loiro assentiu e a mais velha saiu.

        - Não sei como aguenta essa garota. - disse voltando a fechar os olhos e se aconchegando na cadeira desconfortável.

        - YuMi tem esse jeito mas amo assim. - disse sorrindo. - E sei que ela também me ama.

        - Não sei se riu ou choro dá sua ilusão, Park Jimin. - falou com o tom entediado. - Essa garota não ama ninguém, olha como é, toda metida. - fez cara de nojo oque fez o loiro rir.

        - Ah Yoongi, você não existe. - ria das caretas do amigo e o mesmo abriu os olhos novamente.

        - Como assim não existo? Olha o jeito que você fala com o rei! - disse brincalhão fazendo Jimin almentar suas gargalhadas.

         - Jimin! Que bom que está aqui. - disse um rapaz alto de cabelos negros, vestido como os outro no recinto, de branco. Apesar da cor das vestimentas, não parecia um médico, tinha a expressão jovial com um sorriso estampando em seu rosto pálido. - Você é muito mais fofo pessoalmente. - disse deichando o menor corado.

      - Desculpe mais... nós conhecemos? - perguntou tímido. Não lembrava de ter convivido com esse médico no hospital já que nunca põe os pés lá.

      - Ah não. Sou o psicólogo aqui no hospital. Seu pai falou muito ao seu respeito. - Jimin paralisou. Então era ele o cara. O cara que o loiro já odiou apenas por saber que teria que vir conversar com este semanalmente. - Me chamo Kim SeokJin. - ergueu as mãos para comprimenta-lo.

       - Prazer... - o comprimentou. - eu acho.

     - Olá. - comprimentou o branquelo com cara de tédio. - Você é quem? - sorriu.

     - Min Yoongi, amigo de Jimin. - apertou suas mãos.
 
     - Bom Jimin... você chegou cedo, porém não tenho nada para fazer, podemos começar nossa seção agora, ou pode esperar por meia hora. - sugeriu. - sua escolha. - sorriu.

     "Melhor ir agora para acabar logo com isso." - pensou. Mais cada a vontade e coragem. Não sabia como ia ser, e se Seokjin contasse oque falará lá dentro para Sr. Park? Jimin iria a ruína. Já não bastava que seu pai tivesse um certo poder sobre o loiro, iria também ter o conhecimento do que acontece na desorganizada cabecinha do menor? Não, isso nunca.

      - Quero... vamos logo. - suspirou cansado. - Yoongi pode entrar comigo? - Se fosse para ir, pelo manos estaria perto de alguém confiável.

       - Sinto muito, só pessoas da família. - lamentou. O alto até queria deixar, mas eram normas, e não podia desobedece-las.

      Jimin lamentou com o olhar, porém prosseguiu e foi para sala do psicólogo, ainda olhando para trás encarrando o amigo que continuava jogado na cadeira sonolento e entediado.

         ...

       - Bom Jimin, vou lhe fazer umas perguntas, e responda se quiser, não irei lhe forçar. - disse com as expressão normal. - Primeiro quero que me conte o que mais gosta de fazer. - o loiro se manteve em silêncio. Não era bira, só não tinha oque responder. Realmente para Jimin era difícil pensar algo que gostasse de fazer no meio de tantas lembranças ruins. - Okei, não precisa responder. - falou frustrado. - Não falaremos sobre você então, não agora pelo menos. Então apenas me diga. Por que você acha que seu pai ensistiu tanto para você vir conversar comigo? - mais uma vez o menor ficou em silêncio, dessa vez por medo de falar os motivos de seu pai. Se falasse provavelmente o velho ficaria sabendo no mesmo instante, e quem pagaria seria o Park, já que ficaria em fúria ao saber que o loiro falava sobre as agressões. - Preciso que confie em mim Jimin, só assim poderei lhe ajudar. - Ai que tá.  Como confiar em alguém que além de ter acabado de conhecer, trabalha junto com a pessoa que mais lhe faz mal? Como confiar em pessoas que dizem já lhe conhecer, mesmo quando este nunca havia te visto na vida? Pessoas que dizem conhecer Park Jimin a tempos mesmo nunca tendo o visto de verdade, até agora só lhe visseram mal.

      - Não preciso de ajuda. - ditou grosso. - Sei que meu pai lhe disse que sou retradado, mais não sou.

       - Não Jimin. Seu pai não me disse que você é retardado, pelo contrario. - falou espantado. - Apenas disse que você precisava de ajuda para organizar essa sua cabecinha.

      - Ele é um duas caras. - gritou. - Finge me amar na frente das pessoas, mas na verdade me odeia. Não confio em pessoas como você, que veem um bom homem nele. - Estava irritado com toda aquela situação. Sabia que Seokjin já devia ter ouvido explicação do Sr. Park, sabia de tudo que já havia acontecido até aqui, mas por que perguntar? Perguntar para quem sofreu a vida toda com essas lembranças perturbadoras.

