1. Spirit Fanfics >
  2. Save me >
  3. Rua escura e deserta.

História Save me - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Oiee amores ❤❤❤
Espero que gostemmm
Perdoem qualquer erro
Façam uma boa leitura
(COMENTEM) isso me motiva bastante
Beijoes❤❤❤
(A imagem utilizada não me pertence e serve apenas de representação)

Capítulo 2 - Rua escura e deserta.


Fanfic / Fanfiction Save me - Capítulo 2 - Rua escura e deserta.


Depois daquela apresentação nada educada, saímos da boate sem que o motorista percebesse e começamos a caminhar por uma rua deserta e escura.


Eu sei que deveria estar com medo, afinal  nem conheço ele, mas sei lá, o medo resolveu não aparecer.


-E ai, me conta mais sobre você, Jeon. Disse percebendo seu desconforto.


-A gente não pode só caminhar?. Ele me encarou com um olhar triste.


Não entendi o por que ele se sentiu desconfortável com aquela pergunta, parecia algo tão simples de se responder..


-Tudo bem então... Deixa eu contar sobre mim. Alternei e ele sorriu.


-Fale então. Disse com as mãos no bolso.


-Eu sou filho único, sou pai. Jeon arregalou os olhos ao ouvir. -Relaxa, são meus dogs, são como filhos pra mim. Sorri e ele negou com a cabeça.


-Sem graça. Jungkook acrescentou ainda com a cara fechada.


-Ah qual é, cadê o senso de humor. Disse vendo ele sorrir levemente.


Ele parecia triste, com as mãos no bolso e cabeça abaixada, não sei o que incomodava ele... Mas isso me deixou interessado em saber.


-Olha só, 2 bixonas andando juntas. Alguns garotos aleatórios surgiram do nada e começam a nos zombar, principalmente o Jeon. -E ai Alone, acho um namoradinho?. O garoto o provocou, e Jungkook começou a se estressar.


-Qual o problema de vocês?. Respondi e um deles se aproximou.


-Cala boca, lixo. Disse o garoto me dando um leve empurrão.


E em segundos Jungkook empurrou o garoto que estava na minha frente e o socou inúmeras vezes.


-Jeon, para com isso. Disse tentando tirá-lo de cima do garoto, mas logo depois os outros garotos o puxaram e começaram a espancá-lo, chutando e o socando.


-Ei. Berrou o motorista que começou a correr em minha direção e os garotos saíram disparados dali.


-Até mais bixonas. Berrarem enquanto sorriam.


Jungkook estava deitado no chão, dando leves gemidos de dor e sua boca estava cheia de sangue.


-Jeon. Disse o ajudando a levantar. -Calma, vou levar você para o hospital.


-Me solta. Diz me empurrando. -Vai se fuder você também. 


Eu entendo ele por estar estressado, ele me defendeu e acabou apanhando... e eu nem fiz questão de ajudar.


-Jeon, para de ser infantil, você tá machucado. Disse e Jungkook se afastava cada vez mais. -Se não quer ir para o hospital deixa  pelo menos eu levar você pra casa.


E finalmente Jeon cedeu visto que ele não tinha como voltar e estava machucado demais para caminhar.


-Sr.Jimin, vou buscar o carro. Disse o motorista e eu assenti.


-Vem cá, se apoia em mim. Digo segurando seu braço em volta a meu pescoço.


-Por quê tá me ajudando?. Jungkook me encarou ainda com a boca suja de sangue.


-Não sei, digamos que eu gostei da sua jaqueta de couro. Respondi vendo ele sorrir ainda com expressão de dor.


O motorista chegou e parou o carro ao nosso lado, e logo entramos.



(...)


Após um tempo na estrada, finalmente chegamos na casa onde dizia ser do Jungkook, ele permaneceu o tempo todo com a cabeça escorada no vidro, não sei se era vergonha, ou arrependimento de alguma coisa.


-Chegamos. O motorista parou o carro próximo a uma casa escura e não muito grande.


-Vai mais perto da casa Mikael. Respondi e Jungkook despertou.


-Não. Disse estérico. -Não precisa, não vai querer conhecer o meu pai. Disse Jungkook que já estava abrindo a porta do carro. -Obrigado, Jimin. Respondeu dando um leve sorriso de canto.


-Espera, antes de você ir, me passa seu número. Disse dando meu celular a ele, que logo salvou seu número e adentrou em casa.


-Caramba, que dia. Suspirei fundo. -Mikael, nada de falar isso com os meus pais, você é meu motorista, então não me faça perder a confiança em você. 


-Pode deixar Sr. Jimin. Assentiu o motorista.



                           (...)


Cheguei na minha casa nova, e caramba... De todas as mansões que eu já morei essa era a maior, até mesmo o Mikael se espantou ao ver o tamanho da Mansão.


-Aonde você estava Park Jimin? Sabe como essa cidade é perigosa? Poderia ter sido sequestrado, roubado. Minha mãe apareceu estérica e preocupada.


-Filho, Aonde estava?. Meu pai também apareceu ali. -Suas ordens eram claras, vir diretamente para casa. 


-Já pensaram alguma vez que eu não sou mais uma criancinha?. Respondi subindo as escadas até onde seria meu quarto, que já me certifiquei que estivesse pronto.


Closet enorme, vista magnífica para a cidade de Los Angeles, e o melhor... Fita led nas paredes do quarto.


Deitei-me na cama e encarei o teto, vagando em meus pensamentos...Que dia louco foi esse?.. Resolvi pegar meu celular que tinha umas 20 chamadas perdidas, ignorei todas e fui até o número de Jungkook.


. MENSAGENS ON .

-Oi Jeon.



          Pov Jungkook  .


Fui até o banheiro e tirei minha jaqueta de couro e em seguida minha camisa, encarei meu abdômen no espelho, notando os roxos ali.


Gemi de dor ao lavar meu rosto e limpar a ferida que estava no canto da minha bochecha.


Droga "Jimin" por quê eu fui defender você?


Ouço meu celular vibrar no bolso da frente.

. MENSAGENS ON .


. Número desconhecido  .

-Oi Jeon.


 . MENSAGENS OFF .

Sorri de canto e deixei meu celular em cima da pia do banheiro, e logo ouço um barulho na porta da frente.


Me aproximo devagar. -Pai?. Respondi me certificando de que era ele, que mais uma vez chegou bêbado em casa.


-Filho? Que feridas são essas no teu rosto. Disse meu pai se perdendo um pouco nas palavras.


-Nada pai, larga essa garrafa, vem, vou te por no chuveiro. Digo tirando a garrafa de sua mão.


-Andou brigando na rua de novo não foi? Garoto imbecil. 


-Vem pai, pro chuveiro. digo ignorando seu xingamento.


Então ele me empurrou e deu um tapa em meu rosto, deixando a ferida que já estava aberta, ainda maior.


-Eu sou o seu pai, muleque idiota, vista uma camisa, quero respeito na minha casa. Berra logo após de bater em meu rosto.


Tudo bem, eu já estava acostumado com esse temperamento agressivo dele, desde quando minha mãe morreu, ele nunca tem sido o mesmo.








Notas Finais


Espero que tenham gostadoo
Perdoem se houver algum erro
(Tadinho do Jungkook mano)🤧
(COMENTEM) isso me motiva muito amores❤🤧
Beijoesss❤❤❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...