História Save Me - Capítulo 33


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Monsta X
Personagens Joo Heon, Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Min Hyuk, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Show Nu
Tags Boyxboy, Bts, Jooheon, Joohyuk, Minheon, Minhyuk, Monsta X, Namhyuk, Namjoon, Rapmonster
Visualizações 9
Palavras 1.001
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Desculpem a demora pra postar, eu estava sem internet

Capítulo 33 - Nova Moradia


Jooheon faz questão de dividir o guarda-roupas comigo e comprar roupas novas pra mim, além de insistir muito para que eu parasse de trabalhar, neguei de primeira obviamente, mas logo surgiu com uma outra proposta: eu pararia de trabalhar e terminaria os estudos. Levei dois dias pensando na sua proposta, até que aceitei.

Saímos bem mais vezes agora do que antes, meu namorado continua sendo um príncipe comigo e me acorda todos os dias de manhã com beijos deliciosos. Mais feliz? Impossível!

Vou me encontrar com o advogado que Jooheon contratou junto com o mesmo que insiste em me acompanhar.

 Vou até a casa de Namjoon, e Jooheon me espera do lado de fora no carro, ao bater na porta, ela já é aberta sozinha, adentro o imóvel vendo a casa suja como de normal e Namjoon jogado no sofá da sala

-Essa casa tá pior do que chiqueiro, Namjoon.

-Min? - ele me olha e quase pula em cima de mim me abraçando, fico meio sem jeito mas afago suas costas - eu sinto tanta falta... Minhyuk não me abandona - pede com a voz embargada

-Namjoon...

-Por favor, você pode ficar com os dois, só não me abandona

-Está louco?! Não vou ficar com os dois, isso é errado

-Eu não me importo, contanto que eu esteja com você...

-Não, Namjoon. - me afasto dele e suspiro estendendo o envelope

-O que é isso? - abre e lê com o pouco de luminosidade que tem no cômodo

-Vamos nos livrar logo disso. Seja feliz como você quer

-Eu não quero me livrar "disso", eu amo você, Minhyuk. Eu quero ser feliz com você, eu não quero me separar de você

-Namjoon...

-NÃO! - sendo assim, pica os papéis em pedaços. Respiro fundo - Entenda que eu te amo, EU AMO VOCÊ! Não vai ser um playboy de quinta que vai separar nós dois, Minhyuk

-Minnie? - escuto Jooheon chamar e olho pra porta vendo ele - eu ouvi gritos, tudo bem? - ambos se olham. Fudeu.

Me coloco na frente de Namjoon quando ameaça partir pra cima dele

-O que é seu está guardado, otário!

-Suas ameaças não colam pra cima de mim.

-Quer parar! - afasto Namjoon - bom, já que você não quer se divorciar por bem...

-Minhyuk - Namjoon me puxa pra sí e me beija, fico perplexa com o tamanho da ousadia até ser puxada pra trás e logo vejo Namjoon cambalear pra trás - você entra na minha casa, toca na minha mulher e ainda me bate?!

-Amor, sai, por favor.

-Eu não vou te deixar sozinha com esse cara. - afirma

-Eu sou o marido dela, ô babacão. A última visita dela deixou ela sem voz e quase sem andar, se lembra? Ela gemeu bem alto meu nome

-Pelo amor de Deus, para!

-Você fala muita merda cara, por isso que ela te deixou.

-Você acha que vai conseguir ela assim tão fácil? Está muito enganado, criança. Aliás, sua mãe sabe que está fora da creche? Não se meta em assuntos de marido e mulher, pivete

-Vamos. - puxo Jooheon pra fora

-Minhyuk, não! - ele vem atras de mim mas entro no carro antes de me alcançar.

-Você está bem? - pergunto ao menino que dirige em silêncio. Pego a mão dele e a beijo

-Vou ficar - ele retribui.

Acredito nele pois quando chegamos em casa o clima entre nós estava tão in love que me esqueço o dia desagradável de hoje.

-Esse seu cheirinho de uva é tão... delicioso - morde meu pescoço e chupa me arrancando um gemido baixo e um sorriso

-Que bom que te agrada - acaricio as costas dele. Seu corpo está sobre o meu no sofá

-Qualquer mini detalhe seu me agrada, princesa.

-Bom saber, daqui a um tempo você enjoa... - subo acariciando seus cabelos sentindo os selares em meu pescoço

-Se eu enjoar, nós inovamos, o que acha? - mordo meu lábio

-Ótima ideia - sorrimos - sabe o que eu acho outra ótima idéia? - deixo um selinho em seus lábios

-O que?

-Irmos pro quarto agora e você me mostrar um pouco do seu "swag" - o menino ri

-Swag - sorrio largo enchendo ele de beijo - como quer que eu te mostre?

-Do jeitinho que só você sabe fazer - não existe coisa mais fofa na vida, do que Jooheon sorrindo com suas duas lindas covinhas exibidas e seus olhinhos pequeninos brilhantes. Ele me pega no colo subindo comigo pro quarto - será que essa cama aguenta seu swag? - rimos alto da minha idiotice

-Se não aguentar, temos um banheiro enorme - me sela - e uma cozinha - de novo - e uma sala - e de novo - e um corredor....

-Garagem - rimos. Sou deitada na cama com seu corpo por cima

-Faltou a piscina.

-O lugar não importa quando o swag é bem feito - sorrimos

-Minha princesa linda

-Só sua. - nos beijamos com desejo, até que ele me mostre seu famoso: "Suég".

~~~~~~~~~~ • ~~~~~~~~~~

Sinto algo ser colocado em meu nariz e desperto na hora, arregalo os olhos vendo Namjoon, ele coloca o pano em meu nariz novamente, olho pro lado e vejo Jooheon sujo com algo vermelho. 

Não, não, não! Meu menino não! Tento respirar a todo custo até a escuridão me tomar.

Apoio a cabeça em algum lugar, estou confusa, enjoada, grogue... minhas ideias parecem deslocadas, abro os olhos com a neblina em minha visão, gemo baixo com o enjôo

-Amor? - ouço a voz de Namjoon, ainda está desfocada. Cadê Jooheon? Me lembro de vê-lo sujo de... sangue? Ele estava tão sereno... ele não pode ter matado meu menino.

-Joo...

-Seu Nammie, amor. Hey, olha pra mim - vejo ele sorrindo com a visão distorcida - bem-vinda ao nosso novo lar, Min. - olho ao redor ainda confusa e vejo que estou num galpão iluminado, sinto um peso em meu tornozelo e olho pra baixo, só então vendo a corrente presa a ele.


Notas Finais


Não me matem por esse capítulo, comentem para eu saber o que estão achando, a opinião me ajuda muito a melhorar a história. Bjs amores, até o próximo capítulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...