História Save Me - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Monsta X
Personagens Joo Heon, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Min Hyuk, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Show Nu
Tags Boyxboy, Bts, Jooheon, Joohyuk, Minheon, Minhyuk, Monsta X, Namhyuk, Namjoon, Rapmonster
Visualizações 20
Palavras 1.001
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpem a demora pra postar, eu estava sem internet

Capítulo 33 - Nova Moradia


Jooheon faz questão de dividir o guarda-roupas comigo e comprar roupas novas pra mim, além de insistir muito para que eu parasse de trabalhar, neguei de primeira obviamente, mas logo surgiu com uma outra proposta: eu pararia de trabalhar e terminaria os estudos. Levei dois dias pensando na sua proposta, até que aceitei.

Saímos bem mais vezes agora do que antes, meu namorado continua sendo um príncipe comigo e me acorda todos os dias de manhã com beijos deliciosos. Mais feliz? Impossível!

Vou me encontrar com o advogado que Jooheon contratou junto com o mesmo que insiste em me acompanhar.

 Vou até a casa de Namjoon, e Jooheon me espera do lado de fora no carro, ao bater na porta, ela já é aberta sozinha, adentro o imóvel vendo a casa suja como de normal e Namjoon jogado no sofá da sala

-Essa casa tá pior do que chiqueiro, Namjoon.

-Min? - ele me olha e quase pula em cima de mim me abraçando, fico meio sem jeito mas afago suas costas - eu sinto tanta falta... Minhyuk não me abandona - pede com a voz embargada

-Namjoon...

-Por favor, você pode ficar com os dois, só não me abandona

-Está louco?! Não vou ficar com os dois, isso é errado

-Eu não me importo, contanto que eu esteja com você...

-Não, Namjoon. - me afasto dele e suspiro estendendo o envelope

-O que é isso? - abre e lê com o pouco de luminosidade que tem no cômodo

-Vamos nos livrar logo disso. Seja feliz como você quer

-Eu não quero me livrar "disso", eu amo você, Minhyuk. Eu quero ser feliz com você, eu não quero me separar de você

-Namjoon...

-NÃO! - sendo assim, pica os papéis em pedaços. Respiro fundo - Entenda que eu te amo, EU AMO VOCÊ! Não vai ser um playboy de quinta que vai separar nós dois, Minhyuk

-Minnie? - escuto Jooheon chamar e olho pra porta vendo ele - eu ouvi gritos, tudo bem? - ambos se olham. Fudeu.

Me coloco na frente de Namjoon quando ameaça partir pra cima dele

-O que é seu está guardado, otário!

-Suas ameaças não colam pra cima de mim.

-Quer parar! - afasto Namjoon - bom, já que você não quer se divorciar por bem...

-Minhyuk - Namjoon me puxa pra sí e me beija, fico perplexa com o tamanho da ousadia até ser puxada pra trás e logo vejo Namjoon cambalear pra trás - você entra na minha casa, toca na minha mulher e ainda me bate?!

-Amor, sai, por favor.

-Eu não vou te deixar sozinha com esse cara. - afirma

-Eu sou o marido dela, ô babacão. A última visita dela deixou ela sem voz e quase sem andar, se lembra? Ela gemeu bem alto meu nome

-Pelo amor de Deus, para!

-Você fala muita merda cara, por isso que ela te deixou.

-Você acha que vai conseguir ela assim tão fácil? Está muito enganado, criança. Aliás, sua mãe sabe que está fora da creche? Não se meta em assuntos de marido e mulher, pivete

-Vamos. - puxo Jooheon pra fora

-Minhyuk, não! - ele vem atras de mim mas entro no carro antes de me alcançar.

-Você está bem? - pergunto ao menino que dirige em silêncio. Pego a mão dele e a beijo

-Vou ficar - ele retribui.

Acredito nele pois quando chegamos em casa o clima entre nós estava tão in love que me esqueço o dia desagradável de hoje.

-Esse seu cheirinho de uva é tão... delicioso - morde meu pescoço e chupa me arrancando um gemido baixo e um sorriso

-Que bom que te agrada - acaricio as costas dele. Seu corpo está sobre o meu no sofá

-Qualquer mini detalhe seu me agrada, princesa.

-Bom saber, daqui a um tempo você enjoa... - subo acariciando seus cabelos sentindo os selares em meu pescoço

-Se eu enjoar, nós inovamos, o que acha? - mordo meu lábio

-Ótima ideia - sorrimos - sabe o que eu acho outra ótima idéia? - deixo um selinho em seus lábios

-O que?

-Irmos pro quarto agora e você me mostrar um pouco do seu "swag" - o menino ri

-Swag - sorrio largo enchendo ele de beijo - como quer que eu te mostre?

-Do jeitinho que só você sabe fazer - não existe coisa mais fofa na vida, do que Jooheon sorrindo com suas duas lindas covinhas exibidas e seus olhinhos pequeninos brilhantes. Ele me pega no colo subindo comigo pro quarto - será que essa cama aguenta seu swag? - rimos alto da minha idiotice

-Se não aguentar, temos um banheiro enorme - me sela - e uma cozinha - de novo - e uma sala - e de novo - e um corredor....

-Garagem - rimos. Sou deitada na cama com seu corpo por cima

-Faltou a piscina.

-O lugar não importa quando o swag é bem feito - sorrimos

-Minha princesa linda

-Só sua. - nos beijamos com desejo, até que ele me mostre seu famoso: "Suég".

~~~~~~~~~~ • ~~~~~~~~~~

Sinto algo ser colocado em meu nariz e desperto na hora, arregalo os olhos vendo Namjoon, ele coloca o pano em meu nariz novamente, olho pro lado e vejo Jooheon sujo com algo vermelho. 

Não, não, não! Meu menino não! Tento respirar a todo custo até a escuridão me tomar.

Apoio a cabeça em algum lugar, estou confusa, enjoada, grogue... minhas ideias parecem deslocadas, abro os olhos com a neblina em minha visão, gemo baixo com o enjôo

-Amor? - ouço a voz de Namjoon, ainda está desfocada. Cadê Jooheon? Me lembro de vê-lo sujo de... sangue? Ele estava tão sereno... ele não pode ter matado meu menino.

-Joo...

-Seu Nammie, amor. Hey, olha pra mim - vejo ele sorrindo com a visão distorcida - bem-vinda ao nosso novo lar, Min. - olho ao redor ainda confusa e vejo que estou num galpão iluminado, sinto um peso em meu tornozelo e olho pra baixo, só então vendo a corrente presa a ele.


Notas Finais


Não me matem por esse capítulo, comentem para eu saber o que estão achando, a opinião me ajuda muito a melhorar a história. Bjs amores, até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...