       - Jimin, eu entendo que esteja alterado...

       - Não! Você não entende, ninguém entende. Dizem que sim, mas não. - Já sentiu como se todos que o olhassem ou perguntassem algo, te acharia um coitado? Era assim que o loiro se sentia. Como se fosse um pobre coitado que precisasse de ajuda, pois não era capaz de entender seus próprios pensamentos. Era assim que se sentia quando as pessoas olhavam para si.

        - Jimin. - o chamou. Mas já era tarde de mais. O loiro já havia saído dali em chamas batendo as portas e atropelando qualquer um que passa-se por seu caminho. Passou reto pela recepção, onde estava o amigo, nem se quer olhou para trás. Empurrou a porta de vidro que se encontrava na entrada, mal se importando com as pessoas que passavam e viam seu nervosismo.

       Yoongi, logo em seguida, passou pela porta correndo atrás do menor, já que rapidamente percebeu que este não estava bem.

    - Esse Seok Jin é um duas caras. - exclamou bufando andando rápido e batendo o pé, esbarrando em tudo. Estava revoltado, odiava que as pessoas lhe pergunta-se sobre sua maldita vida.

     - Acha que ele é como seu pai? - tentava acompanhar o menor com passos rápidos.

     - Não... acho que é pior. Finge ser carinhoso para ganhar as pessoas.
 
     - Está exagerando. - diz o mais velho - Só porque você não está acustumado com tanto carinho, além do meu, não quer diser que seja falso. Tem que confiar mais nas pessoas Jimin.

     - Me admira você, Min Yoongi. Nunca foi de gostar muito das pessoas, não assim tão facilmente. - sorriu - O que deu em você? - diminuio os passos.

      - Nada, só confio nele. Me parece uma boa pessoa. Nada de mais. - olhava para baixo com as mãos no casaco.

      - Não se engane tanto hyung. - disse cabisbaixo. - As pessoas mentem e fingem ser oque não são, tudo isso apenas para ganhar a confiança das outras e depois as magoar.

      - O que aconteceu lá dentro?

      - Nada de mais, só que as vezes em empreciono com a capacidade das pessoas de acharem que sabem das coisas. - a raiva começou a se aposar de Jimin novamente. - Tenho ódio das pessoas hyung. - O branquelo que conhece bem o amigo, logo tratou de mudar se assunto.

       - Ainda está chateado com oque aconteceu hoje de manhã? - endagou se sentindo culpado, já que se não tivesse se afastado, Jimin não teria apanhado. - Me desculpe de novo, não devia ter te deixado sozinho no meio daqueles animais. - disse cabisbaixo.

      - Não se preocupe Yoongi, no meio dessa confusão até conheci um colega. - sorriu ao lembrar de Tae.

     - Quem?

     - Na verdade ele é da minha sala, mas nunca tinha reparado nele, acho que nunca reparo em ninguém. - explicou. - Era aquele garoto que estava com... JungKook - Como odiava diser aquele maldito nome.

      - Só repara em mim que sou perfeito. - exclamou metido.

       - Como você é metido, hyung. - riu acompanhado do maior. - Não reparo só em você, reparei também naquela garota que te chamou, o que ela queria?

       - Nada... só me atormentar a mente.

          FlashBack on

     - Ai! - gritou a garota de dor. - Por que mordeu minha língua? - se afastou do mais velho.

     - Porque você é louca. Que história é essa de me beijar garota psicopata?

     - Gosto de você Yoongi, só queria que soubesse. - disse meiga.

     - Não era mais fácil falar. Agora vou ter que fazer gargarejo com álcool.

     - Nossa Yoongi! Sei que não gosta de mim do mesmo jeito, mas me dá uma chance?

      - Não! Vai que da próxima você tenta me sequestrar. - foi em direção a porta. - não chegue perto de mim.


          FlashBack off

     - Não acredito que você mordeu a língua dela, hyung. - ria descontroladamente. - Coitada da MiHu.

      - Fui até que legal com ela. - deu as costas - Ela é uma louca, isso sim. - olhou para Jimin que estava vermelho de tanto gargalhar e sorriu. - Bom dessa história é que te fez sorrir pequeno.

      - Como não faria? - ria já com a voz rouca.

      - Quero que continue assim, rindo. - espalhou os fios descoloridos do menor. - Quer vir comigo conhecer um amigo?

      - Não sei não Yoongi. - seus risos logo cessaram. A ideia de conhecer pessoas novas já abalava o menor.

      - Ele é legal, você vai gostar. - insistiu. Yoongi sabia que pessoas não animaria o pequeno Park, mas Jimin estava tão irritado que tentaria de tudo para fazer ele esquecer esse maldito dia, até porque o dia só estava na metade e ainda tem a noite.


Notas Finais


Consegui me superar... Esse cap ficou mais bosta que eu. Prometo que o próximo vai ser melhor hahaha(risada maléfica) desculpem os erros.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...